História Silver Wings - Interativa - Capítulo 12


Escrita por:

Postado
Categorias 2NE1, 2PM, B.A.P, Bangtan Boys (BTS), BtoB, CrystaL Clear (CLC), EXID, EXO, F(x), Girls' Generation, Got7, Neo Culture Technology (NCT), Red Velvet, SHINee, Shinhwa, Super Junior, TVXQ (DBSK) (Tohoshinki)
Personagens Amber Liu, Andy Lee, Baekhyun, BamBam, Bang Yongguk, Changsub, Chansung, Chanyeol, Chen, Chenle, Cho Kyuhyun, Choi Siwon, Cl, D.O, Daehyun, Doyoung, Elkie, Eric Mun, Eunbin, Eunkwang, Haechan, Han Geng, Hani, Hansol, Heechul, Henry Lau, Hero Jaejoong, Himchan, Hyerin, Hyoyeon, Hyunsik, Ilhoon, Irene, Jackson, Jaehyun, Jaemin, JB, Jeno, Jeon Jungkook (Jungkook), Jessica, Jinki Lee (Onew), Jinyoung, Jisung, Johnny, Jonghyun Kim, Jongup, Joy, Jun Jin, Jun. K, Jung Hoseok (J-Hope), Junghwa, Jungwoo, Junho, Kai, Kangin, KiBum "Key" Kim, Kim Dong-wan, Kim Heechul, Kim Jongwoon, Kim Kibum, Kim Namjoon (RM), Kim Ryeowook, Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Kim Youngwoon, Kris Wu, Krystal Jung, Kun, Lay, LE, Lee Donghae, Lee Hyukjae "Eunhyuk", Lee Min-woo, Lee Sungmin, Lu Han, Lucas, Luna Parker, Mark, Mark, Max Changmin, Micky Yoochun, Min Yoongi (Suga), Minho Choi, Minhyuk, Minji, Nichkhun, Park Bom, Park Jimin (Jimin), Park Jungsu, Peniel, RenJun, Sandara Park, Sehun, Seohyun, Seulgi, Seunghee, Seungyeon, Shin Donghee, Shin Hye-sung, Shindong, Solji, Sooyoung, Sorn, Suho, Sulli Choi, Sungjae, Sunny, Taecyeon, Taeil, Taemin Lee, Taeyeon, Taeyong, Tao, Ten, Tiffany, U-know Yunho, Victoria Song, Wendy, Winwin, Wooyoung, Xiah Junsu, Xiumin, Yeeun, Yeri, Yesung, Yoojin, Yoona, Youngjae, Youngjae, Yugyeom, Yuri, Yuta, Zelo, Zhou Mi
Tags Bap, Big Bang, Btob, Bts, Exo, Got7, Nct, Pentagon, Seventeen, Shinee, Super Junior
Visualizações 29
Palavras 3.012
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Bishoujo, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Fluffy, Harem, Hentai, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Universo Alternativo, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Pansexualidade, Self Inserction, Sexo, Spoilers, Transsexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá meus amores?

Perguntinha do dia: Vocês usam óculos? Eu tenho miopia ;-; eu acabo usando óculos porque a lente é horrível no meu olho, mas eu não consigo ficar sem ele ksksksksk

Fiz um capítulo meio diferente, e pretendo fazer algo parecido com ele de novo, algo mais, espaçado entendem?

But, está tudo seguindo como eu queria :3

Boa leitura meus amores! Nico Nico Niiiii!

Capítulo 12 - Chapter Twelve


Fanfic / Fanfiction Silver Wings - Interativa - Capítulo 12 - Chapter Twelve

Silver Wings havia tido a primeira briga, a primeira discussão.


Depois de longas semanas de estresse, além de muitas discussões de fora – vindo de muitas trainees que não iriam debutar. As integrantes haviam sido de certa forma cobradas pelos seus parentes, causando problemas familiares, já que ninguém estava preparado para a privatização que estavam tendo delas. Além de finalização de comeback e brigas familiares, por conta de vários motivos, duas integrantes acabaram se irritando de forma inevitável.

