História Simplesmente não faz sentido ! - Capítulo 18


Escrita por:

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Castiel, Lynn, Melody, Nathaniel, Rosalya
Tags Amor Doce Yaoi, Castiel X Nathaniel, Castnath, Yaoi
Visualizações 93
Palavras 1.055
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Comédia, Ficção Adolescente, Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 18 - Sensações estranhas


Fanfic / Fanfiction Simplesmente não faz sentido ! - Capítulo 18 - Sensações estranhas

Quarta-feira

Levantei com dor nas costas e senti cheiro de suor, esse com certeza não é um bom jeito de acordar mas era previsível, já que fui a academia e nem me dei ao trabalho de tomar um banho quando voltei além de que dores musculares depois do treino são bastante comuns.

Levantei da cama e derrubei os lençóis no chão com o intuito de coloca-los para lavar mais tarde. Se eu deixasse eles cheirando deste jeito o mal entendido com minha irmã poderia piorar, e não quero deixar meu quarto fedendo.

Saí do quarto e me dirigi ao banheiro fazendo costumes matinais como escovar os dentes e tirar minhas roupas para tomar banho. Entrei na banheira e olhei para o teto por um tempo. A água está me incomodândo, ela parece estar gelada demais enquanto meu corpo está quente e mesmo assim estou insatisfeito, precisando de mais calor e essa sensação me excita inteiramente. Tentei abraçar meu próprio corpo mas não fez diferença, me ensaboei o mais rápido possível e saí da banheira, porém no momento em que meus pés tocaram os azulejos gelados do banheiro perdi as forças das minhas pernas, assim caindo de joelhos deixando minha voz escapar involuntariamente.

Nathaniel: Ngh... !

Fiquei paralisado por alguns segundos e coloquei as mãos sobre a boca, aquele som... fui eu ? É obvio que fui eu ! Mas não posso acreditar ! Como um som tão lascivo saiu de mim ?! Se alguém mais tivesse escutado isso, juro que morreria de vergonha !

Com esse pensamento me afligindo fiz tudo mais rápido que o comum. Vesti uma roupa bastante aleatória, engoli o café da manhã de uma vez, escovei meus dentes com pressa, agarrei minha mochila, peguei o ônibus e quando percebi já estava em frente ao grêmio. Abri a porta e Melody estava sentada em uma das cadeiras olhando algo em seu celular, percebi que ela estava feliz ou animada com algo pois o sorriso que ela possuía no rosto apenas aumentava quando deslizava o dedo na tela do celular, acho que está vendo fotos. Não é do meu feitio olhar as coisas dos outros mas tenho curiosidade em saber o que deixa minha amiga entretida ao ponto de não perceber minha presença na sala.

Calmamente me aproximei e olhei por cima do seu ombro, no celular tinha fotos de um garoto com o rosto escondido e a camisa levantada mostrando seu corpo malhado, pela silhueta supûs que era um ômega. Wow ! Eu não sabia que Melody gostava desse tipo de coisas, me sinto constrangido já que troquei de camisa na frente dela algumas vezes...

Melody: Ehhhh ? Nathaniel ?

Ela finalmente me notou e não consigo evitar sentir vergonha.

Melody: AHH ! Espera, não é o que parece !

Nathaniel: Me desculpo por ter espiado suas coisas, eu não sabia que você tem esse tipo de interesse...

Melody: NÃO É ISSO ! Eu estava conversando com minha amiga por mensagem e ela me mandou essa foto !

O que ela falou tem lógica porém tenho impressão de que não é verdade, mas não posso continuar acusando minha amiga não tendo nenhuma prova.

Nathaniel: Oh, Desculpa ! Estou sendo muito precipitado recentemente !

Melody: Não se preocupe. Quando algo do tipo acontecer tente me perguntar, saiba que eu não mentiria para você.

Minha amiga sorriu calmamente e caminhou até a janela, olhando para fora desta.

Melody: Lynn estava procurando você.

Nathaniel: Que raro ela ter chegado cedo...

Melody: Deve ser algo importante, e melhor que você vá logo.

Nathaniel: Certo.

Caminhei pelos corredores e deixei minha mochila na sala de aula, procurar a rozada com peso extra só iria dificultar a busca.

Voltei a procurar por Lynn, enquanto andava passaram alguns garotos rindo e falando alto, fui para o lado mas mesmo assim um deles chocou seu ombro contra o meu. De repente a mesma sensação que tive no banho se repetiu e cai de joelhos, dessa vez coloquei as mãos sobre a boca para não emitir nenhum som.

Os garotos não me perceberam e seguiram em frente, porém Kentin saiu da sala dos professores e me viu no chão.

Kentin: Hun ? Nathaniel ? Você está bem ?

Nathaniel: Ah... Oi Kentin, não precisa se preocupar apenas tive um rápido mal-estar.

Kentin: Você tem certeza ? Se quiser posso te levar para a enfermaria.

Nathaniel: Sim, tenho certeza.

O moreno estendeu a mão para me ajudar a ficar de pé, porém assim que me levantei perdi a força das pernas novamente e teria caído se Kentin não houvesse me segurado.

Kentin: Nem tente mentir, não sou idiota ao ponto de acreditar de novo.

Nathaniel: Mas...

Kentin: Venha.

O moreno colocou meu braço sobre seu ombro para que eu tivesse apoio. Durante o percurso ele ficou de cabeça abaixada e não falou nada mas pude ouvir sua respiração cansada, sou muito pesado ?

Não demorou para que chegássemos na enfermaria, Kentin me deixou na cama e estava indo embora, porém puxei seu braço impedindo-o de ir pois queria agradecer a ajuda. Ele se virou para mim e finalmente pude ver suas feições, ele estava mordendo o lábio, levememente corado e ofegante.

Kentin: O que foi ?

Nathaniel: Ah, eu só queria agradecer.

Kentin: Então tá.

Essa resposta foi estranha já que Kentin não costuma ser tão frio. Eu perguntaria o que tinha acontecido se ele não houvesse se soltado do meu braço e saído da sala enquanto esse pensamento me distraía...

Vou resolver isso depois, entretanto agora quero aproveitar que aquela sensação desconfortável passou e dormir um pouco.

°●○°●○°●○°●○°●○°●○°●○°●○

Despertei e sentei na cama rapidamente, me sinto bem melhor agora, mas espero não ter perdido muitas aulas. Abri a porta da enfermaria e assim que dei um passo para fora desta percebi pelos corredores lotados que está na hora do intervalo.

Não sei se ir atrás de Lynn é uma boa ideia... Pensei um pouco e percebi que se ela chegou cedo para me procurar deve ser algo importante e 99% das "grandes notícias " que a rozada me dá são coisas que trarão mais problemas. Lidar com mais complicações seria terrível mas criei mentalmente três opções do que devo fazer:

1- Ir até Lynn para receber um provável pedido de ajuda (que não posso negar pois devo favores á ela) para fazer algo aleatório que envolve a vida dos outros e que irá ocasionar mais problemas futuramente.

2- Voltar à dormir e só acordar quando as aulas acabarem.

3- Me esconder em lugares onde ela nunca me procuraria. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...