1. Spirit Fanfics >
  2. Simplesmente Padackles... >
  3. Estou com saudades...

História Simplesmente Padackles... - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Hellou amores e amoras!
Cá estou eu com essa fic incrível reescrita e mais detalhada sobre nosso casalzinho ❤️

Capítulo 1 - Estou com saudades...


Fanfic / Fanfiction Simplesmente Padackles... - Capítulo 1 - Estou com saudades...

Jared chorava na poltrona do avião, não aguentaria de saudade de Jensen, seu melhor amigo e amor da sua vida. Tudo bem que daqui 2 semanas, 3 no máximo, ele estaria embarcando também, mas nunca ficou tanto tempo longe do seu loiro, e não lidava muito bem com despedidas, mesmo que temporárias.

Seu cheiro ficou impregnado em sua roupa por conta do longo abraço apertado que trocaram antes de embarcar, queria ter te dado um beijo, mas Jensen o via apenas como amigo, e não queria estragar essa amizade.

...

Jared e Jensen se conheceram quando tinham 8 e 7 anos, respectivamente. Se conheceram na escola, Jensen havia pulado uma série por ser inteligente, e foi colocado na turma de Jared, que foi o único que não ficou zombando do garoto.

-Ih, olha o nerdzinho! -Os garotos implicavam e provocavam Jensen.

Alguns empurravam o loiro pelos corredores, roubavam seus óculos, derrubavam seus livros e até mesmo batiam no menino. Em uma dessas vezes, Jared havia ido pegar sua bicicleta no pátio para ir embora e viu uma roda de garotos, parecia briga, e foi ver. Quando chegou lá, viu que todos os garotos se revezavam pra bater no loiro e que ele estava inclusive machucado, saía sangue de seu nariz e seus óculos estavam rachados.

-Tá bom, gente, já chega, o garoto não fez nada. -Jared separou a briga e olhou pra todos ali, que riram.

-Ah, vai defender, Jared? Esse garoto é uma comédia!

-Vou defender sim, já falei pra pararem, ou vou dar uma surra em vocês! -Quando terminou de falar, os garotos riram e então o moreno acertou um soco forte no nariz de um deles, o barulho do osso quebrando foi alto, o que fez todos correrem. -É melhor correrem mesmo, seus idiotas!

-Não precisava... -Jensen gemeu no chão, com a mão no nariz, tentando fazer parar de sangrar, mas sem sucesso, sua camisa já estava toda suja de sangue.

-Ei, como você está? -Jared abaixou, tirou seu casaco xadrez e limpou a mão do loiro, dando pra ele segurar o pano contra o nariz. -Deixa a cabeça normal, se levantar pode coagular, é perigoso.

-Obrigado. -Jensen deu um sorriso sem graça. -Sou o Jensen.

-Eu sei, o garoto novo inteligente. -Jared abriu um sorriso, mostrando suas covinhas e estendendo a mão pra ajudar o loiro a levantar. -Sou o Jared.

Jared ofereceu carona pra Jensen, já que pela hora, ele havia perdido o ônibus do colégio, e o carregou em sua bicicleta, o levou para sua casa e o ajudou a limpar aquele sangue, viu que o nariz do garoto não estava quebrado e até emprestou uma camisa limpa, pra que a mãe do garoto não se assustasse tanto quando o visse.

-Eu tenho um cofre, acho que o dinheiro deve dar pra consertar seus óculos. -Jared ofereceu, mas Jensen rapidamente negou.

-Não, não precisa, meu pai me ajuda, ele trabalha numa loja de óculos. -Jensen viu a hora. -É melhor eu ir, antes que minha mãe fique preocupada, eu me mudei a pouco tempo, moro ali na esquina, logo logo devolvo sua camisa.

...

Jensen entrou no carro com os olhos embaçados pelas lágrimas, não aguentou ter que mentir pra Jared, dizendo que iria encontrá-lo em Nova Iorque daqui a algumas semanas, a verdade era que ele não iria, não podia, sua vida mudou de cabeça pra baixo nos últimos dias, não podia atrapalhar a vida e os planos de Jared, como os seus foram atrapalhados. Pelo menos um deles tinha que realizar seus sonhos. Não que seu sonho não estivesse prestes a ser realizado, mas não era assim que queria que acontecesse.

