1. Spirit Fanfics >
  2. Simplesmente >
  3. Sempre foi você

História Simplesmente - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Oi, voltei hahah

Essa one é bem levinha e bem simples (dai o nome kk). Foi escrita para me distrair e também, para de alguma forma alegrar o dia de uma amiga minha. Hera, essa é especial para você, quero te confortar de alguma forma. Sinta-se abraçada e que essa one te ajude a sorrir nem que seja um pouquinho ❤️

Espero que gostem! Boa leitura ❤️

Capítulo 1 - Sempre foi você


A manhã de terça-feira seria ordinária, nada de tão empolgante estava previsto, a não ser a visita de Zoe, que depois de uma semana longe por ter ido visitar sua família no sul, passaria em sua casa para que matassem a saudade. Ele escutaria a mais nova contar as mesmas histórias de sempre, mas, não a interromperia, pois ama ver como ela fica animada como se fosse a primeira vez que contasse que seu tio lhe dera um kit de jardinagem quando criança e que foi por isso que ela descobriu seu amor por botânica, ou quando sua avó mostrou as fotos dos fósseis que escavou na juventude e isso lhe deixou tão fascinada que foi crucial para que ela tenha escolhido virar paleontóloga também. Ou talvez apenas seja pelo fato que ele a ama tanto que ouvir sua voz uma oitava acima, combinado com os gestos eufóricos e a risada escandalosa que quando ele presta atenção vê as covinhas em suas bochechas, talvez esses sejam uns dos fatores que façam com que ele adore que ela conte histórias repetidas. 


Tudo isso poderia acontecer sem problemas, até Levi se lembrar que sua mãe passaria daqui dez minutos para deixar sua irmãzinha de três anos com ele, pois hoje, ela trabalha o dia inteiro e a babá não pode vir porque está doente. 


Não que cuidar de sua miniatura seja ruim, ao contrário, ele adora passar um tempo com a pequena Mikasa. Ouvir a risadinha inocente dela a cada vez que consegue colocar o quadrado de madeira na forma certa do brinquedo interativo que ele deu no natal passado. Ou as gargalhadas quando um súbito ataque de cócegas acontece. Até porque, Mikasa é uma criança calma sem precisar de muito esforço, nem é preciso ligar o tablet com algum vídeo hipnotizante, Levi só precisa entregar os lápis de cores e uma folha de papel que a pequena fica feliz. Isso o deixa feliz também. 


Também não é incômodo para Zoe tê-la por perto, afinal, elas ficam rodando pelo jardim em uma ciranda desengonçada que acaba com as duas no chão rindo até a barriga doer e com lágrimas nos olhos. Zoe adora desenhar coisas do espaço para que Mikasa use os lápis para colorir. Mikasa adora ter Zoe por perto para ter alguém a mais para brincar de escolinha ou de pique esconde. As duas são uma dupla perfeita. Sim, a dupla perfeita também para causar dores de cabeça. As peças que elas pregam juntas são incríveis. A última foi enquanto eles brincavam de pique pega, Levi corria atrás das duas, até que Mikasa sumiu de sua vista, e Zoe fingiu não saber onde ela estava - a pequena escondeu-se na despensa da cozinha-, procuraram por quase uma hora, até Zoe ficar com pena e trazer uma Mikasa que ria como se tivesse encontrado o melhor presente. Levi ficou chateado, lógico. Porém, logo perdoou as duas quando as mesmas apareceram com um bilhete de desculpas cheio de purpurina e seus biscoitos favoritos, sim, ele é fácil em perdoar, ainda mais quando se trata delas. 


Ele decide levantar, visto que não falta muito para que ela chegue. A casa já impecavelmente arrumada, é um lugar ideal para deixar um ser de três anos vagando por aí. A campainha tocou, ele foi logo atender. 


“Bom dia, meu amor” saudou dona Kuchel com a pequena Mikasa semi acordada em seus braços. Levi cedeu passagem para que ela entrasse, abraçou-a com delicadeza para não machucar a pequena. “Obrigada mais uma vez por ficar com ela, sei que é seu dia de folga e que você queria aproveitar, mas infelizmente não tive outra escolha.” 


“Está tudo bem, mãe.” sorriu pequeno para tranquilizá-la. “Você sabe que eu não me importo de ficar com ela. É capaz d’eu conseguir dormir mais com ela aqui.” riram enquanto ele pegava a menina com cuidado. 


“Eu sei.” ela sorriu. “Estou indo, talvez eu volte às sete da noite, sabe como é o trânsito da capital. Um beijo,  meu filho. Eu amo vocês.” a morena beijou a bochecha do rapaz e ele em retorno deixou um beijo em sua testa dizendo que a amava também. Kuchel saiu pedindo pra que Mikasa se comportasse. 


