História Sinais de Primeiro Amor. (Yaoi) - Capítulo 20


Escrita por:


Capítulo 20 - O último Sinais do Amor.


Sou: Como assim você não vai?! Você já não tinha decidido ir? Você tem certeza que tudo bem não ir mais?

Confuso, eu comecei a divagar tentando me acalmar. Ele gentilmente me deu tapinhas nas costas. 

Asahi: Só porque os meus pais disseram  para ir, não significa que eu de fato vou para lá.

Sou: Como?!

Asahi: Eu não tinha me decidido antes, mas depois de conversar com você, eu sabia que queria ficar. 

Sou: Então... Você recusou?

Asahi: Sim.

Sou: Isso...

(Estou muito feliz que ele tinha decidido ficar no Japão.)

Sou: Então você deveria ter dito logo!

Asahi: Eu não achei que você ficaria tão zangado quando eu te contei. 

Sou: ... Bem, eu acho que me precipitei. Mas ainda assim, você poderia ter explicado um pouco melhor!

Asahi: Hehe, você está zangado de novo.

Sou: Pare de rir.

Eu senti que estava sendo provocado pelas suas risadas. 

Asahi: Sabe, eu realmente não entendia porque você se irritou tanto, mas agora, eu fico feliz por você está zangado.

Sou: Por que?

Asahi: Por que isso quer dizer que você se importa de verdade. Normalmente, você é tão bom em manter as aparências, mas te ver tão zangado... Me faz sentir muito especial.

Sou: Pare de me zoar! 

Quando o vi sorrir de orelha a orelha, meu peito transbordou de alegria por poder continuar junto dele e não pensei em mais nada e só o joguei na cama.

Asahi: Hm...

Eu o beijei mais e mais e era como se eu estivesse o prendendo na cama, mesmo sabendo que ele respirava com dificuldades, ele me beijava de volta.

Sou: Mesmo que eu ache um saco ficar zangado e quase chorar, você é o único para quem eu quero mostrar todas as minhas emoções. E você vai ter que aceitar cada uma delas.  

Asahi: Hm...

Eu dei um beijo ainda mais intenso nele, então ele não poderia fugir. Ele me encarava com os olhos entre abertos e deixou escapar um gemido tímido. 

Asahi: ... Entendido. Eu fico muito feliz que você compartilhe todas as suas emoções comigo, eu darei o meu melhor para aceitar todas, mas...

Ele parece ter percebido alguma coisa e seus olhos vagaram nervosamente. 

Asahi: Isso machuca um pouco.

Sou: Ah?

Eu percebi que eu estava duro e que me esfregava nele. 

Asahi: ... Eu excito você?

Sou: N-Não olhe!

(Droga, isso é tão embaraçoso.)

Senti o meu rosto brilhar de tão vermelho e tentei me levantar.

Asahi: Não.

Sou: O quê?

Ele envolveu os seus braços no meu pescoço e me puxou para perto.

Asahi: Por que você está tentando fugir?

Sou: P-Porque... Bem... Eu não acho que conseguiria parar. 

Asahi: Isso significa... Que você quer ir até o final comigo? 

Sou: ... Sim.

Mesmo que os olhos dele cintilassem como os de um criança inocente, as palavras que sairam pelos lábios que eu beijei tantas vezes soaram muito sedutora.

Sou: Você não se importa?

Asahi: Se eu não me importasse, não te puxaria de volta.  

Não há um mísero centímetro entre os nossos corpos. 

(Eu acho que estou me esfregando nele de novo...)

Asahi: Quer saber, eu gosto muito mesmo de você. E sinto que posso fazer qualquer coisa.

Sou: C-Certo. Eu também gosto demais de você. Eu quero fazer coisas que façam nós dois nos sentirmos bem juntos.

Asahi: É, eu também.

 Meus dedos passearam pelos cabelos dele e eu o beijei de novo.

(Sem chance de eu parar agora. Então é assim que é beijar alguém por quem você é perdidamente apaixonado.) 

Asahi: ... Mm... 

Cada vez que eu ouvia ele gemendo ou ofegando, eu me empolgava mais e o beijava ainda mais intensamente. 

Asahi: Sou... Você está sério agora...?

Sou: Huh?

Asahi: Dá última vez você disse que poderia fazer melhor. Isso agora está muito bom. Estranhamente bom.

Sou: ... Sinto dizer, mas só vai melhorar. Eu vou te fazer sentir muito melhor. 

Asahi: Err...

Ele franziu a testa envergonhado. 

Sou: Quero te tocar ainda mais. Eu posso? 

Asahi: ... Sim.

Sem recusar, ele assentiu timidamente. Lentamente eu fui deixando uma  trilha de beijos molhados por seu pescoço magro.