Abriu sua mochila e pegou um pacote de biscoitos, e lembrou do amigo.

...

-Jensen, Jensen! -Jared entrou correndo no quarto do amigo com uma caixa de biscoitos na mão. -Minha mãe trouxe meus biscoitos preferidos, e eu vim pra cá, pra gente comer!

-Vou ligar o vídeo game. -Jensen sorriu, havia acabado de trocar os dentes de leite pelos permanentes e Jared gostava de testar os dentes novos do amigo, levando um monte de coisas pra eles comerem juntos.

Passaram a se sentar juntos no colégio, eram uma dupla incrível, Jensen sempre muito inteligente, e Jared sempre muito bom nos esportes, um ajudava o outro com tudo, eram melhores amigos.

-Ei, Tico e Teco, a professora de teatro estava procurando vocês. -Felicia, amiga dos dois avisou e ambos foram até o teatro, gostavam de ajudar nas peças, Jensen sempre ficava na organização e ajudava nos ensaios, Jared ajudava a montar as coisas e às vezes atuava.

Os anos foram passando, os rapazes estavam cada vez mais unidos, eram inseparáveis, dormiam um na casa do outro, e quando não podiam se ver, ficavam no telefone por horas, de onde vinha tanto assunto, não sabiam, mas adoravam conversar.

...

Jensen foi pra casa, e quando chegou, correu para o banheiro, precisava vomitar, botou tudo pra fora, e chorou mais. Não aguentava essa sensação, de ter mentido pra única pessoa no mundo que nunca havia mentido. Se sentia sujo, e essa sujeira, nem o banho mais longo e com toda espuma do mundo poderia limpar.

Secou o rosto e lavou a boca, sabia que se Jared estivesse ali, o levaria para o hospital, vêm escondendo esses vômitos há dias, no começo achava que era alguma intoxicação ou o nervosismo com toda essa história de formatura e faculdade, mas um certo dia descobriu o que era.

...

Jensen resolveu ir numa farmácia 24hrs, já eram quase 2 da manhã, não conseguia dormir. Estava na casa de Jared, o moreno havia sido aceito em um dos maiores times de futebol do país, não tinha dúvidas que isso aconteceria, ele jogava muito bem, era o melhor do time em todos os anos do colégio, tinha bolsa pra cursar o que quisesse por conta do esporte, mas não conseguia imaginar Jared fazendo qualquer outra coisa que não fosse jogar futebol e Jensen queria cursar direito, mas sua carta ainda não havia chegado, não sabia se seria aceito por conta de sua idade, afinal de contas, tinha 17 anos.

Se levantou da cama que dividia com o amigo sem camisa, comemoraram bebendo um pouco, dançando, comendo besteira e jogando vídeo game até tarde. Calçou seus sapatos, desligou a televisão e foi até a farmácia, duas ruas dali.

Ao entrar, viu um garoto no balcão, parecia ser uns 3 anos mais velho, aquela provavelmente era a farmácia dos pais dele e ele estava ajudando pra ganhar um extra.

-Boa noite, senhor... -Jensen esqueceu os óculos na casa de Jared e forçou a vista pra tentar ler o crachá do rapaz. -Misha.

-Boa noite, em que posso ajudar? -O rapaz sorriu, tinha um sorriso bonito, e os olhos eram de um azul bem intenso e penetrante.

-Ah, eu venho me sentindo mal ultimamente, tenho vomitado...

-Você tem tido febre, diarréia ou cólicas?

-Não...

-Tem alguma chance de ser uma crise de ansiedade?

-Até tem, mas não acredito que seja isso, minhas crises não duram mais de 2 dias e estou me sentindo assim há algumas semanas.

Misha pegou um pacote na prateleira e colocou em cima do balcão, e na embalagem se lia claramente "Teste de Gravidez".

-O que? Não... não.

-Tem certeza?

-Eu sempre tomei meu remédio e depois dessa última vez, eu tomei a pílula.

-Você sabe que nenhum método é 100% eficaz, né? -Misha deu um sorriso de lado. -Tem um banheiro no fim do corredor, se quiser...

Jensen bufou e pegou o teste no balcão e foi até o banheiro, não tinha como estar esperando um bebê, sempre se preveniu tão bem quando fazia sexo.

Fez xixi no palitinho e esperou os 3 minutos mais longos de sua vida, passavam 10 anos, mas não passavam 3 minutos.

