1. Spirit Fanfics >
  2. Simplesmente completa >
  3. Quem é Olivia Wells?

História Simplesmente completa - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Deixo aqui para os românticos de carteirinha o primeiro capítulo dessa história que promete mexer com todos vocês, assim como mexe comigo ao escrever cada palavra de cada capítulo.

Capítulo 1 - Quem é Olivia Wells?


Capítulo Um

Olivia

Eu tinha acabado de tirar o bolo do fogo, quando ouvi o barulho do carro de Adam do outro lado da rua, fui até a janela da pequena sala da minha casa e concluí que era realmente ele, Adam era meu vizinho há anos, eu sempre tive uma quedinha por ele, mas ele nunca me notou, o que não era novidade para mim ser a invisível para os homens. Decidi levar um pedaço de bolo para a mãe de Adam, no entanto eu sabia que essa era apenas a minha desculpa para ver Adam.

Separei três fatias generosas em um depósito e segui para a casa de Adam, a fim de encontrar a senhora Connor, pois se ela estivesse em casa, com toda certeza me chamaria para um café e talvez assim eu passasse um tempo a mais com ela, e com seu filho, meu deus como sou iludida.

Bati a porta em seguida anunciei quem era.

— Adam? Você esta ai? Sou eu Olivia.

— Só um minuto Olivia, estou indo.

E depois de alguns segundos esperando por ele, a porta se abriu, ele estava sem camisa e mal disfarcei meu olhar em seu abdômen, ele não era musculoso, porém costumava ir à academia então tinha um corpo bem definido, tirei meu olhar de seu corpo descoberto e foquei em seu rosto, ele era lindo, tinha os cabelos loiros, os olhos cor de mel, um nariz e uma boca perfeita, ah aquela boca, eu sempre a quis para mim, mas sabia que nunca a teria.

— Eu fiz um bolo e quis trazer um pedaço para a senhora Connor, ela está?

— Sinto muito Olivia, mamãe saiu para a fisioterapia logo cedo e ainda não voltou.

— Ah, tudo bem, será que você poderia entregar por mim então?

— Claro, ainda está quente, aposto que esta uma delícia, com toda certeza provarei primeiro do que mamãe.

Ele me abriu um sorriso lindo, e no mesmo instante me senti corar, eu era tão estúpida, ele apenas sorriu e elogiou meu bolo, nem se quer elogiou a mim e ainda fiquei com as bochechas vermelhas, sou tão idiota.

— Obrigada Adam, até logo.

Saí antes de ele me responder algo, pois eu tinha quase certeza que ele percebeu minha reação diante do seu elogiou, seu elogio ao meu bolo vale lembrar, nossa sou mesmo muito idiota.

Ao adentrar na sala de casa, vejo mainha e Julie, minha irmã mais velha, minha mãe esta segurando uma caixa, provavelmente é mais um presente específico para minha perna, eu tinha um pequeno defeito na perna, literalmente eu tinha uma perna maior do que a outra, eu andava como se esteve mancando, de leve mais ainda parecia que eu tinha machucado a perna, mais na verdade eu era assim, eu nasci assim, essa é a verdadeira Olivia Wells. E talvez fosse por causa do meu defeito que o Adam ou qualquer outro homem não olhava para mim como eu realmente queria ser olhada, eu queria ser olhada por um homem como uma mulher, uma mulher desejada, mas eu nunca era. Na minha época de escola, os meninos até me olhavam, mais quando olhavam demais, focavam na minha perna, no meu defeito, eu me sentia tão sozinha, tão rejeitada por algo que era simples, ou pelo menos era para algumas pessoas, mais ao que me parece para a maioria dos homens era um problemas, ninguém nunca se aproximava de mim, essa era minha vida, eu tentava não pensar muito nisso, mais machucava, o efeito da rejeição só é verdadeiro quando sentido.

— Deixe-me adivinhar mamãe, um presente de aniversário atrasado. Falei antes de ela ter a chance de falar algo.

— Filha, eu sei que você disse que não precisava, mais eu achei que devia, seu aniversário passou e eu não te dei nada, me senti na obrigação. Retrucou-me ela se explicando.

— Ah mainha, não era obrigação nenhuma, mas deixe-me ver o que você me comprou.

Fui em sua direção e ela me entregou a caixa que tinha nas mãos, sentei no sofá e ela me acompanhou, abri e dentro dela havia um lindo sapato, estilo botinha, porém cano baixo, era lindo, e com certeza tinha custado caro.

— Mãe, esse sapato deve ter custado muito caro. Falei ciente de que estava certa.

— Meu amor para com isso, aceite o presente, é o que tem de mais moderno pro seu caso.

Pronto, se eu já achava que tinha sido caro apenas vendo-o, depois de descobrir que era ortopédico, tinha cem por cento de certeza, mais resolvi não contestar com mainha, ela estava feliz em ter me presenteado.

— Ah mãe, eu nunca tive um sapato desses, obrigada de verdade. Falei e a puxei para um abraço.

— Incrível que para mim ninguém compra presente nenhum. Resmungou Julie que estava do outro lado da nossa pequena sala.

— Julie para com isso, você sabe que esse sapato vai fazer bem para sua irmã.

— Não mãe, eu não sei não, e não vou parar também não, é tudo para a Olivia, tudo mãe, sempre para a Olivia você só sabe comprar coisas para ela.

Percebi a chateação no rosto de Julie, e antes que mainha a respondesse, levantei-me e fui até ela.

— Julie não fala assim, você sabe que ela não fez por mal, mãe me deixa conversar sozinha com a Julie por favor. Sem questionar-me, nossa mãe nos deixou sozinhas na sala.

— Me desculpa por ela, você sabe que eu não queria presente algum, não fica chateada comigo, você é a minha melhor amiga.

— Você não tem culpa de ser deficiente, a mãe é que se sente culpada. Tudo bem vai esquece, eu não ligo mesmo.

Às vezes eu sentia que minha própria irmã me rejeitava, ela às vezes dizia coisas que me machucava mais eu tentava não dar atenção, colocava na cabeça que ela apenas falava sem pensar, e não por mal.

— Então, mudando de assunto, eu ganhei dois ingressos para um show que vai ter esse sábado no Company, tava pensando em chamar o Adam, no entanto tenho certeza que ele vai me dispensar, então vou te dar os ingressos, leva alguém que você gosta, ou sei lá, o Adam mesmo, ele não recusaria um convite seu.

— E porque o Adam te dispensaria? Claro que não, chama ele, manda mensagem, tenho certeza que ele te acompanhará.

— Você acha mesmo? Perguntei a minha irmã com a maior cara de tonta, já feliz por ela me incentivar a chamá-lo e ainda me afirmar que ele aceitaria caso eu o chamasse.

— Se você não o convidar, nunca saberá. Ela me falou e subiu as escadas em direção do seu quarto.

Peguei o celular determinada a mandar mensagem para Adam o convidando, fui logo direta e mandei de uma vez antes que eu me arrependesse.

“ Oi Adam, é a Olivia, tenho dois ingressos para um show sábado, no Company, ta afim de ir comigo?”

A resposta veio logo em seguida, então abri a mensagem dele e me surpreende com o conteúdo.

“Topo é claro, que horas passo para te pegar?”

“Ás 8:00h”

“Fechado”

Meu Deus ele aceitou, vou sair no sábado com Adam Connor, a primeira vez que vou a um lugar sozinha com um homem, e esse homem é Adam Connor, minha felicidade naquele momento era imensa.


Notas Finais


Logo, logo estarei publicando o capítulo dois. Será um possível encontro de Olivia e Francis?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...