1. Spirit Fanfics >
  2. Sim, Eu Sou Um Atípico - Yoongi >
  3. "Suga"

História Sim, Eu Sou Um Atípico - Yoongi - Capítulo 9


Escrita por:


Notas do Autor


Bodiaaaa!
Tudo bom gente?
Comigo tá tudo sussa!
Bom, chega de enrolar e vamos ler, né?
Boa leitura, bem!

Capítulo 9 - "Suga"


Fanfic / Fanfiction Sim, Eu Sou Um Atípico - Yoongi - Capítulo 9 - "Suga"

Saímos de casa e adentramos o carro do mais velho, que até então eu não sabia que ele tinha.

-Hobi. – o chamei. Hoseok me olha. – Você tem carro?

-Sim! Eu fui no encontro ontem de Uber porque ele estava no concerto. – ele coça a nuca.

-Papai bateu em um poste semana passada. – Jaemin diz do banco de trás.

-Nossa, Jaemin! Você não sabe guardar segredos mesmo, né? – Hoseok olha para o garotinho, que ri alto.

-Que bom saber, Jaemin! Vou apertar bem meu cinto! – o garotinho ri novamente.

Eu e Jaemin conversamos durante todo o trajeto em direção o restaurante que Hoseok escolheu. Nós falamos sobre a escola dele, meu autismo, minha faculdade, as dificuldades dele com matemática e biologia, etc. Eu propus a ele que eu o ajudasse duas vezes por semana nas suas matérias e ele adorou a ideia.

Ao chegarmos no restaurante, Hoseok retirou Jaemin da cadeirinha e o menino correu em minha direção e pegou minha mão.

Eu confesso que ele me pegou de surpresa. Eu realmente não esperava isso.

-Você é muito mais legal do que a moça que diz ser minha mãe. Eu não gosto dela nem um pouco. – ele retorce o nariz. – Ela é chata e a voz dela é irritante.

-Não gosto dela também. – rimos.

Hoseok andou até nós dois após fechar o carro, e segurou a mão livre de Jaemin.

-Agora somos uma família! – Jaemin disse alegre.

Eu espero que sim, Jae.

Entramos no restaurante e fomos atendidos. Jaemin pediu um bibimbap sem pimenta, eu pedi um Kimbap e Hoseok pediu jjajjangmyun.

Após nosso almoço, Jaemin pediu sorvete. Fomos até uma sorveteria famosa bem no centro de Daegu, que fica próxima a rodoviária municipal.

Apenas Jaemin pediu sorvete, já que nós dois estamos bem cheios. Mandamos o menino ir fazer seu pedido, enquanto estávamos o esperando no lado de fora do estabelecimento.

Hoseok encostou-se na parede ao lado da porta de entrada da sorveteria, me olhou e sorriu. Não entendi o porquê, mas também sorri para ele.

-Você é muito amável com Jaemin. – disse. – Ele realmente gosta de você.

-Eu também gosto dele. Jaemin é incrível!

Hoseok segurou minha mão livre e me puxou para perto dele. Nossos corpos estavam novamente juntos. Grudadinhos como na noite anterior.

Sua mão adentrou minha jaqueta e segurou minha cintura firmemente. Apenas sorri, já imaginando o que irá acontecer.

Hoseok parece ter o dom de me controlar apenas existindo. Eu simplesmente quero ele, sem nem um outro motivo aparente se não por ele ser ele mesmo.

Seu rosto se aproxima do meu lentamente, me fazendo fechar os olhos na mesma velocidade.

Sinto seu nariz tocar o meu e nossos lábios se contatarem levemente.

Seus lábios quentes finalmente tocaram os meus por inteiro e meu coração quase explodiu, como se fosse a primeira vez que sinto os seus lábios.

Levo minha mão livre até sua nuca, acariciando o lugar. Hoseok inverte nossas posições em um movimento rápido, me deixando contra a parede.

Meu lábio inferior é puxado vagarosamente pelos seus dentes e sugado novamente por seus lábios.

Ah, meu Deus! Como eu queria que estivéssemos em casa agora!