Quando seu relógio apitou, mostrando que o tempo havia passado, pegou o teste com os olhos fechados, respirou fundo e tomou coragem pra ver, e então viu, seu chão ficou meio instável, haviam 2 tracinhos bem acesos ali, o positivo só faltava dar na cara dele de tão forte.

-MERDA! -gritou e socou a porta do banheiro, sentindo o rosto esquentar e seu estômago revirar, e então vomitou de novo.

Como aquilo poderia ser possível? Não tinha como... Na verdade tinha, e sabia disso, Jared na noite de formatura, ambos bêbados com ciúme do encontro do outro, acabaram juntos e transaram muito. Jared não lembrava de nada, pra ele, tinha dormido com o Dean, seu encontro. Mas Jensen lembrava de tudo, inclusive que o moreno estava tão bêbado que não conseguiu colocar a camisinha, e então aconteceu, estava esperando um filho de Jared.

...

No meio do vôo, Jared pensou um ligar pra Jensen, estava com saudade da sua voz, mas estava sem sinal no celular e a internet do avião era uma porcaria. Fechou os olhos e sorriu ao lembrar do melhor dia de sua vida, o dia de sua formatura, sabe que foi errado, Jensen estava bêbado demais, mas não podia deixar essa oportunidade passar, não sabia quando teria essa chance de novo, se é que teria de novo. Lembrou do corpo nu do amigo, não que a nudez dos dois fosse um tabu, sempre tomavam banho no vestiário do colégio depois da educação física, sempre pôde ver seu amigo nu, mas todas as vezes, eram como se fosse uma tortura, um pecado olhar aqueles músculos e não poder tocar, beijar, morder... Enfim, transou com Jensen a noite inteira, foi intenso, foi gostoso... Foi quase um pornô clichê de capitão do time do colégio com o maior nerd da turma. Foi errado se aproveitar do amigo bêbado? Foi, mas Jensen não lembra de nada, então seguiram normalmente.

Sorriu ao lembrar dos beijos, do sabor da língua e da pele do loiro, dele rebolando em seu colo, com vontade, quicando com aquela bundinha redonda e durinha.

-Ahh, Jen... -suspirou e colocou uma revista em seu colo, pra esconder sua ereção que surgiu ao lembrar de sua noite de amor com o amor da sua vida.

Jensen já havia pensado em todas as formas de resolver esse "problema", pensou em contar pra Jared, pensou em dizer que não era dele, pensou até em dar pra adoção, mas não podia, era o fruto do seu amor com Jared, não podia se livrar disso, não conseguiria. Jared era o amor da sua vida, mas não sabia, e só o considerava seu melhor amigo.

-Jen, vem jantar, filho! -Ouviu sua mãe chamar e desceu as escadas. -Está melhor, meu amor?

-Um pouco enjoado, mãe, nada demais. -Contou e se sentou à mesa com seu pai.

-O começo é assim mesmo, sua mãe quando estava grávida de você, vomitava com tudo e dormia até em pé. -O pai de Jensen sorriu, não ficou bravo pelo filho ter engravidado cedo, Jensen sempre foi motivo de orgulho, agora não seria diferente, sempre quiseram mais um filho, como não conseguiram, agora terão um neto. -A Kathryn ligou, disse que vai vir pra cá essa semana.

Kathryn era a irmã mais velha de Jensen, era linda, alta, loira, bem mulherão, não é à toa que é uma das modelos mais famosas do mundo. Jensen sempre teve um pouco de ciúmes da irmã, pois achava que ela e Jared tinham um caso, mas então ela se assumiu lésbica, e seu ciúme sumiu.

-Ela me ligou umas 200 vezes, está toda boba com esse lance de ser tia. -Jensen riu, não havia contado à ninguém quem era o pai do seu bebê, mas com certeza sua irmã arrancaria isso dele, ela sempre conseguia arrancar segredos que Jensen escondia com sua vida, ela é uma ótima pessoa, e o loiro confia muito nela.

No dia seguinte, depois de algumas horas de vôo, um banho e uma péssima noite de sono, Jared acordou mau humorado, acordava assim quando não dormia com Jensen ou quando não conversava com ele até dormir.

Se esticou e começou a fazer suas flexões no chão do quarto do hotel que estava hospedado.

