História Silenced - Interativa - Capítulo 14


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Bangtan Boys, Bts, Mistério, Terror
Visualizações 18
Palavras 2.888
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Mistério, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Linguagem Imprópria, Mutilação, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá queridos, hoje trago o penúltimo capítulo da fanfic :( sim ela está acabando!

Eu espero que gostem e vamos deixar a despedida para o próximo cap certo? hihi antes que eu comece a chorar kkk

Façam uma boa leitura e me desculpem qualquer erro...

Capítulo 14 - Capítulo XIII


Fanfic / Fanfiction Silenced - Interativa - Capítulo 14 - Capítulo XIII

Os corredores estavam vazios, Mary caminhava sem saber para onde ir, era assim em algumas manhãs, após tomar os remédios cujo ela não gostava, não via mais esperanças, então, para que tomá-los? Eles a deixavam desnorteada. Sua visão ficava turva e sua respiração desregulada. Caminhava com pequenos passos, enquanto vozes podiam ser ouvidas, porém pareciam um pouco distantes e incompreensíveis para ela.

— Ainda não é seguro usar a... Não sabemos o... Acontecer...

— Basta! ...Importante para nós.

Continuava a caminhar, não fazia ideia do que estava acontecendo, aquelas vozes pareciam familiares, mas ela não conseguia distingui-las. Mary caiu ao chão. Pode ouvir as mesmas vozes se aproximarem, questionando o que ela havia escutado, mas ela não conseguia responder. Sentiu-se ser erguida e, em seguida, adormeceu.

Ao abrir os olhos, as luzes em ao seu redor obrigaram ela a os fecharem novamente, enquanto piscava notando a sala de paredes e teto branco, a maioria das coisas ali eram brancas. Tentou prestar mais atenção, mas não reconhecia o local, parecia como a enfermaria, mas ela não estava lá. Só então ao tentar mover-se, notou estar presa. Na cama onde estava, havia fortes amarras que prendiam seus punhos, pernas e abdômen. Ela tentou se debater, o medo começava a se alastrar e, por mais que tentasse gritar, não tinha forças o suficiente.

— Querida. Acordou? — a mesma voz de antes ecoou na sala. Mas as luzes não permitiam que Mary visse seu rosto, mas começava a ter sua memória retomada, ela estava reconhecendo a voz. — Mary, não tenha medo, ficará tudo bem.

— O-onde eu estou? Eu quero sair daqui!

— Calma, querida, você sairá, mais cedo ou mais tarde.

Mary encarou na direção da voz, que se aproximou ficando contra ela e a forte luz branca, revelando sua face.

— Ligue! — Ela ordenou a outra pessoa na mesma sala, enquanto punha a máscara inalatória na menina.

Mary sentiu a ardência em suas veias respiratórias ao inalar, seja lá o que fosse aquilo, o efeito era rápido demais, em um minuto se debatia na cama tentando soltar-se e, no outro fechava os olhos perdendo qualquer sentido que tinha.

»»❀««

A sala escura não deixava Micha a vontade, a sensação estranha que pairava naquela sala era sinistra e lhe atormentava. SoonBok lhe conduzia até uma cadeira, onde a garota sentou-se e uma forte luz branca surgiu a sua frente, sentiu os grandes fones serem postos em seus ouvidos enquanto olhava fixamente para a luz a sua frente.

— Ótimo, querida. — a diretora sorria. — Apenas relaxe. — Soonbok caminhou até a mesa aumentando a frequência do som.

Micha ouvia o som agudo e estridente ecoar por toda sua mente, enquanto seus olhos estavam fixos na forte luz. Pessoas normais não aguentam tamanha frequência, mas para Soonbok finalmente estava de frente a uma de suas melhores alunas.

Após algum longo tempo, Micha já não fazia mais ideia de que horas eram ou de quanto tempo havia estado ali. Após o tempo de experimento havia ido direto para o dormitório, não sabia ao certo o que fazer, parecia desnorteada e sua cabeça doía um pouco, mas isso não era o pior, ela não se lembrava muito bem do que havia acontecido naquela sala.