Seus beijos migram para a minha bochecha, maxilar e param em meu pescoço. Sinto a pele do local ser chupada com força de um modo extremamente prazeroso.

-Hmm, Hoseok... – deixo escapar um gemido baixinho.

-Ah, Yoongi... Eu estou com vontade de você aqui e agora. – ele disse próximo ao meu ouvido.

Meu baixo ventre formigou.

Meu estômago embrulhou estranhamente. É como se houvesse um gatinho peludo se aninhando no interior da minha barriga.

-Eu também, Hobi. – sussurro.

Hoseok me olha nos olhos. Consigo sentir o seu desejo através dos seus orbes escuros e sedutores.

-Quando chegarmos em casa. – ele aproxima seus lábios do meu ouvido novamente. – Talvez matamos essa vontade. – o lóbulo da minha orelha é mordiscado.

Eu quero sentir aquilo que senti mais cedo. Quero ter um orgasmo e gozar de novo! Mas dessa vez, quero que seja com Hoseok.

Empurrei minimamente Hoseok para longe de mim e me distanciei da parede.

-Vamos entrar. Jaemin está demorando. – sugiro.

-Você está certo. – ele pegou em minha mão e me puxou para dentro do estabelecimento.

Ao entrarmos, encontramos o pequeno Jae sentado a uma mesa comendo um sorvete de tamanho médio e com um milkshake grande ao lado.

-Jaemin! Por que demorou?! – seu pai o repreende.

-É que você e o senhor Min estavam tendo o momento de vocês e eu não quis atrapalhar.

-Ah... – Hoseok coça a nuca envergonhado. – Desculpa por gritar, filho. O papai só se preocupou com você.

-Tudo bem, papai! – ele sorri grande, fazendo seus lábios formarem um coração. – Senhor Min?

-Diga. – me aproximo do pequeno.

-O senhor me deu muito dinheiro, sabia?

-Eu sei. Eu imaginei que você não iria querer apenas um sorvete. – ele riu baixinho.

-Você imaginou certo. – Hoseok diz.

-Senhor Min, posso te chamar de Suga?

-Suga? Por que Suga? – pergunto de cenho franzido.

-Porque o senhor tem uma pele tão branquinha que parece açúcar! – o pequeno garoto de olhos grandes sacode suas pernas freneticamente no banco, já que não alcança o chão.

-Pode ser! – rio.

Suga? Se existe uma coisa nessa vida que eu não sou, é doce!

...

-Ah, meu deus! Esse encontro foi incrível! – digo alegre ao entrar em casa.

-Me conta tudo! – Jungkook diz, vindo diretamente da sala.

-Jaemin me deu um apelido novo! Ele me perguntou se podia me chamar de Suga!

-Suga!? Ah, meu deus! Ele gostou mesmo de você, hein?

-Sim! Ele disse que gosta muito de mim e falou que eu sou incrível! Ah! E disse também que um dia quer ir em uma luta sua. – Jungkook abre um sorriso enorme de imediato.

-Ele falou isso mesmo!?

-Sim!!

-Que fofo! - Jungkook bate palminhas enquanto pula alegre.

-Como foi o encontro, filho? – meu pai pergunta, saindo diretamente da cozinha.

-Foi incrível, pai! Acho que logo, logo nós iremos oficializar um namoro!

-Que bom, filho! Fico feliz por vocês! – me abraça brevemente.

-Obrigado pai. – sorrio para o velho, que logo volta para a cozinha.

-Os seus sorrisos estão mais constantes, Yoongi. Acho que Hoseok é uma grande pílula de lsd disfarçada de humano. – Jungkook observa.

-Talvez seja! Ele me faz tão bem... Eu me sinto controlado pelo seu corpo, como se eu fosse sempre guiado em direção a ele, independentemente de onde estou. – suspiro. – Agora eu vou subir porque estou exausto. – retiro meu casaco e o seguro no braço.

Começo a andar em direção a escadaria, mas paro ao ouvir Jungkook me chamar.

-O que foi? – deslizo a mão na minha nuca.

