História Simplesmente acontece - Park Jimin - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Visualizações 13
Palavras 581
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drabble, Drama (Tragédia), Ecchi, Festa, Hentai, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 3 - Capítulo 3



            Park Jimin 


Depois de sai da casa de S/n eu e a Raibow, resolvemos e jantar depois do janta iremos pra casa. Não demoramos muito para acabar de comer, então como planejado agora a gente vai para casa. 


Assim que chegamos percebe que a minha namorada está meio triste, ou incomodada com alguma coisa, resolvo pergunta pra ela se aconteceu alguma coisa com a mesma.


Jimin: Tudo bem, Rai? - Paro em sua frente fazendo a mesma para de andar. Já que resolvemos anda a pé. - Você está estranha. - Aliso seu cabelo.


Raibow: Minnie, estou bem. - Forçou um sorriso. Eu sei que ela não está nada bem.


Jimin: Rai, eu sei que você não está nada, nada bem. - Cruzo meus braços. - Você sabe que não gosto que mintam para mim, né?


Raibow: Sei, é que...- Virou o rosto pro outro lado e mordeu os lábios aflita. - Estou g-gra... - Ela não consegue fala pois começou a chora. Então tento completa sua...espera!


Jimin: Você está grávida? - Falo meio alto por causa da ansiedade pela resposta.


Raibow: Sim. - Ela fala com a voz meu embargada por causa das lágrimas.


Jimin: Meu deus eu vou ser pai? -  Olho para a mesma e ela ainda continua a chorar. - Por que está chorando princesa?


Raibow: Sinceramente? - Faço que sim com a cabeça. - Eu não quero essa criança, jimin. - Arregalho meus olhos.



Jimin: Por que não? - Mim alterei - Você não está prepara? É isso? Se for isso, você sabe que eu te ajudarei, né? 


Raibow: Não é isso...- Ela falou


Jimin: Então é o que? - Grito. 


Raibow: Essa criança não é sua...- Ela falou e não ouvi.


Jimin: Não ouvi. - Pesso pra ela repeti.


Raibow: Essa criança não é sua. - Gritou.


Jimin: V-você. - Aponto pra ela com raiva.- Você mim traiu. - Ela se ajoelha no chão com a mão na cabeça chorando pedindo desculpa. A olho com desdém.- Sai daqui Raibow. - Pesso com os olhos fechados para poder mim acalmar. 


Raibow: Não, não por favor. - Segurou minha pernas e seu rosto está vermelho.


Jimin: Sai daqui, pelo amor de Deus... - Mim solto dela.- Arruma as suas malas, você vai volta ao Estados Unidos. - Ela afirma com a cabeça. - Vou compra sua passagem. - A mesma sobi. 


Respiro fundo e bagunço meu cabelo frustado, pego meu notebook e compro a passagem da Raibow, a mesma desce com as malas e vem na minha direção, ela ia mim abraça sendo que desvio da mesma.


Jimin: Vá se não vai perder o seu vôou. - Ela suspiro.


Raibow: Eu vou, mais eu volto.- Falou antes de sai e fecha a porta com força. Dou de ombro.


Pego a chave do apartamento e a minha jaqueta de couro preto, tranco a porta e saiu. Depois de tudo isso não tem nada melhor que uma cerveja. Realmente eu amei aquela miserável, sendo que meu amor não velu nem a pena que aquela galinha tem. Bem, só espero que ela fique com o pai dessa criança e vá ao quinto dos inferno. 


Pego um táxi e pessoas pra ele mim deixa na melhor boate que tem aqui. Não demorou muito pra  chegar em uma boate que não era tão longe do meu apartamento. Pago o taxista e entro na tal boate, e wow esse lugar tem muita gente e o cheiro da maconha era muito forte, mais não liguei muito. Pesso ao garçon um copo de wiski. Essa vai ser a noite, a minha noite.





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...