»»❀««

— O que te leva a pensar que sua irmã já esteve no internato? — Yebin questionava quebrando o silêncio do grupo.

— Longa história. Mas resumindo: ouvi uma conversa da minha mãe.

— Então agora você escuta conversas escondido?

— Yebin! Eu não aceitei sua ajuda para fazer piadinhas.

Os quatro jovens caminhavam pelo corredor, assim como SoYo Yoongi sabia que Yebin e Jin eram as pessoas certas para esse trabalho.

— Ok, por onde começamos? — perguntou encarando os dois.

— Provavelmente terá algo na sala de Soonbok… — Jin observou Yebin estremecer. — Será uma operação de risco.

— Não tem outro modo? — Soyoung parecia preocupada.

— Tá me zoando? Você me fez aceitar a ajuda desses dois patetas para cair fora?

SoYo o encarou feio, às vezes era difícil conviver com o garoto, mas nada que ela já não estivesse acostumada.

— Claro que não palhaço, eu disse que podemos confiar neles.

— Acho que estamos perdendo tempo, Soonbok não está em sua sala, agora é o melhor momento.

— Certo Yebin. Eu e Yoongi vamos entrar enquanto você e SoYo vigiam.

— Claro que não, eu quero ir também. — Yebin fez bico implorando como uma criança. — Isso não é justo, eu fui contratada também.

— Grr... Certo! Certo! Entre vocês dois, eu e SoYo vigiamos.

Yebin abriu a porta puxando Jin para dentro, era realmente muito perigoso o que estavam fazendo mas ao mesmo tempo era algo simples: encontre fichas de alunos, procure por Hyemin e saia da sala. A sala estava muito bem organizada, o que facilitou que vissem as estantes com grandes pastas e papeladas por toda a parte, rapidamente começaram a vasculhar o local sem deixar pistas de quem passaram por ali. Jin observava as gavetas que haviam na mesa enquanto Yebin folheava uns papéis cujo ela não compreendia do que falavam. Devolveu os papéis no lugar e virou-se para Jin que agora parecia observar a sala a procura de algo que lhes ajudassem.

— Tem muitos papéis aqui! Não deve ter algo mais simples? Não sei, talvez… — seus olhos pousaram no laptop em cima da mesa, levando consigo a atenção do garoto que não tardou em ligá-lo. — Deve ter algo ai.

— Mesmo que tenha, não tem como sabermos. — ele apontou para a tela. — Contém uma senha de segurança.

— Tente algo… O que Soonbok colocaria como senha?

— Eu não faço a mínima idéia.

Sem idéias, Yebin sentou-se na cadeira apoiando-se na mesa, seu semblante era triste, ela queria muito poder encontrar algo a respeito de Hyemin, mas parecia tão difícil. Seus olhos percorreram a sala, pousando-os no laptop agora desligado, parecia uma derrota.

— Espere! O que é isso? — retirou o eletrônico deixando a mostra uma capa preta que apoiava o mesmo. — É um álbum de fotografias.

Yebin o pegou abrindo na primeira página, surpreendendo-se com aa fotos aparentemente velhas de alguns anos atrás.

— “Primeira turma experimental”? — Jin abaixou-se ficando na mesma altura da menina enquanto folheava o álbum. — Veja é a turma antes da nossa. Deve ser a primeira turma que se ofereceu para os testes dos procedimentos do internato.

— Acha que Hyemin pode estar aqui?

— Vou chamar Yoongi, ele poderá reconhecê-la. — Jin dirigiu-se até a porta abrindo-a com cautela, chamando os dois que aguardavam do lado de fora.

— Acharam algo? Acharam sobre Hyemin?

— É isso que vamos descobrir. — Yebin levou o álbum até ele. — Reconhece sua irmã nessas fotos?

