1. Spirit Fanfics >
  2. Sinal >
  3. Casamento

História Sinal - Capítulo 13


Escrita por:


Notas do Autor


Oi bebês, como estão?
Cá estou eu trazendo mais um capítulo de Sinal, esse tá com um draminha básico, mas nada que não possa ser superado no próximo haha.
Obrigada pelo feedback de vocês, isso me incentiva a escrever.
Sem muitas delongas, o capítulo pode ter alguns errinhos já que terminei de escrevê-lo agorinha mesmo.
Apreciem sem moderação <3

Capítulo 13 - Casamento


Capítulo XIII

Casamento

Domingo

Naruto encarava seu reflexo no espelho e suspirou, olhou no relógio e viu que já marcava oito horas da noite, combinara de se encontrar com Hinata em um barzinho em meia hora. Sentia que hoje era o dia certo para falar de seus verdadeiros sentimentos, terminou de arrumar a camiseta social que usava e colocou um sorriso no rosto.

Desceu as escadas não encontrando ninguém na sala, Wyva e Haru haviam ido até um parque de diversões com Itachi, seus pais foram jantar com Mikoto e Fugaku. Apenas saiu de casa indo direto para o carro e deixando os terrenos da mansão, nem mesmo conseguia ouvir uma música no rádio, tudo parecia deixa-lo ainda mais nervoso. Ao chegar à rua onde o era o bar, estacionou e andou até lá com as mãos nos bolsos na tentativa de esconder o nervosismo e também de sentir o celular vibrar, pois tinha medo de não ouvi-lo tocar. Escolheu uma mesa do lado de fora do lugar e se sentou, pediu uma caneca de chopp e aguardou que a Hyuuga logo chegasse.

Quando o conteúdo de sua caneca já estava na metade e sua ansiedade no limite para que surtasse, e foi desviado de seus pensamentos por uma cabeleira loira.

- Naruto. Há quanto tempo não o vejo. – um sorriso presunçoso apareceu nos lábios vermelhos da mulher.

- Yugito.

Respondera surpreso, a verdade é que antes de Hinata chegar à cidade ele se encontrara com a loira algumas vezes, e no final, as mensagens dela ainda estavam sem serem visualizadas em seu celular.

- Na verdade não fiquei nem um pouco surpresa com o fato de não ter respondido minhas mensagens. Sempre me disseram o quanto era um canalha, mas só pude perceber quando aconteceu comigo.

- Eu nunca menti sobre isso Yugito. – deu um pequeno sorriso, sua ansiedade havia evaporado e agora estava nervoso, não queria que Hinata acabasse tirando conclusões precipitadas. – Sempre falei que era somente casual.

- É claro. Mas não pude resistir a você Naruto. – se aproximou e sua consciência parecia emitir um alerta vermelho gritando perigo e piscando.

- Infelizmente, não posso fazer nada.

- E que tal mais uma noite? Vamos. Um sexo bem selvagem.

- Desculpe, mas não estou interessado. Estou esperando alguém e... – quando desviou o olhar para a rua, seus olhos azuis se encontraram com os perolados de Hinata e sua expressão magoada o petrificaram. – Merda. - levantou-se o mais rápido que pôde e correu atrás da Hyuuga, que já havia adentrado no carro e estava com o vidro abaixado para sua sorte. – Hinata! Espera. Não foi nada disso que está pensando, eu posso explicar.

- Não precisa explicar nada Naruto, não estamos namorando afinal.

- É claro que eu preciso.

- Sempre foi claro que nos encontramos apenas por apreciar a companhia um do outro, mas no final não daria certo. Voltarei para Londres no dia seguinte ao casamento de Tenten, e por sorte não nos veremos mais por alguns anos.

- Hinata eu preciso dizer que... – a Hyuuga o interrompeu.

- Foi divertido Naruto. Não pense que estou magoada, felizmente não cheguei a me apaixonar por você. – mentiu. – Agora preciso ir. Você pode muito bem voltar a sua companhia. – e após dizer isso saiu com o carro deixando Naruto com um coração partido.

