1. Spirit Fanfics >
  2. Sinais de Primeiro Amor. (Yuri) >
  3. Dezenove

História Sinais de Primeiro Amor. (Yuri) - Capítulo 19


Escrita por:


Capítulo 19 - Dezenove


Duas semanas se passaram desde a nossa excursão. 

(Eu não tenho mais falado com a Akira e me acostumei a fazer as coisas sem ela. Nós não vamos mais embora juntas.)

 Enquanto eu estudava sozinha, a Mayu me deu um tapinha no ombro. 

Mayu: Chitose! 

Chitose: Oi, Mayu.

Mayu: Estudando?

Chitose: Sim, é mais fácil me concentrar aqui do que lá em casa. 

Eu senti um buraco no meu coração desde que eu abri o jogo com a Akira. Tentei sorrir para a Mayu. 

Mayu: Mas, então, eu posso dormir na sua casa nesse fim de semana?

Chitose: Claro. Tudo bem.

Mayu: Yay! Nós podemos conversar até amanhecer! 

Chitose: Hehe, é mesmo. Estou ansiosa.

Eu agia muito animada com um sorriso falso no rosto. Mas, precisava me esforçar mais para superar esse vazio. 

Naquele fim de semana...

Mayu: Ah, não consigo parar de comer essas batatinhas. 

Chitose: Haha. É a culpa que deixa elas mais gostosas. 

Nós tagarelávamos sem parar, perdendo a noção do tempo. Fazia bastante tempo que eu não me divertia assim. Isso deixava as memórias tristes de lado. 

Chitose: Obrigada por te vindo hoje. Já tem um tempo que não me divirto tanto. 

Mayu: Sobre isso, você não parecia consigo mesma ultimamente. Aconteceu alguma coisa entre você e aquela pessoa? É claro que você não tem que me contar se não quiser. Essa noite, eu só quero me divertir com você. 

Chitose: Awww, obrigada, Mayu, por se preocupar comigo. Na verdade, eu me confessei para essa pessoa. Eu acho que agora ela me odeia. 

Mayu: Nossa. Talvez eu esteja errada, mas... Essa pessoa, é a Akira?

(Eu quero contar tudo para ela. Mas se rolar um boato de que uma garota gosta da Akira, talvez só cause ainda mais problemas para ela.)

Enquanto eu ponderava, Mayu levantou a mão. 

Mayu: Desculpe, você não precisa responder. Mas, vamos fazer de conta que é este o caso. Eu acho que ela só não sabe o que fazer. 

Chitose: Não sabe o que fazer?

Mayu: Sim. Você também não ficaria surpresa se alguém de quem você nunca esperava, desse uma confissão se declarando de repente?  

Chitose: ...Sim.

(Verdade. Eu fiquei surpresa quando o Hashimoto se declarou para mim.)

Mayu: Nesse tipo de situação, é tão difícil saber o que fazer. Então, não conclua que ela te odeia. Apenas tente conversar com ela de novo. 

Chitose: ... Mas, e se ela não quiser conversar comigo?

Mayu: Não a nada a perder, certo? Se a amizade de vocês se rompeu só porque você disse que gosta dela, bem, isso já diz muito. Mas, sempre há à chance de não ser este o caso. Tente de novo. 

Chitose: Eu acho que... Pode ser. É um pouco assustador, mas eu vou pensar nisso. 

Mayu: Pense mesmo! Eu vou estar aqui para você a qualquer hora. 

Ela sorriu para mim, como sempre faz. Me senti encorajada sabendo que posso contar com ela. 

Chitose: Mas, nossa, eu não achei que você perceberia. 

Mayu: Ora essa, há quanto tempo temos sido amigas?

Chitose: Mas, você não acha que isso é estranho? Gostar de garotas?

Mayu: Hmm... Não é questão de ser esquisito ou não. Eu acho que nunca pensei nisso. Mas, se você gosta mesmo de alguém, independentemente do gênero, eu acho que os seus sentimentos são os mais importantes. 

Chitose: Mayu...