Ao mesmo tempo que toda essa briga foi ruim e deixou o clima pesado, foi boa. As integrantes precisavam ter um choque para amadurecem como grupo e até se conhecerem melhor. Todas ali, gostando ou não, teriam que se suportar. Era uma questão de profissionalismo, a empresa não iria aturar problemas entre si que não fossem relacionados ao grupo.

Inicialmente, tudo parecia calmo demais, agora as coisas estavam tomando um rumo. Eram oito mulheres adultas e com uma vida, mesmo chamadas de "meninas, garotas", elas são bem mais que isso. E agora era a hora de levar uma porrada na cara, Silver Wings iria ser um grupo que moraria junto e vivem unidas, por bem ou por mal, sendo legal ou ruim.


Alice havia acabado de se vestir. Como ela tinha hora marcada, no dia anterior ela já havia perdido tempo escolhendo sua roupa. Por conta do estresse acumulado, ela optou por uma roupa mais justa, que não fosse lhe incomodar durante três horas de reunião seguidas. Estava com uma blusa preta com um decote nas costas, por opção de deixar sua tatuagem à mostra, e mesmo não achando que fosse combinar colocou uma calça skinny mais escura junto a uma bota preta de cano alto.

Alice Lotis estava com uma espécie de bom humor: estressada, mas não irritada. Poderia se explicar desta forma. Enquanto saía do apartamento e garantia todos que havia fechado janelas e a porta, aproveitava para analisar de todos os quartos se iria chover, para saber se levaria um guarda-chuva ou não.

Saindo da casa e trancando a porta, havia resolvido que não precisava do guarda-chuva, assim saindo do prédio em passos apressados e até mesmo fortes, levando em conta o barulho que seus pés faziam contra o chão.

Assim que entrou em seu carro, ligou o rádio e ignorou totalmente a música de fundo. Suspirou profundamente ao sentir toda aquela onda de ansiedade se instalar em si, nunca havia sentido algo tão perturbador assim. Debutar não era algo nenhum pouco fácil, depois de anos de torturas você se tornava um Idol com mais torturas ainda.


Não estou falando de torturas físicas, apenas as psicológicas.


Alice dirigia com uma certa pressa, não estava nem um pouco atrasada, mas ela estava tensa, nervosa. Durante todo o percurso, ela tentava fazer que o carro não ficasse silencioso, mas nem o barulho do rádio tocando música alta fazia sua mente ficar cheia ou entretida. Assim que chegou na empresa, implorou para que a reunião acabasse cedo e ela conseguisse encontrar seu namorado, iria tentar passar a tarde com ele, caso o grupo deste estivesse disponível. Saiu de seu carro e começou a andar para dentro da empresa, viu que havia alguns fãs e fotógrafos espalhados por fora da empresa, mas não conseguiu dar muita atenção.

Entrou na empresa e já foi direto para a lanchonete central, onde pediu um café e foi esperar na sala onde teria a reunião.

Bebeu o café enquanto pensava na reunião que teria sobre o Silver Wings. Reconhecia que era uma pessoa de personalidade forte, que defende o que acredita e tem uma ótima lábia, mas saber que ela poderia ser gravemente subestimada durante essa reunião junto a outros CEOs, lhe causava uma ansiedade.

Não achava que nada fosse dar errado, confiava que iria conquistar o que queria, mas estava esgotada, de certa forma.

Alice é uma pessoa prudente, com uma boa lábia, decidida, seja lá o que acontecesse, seu pensamento era o mais positivo, não importasse o quão cansada ela estivesse. Assim os todos entraram na sala e a reunião se iniciou.