Yoongi ficou sério assim que depositou seus olhos na primeira foto, era nitidamente e perceptível o sorriso triste da garota, com o braço enfaixado e de muletas, enquanto pousava para aquela foto.

— É ela? — SoYo apontou para a menina. — Ela se parecia com você.

— Então é verdade, ela realmente veio para cá. Hyemin estava…. Viva…

— Pouco se sabe da primeira turma, muitos voltaram para casa e outros… Eu sinto muito Yoongi. — Jin o consolava. — Muitos não resistiram.

— Está bem… Obrigado pela ajuda dos dois… Agora eu já sei a verdade. — disse saindo da sala.

SoYo o seguiu enquanto Yebin devolvia o álbum no mesmo lugar que o encontrou. Jin a observou triste e ambos sabiam que aquela notícia não era algo bom para se ouvir.

— Espero que ele fique bem.

— Eu também, Yebin. Eu também.

»»❀««

Micha vagava pelo internato, já era quase o fim da tarde e em poucas horas o sol começaria a se pôr. Empurrou a porta de ferro entrando no cômodo vazio, ela sentia-se estranha e queria apenas ficar sozinha por alguns minutos e aquela sala era boa para isso.

Passou seus olhos ao redor, haviam tantas coisas ali, lembrou-se da primeira vez que veio aqui, Jungkook havia lhe dito que nada ali funcionava, observou o baú e por algum motivo ele havia lhe chamado a atenção. Aproximou-se do mesmo e o abriu, muitas coisas haviam ali a maioria tudo quebrado, mas algo lhe chamou atenção, uma foto rasgada ao meio estava bem ali, como se quisesse que ela a encontrasse. A foto era de uma menina morena de sorriso alegre e brilho nos olhos, podia-se ver um braço ao redor dela e de alguma forma ela aquilo lhe era familiar. Observou bem a foto recordando-se de quando encontrou uma foto de Jungkook também rasgada ao meio e em sua mente juntou ambas as partes, sim era a mesma foto.

— Foi aqui. — Jeon surgiu assustando-lhe. Ela não o viu entrar na sala. Ele encarava a foto tristemente e então ela entendeu, aquela era a outra Micha, a famosa Choe.

— O que aconteceu?

— O mesmo que está acontecendo a você! — ele lhe disse assustado e lágrimas se formaram em seus olhos. — Foi bem aqui, atrás desse baú existe um buraco sem saída na parede, ela também havia se machucado e como você também dizia que algo estava errado pois não ela não sentia dor. — as lágrimas rolavam por seu rosto. — Mas algo aconteceu, algo estranho e que não aconteceu com você. Choe começou a tremer e ficar muito estranha, seus olhos não tinham brilho nenhum e…foi horrível! — ele suspirou após cuspir todas as palavras. — Eu queria muito contar isso a todos mas não tive coragem, eu a prendi no buraco e sai correndo apavorado, eu voltei minutos depois percebendo o que havia feito, mas quando cheguei ela não estava mais lá, ela havia desaparecido e então veio a notícia de que ela tinha ido embora. Eu fingi esse tempo todo, eu sei que ela não foi para casa, e temo que algo parecido possa ter acontecido a Taehyung e agora a Hoseok! Micha, temos que descobrir o que está acontecendo aqui!

Micha processava o que havia ouvido, mas ela concordou.

— O que você tem em mente?

Não demorou eu Jeon e Micha estavam vasculhando a sala de Soonbok, Micha sabia que tinha algo errado ali, mas não sabia de fato o que poderia ser. Jungkook mexia nas gavetas mas nada era encontrado, Micha também não conseguia encontrar nada e o tempo deles pareciam curto demais. Ouviram passos do lado de fora e ambos se entreolharam, olharam a sua volta e correram para trás da estante agachando-se e ficando em silêncio enquanto a porta era aberta.

