1. Spirit Fanfics >
  2. Silence - Kim Taehyung >
  3. VII - Sete.

História Silence - Kim Taehyung - Capítulo 7


Escrita por:


Notas do Autor


Espero que gostem.

Capítulo 7 - VII - Sete.


S/n On


  Não sei onde estava com a cabeça quando aceitei sair com ele. Dylan não tem nada a ver comigo, eu nem precisaria sair com ele pra saber que não tem a menor chance de darmos certos. Na verdade, eu não quero que dê certo e isso já basta.

— Eu sabia! — Soyee fala animada ao meu lado — Sabia que mais cedo ou mais tarde ia rolar. — gostaria de estar animada ao menos um terço do que ela está.

— Vai ser só um filme, nada mais que isso. — olhei para ela séria. — Nada mais. — repeti.

— Um beijinho talvez. — ela provoca.

— Não. — respondi depressa, quase que com um nojo notável.

— Mas se fosse Taehyung... — seu tom de voz sarcástico me fez encara-la com um olhar vil. — O que foi?

— Não fala besteira.

— Besteira? Então porque parece que você prefere mil vezes ir fazer trabalho com ele do que ir ao cinema com Dylan? — olhei a minha volta para ter certeza que ninguém ouvia nossa conversa já que havíamos nos afastado de onde Taehyung estava.

— Não tem nada a ver, eu só não estou tão animada assim. — não contei toda a verdade, mas também não menti.

— E porque não? Será que é porque não é com Taehyung que você vai sair? — seu tom irônico foi mais notável dessa vez.

— Qual o seu problema com ele? — eu já havia notado sua indiferença com relação ao garoto desde o momento em que nos conhecemos, mas nunca tive oportunidade para perguntar.

— Problema? — franzi o cenho como se eu tivesse feito uma pergunta absurda — Não tenho problema nenhum com ele. — disse firme e séria — Só não entendo o que você viu de interessante naquilo. — por mais que ela tivesse tentado esconder, ainda foi possível notar sua expressão de nojo.

   Senti como se meus órgãos estivessem mudando de lugar. Taehyung não era simplesmente "aquilo", e apesar de nem eu mesmo saber o que havia visto de interessante nele, não permitiria que alguém o insultase na minha frente. Não sem um motivo extremamente válido, não por puro preconceito.

— Ser inteligente e gentil não é algo que você considera interessante em um homem? — não foi a minha melhor defesa.

— Tá bom, tá bom. — ela ergue as mãos em rendição — Temos assuntos mais importantes pra falar.

— Tipo? — o que poderia ser mais importante?

— Que roupa você vai usar?

— Soyee!

 

  

• •


  Taehyung escrevia concentrado na minha frente. Ao contrário da minha mente que estava um caos. Como eu iria dizer a ele que o trocaria por outro está noite?

  Não sei se ele se importaria, mas eu sim. Ok, eu admito que prefiro passar a noite estudando com Taehyung do que ir a qualquer lugar com Dylan. Mas isso não quer dizer que eu esteja apaixonada.

  Esperei que o intervalo chegasse para finalmente poder falar com ele.
 
 
 
  

Kim Taehyung On


  Começava a me incomodar o fato daqueles que eu considero meus amigos não me acharem capaz de conquistar uma garota sozinho, ou que o fato de ser eu mesmo não era o bastante para isso. Mas quem disse que eu quero conquistar alguém?

— Quando vai ter jogo? — perguntei tentando mudar de assunto, já que até então eles usavam cada segundo possível para me encher de conselhos e dicas.

  Jimin e Namjoon jogavam no time de basquete da escola. Jimin era ágil, já Namjoon era alto e com uma excelente pontaria.

— Fim de semana. — Jimin responde.

  Mesmo não sendo ligado em esportes, eu gostava de vê-los jogar. Ambos eram o extremo oposto de mim, mais nada nos impedia de manter uma amizade.

— E você? — Namjoon pergunta.