Alice não era a única que iria para uma reunião, Layla também estava pronta para uma. A diferença era que sua reunião seria por sua função de modelo e imagem oficial da Empresa SM Entertainment. Havia tentado não se arrumar muito para aquele evento, além do mais, seria uma reunião profissional, mas não poderia ignorar seu estilo por completo. Uma camisa com estampa camuflada, uma calça jeans rasgada escura e um salto mais simples foi sua pedida do dia.

Layla estava bem diferente de sua irmã, já que ela estava com uma cara mais fechada que o comum, já que se via muito a Wang com a cara séria. Layla estava se sentindo irritada e tensa, detestava a sensação de não entender o que acontecia a sua volta e de não ter o controle do que acontecia em relação a si. Havia se irritado profundamente com uma trainee japonesa absurdamente intrometida no dia anterior, acabou dando mais moral para a garota mimada do que devia.

Mas não era só isso, a sua rotina estava conturbada, fazia uma semana que não fazia coisas comuns do seu dia-a-dia, como praticar a sua dança ou escrever, isso lhe fazia mal. Mas ela tinha que abrir de uma rotina calma por isto.

Assim que estacionou seu carro, virou mais um pouco da sua garrafa de água na boca, enquanto respirava pesado. Dentro de Layla, ocorria uma grande mistura de confusão, principalmente por sua preocupação com Alice, e incerteza.

Quando conseguiu adentrar no estacionamento da Wo&Nem, estacionou na primeira vaga e saiu do carro, indo diretamente para a recepção da empresa. Assim que foi entrando, a Wang começou a ficar tensa só de pensar na possibilidade de se estressar mais ainda. Acredite, caso ouvisse alguma piada em relação a sua nacionalidade ou qualquer tipo de discriminação, as coisas iriam desandar.

Layla era uma pessoa que não suportava preconceito ou qualquer tipo dele, sua personalidade forte e sua confiança não faltavam nem um pouco.

Assim que entrou no estabelecimento e sentou em uma cadeira qualquer, sem nem olhar no rosto das outras modelos esnobes que ela muito bem conhecia, recebeu uma mensagem. Rapidamente abriu para ver o que era, e leu:


Kysa, abriu um restaurante francês perto da minha casa :3

Eu já chamei todo mundo que eu queria que fosse, mas ninguém podia :P

Brincadeira

Você foi a primeira pessoa que eu pensei em levar, já que você gosta de massas e tals

Então caso você queira, tá convidada, só aparecer aqui na empresa [emoji do polegar levantado]"


Lara Müller estava só o osso: cansada e irritada. Estava sentada esperando uma reunião familiar começar. A Müller estava pronta para começar a ouvir seus familiares falando das mesmas questões ridículas e mostrando cada vez mais seus preconceitos e a falsidade que eles emanavam. Inicialmente sua roupa era um problema para seu tio, considerada vulgar. Lara não usava aquele tipo de roupa todo dia – uma blusa sem manga azul pastel, uma calça boca de sino da mesma cor e um tênis All Star preto –, era algo mais refrescante para um estranho e quente dia em Seoul.

Ela ajeitou seu óculos de grau no rosto, enquanto seus parentes falavam entre si, olhava para o rosto de todos e não dizia nada, estava muito puta para abrir a boca. Ela estava tão irritada que não queria ouvir um "A", por isso tudo que entrava por um ouvido saía pelo outro. Ela fazia caretas enquanto se lembrava de como era sua semana com Silver Wings. Gostava de estar em grupo, mas aquela semana havia sido uma grande e linda... Explosão de coisas ruins, melhor dizendo.

Uma Müller satanista é totalmente imoral”, “Ela é cheia de tatuagens, como ela vai se casar?”, “Ela é sapatão, com certeza” Müller apenas ignorava esses comentários ignorantes e totalmente sem fundamento enquanto bebia um copo de suco de uva bem forte.

Sentiu sua irmã entrelaçar sua mão direta com a dela, e olhou para Alice Müller, sua irmã, sorrindo ternamente. Sabia que seus pais, avós e irmãs detestavam aqueles comentários, mas a Müller já havia perdido a paciência de rebater.