-Isso aí no seu pescoço é um chupão!?

-Chupão? – franzi o cenho.

Jungkook aproximou seu celular do meu pescoço de modo que eu pudesse enxergar o reflexo de um roxo em meu pescoço através da tela.

-Uou! Aquele “beijo” fez isso!? – me pergunto. – Minha nossa!

-Pois é, maninho. – sorri.

-Mas foi ótimo. – nós dois rimos. – Se for para sentir aquilo novamente, ele pode me deixar totalmente roxo.

-Yoongi! Você está bem safadinho, sabia? – Jungkook ri. – Você realmente quer o corpo do senhor Jung nu!

-Obvio! Pelo pouco que vi através da camisa grudada que ele vestia hoje, vale a pena ter pensamentos impuros.

-Ai meu deus! – Jungkook ri alto.

...

Enfim, segunda-feira.

Essa semana vai ser bastante tranquila, já que não tenho aulas programadas para dar. Tenho duas provas: uma na terça e outra na sexta, o que significa que os dias restantes vão ser totalmente vagos no horário de aula.

A semana vai ser calma e incrível, mas o que eu não vou gostar é que vai haver uma mudança: Hoseok não vai mais ser meu terapeuta. Eu e ele decidimos que seria melhor para nós dois se fosse assim, caso contrário nós iríamos estar misturando a vida pessoal e a profissional, o que não é aceitável em nem uma hipótese – pelo menos não na sua área. Mas eu odeio mudanças, e odeio mais ainda mudanças ruins.

Levanto exausto da cama e vou em direção o banheiro. Tomo banho, escovo os dentes e me olho no espelho.

Eu estou me sentindo estranhamente cansado, mas não é fisicamente. É como se o meu cérebro estivesse pesado, sabe?

Visto uma calça moletom, uma camisa preta, meias e chinelos e desço para a cozinha.

-Bom dia, Yoon! – Jungkook me deseja, como o de costume.

-Hm. – murmuro.

-O que aconteceu? – ele me olha de cenho franzido.

-Nada. – digo baixo. – Cadê a mãe e o pai?

-Eles saíram cedo. Não sei onde foram... Ah! Preparei algo novo e mais saudável pra você hoje! – ele sorri.

Jungkook empurra um prato com waffles, maçã, frutas vermelhas, mel e granola em minha direção.

-Isso é bom? – estranho.

Por incrível que pareça, eu de fato nunca comi waffles na minha vida.

-Sim! É zero glúten e é bem gostoso! Prova!

Pego um garfo e começo a comer as frutas cobertas de mel e granola.

-Hm... Gostei da mistura do mel, da maçã e da granola!

-Todas as manhãs você vai comer frutas. Você vai acabar ficando doente apenas bebendo café, leite e comendo sanduíche de pasta de amendoim e geleia. Só coisa prejudicial a saúde, maninho!

-Tanto faz. – dou de ombros. – Na verdade, acho que preciso de mudanças, embora eu as odeie.

-Eu sei que odeia, mas eu posso te ajudar a se acostumar com elas. – Jungkook levantou e andou até o balcão, onde pegou um copo e voltou para a mesa. Na mesa tem uma jarra de um suco verde bem estranho. É o mesmo que ele bebe na sua garrafinha quando está treinando. Jungkook serviu esse suco no copo e colocou a minha frente.

-Beba esse. É bem gostoso e nutritivo.

-Não bebo coisas que não sei o que são. – viro a cara. – Isso não parece gostoso.

-Isso é vitamina de abacate. Eu sei que vai gostar! – ele insiste.

Jungkook sabe que eu não consigo negar algo a ele, já que ele é extremamente amável.

-Tudo bem. – pego o copo largo e fino e levo-o até a boca. Beberico do líquido verde e pastoso, sentindo um gosto esplêndido. Não é parecido com qualquer coisa que eu já tenha provado.

-Isso é realmente bom, Kookie! – bebo mais um pouco.

-É feito de leite de amêndoas, abacate e mel no lugar do adoçante ou do açúcar.

-Eu gostei mesmo do café. Obrigado.