— As finais só começam mês que vem. — sorri bobo, não podia negar que estava ansioso.

— Você vai ganhar de novo. — ele afirma já crente do que diz.

  Antes que eu pudesse respondê-lo, meu sorriso foi interrompido com a aproximação abrupta de Namjoon, que apoiou uma das mãos em meu ombro e se aproximou apressado.

— Sua garota tá vindo aí. — me virei para vê-la, pois eu sabia de quem falavam, mas Namjoon me fez voltar rapidamente a olha-lo. — Você consegue.

— Hyung! — eu sei que queria, mas querer e poder são coisas bem distantes.

— Você tem que tentar de novo. — ele me encara sério, e mesmo sem querer a minha mente foi inundada por lembranças dolorosas.

  Antes que pudesse juntar coragem, ouvi a voz dela me chamar. Tão doce e tímida. Me virei depressa, não queria deixá-la esperando.

— Posso atrapalhar você um minutinho? — ela pergunta e olha ligeiramente para os garotos atrás de mim, que faziam bem o trabalho de deixá-la ainda mais tímida.

— Claro. — me esforcei em não parecer nervoso.

— É que não poderei ir a sua casa hoje. — sua voz mudou de timbre, parecia triste.

— Sério? — meu subconsciente deixou escapar a pergunta mais tola possível.

— Uhum. — ela assenti fazendo um biquinho como se lamentasse aquilo.

  Ela parecia um perfeito personagem de anime. Tão fofa e espontânea.

— Mas nem pense em fazer todo o trabalho sem mim. — diz autoritária  enquanto apontava o dedo indicador em minha direção e cerrava os olhos ao me encarar.

  Não pude evitar de deixar um rápido sorriso escapar. O dedo que ela apontava em minha direção ligeiramente tocou em meu peito, e aquilo instantaneamente encheu o meu corpo de uma eletricidade incomum.

— P.pode deixar. — me afastei minimamente me livrando do seu toque, que por mais mínimo que fosse já havia sido o suficiente para me desequilibrar.

  Ela acena e se vai, me deixando mais uma vez como um idiota, sem palavras. Me virei novamente para Jimin e Namjoon e vi os dois vermelhos de rir.

— Qual a graça? — eu já sabia a resposta. Era a minha estupidez.


• •


  De volta a sala, eu sentia a típica sensação de que algo ruim aconteceria. Apesar de não acreditar em superstições, aquela sensação me deixava desconfortável.

  O sinal soou e eu me pus a guardar meus cadernos cuidadosamente dentro da mochila, vi a caneta dela junto as minhas e instintivamente me virei para trás com ela em mãos. Estava determinado a devolvê-la.

  Mas ela estava conversando com o mesmo garoto de hoje cedo. Dylan o intercambista chinês.

  Tentei disfarçar e me virei novamente, mas antes que completasse tal ato senti a mão quente dela deslizar sobre a minha e ela perguntar — Ia falar alguma coisa Taehyung? — solta a minha mão devagar.

  Me virei novamente para ela e pude notar o olhar nada contente do garoto que ainda continuava ali. — Só q..queria devolver sua c.caneta. — ao contrário dele, os olhos dela me olhavam tão genuinamente que pude jurar que ela sabia o que se passava nas profundezas do meu peito.

— Devo ter esquecido na sua casa aposto. — ela sorri e pega o objeto da minha mão — Obrigada. — eu assenti.

— Então eu passo na sua casa às sete.

  Ele nos interrompe e sendo obrigada a dar lhe atenção, eu fui deixado de lado. Me virei novamente para minha mochila e continuei a guardar meu material escolar.

  Então Namjoon estava certo. Era por isso que ela não poderia estudar comigo, porque sairia com ele.

  Engoli a seco sentindo meus olhos arderem e sai dali depressa antes que parecesse mais patético ainda.




  


 

 

 


[ Continua? ]


Notas Finais


O que estão achando da história?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...