Lara havia visto aquela briga, as fofocas, os outros grupos se metendo, a empresa sendo injusta, tudo totalmente quieta, sem dizer nada. Apenas pegou seu celular e resolveu trocar algumas mensagens de maneira disfarçada.

Lara sempre foi o tipo de pessoa agressiva e briguenta, mas pior que isso: ela é rancorosa e vingativa, cada uma daquelas pessoas iria receber aquilo de volta de alguma forma.


Krystal estalou seu pescoço enquanto dirigia seu carro em direção a empresa JUG, que era a empresa de seus pais. Krystal era uma mulher confiante, mas sempre que ia visitar seu pais, nem escolher suas próprias roupas ela conseguia de tão nervosa que ficava. Ela acabou escolhendo um salto e uma blusa com manga branca e um macacão com suspensório amarelo. E não estava se achando feia, mas aquele não era seu estilo, ela gostava de roupas que ela se sentia empoderada. Sabia que seus pais achavam suas roupas vulgares demais, ela era muito submissa a eles.

Jessica insistiu para a irmã não ir para a empresa dos pais sem ela, mas sabia que em partes, essa proteção de Jessica tornava ela muito dependente dela. Krystal estava tentando encarar seus pais sem ser protegida, sendo sua própria proteção, força.

Ela havia conseguido estacionar próximo a entrada da empresa, após colocar sua máscara e ajeitar seu cabelo, saiu do carro e foi direto para dentro da empresa.

Reconhecia muitos artistas e pessoas famosas ali, adoraria conversar com eles sobre qualquer coisa, mas ela estava muito nervosa para puxar assunto ou fingir que estava só passando por ali.

Chegou a recepção, mostrou seu rosto e logo foi liberada para entrar na sala da CEO, que era sua mãe. Assim que viu o olhar totalmente rude e amargurado de sua mãe, sentiu cada uma de suas pernas fraquejarem. Ela havia passado aquela semana que para muitos estressante: tendo muitas crises e passando mal, além de uma imensa tristeza dentro dela, ela não queria ficar pior, mas teria que enfrentar sua mãe ali e agora.

Krystal sempre foi uma pessoa sentimental, seu rosto frio e seu estilo sensual pode passar uma imagem séria e segura. Mas Krystal sabia exatamente quem ela era e como ela ficaria frágil numa situação como aquela.


Nari bebeu mais um gole de água, pronta para encher ela e beber a próxima garrafa de água gelada. Naquela semana cansativa e desmotivada, nem mesmo ler livros e tocar violão estava lhe acalmando, ela continuava nervosa e ansiosa. Acabou por beber muita água e ficar nisso. A cada garrafa de água que ela bebia, ela se sentia mais calma e com mais vontade de ir ao banheiro, claro.

Por estar no dormitório, estava com uma blusa de um anime – Os sete pecados Capitais – e seu short branco, enquanto estava sentada na mesa da cozinha.

Quando a briga se iniciou, Nari achou totalmente desnecessária, assim como ficou chateada pelo jeito como a semana se levou após isso. Sabia que nenhuma das duas eram pessoas ruins, muito menos cruéis, mas gostaria de ver elas se resolvendo, não só se ignorando e passando o dia.

Nari era uma pessoa que detesta machucar as outras pessoas, ela sentia que aquilo não havia somente afetado as integrantes, mas também machucado. Três semanas estava tudo bem, na única que ocorre uma briga: a semana se passa péssima. Nari era realmente uma menina muito quieta e tímida, mas muito pensativa.

Desde então, ela estava pensando bastante, mas do que o normal. Ela sabia que tudo ia se resolver, estava ansiosa não só pelo Debut, mas ver o seu grupo melhorar e todas voltarem ao normal.

Se bem que, Nari não queria admitir totalmente, mas na carreira de um Idol, a maioria dos idols querem se matar na maior parte do tempo, mas Nari torcia para o Silver não ter isso, mesmo com toda pressão que recebessem, que elas continuassem juntas e unidas. Poderia ser sonhar alto demais, mas é melhor do que aceitar o pior.