Asahi: Mmm...!

Eu sinto o corpo dele inteiro tremer e posso ver em seu rosto que ele se esforça para resistir ao prazer.

Asahi: Isso é mesmo muito embaraçoso.

(Wow... Ele é tão adorável.)

Sou: Mesmo que você diga isso, eu não vou parar, não importa o quão envergonhado você esteja. 

Eu deslizei a minha mão por dentro de sua camisa e acariciei a sua pele.

Asahi: ... Mm...

Sou: Eu prometo não fazer nada que te machuque. 

Asahi: ... Ok.

Eu disse isso a ele e assentiu, obediente como uma criança.

(Eu quero mostrar para ele o quanto eu gosto dele.)

Deixei os meus dedos passaerem por seu corpo sem pressa, enquanto levava a minha língua para provocar ele.

Asahi: Mm... Sou... Você está se segurando?

Sou: O quê...?

Asahi: Você não precisa pegar leve comigo.

(Eu bem que gostaria de ser mais agressivo.)

Sou: Bom, é que...

Asahi: Eu vou dizer o mesmo que você disse antes.

Sou: Antes?

Asahi: Eu também quero te fazer sentir bem. E te tocar ainda mais. 

Sou: Asahi...!

Assim que eu agarrei o cinto dele para tirá-lo, eu ouvi a porta abrir. 

Irmã de Sou: Oie, a melhor irmã do mundo trouxe chá para vocês.

Sou: Whoaaaaaah!!!

Asahi: ...!

Minha irmã entrou direto no quarto e eu pulei para longe do Asahi. 

Irmã de Sou: Não grite, todos na vizinhança vão ouvir você. 

Sou: N-n-n-n-n-ão entre desse jeito no quarto dos outros! Você viu que eu tenho visita!

Irmã de Sou: É por isso mesmo que eu trouxe chá para o seu convidado especial. Você deveria me agradecer.

Ela me entregou a bandeja com o chá e eu relutantemente aceitei.

Irmã de Sou: ...

Sou: O que é? Nós estávamos no meio de uma conversa, então nos deixe em paz. 

Irmã de Sou: Tá certo, então.

Eu achei que ela fosse sair numa boa, mas...

Irmã de Sou: Não faça nada inapropriado aqui em casa.

Sou: Calada, não estamos fazendo nada. É melhor você não contar nada para a mãe.

Irmã de Sou: Sinta-se em casa, Asahi.

Sou: Você me ouviu?

Eu gritei para ela, que saiu com aquele sorrisinho cínico de novo e não tinha certeza se ela me ouviu ou não. 

Sou: Sinto muito por isso.

Asahi: Tudo bem. Aqui, chá.

Sou: Obrigado.

Ele se acalmou e pegou a xícara. 

(Droga... Por que ela teve que aparecer?)

Asahi: Você está fazendo aquela cara de novo. 

Sou: Huh?

Asahi: Aquela cara que ninguém da escola nunca viu, que só eu conheço. Seu verdadeiro rosto. Gosto quando faz essa cara.

Sou: Ora, seu...

O sorriso dele capturou o meu coração e o abracei por trás.

Sou: Eu também gosto muito de ver esse seu lado secreto.

Asahi: Eu tenho um lado secreto?

Sou: A cara que você faz quando te faço se sentir bem. Adorável e sexy. 

Asahi: ... Seu tarado 

Sou: E você se apaixonou por este tarado. Isso não te faz um tarado também?

Asahi: Ah, acho que sim. Eu nunca tinha percebido isso até conhecer você.

Sou: Não diga isso tão seriamente. Isso machuca!

 Asahi: Não quis dizer que é ruim. É claro que não somos um casal típico, mas eu gosto disso. Eu estou muito feliz por estarmos juntos. De verdade.

Sou: Asahi...

 Como eu continuava abraçado nele, sussurrei em seu orelha. 

Sou: Sabe, eu não desistir ainda. 

Asahi: Estou vendo. Posso sentir você se esfregando em mim de novo. 

Sou: Quero te sentir ainda mais.

Asahi: Mas a sua irmã disse...

Sou: Não tem ninguém aqui para dizer que vamos fazer coisas inapropriados agora, tem?

Asahi: Hehe, você está se rebelando contra a sua irmã. 

Nós sorrimos e nos beijamos. Nos abraçamos forte, deixando claro o quanto gostávamos um do outro.

--------------♥Fim♥-------------------


Notas Finais


Oi gente de Deus! Tudo bem? Eu espero que sim. Esse é o fim da história, e espero que vocês tenham gostado.
Vou trazer mais para compartilhar com vocês então, me esperem kkkkk.

Beijos Anjos. ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...