Lembrava de como tentava chamar a atenção de Jensen quando fazia exercícios, tentava ficar sem o máximo de roupas, na esperança de acender alguma chama no garoto, algum interesse, mas nada acontecia, Jensen realmente o via só como amigo. Foi isso que levou Jared a chamar Dean pra ser seu parceiro no baile de formatura, Dean era bem parecido com Jensen, podia até dizer que eram gêmeos perdidos, mas tinham lá suas diferenças, Jensen era único, perfeito, não tinha como existir alguém igual à ele.

...

-Jared, o que foi? -Perguntou Dean ao ver o moreno de olho em Jensen, que dançava com Sam, um garoto mais velho que copiava Jared em tudo, até no cabelo. -Por que me convidou, se não queria de fato estar comigo?

-Sinto muito, Dean, estou um pouco distraído... -Jared só faltou explodir quando viu Jensen e Sam se beijando, e resolveu beijar Dean também.

Depois do longo beijo, foram beber, e Jared levou Dean até um quarto de motel, o loiro já estava dormindo de tão bêbado e ele foi no quarto ao lado, sabia que Jensen estava ali, e o encontrou bêbado, tirando a roupa, sozinho no quarto, provavelmente esperando por Sam, mas quem chegou foi ele, e já trancou a porta, pra que ninguém atrapalhasse e foi pra cima do amigo, o beijando de forma feroz e intensa, como um animal com fome, ou melhor, no cio.

...

O treinador foi buscar Jared no quarto onde ele estava hospedado, e o levou para conhecer o estádio e o restante do time. Jared era a promessa de vitórias, de prestígio, era um garoto novo e estava sendo muito requisitado, o cheque de seu pagamento pelo contrato tinha mais zeros do que podia contar, e só conseguia pensar em comprar uma fazenda bem grande, com muitos bichos, sabia o quanto Jensen adorava bichos, por isso queria ter aos montes, e chamar Jensen pra morar com ele. Pegou o celular e desbloqueou a tela, vendo ali o wallpaper que era a foto dele com Jensen em seu aniversário de 18 anos, onde conseguiu roubar uns selinhos do amigo. Agora estava prestes a fazer 19, e queria poder repetir os selinhos. Resolveu ligar para o loiro, que atendeu no terceiro toque.

-Jay! -Ouviu a voz do amigo e sentiu seu coração acelerar. -Achei que já tinha mergulhado na fama e no dinheiro e já tinha esquecido de mim. -Me conta, como foi seu voo? Como é aí?

-Nem com toda fama e dinheiro do mundo eu esqueço de você, Jen. -sorriu, imaginando que o loiro também estivesse sorrindo. -Meu voo foi um saco e aqui faz frio, me lembrou de quando éramos crianças e fazíamos aquelas barraquinhas com lençóis e cadeiras pra nos esquentarmos.

-Ah, bons tempos! -Jensen respirou fundo e passou a mão na barriga, sentindo mais um de seus enjoos. -Como você está?

-O treinador me trouxe pra conhecer o estádio e o restante do time, os caras são enormes, eu achava que era alto até conhecer eles. -Jared riu e olhou ao redor. -Queria que estivesse aqui, sinto sua falta! Quando você vem?

-Também sinto sua falta, nossa, falando assim nem parece que nos vimos ontem à tarde. -Jensen riu, mas querendo chorar. -Ainda estou esperando minha carta, mas tenho quase certeza de que eles só vão mandar uma resposta concreta quando eu completar 18 anos, daqui 6 meses.

-Ah, tudo bem, se quiser vir antes, fala comigo, eu pago sua passagem, ok? -Jared suspirou. -Eu te amo, Jen.

Ao ouvir essas palavras, Jensen sentiu o bebê chutar pela primeira vez, e quase deixou o celular cair com esse acontecimento, deu uma pequena risada, risada na qual Jared adorou ter ouvido, achava tudo gostoso no loiro, desde a voz até o corpo inteiro.

-Também te amo, Jay. -Jensen ficou ouvindo a respiração do amigo do outro lado da linha e depois de um tempo desligaram.

Estava com quase 3 meses de gestação, seu bebê seria seu presente de 18 anos, considerando as contas, ele ou ela deve nascer bem pertinho de seu aniversário.

