História Silentium - JuNhwan - Capítulo 6


Escrita por: ~ e ~Kim_kumamon

Postado
Categorias IKON, VIXX
Personagens B.I, Bobby, Chanwoo, Donghyuk, Jinhwan, Junhoe, Leo, Personagens Originais, Ravi, Yunhyeong
Tags Daddykink, Junhwan, Yaoi
Visualizações 75
Palavras 1.278
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá, eu sou Kim_kumamon e seja bem vindo(a) a mais um capítulo de Silentium.

Sim, demoramos a postar pelo simples motivo: A Gabbie (MihKki) não limpou o canto da cadela dela e ficou sem celular.

THE END.

Heuejiejeieue

Sem mais enrolação; Boa leitura!

Capítulo 6 - : Capítulo 6 :


Fanfic / Fanfiction Silentium - JuNhwan - Capítulo 6 - : Capítulo 6 :

Já era segunda-feira, como sempre o meu domingo se baseou em dormir, comer e assistir alguma série.


E para a minha alegria segunda-feira tinha começado. Estava andando ao lado de Yunhyeong, até eu perceber Junhoe atrás de nós, ele parecia estar hesitando se aproximar, olho direto para ele e estendo a mão para ele se aproximar, fazendo chegar mais perto e segurar a minha mão.


— Por que não veio falar comigo? — Olho para Junhoe.


— Não sei... Não queria atrapalhar a conversa de vocês.


— Junhoe, são três meses de namoro, não um final de semana.


— Boa sorte! — Murmura Yunhyeong para Junhoe.


— Yunhyeong eu não sou surdo. — Reviro os olhos. — Relaxa, eu não Mordo.


Foram quinze minutos de caminhada, não no completo silêncio, às vezes percebia Yun murmurando ou gesticulando para Junhoe, às vezes eu fingia que não via, as vezes reclamava com os dois.


Ao chegarmos na escola, ganhamos a atenção de muitos, talvez seja por que Junhoe seja o cara 'mais cobiçado na escola' e eu estava andando de mãos dadas com ele. Se é para namorar, tem que ser direto, não é mesmo?


Em alguns minutos dentro da escola, vejo Ravi vindo até nós com uma feição surpresa, e arrastando Leo pela mão. Talvez ele não se lembre do desafio que tinha proposto para nós.


— ‘Eta porra, vocês estão namorando? — Fala Ravi parando na nossa frente.


— Won, pelo amor de Deus não me arrasta desse jeito. — Fala Leo se colocando no lugar.


— Ele não lembra, né? — Fala Junhoe olhando pra mim.


— Lembrar do que? — Diz Ravi confuso.


— Você propôs um desafio pra mim. — Explico. — Pra mim namorar o Junhoe por três meses, e eu não sou de amarelar.


— Sério? Então eu sou o culpado desse amor? — Diz Ravi colocando a mão no peito.


— É verdade, eu me lembro. — Fala Leo olhando para Ravi. — Achei que lembrasse.


— Eu não. — Fala Ravi olhando para Leo. — Não lembro nem o que eu comi ontem.


— Comida? — Falo rindo.


— Ahh, mentira?! Vou comer o que? Objetos?


— Quem sabe? — Falo guardando o meu celular, já que logo o sinal bateria. — O sinal vai bat... Tá aí. — Falo me levantando e tentando puxar Junhoe.


— Calma Baixinho, deixa eu levantar primeiro. — Fala Junhoe se levantando.


— Eu tô calmo, só não quero me atrasar, vamos.


— Tá, se é assim vamos! — Fala Junhoe pegando a minha mão e me arrastando para a sala. — Qual a sua primeira aula?


— Biologia, infelizmente. — Suspiro ainda sendo arrastado por Junhoe.


— E a sua última antes do recreio? — Fala parando na frente da porta da sala.


— Inglês. — Falo parando na sua frente.


— Tá, te vejo no almoço. — Fala Junhoe me dando um beijo. — Tchau. — Diz soltando a minha mão e indo pra sala.


— Tchau. — Falo entrando na sala e indo para a minha mesa, claro, sendo observado por todos dentro da sala.


Em menos de cinco minutos o professor entra na sala, e começa a explicar o assunto.


***


Eu realmente não sei o porquê de existir esse inferno no qual chamamos de escola. Pelo amor de Deus. O coisa chata, viu. Mas é só reclamar que brota um ser do quinto dos inferno falando que é para parar de reclamar, que as coisas só vão piorar quando estiver em uma faculdade. Não vou mentir, mas só de imaginar, me dá vontade de pular de um pé de alface. Mas o ruim  seria que eu não morreria, o máximo que eu faria era esmagar aquela folha verde e ruim. Affu.