-De nada! E a partir de hoje eu vou fazer o teu café da manhã e você vai fazer exercícios comigo, okay?

-Exercícios, Kookie? – eu não gosto nem um pouco dessa ideia.

-Você vai começar com o básico! Vamos começar com a esteira e com os pesos de dois quilos, okay?

-Tudo bem. – respiro fundo.

-Vamos fazer isso quando você chegar da faculdade todos os dias. Eu vou organizar uma planilha com os seus horários, já que você come quando quer e o que quer.

-As vezes eu acho que você é o irmão mais velho. – bufo.

...

São quase quatro horas da tarde e eu já estou no meu segundo desenho.

Eu finalizei hoje o desenho do Hoseok em estilo lineart que iniciei a dois dias, e o coloquei em uma moldura de madeira com uma tela de vidro temperado na frente porque gostei bastante do resultado. Hoje iniciei um novo desenho, esse que eu também irei enquadrar, isso se eu gostar do resultado.

Ultimamente eu tenho me visto extremamente motivado. Acho que toda a minha motivação e energia vem diretamente de Hoseok.

Eu acho que eu sou deveras obcecado por ele. Mas parte da culpa de eu estar assim é dele, já que qualquer ser humano se veria fascinado por Hoseok. Ele é simplesmente incrível, intrigante e fascinante! É como ler um daqueles livros onde romance, aventura e suspense se misturam, sabe?

Meu deus! Tudo me faz lembrar dele!

Meu telefone toca de repente. Pego-o e o olho, lendo “Dr. Jung” na tela.

Doutor Jung soa tão formal...

Atendo o telefone.

-Olá! – ele diz alegre.

-Oi.

-Hm... Como vai?

-Vou bem. Como vai o trabalho?

-Até agora só pessoas normais com problemas normais vieram. Os meus melhores pacientes chegam mais tarde. – ele ri baixinho.

-Hm... – suspiro. – Hoseok.

-Pode falar, Yoon. – mesmo não o vendo através do celular, sei que ele está sorrindo.

-Eu... – suspiro. Como diabos eu vou falar isso!? – Desde aquele dia... - exito em dizer.

-Qual dia?

-Aquele dia, Hoseok. Você sabe qual é. – sinto minhas bochechas esquentarem. – Desde lá eu não consigo esquecer. – digo de uma vez. 

Minha nossa! Eu sou tão bobo!

Um silêncio um tanto quanto constrangedor paira.

-Para ser sincero eu também não, meu bem. – após longos segundos, ele responde.

-Eu não consigo parar de pensar no seu corpo, Hoseok. – suspiro. – Eu... Eu quero tocar você. – digo baixo.

-Eu também te quero, Yoongi. – o ouço suspirar. – Mas não acha que estamos indo rápido de mais?

-Eu... Hoseok...

O ar parece pesar.

-Eu não estou dizendo que não te quero, Yoongi. Eu só acho que está indo tudo muito rápido, sabe?

-Sei. – respondo brevemente, o cortando. – Eu sei muito bem, Hoseok. Você disse ontem que iríamos matar a nossa vontade quando chegássemos em casa.

-Mas Yoon, você estava cansado!

-Tanto faz, Hoseok! Como você consegue mudar de ideia tão rápido!? Qual é o seu problema!? - grito ao telefone.

-Yoon, você e está bra...

-Eu pareço bravo pra você!?

-Parece.

-Então estou.

-Yoongi, eu...

-Passar bem, Senhor Jung. – desligo o telefone.

É... Eu sou muito bobo.


Notas Finais


Hoseok está começando a nós irritar, não é mesmo Guinho??

Bom, eu acho que antes de sexta-feira temos um novo cap, amiguinhes!
Eu realmente tô amando escrever essa fic aqui e já estou planejando os próximos caps e o final também!

Espero que tenham gostado do cap! Desculpa a demora, meus bbs!
Qualquer erro, me desculpem! Eu revisei, mas vai que tenha, né?
Obrigado por ler e mto obrigado por todo o carinho, minhas vidinhas!! ❤️💕🥺


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...