As semanas foram passando, Jensen e seu amigo Misha foram ao médico na primeira ultra do bebê, descobriram ser um menino e Misha teve que secar as lágrimas do amigo, que não parava de chorar de emoção. Pela ultra dava pra ver que o nariz do bebê era igual ao de Jared, e isso o fez chorar mais ainda, estava gerando um mini Jared e estava morrendo de saudade do seu Jared de tamanho gigante.

No aniversário de 18 anos de Jensen, ele estava enorme, suas bochechas, seu nariz, seus pés e sua barriga estavam enormes, ele não conseguia nem levantar sozinho, parecia uma tartaruga deitada.

-Cadê o amor da minha vida? -Kathryn entrou na sala e viu o irmão deitado no sofá, com dificuldade para respirar e se levantar, e o ajudou a ficar sentado, levantou a camisa que o irmão vestia e beijou a barriga que abrigava seu sobrinho. -Você fica lindo assim, sabia? Devia ficar grávido mais vezes.

-Se você soubesse o quão incômodo isso é, não desejaria que eu passe por isso de novo. -Jensen riu e olhou pra tv, estava começando um jogo de futebol e Jared estava lá, lindo como sempre, com seus cabelos impecáveis e seu sorriso maravilhoso. Até através da televisão o moreno tinha o poder de arrepiar o loiro da cabeça aos pés.

Nesses 6 meses, havia mentido muito pra Jared, que sempre ligava por chamada de vídeo e Jensen só aparecia do peito pra cima, não queria que o amigo soubesse que ele estava grávido. Acabou decidindo entregar a criança para a adoção mesmo, não tinha como lidar com um bebê agora, tinha medo de não ser um bom pai e queria que o garoto tivesse uma boa criação, numa família de verdade, ali seria filho de pai solteiro, que não estudou e não tem emprego, como cuidaria dessa criança? Seu coração partia ao pensar que seu mini Jared iria embora logo que nascesse, mas era melhor assim.

-Jared, tem algo a dizer antes desse jogo que promete ser incrível? -Um repórter perguntou à Jared, que segurava a bola debaixo do braço e sorria pra câmera.

-Hoje é aniversário do meu melhor amigo, e infelizmente ele não pôde vir ao jogo e eu provavelmente não vou conseguir ir vê-lo depois daqui, então Jensen, feliz aniversário, amigo, logo estaremos juntos de novo, ok? -Ele sorriu e Jensen chorou, seus hormônios estavam ridículos por causa da gravidez, estava chorando à toa desde que descobriu que estava esperando um bebê, esses dias chorou porque seu suco não estava gelado o suficiente pra ele tomar, depois chorou porque a batata frita estava muito crocante, uma loucura!

-Jen, dá pra ver nos olhos dele que ele te ama, por que você não dá uma chance pra ser feliz com ele? -Kathryn perguntou ao irmão enquanto o ajudava a secar suas lágrimas. -Vocês vão ter um filho juntos, já são uma família, ele tem dinheiro o suficiente pra bancar você e mais quantos filhos quiserem fazer.

-Kath, nada vai mudar minha cabeça, assim que o bebê nascer, ele vai pra adoção, eu vou me recuperar do parto e vou solicitar minha bolsa na faculdade novamente, e vou estudar, vou formar minha vida. -Jensen olhou pra barriga, o bebê sempre se revirava quando ouvia a voz de Jared, seja na televisão, no telefone ou em vídeos, parece que o bebê sabe que Jared é seu pai.

-E como vai explicar tudo isso ao Jared? Vai chegar lá inchado, com uma cicatriz na barriga... Você acha mesmo que vai conseguir esconder essa gravidez pra sempre? Jensen isso é errado, é filho do Jared também, ele merece saber, é direito dele!

-Kathryn, por favor! Essa gravidez foi um completo acidente de formatura. -Jensen respirou fundo e sua irmã revirou os olhos, não concordava com essa ideia do irmão de mentir sobre tudo pra Jared. Ambos eram melhores amigos desde sempre, nunca brigaram, nunca mentiram um pro outro, e agora Jensen está querendo esconder uma criança, não é possível!