Nari é exatamente assim, pensativa, talvez um pouco solitária, sonhadora e dona de um ótimo coração, além do mais, ela queria muito que todas ficassem bem.


Sarina, para tirar um pouco daquela semana lenta e tortuosa de si, resolveu comprar um livro novo: um livro sobre enigmas, juntando duas coisas que ela gostava muito. Ela estava no dormitório, porém Nari estava dormindo quando ela chegou, então acabou apenas se trancando em seu quarto. Abriu e sentiu o cheiro de livro novo, enquanto preparava-se para passar a semana.

Havia comprado um pijama especial para relaxar, um conjunto de blusa e short brancos, para se refrescar e ler seu livro em paz. Inicialmente, começou a ler uma, duas, três, quatro, cinco, seis... Sete páginas. Leu todas as sete. Mas assim que chegou na sétima, não conseguiu mais prestar atenção na leitura, sua mente estava totalmente cheia, parecia que iria explodir aos poucos.

Aquela semana havia sido muito horrível, de péssima a pior. Nem mesmo a internet lhe entretia. Sua semana não havia sido nem um pouco pesada: finalização do comeback, só. Mas aquela maldita desavença havia feito com que tudo se passasse da pior maneira possível. Ela não estava se aguentando, principalmente por ter sido a única que não presenciou, mas não se sentia a vontade para perguntar o que aconteceu.

Sarina é uma pessoa curiosa e observadora, ela já havia sacado o que aconteceu, ela somente queria ter a certeza do final, ter apenas o bônus, mas não conseguia, e isso alimentava mais e mais seu desespero.

Se perguntou se deveria falar com Nari, mas talvez a garota fosse ficar constrangida, então ela desistiu da ideia. Sentou no chão e procurou algum jogo para passar o tempo, só assim para ela ver a hora sem passar, caso nem aquilo passasse a sua vontade, ela iria ouvir música ou ver se a Cho estava acordada, provavelmente tentaria fazer amizade com a garota.


Luanda estava dentro da empresa, esperando Sunny para sair. Sunny lhe disse que a levaria em um restaurante chique, então a amiga não poderia ir desarrumada, então Luanda escolheu um cropped preto junto a um salto da mesma cor, junto a uma calça boca de sino e um sobretudo rosa claro. Estava se sentindo o auge do estilo, já que geralmente usava roupas totalmente largadas, por conta de sua vida trabalhando e fazendo faculdade.

Sua semana não havia sido tão ruim quanto para as outras integrantes, já que seus problemas foram externos, então ela esqueceu totalmente do que ocorreu dentro do grupo. Ela havia brigado seriamente com Sehun, segundo Sunny, era totalmente comum. Mas Luanda admitiu que ficou totalmente chateada com o amigo, acabou que precisou marcar com Sunny um lugar para elas conversarem sobre isso.

Estava na recepção da SM com um copo de água em mãos, já que ia para um restaurante, preferiu não beber cappuccino ou qualquer bebida mais pesada. Enquanto enrolava os cabelos nas pontas dos dedos, olhou entediada para a parede branca, havia esquecido seu telefone, então não poderia jogar nada.

Luanda odiava admitir, mas parecia que Sehun vivia em sua mente e dominando seus pensamentos, por isso ela o chamava de Praga, era a única explicação para essa fixação que tinha em pensar em Oh Sehun.

Como um fantasma, Sehun apareceu ali do nada, olhando fixamente para o rosto de Luanda assim que ambos se perceberam. Quando o viu, Luanda forçou uma expressão neutra e na hora olhou fixamente para a parede, enquanto Sehun passava reto, ele chegou a parar no meio do caminho, como se tivesse dúvida. Nesse momento, Luanda torceu que Sehun virasse e falasse algo, mas como o esperado, ele continuou andando e ela o perdeu de vista.