— Não consigo mais esperar! — Soonbok parecia falar com alguém. — Não podemos testá-la de uma vez?

— Tenha paciência logo chegará a hora.

Os dois escondidos tentaram ver algo, quando viram a diretora abrir uma caixinha em sua mexa com um fundo falso e pegar uma chave, indo em direção a estante e abrindo a portinha que havia ali, jogou uma papelada lá dentro e guardou novamente a chave no mesmo lugar, saindo da sala em seguida. Os dois esperaram uns minutos para terem certeza de que estava seguro e foram de imediato até a caixa pegando a chave a abrindo a porta do armário. Jeon retirou de lá alguns papéis nos quais de cara assustou-se com as letras grandes indicando tais palavras:

— “Experimentos super-humanos”. — ele encarou Micha que também se assustou voltando a ler em seguida. — “Formação de super-humanos para uso em guerras, as cobaias ideias são jovens entre 17 a 20 anos…

— O que está acontecendo aqui? S-somos cobaias?

Micha cambaleou esbarrando-se com o projetor em cima de uma mesa de centro, o mesmo começou a passar fotos em uma tela a sua frente, “turma experimental” surgiu escrito a princípio, a foto de sua turma foi estampada logo em seguida, “cobaia 80% compatível - falha” agora a foto de Choe passou fazendo com que Jeon encarasse ainda mais a tela tristemente, “cobaia 93% compatível - ainda em teste - recentemente a melhor compatibilidade” agora foi sua foto que apareceu, Micha aproximou-se se observando na tela, seus olhos estavam arregalados e desacreditados.

— S-sou e-eu! — sussurrou para Jeon.

Um grito foi ouvido, olharam imediatamente para a janela, lá fora o sol começava a se pôr e mais gritos foram ouvidos. Saíram as pressas da sala correndo pelos corredores, do lado de fora encontraram todos os alunos restantes observando algo todos apavorados. Em cima de uma árvore Xuan segurava-se em apenas um galho, sua expressão era séria e ela observava todos lá embaixo.

— XUAN! DESÇA JÁ DAI! — a inspetora gritava.

Micha e Jeon aproximaram-se, e sem pensar duas vezes a menina correu para frente, chamando a atenção da mesma!

— Xuan! Não faça isso! Existem pessoas que te amam aqui! — ela encarou Jin que estava completamente apavorado ao lado de Yebin que encontrava-se em lágrimas de medo. Também havia Jeon e Yoongi que não conseguiam nem ao menos terem alguma reação. — Xuan, por favor!

— XUAN EU NÃO VOU REPETIR! DESÇA AGORA!

— Está bem. — A garota do alto sorriu para a inspetora, largando do galho que segurava e jogando-se do alto até seu corpo chocar-se contra o chão. Gritos tomaram conta de todo o lugar.

Não tardou em a inspetora mandar todos para dentro, o que não demoraram para fazer, logo alguns funcionário chegaram e ela pode acompanhar os alunos até os dormitórios, contava um por um enquanto subiam as escadas para o segundo andar, mas ao notar a falta de alguns, seus olhos se arregalaram, enquanto ela corria imediatamente atrás de Soonbok para informá-lhe o sumiço de sua mais bela criação.

— Não acredito que ela se jogou. — Seoyeon comentou assustada.

— Eu não sei por que está surpresa, Xuan já havia tentado  outras vezes a única diferença é que agora ela teve sucesso...

— Não fale assim Namjoon! — Hana exclamou. — Que horror, onde está a compaixão?

— Calma irritadinha, não quis ofender. Afinal, sabemos que Xuan não estava em seus melhores dias, não é mesmo Jimin? — Namjoon não obteve resposta, o loiro parecia estar com os pensamentos distantes. — Jimin!

— Hã? O que foi?

— Pensando em Mary? — Hana lhe tocou o ombro. — Não se preocupe, a diretora disse que ela está em repouso por não estar se sentindo bem. Logo ela estará de volta.