— Pra onde você tanto olha, Jin? — e foi nesse exato momento, em meio a “tantos” pensamentos, que Yunhyeong chama minha atenção.


— O que? — pergunto começando a arrumar meu material, já que, nem mesmo a campa eu tinha escutado bater.


— Perguntei pra onde você tanto olha.


— Ah, pra sua cara que não é! — respondi com um sorriso divertido nos lábios.


Me levantei da cadeira, colocando a mochila nas costas sendo acompanhado por Yun. Saímos da sala, e no meio do caminho, vi Junhoe vindo em minha direção com certa velocidade e uma garota que mais parecia uma gazela atrás dele gritando “Oppa”. No momento em que eu vi aquilo, não estava entendendo nada. Só fui entender quando Junhoe me virou de lado agarrando minha cintura e me dando um beijo, ela estava o perseguindo. E sabe aqueles beijos pornográficos? Pois então, era esse tipo de beijo, algo realmente esperado, já que Junhoe é mó cara de pornô ambulante. E eu? Eu estava retribuindo. No maior agrado.


Estávamos no meio do corredor, sendo olhados por todos e… com certeza, pela gazela, na qual eu acabei de nomeá-la. Mas sabe, eu não estava me incomodando. Eu estava era pouco me fodendo se tinha alguém achando bom ou ruim. Junhoe, por fim, puxou meu lábio inferior. Abri meus olhos, vendo a garota nos olhar com a boca aberta e parada, igual a uma estátua. Sorri abraçando a cintura de Junhoe, que prontamente retribuiu meu abraço.


— Você estava atrás do meu namorado? — perguntei dando ênfase em “meu”. E então fiz um biquinho — Desculpa, mas ele aqui já tem dono. Procure outro.


E então a garota saiu de seu transe, bufando e saindo de lá batendo o pé chão. Escutei alguns murmúrios e baixas risadas. Mas não me importei. Me afastei de Junhoe, procurando Yunhyeong com o olhar. O encontrando encostado nos armários, e ao lado dele, estava Chanwoo. Neguei com a cabeça, voltando a andar, sendo seguido por Junhoe, que estava ao meu lado e Yunhyeong e Chanwoo atrás de nós. Entramos no refeitório, Chanwoo se afastou alegando que ia pegar algo para comermos, e então sentamos em uma mesa.


Yunhyeong pegou seu celular começando a mexer nele, enquanto eu sentia Junhoe colocar sua mão em minha coxa a apertando. Aproximou seu rosto de meu ouvido.


— Meu dono? — sussurrou fazendo que eu me arrepiasse.


— Sim, seu dono. Só está faltando uma coleirinha — sussurro virando meu rosto, deixando a centímetros de distância do de Junhoe.


— Nada disso, baixinho. O dono aqui sou eu, então trate de me obedecer, se não será punido, uh! — falou afastando seu rosto do meu, mas não tirando a mão de minha coxa e deixando de apertá-la.


Eu poderia muito bem ter ficado com um certo medo do que Junhoe falou, mas não fiquei. Acabei ficando foi com curiosidade em saber como seria tal punição. Eu com certeza, cedo ou tarde, daria um de rebelde — mais do que já sou —, e acabaria aprontando pra saber como seria.


Chanwoo voltou para perto de nós com o lanche. Eu não sabia o porquê dele estar se juntando a nós, talvez fosse pelo Yunhyeong. Depois, com certeza perguntaria qual era o rolo deles. Ravi e Leo não apareceram para se sentar hoje com a gente, talvez estivessem se comendo em alguma sala, ou fazendo outra coisa. Acabei por pegar qualquer coisa que Chanwoo trouxe começando a comer.


***


— Aah, eu estou morto! — falou Yunhyeong se espreguiçando no meio da calçada.


Já era de tardinha, o sol já estava se pondo. Estávamos voltando tarde para casa por ficarmos andando por aí, e… Chanwoo estava junto, colado a Yunhyeong, como um cachorrinho atrás do dono. Logo chegamos ao nosso bairro, Junhoe e Chanwoo nos acompanharam até a porta de casa. Junhoe se despediu de mim com um selinho, enquanto Chanwoo se despedia de Yunhyeong com um sorriso fofo, um beijinho na bochecha e um aceno de tchau. Eu e meu primo entramos em casa. Joguei minhas coisas em um canto qualquer indo para o quarto. Me joguei na cama, logo dormindo.


Notas Finais


Eu realmente peço desculpas pela demora.
Se vieres a encontrar quaisquer erro, nos desculpem.
Até a próxima!

Beijos de porpurina de KimKumamon e MihKki.

Tchu Tchu~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...