Levi ajeitou a pequena em seus braços e a levou até seu quarto, onde deixaria que ela acordasse sozinha em sua cama. Nesse meio tempo, ele iria preparar algo para que pudessem comer. A menina se remexeu um pouquinho e ele a cobriu para deixar ela ainda mais confortável. 


Seu telefone tocou, era uma mensagem de Zoe dizendo que chegaria por volta das dez horas e que traria alguma guloseima para o café. Ele sorriu pequeno, ela sempre pensava em tudo. 


“Onde a mamãe tá?” a vozinha sonolenta o tira de seus pensamentos. 


“A mamãe está o trabalho. Você vai ficar comigo hoje, tudo bem?” ele sorriu para a cena dela coçando os olhinhos enquanto balançava a cabeça em um aceno positivo. 


“Você quer comer alguma coisa? Posso preparar os cereais que você gosta.” 


Quelo só água.” respondeu. Ele assentiu e a menina manhosa pelo sono fez um gesto de que queria colo e o irmão babão cumpriu seu desejo. 


Partiram até a cozinha, chegando lá, Levi ouviu o barulho das chaves rodando na fechadura, isso indica a chegada de Zoe. 


“Hey! Bom dia, nossa eu estou morrendo de fome, tô doida para comer esses croissants, o cheiro está tão bom.” tagarelava a mais nova durante o caminho até o outro cômodo. E logo se surpreende com a presença da menor no colo de Levi. Seu sorriso aumenta e ela vai correndo falar com a menina. “Oi amorzinho, como está a princesinha da titia?!” perguntou para a pequena que sorriu largo quando a viu. 


Zoe largou a sacola com os pães na mesa e agarrou Mikasa bem forte, fazia pelo menos um mês desde a última vez que elas se viram. A pequena agarrou o pescoço de Hanji. 


“Eu tô bem” respondeu “Você vai ficar com a gente hoje?” 


“Claro, meu amor. Se eu soubesse que você estava aqui traria meu conjunto de pinturas.” 


“Bom dia para você também” falou Levi em um falso tom de aborrecimento. 


Zoe sorriu e foi em direção ao namorado para lhe dar um pequeno selinho. “Também senti sua falta, rabugento” sorriram cúmplices. Ela se acomodou na cadeira ainda com a pequena em seu encalço.


“Como foram as férias? Sua avó está bem?” perguntou 


“Foram incríveis, consegui descansar um pouco, mas você sabe como eu sou, não consegui ficar muito tempo longe da minha segunda paixão.” 


Ele ouviu atentamente cada detalhe que Hanji lhe dava, Mikasa parecia fascinada com as histórias mirabolantes dela. Passaram o café da manhã ouvindo a moça contar tudo. 



************ 


A tarde já estava quase chegando ao fim, eles passaram o dia inteiro correndo pelo jardim brincando de futebol, depois foram ao parque para que a menina pudesse ver seus amiguinhos. Também tiveram a oportunidade de fazer um piquenique com alguns sanduíches que Levi preparou. Voltaram para casa assim que a pequena Mikasa já estava manhosa, provavelmente a hora da soneca já se aproxima.

Levi decidiu deixar Zoe dar banho na menor pensando no conforto da mesma.


Não demorou muito até a menina se aconchegar em seu travesseiro depois de ser ninada por Levi. Deixando ela a vontade e ainda esperando a confirmação que Mikasa estava dormindo, ele ficou encostado no batente da porta. Zoe foi se aproximando aos poucos, chegou perto do namorado e abraçando-o por trás se inclinou por conta da diferença de altura para aconchegar  seu queixo no ombro do homem. 


“As vezes eu fico imaginando como seria ter a nossa própria.” falou casualmente. 


“Hum…” respondeu pensativo. 


Ele já havia pensado nisso, na verdade, era o que mais se passava pela sua mente ultimamente. Levi sempre soube que era Zoe, ele sempre sentiu que era ela que seria mãe dos seus filhos. A mulher com quem ele dividiria a vida para todo o sempre. Não existia outra pessoa. Ele sempre imaginou duas crianças correndo pela casa, bagunçando tudo como a mãe delas sempre fez desde que apareceu na vida dele. Zoe sempre foi furacão na calmaria de Levi, e talvez seja isso que o faz amá-la cada dia mais. O espírito livre, o riso frouxo, o entusiasmo. Sim, era isso. Com certeza era isso. 


Zoe beijou a bochecha dele trazendo-o de volta à realidade. 


“Talvez devêssemos tentar mais tarde” disse com um sorriso de moleca no rosto. 


“É, também acho que deveríamos tentar” respondeu com malícia. 






Notas Finais


espero que tenham gostado. um beijo e até a próxima ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...