— Exato. — Seoyeon concordou. — Mary é forte e logo ela estará bem.

— Certo, vamos para os dormitórios, o dia foi péssimo e aparentemente só piora.

»»❀««

O sol ainda podia ser visto, mas se punha rapidamente, pela mata os dois corriam numa tentativa de fuga, Micha e Jungkook haviam rapidamente se dispersado do restante dos alunos e saído pela pequena passagem que havia no porão assim como quando foram até a lagoa, mas dessa vez estavam fugindo, estavam tentando achar ajuda.

— Está sentindo isso? — Micha indagou parando de correr. — É cheiro de comida!

— Deve haver alguma vila ou coisa do tipo!

Ambos voltaram a correr seguindo o cheiro delicioso. A floresta não era fechada e isso lhes davam oportunidade de correrem entre as árvores e alcançarem rapidamente o que esperavam ser uma vila.

— O que é isso?!

Micha encarou Jeon perplexa. De longe puderam ver um acampamento, lotado de militares e soldados armados. Só então perceberam do que se tratava. Era para eles que Soonbok tinha um contrato.

— Temos que sair daqui! — Jungkook disse virando-se para voltarem a correr.

Um barulho foi ouvido e logo um homem surgiu lhes surpreendendo agarrando Jungkook. Eles já o haviam visto no internato, passava-se de enfermeiro mas agora fazia sentido, era apenas um disfarce para que toda a sujeira lá de dentro acontecesse. Rapidamente Micha pegou um galho que estava jogado ao chão batendo com força na cabeça do homem. Não chegou a lhe machucar mas foi o suficiente para que ele soltasse o menino e eles pudessem voltar a correr, agora fugindo daquele soldado.

Um tiro foi disparado.

O cara estava armado e estava mirando neles e por pouco a bala não acertou um deles. De longe avistaram um campo aberto, seria um problema mas não tinha mais para onde correr. Outro tiro foi dado e então o homem começou a correr em suas direções, Jungkook olhou para trás observando Micha cair ao chão, ela havia sido baleada. Micha lhe encarou enquanto estava ajoelhada ao chão, começava a perder seus sentidos, mas ainda pode fazer um gesto mandando-lhe continuar. Continuar sem ela. Ele então agachou-se a sua altura e sussurrou algo em seu ouvido.

— Eu vou voltar!

O homem apontou a arma novamente, agora mirando no garoto que corria para longe, mas as balas não lhe alcançaram. Micha apenas o viu sumir conforme a distância, apagando por completo vendo tudo escurecer.

»»❀««

A noite já se fazia presente, no internato Soonbok observava a garota totalmente desacordada e frágil na cama.

— Os sinais vitais dela estão estáveis. — disse a enfermeira. — Talvez o gás funcione.

— Ótimo! Aguente firme Xuan! Você está fazendo um bom trabalho. — sorriu. — E os outros?

— Já estão todos recolhidos em seus dormitórios, senhora.

A diretora sorriu novamente, os barulhos que vinham da porta lhe chamou atenção, então o soldado adentrou a porta jogando o corpo e Micha em uma das camas da sala toda branca. Soonbok não disse nada a princípio, apenas aproximou-se depositando um tapa no rosto do homem.

— Está louco!? Podia tê-la matado! — suspirou. — Enquanto ao outro?

— Fugiu… — Recebeu outro tapa.

— ÓTIMO! Agora temos problemas! Mudanças de plano! Ligue o gás em todos! Agora!

Soonbok voltou a encarar Xuan. Ela estava respondendo ao gás perfeitamente, se ela sobrevivesse seria o maior de seus experimentos. E se Micha também sobrevivesse, estaria apta a realizar seu sonho de ser reconhecida.


Notas Finais


Olá! O que acharam? Espero que tenham gostado, não sei quando sai o último cap mas já comecei a providência-lo!

Então nos vemos em breve eu acho, um beijo enormee ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...