Mayu: Eu serei sempre a sua amiga, não importa o quê, então não se preocupe. 

Chitose: Te agradeço tanto, Mayu. Dói tanto não poder conversar sobre isso com alguém. 

Mayu: Imagino. Esse não deve ser um assunto muito fácil. Mas, sabe, casamentos do mesmo sexo são possíveis no exterior. Têm até alguns lugares no Japão que já reconhecem união civil. Isso provavelmente vai mudar mais com o tempo. 

Chitose: Eu nunca pensei em casamento. 

Mayu: Talvez, mas você não tem que ficar vendo tudo pelo lado negativo. Isso não é errado, afinal. 

Chitose: É, tem razão. 

Me sinti muito melhor depois de ouvir as palavras de apoio da Mayu. 

(Quando eu me dei conta de que gostava da Akira pela primeira vez, eu fiquei tão feliz por estar apaixonada. Me senti sortuda por te conhecido ela. Eu não sei o que a Akira pensa nisso agora, mas... Eu vou tentar de novo.)

Dia seguinte...

Eu me senti mais positiva sobre os meus sentimentos. Assim que a Mayu foi embora, eu enviei uma mensagem para a Akira.

(Espero que ela responda.)

"Chitose: Podemos conversar, por favor? Encontre-me no terraço amanhã, depois da escola."

Quando eu enviei a mensagem, o meu celular imediatamente tocou. 

"Akira: Certo. Te vejo amanhã."

(Akira... Estou tão aliviada que ela não me ignorou. Mas, já faz um tempo que não nos falamos. Estou meia nervosa.)

À noite...

Mesmo após a meia-noite, eu ainda não conseguia dormir de tão ansiosa. Como eu posso dizer o que eu quero? Eu tentei imaginar a situação muitas vezes e ensaiar na minha mente. 

O dia seguinte, no terraço...

Chitose: Oi, Akira.

Akira: ...

Ela tinha uma expressão piedosa quando chegou ao terraço. 

(Se ela está com essa cara, provavelmente não sabe mesmo o que fazer.)

Chitose: Obrigada por vir. Me desculpe, por surpreendê-la naquele dia. Eu...

Akira: Espere, me deixe começar. 

Ela me parou antes de eu continuar e, meio hesitante, abriu a boca para falar. 

(O que ela vai dizer...? A Mayu disse que eu não fiz nada de errado. Mas e se ela disser que eu sou esquisita ou que nunca mais quer olhar para a minha cara de novo?)

Eu esperei inquieta por suas palavras.

Akira: Me descupe, Chitose...!

(Pelo o quê ela está se desculpando?! Ela está oficialmente me dando um fora?!)

Akira: Você foi mesmo muito valente me contando os seus sentimentos naquele dia. Me desculpe, por não poder te encarar mesmo você tento sido tão corajosa. Eu me arrependi tanto de ter sido horrível com você. 

Chitose: Ah, não. Qualquer um teria reagido da mesma maneira. Me desculpe por te surpreender daquele jeito. 

(Ela é tão dura consigo mesma, e ainda se importa comigo. Já é o bastante eu saber que ela me preza tanto assim.)

Eu senti que poderia me desprender dela e a olhei serenamente. 

Chitose: Obrigada por me contar. Se me permite repetir, Akira, eu realmente gosto de você. Esses sentimentos podem não desaparecer assim tão fácil. Eu vou deixar você decidir se quer ou não continuar sendo a minha amiga. Seja lá o que você decidir, eu vou aceitar. 

Akira: Sendo assim...

Outra vez, ela pareceu piedosa e abaixou a cabeça. 

Akira: ... Eu não acho que possamos continuar sendo amigas. 

(Então é isso. É um adeus de verdade.)

Minha vaga esperança de que poderia ser a amiga dela, mesmo a amando-a, simplesmente, se partiu em mil pedaços. 

Chitose: Eu entendo.

(Eu não a culpo. Na verdade, eu a aprecio por te sido honesta e aberto o jogo comigo. Então, eu preciso aceitar a decisão dela.)

Eu procurei por palavras para dizer à ela.

Continua...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...