Suspirou profundamente, ela era uma muito orgulhosa, ele havia errado com ela, ele que tinha que vir pedir desculpas, mas... Isso era Luanda, ser orgulhosa demais, irritável demais.


Siyeon estava treinando sua dança. Enquanto as outras integrantes passavam por uma semana difícil, Siyeon estava presa num mundo da lua, totalmente imersa.

Estava na sala de treino, sentia seu joelho e seu pescoço doer, mas continuava. A semana de Siyeon havia sido ruim, mas por conta do horário de sono não estar sendo seguido, sua alimentação estar desregulada e por sua pressão psicológica imensa, todo dia era lembrada por ser a responsável pela dança do grupo. Ela estava focada e paranóica, que a líder chegou a dar uma vigiada, para tentar controlar nem que fosse um pouco a rotina suicida da Park.

Ela conseguiu convencer a líder que estava tudo, dizendo que não havia motivos para ela se preocupar, já que Siyeon iria começar a seguir tudo corretamente após debutar, mas não sumiu nem um pouco com a desconfiança de Alice.

Após uma semana da maknae treinando e aparecendo roxa e toda dolorida por conta dos treinos intensos, sem falar nos pesadelos e na insônia, que por estar no mesmo quarto, as irmãs Wang viam de perto ela acordando chorando ou até mesmo caindo da cama por conta de seu corpo em movimento.

Ela tentava passar uma imagem de força, ela sentia que tinha que aguentar totalmente aquela pressão em cima dela, já que ela era uma trainee e para debutar ela precisava daquilo. Após muita insistência da líder, um dia antes do Debut, onde elas teria seis horas de folga – emocionante, não? –, elas iriam em um coffeeshop em forma de folga dos treinos intensivos. Inicialmente, Siyeon iria negar ao perceber que Layla estava ficando levemente enciumada com a situação, mas a Lotis insistiu tanto que Siyeon não teve nem escapatória.

Siyeon soltou um suspiro, quando foi voltar a música, suas pernas tremeram um pouco e ela acabou caindo com as palmas no chão. Gemeu de dor e de susto, enquanto olhava para sua própria perna, os treinos estavam tão duros que além de de esbarrar nas paredes ou cadeiras, ela estava caindo muito. Siyeon estava tão focada nisso, que ao invés de ver isso como índice de esgotamento, ela estava vendo aquilo como índice de fraqueza e incapacidade.

Novamente, quando foi se levantar, sua perna direita estava dormente e acabou deslizando no chão, assim aconteceu dela cair novamente, dessa vez com o cotovelo no chão, soltando um gemido mais alto de dor. E se assustou ao ouvir a porta atrás de si abrir.


Notas Finais


Hello!

∆ AVISO DE SPOILER ∆

> Eu não coloquei nada especificando a briga por escolha, eu vou jogar isso pro próximo capítulo, okay? Obrigado bolinhos da Dani.

> "nossa, pq elas ficaram tão mal com essa briga?" Bem, no ramo profissional, qualquer tipo de desavença que ocorra pode ser grave, principalmente se você vai ter que aturar ela todo dia, Silver Wings está lidando com um Debut, elas começarem mal pode refletir em um mês, dois meses, um ano, cinco anos, então isso preocupa em questão do grupo e porque ela estão tão juntas e quase que amassadas uma na outra, que acaba que tudo que acontece preocupa. E outra, cada integrante tem um motivo a mais, que vai ser explicado no próximo capítulo, sem falar que gente: falta dias pro comeback, eles estão com a ansiedade vazando pela pele.

∆ AVISO DE FIM DE SPOILER ∆

!!! Amores, como eu não tô podendo falar muito por conta do meu sono, vou ser breve. Eu ainda estou testando os links e a descrição, entende? Então estou escolhendo o que vou fazer. Então, hoje sem links, okay? <3 !!!

Até mais meus lindos! <3 :3 <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...