Jared terminou o jogo sendo carregado nos ombros dos outros jogadores, haviam vencido mais uma vez. Na verdade, desde que chegou no time, 6 meses atrás, só ganhavam, não sabiam mais o que era perder, Jared era o amuleto da sorte do time. Depois do jogo e da comemoração num restaurante, foi para o hotel e tomou um banho quente, pra amolecer seus músculos rígidos. Ligou pra Jensen por vídeo, mesmo estando tomando banho e sorriu ao ver o loiro do outro lado da tela, ele havia engordado, suas bochechas estavam maiores e seu nariz estava mais gordinho, estava lindo, como sempre.

-Oi, aniversariante do dia, como você está? -Jared sorriu e colocou o celular pendurado no vidro do box do banheiro enquanto lavava seu cabelo.

-Estou bem, estava vendo o jogo, meus parabéns pela vitória. -Jensen segurava o celular pra filmar só seu rosto e no fundo Kathryn andava pela sala.

-Hey, Kit kat! -Jared chamou e a loira apareceu na tela novamente, sorrindo. -Vi sua revista nova, nem parece que é irmã do Jensen de tão gata que você é.

-Ah, olha quem fala, astro do time estrangeiro. -Ela sorriu, a amizade dos dois era engraçada, ela sabia que Jared era louco pelo seu irmão e Jared sabia que ela era lésbica, e se tratavam como se quisessem ficar juntos, era uma piada interna dos dois, mas quem via de fora achava que estavam realmente flertando, e eles morriam de rir com isso. Inclusive, com a carreira de modelo, Kathryn viaja o mundo inteiro e há uns 2 meses esteve em Nova Iorque, e encontrou com Jared pra almoçarem juntos, vários paparazzi tiraram fotos dos dois e colocaram em capas de revistas e jornais como o grande affair do ano. As manchetes diziam “Super Modelo e Astro do Futebol têm um caso?” e quando os dois viram essas notícias, morreram de rir juntos e tiraram fotos segurando as revistas e mandaram pra Jensen, que riu em casa, imaginando como os dois estavam se divertindo juntos, e como queria estar junto também. -Gostei do jogo, Jay, até que você realmente leva jeito.

-Tenho que levar, né? Estou sendo pago pra isso. -Jared riu e voltou a olhar pra Jensen. -Já recebeu alguma resposta da faculdade?

-Jay, estou fazendo aniversário hoje, não é que nem no Harry Potter, as cartas não vão começar a entrar na minha casa do nada, tenho que esperar. -O loiro sorriu e Jared revirou os olhos. -Quando a carta chegar, você vai ser o primeiro a saber, ok? Prometo.

-Vou cobrar essa promessa, hein. -Jared jogou o cabelo pra trás, desligando o chuveiro. -Vou desligar pra me vestir, senão a Kathryn vai se apaixonar pelo meu corpo.

-Já sou apaixonada, meu bem. -ela riu, contagiando o moreno e Jensen revirou os olhos com essa intimidade. -Tchau, Jay.

-Tchau, Kathryn. -Ele abriu um sorriso enorme e Jensen sentiu o bebê dar uma cambalhota dentro da barriga e Kathryn ficou surpresa ao ver isso. -Tchau, Jen, me liga, ok? Estou com saudades!

-Pode deixar que eu ligo sim, também estou com saudades, Jay... -Jensen finalizou a ligação com um sorriso e depois soltou a respiração com força, como se estivesse prendendo há tempos, e então começou a chorar.

Jared se secou e se olhou no espelho, seu pênis estava duro, ele estava excitado e não parava de pensar em Jensen. Acariciou toda extensão de seu músculo pulsante e se masturbou, pensando no amigo e lembrando da noite do baile de formatura.

...

Jared beijava os lábios de Jensen com vontade, sentia o gosto de álcool na língua do loiro e não queria saber de mais nada. Tirou seu terno e o jogou no chão, tirando o terno do loiro em seguida e puxando a camisa social de um jeito que os botões pularam do tecido, caindo no chão e fazendo barulhinho. Atacou o pescoço do amigo com beijos e mordidas, sentindo a calça ficar muito apertada e a de Jensen também, chegou a ver uma marca molhada ali, sabia que o loiro estava escorrendo de tesão, sua pele estava arrepiada, e então desceu os lábios para seus mamilos.

-Ahh, isso... -Ouviu Jensen gemer arrastado e isso só o deixou mais louco de tesão, queria foder aquele loirinho com tanta vontade, que se o álcool não o permitisse lembrar dessa noite, a dor e as marcas fariam.

...


Notas Finais


E aí, gostaram? ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...