 

A semana se iniciava lentamente, e enquanto tomava uma xícara de café antes de ir para a empresa, Naruto pensava em Hinata e em como tudo dera errado na noite anterior. Naruto sabia que era hora de desistir, até por que era um sentimento unilateral. Ouviu pequenos passos se aproximando e decidiu guardar todos aqueles pensamentos deprimentes no fundo de sua mente e abriu um sorriso ao ver Haru adentrar a cozinha com um pijama de Harry Potter, já que o pequeno era muito fã da saga.

- Bom dia pequeno. Acordou cedo hoje.

Haru fez um biquinho e bocejou, sentando em seguida ao lado do loiro.

- Bom dia tio Naru. Eu sempre acordo cedo.

O loiro bagunçou os cabelos do menor e sorriu.

- Quer tomar café?

- Quero. – sorriu.

Após servi-lo e ter preparado algumas panquecas para o pequeno, serviu-se de mais uma caneca de café e aproveitou o líquido quente.

- Está bom? – perguntou para Haru.

- Muito bom tio Naru. – sorriu para o loiro que sorriu de volta, e Haru percebeu que havia algo errado com ele. – Aconteceu alguma coisa tio?

- Como assim pequeno?

- Seu sorriso, não é de verdade.

O loiro sentiu-se acuado.

- Não é nada.

- Coisa de adulto não é? – perguntou meio tristonho.

- Sim. – respondeu. – Coisa de adulto.

- Tudo bem.

Haru voltou a comer e quando terminou foi para a sala assistir televisão, já que sua mãe ainda estava dormindo assim como Kushina e Minato também.

- Já vou para a empresa, não saía sozinho ou vá mexer na cozinha para não sofrer nenhum acidente.

- Pode deixar. – observou o loiro pegar as chaves do carro e antes que ele saísse o chamou. – Tio Naru.

- Oi.

Naruto o olhou e para sua surpresa, Haru o abraçou.

- Vai ficar tudo bem tio Naru. – abriu um enorme sorriso que preencheu o coração do Uzumaki.

- Obrigado pequeno, você é demais sabia? – o pequeno apenas assentiu e se separou do mais velho e voltou para o sofá.

O Uzumaki sorriu e deixou a casa indo direto para o escritório, não havia comido nada, só tomara duas canecas de café e apenas isso. Ao chegar à empresa foi direto para o escritório e se concentrou em seu trabalho.

 

Após passar o dia inteiro em reuniões, lendo e analisando contratos, Naruto comera apenas um lanche durante todo o dia e se enchera de café, ao terminar de analisar a última papelada do dia, olhou para o relógio e viu que já se passava das dez horas da noite. Pegou seu celular e viu mensagens e ligações perdidas de sua mãe, seu pai e Wyva. Suspirou e apenas guardou o celular em seu bolso, pegou a chave do carro e em seguida saiu da empresa.

Já em casa, Naruto andou até o armário de bebidas que ficava na sala e antes que se servisse de um copo, viu Wyva o olhar, ela estava séria. Soltou um suspiro e sorriu.

- Ainda acordada maninha?

- Estava esperando por você.

- Por quê?

- Haru me falou que você está triste. E ele tem razão.

O loiro desviou o olhar.

- Esse pequeno.

- O que aconteceu Naru?

- Você realmente quer saber? Não quero falar sobre isso Wyva... – o olhar dele se dispersou. – Dói.

- Naru.

Wyva o encarou totalmente preocupada ao ver a expressão magoada do loiro, ela se levantou e o abraçou, e para sua maior surpresa ele chorou com o rosto escondido em seu ombro. A Ishikawa apenas deixou que ele chorasse e apenas o confortava acariciando seus cabelos. Ficaram assim por um bom tempo, até o estômago do loiro roncar alto, os dois sorriram.

- Estômago idiota.

- Passou o dia sem comer nada?

- Eu fiz um lanche e tomei bastante café.

- Eu não acredito nisso. – a morena revirou os olhos. – Vamos, ainda tem jantar pra você.

- Ia comer só um lámen.

- Precisa de nutrientes. Quer ficar doente logo na semana do casamento de Tenten?

- Não, ela e Neji iriam me matar. – fez um biquinho e mesmo assim seguiu Wyva até a cozinha.

Na cozinha, Wyva esquentava o jantar do loiro que apenas esperava, e logo em seguida ela o serviu e foi lavar o que havia sujado.

- A propósito, quarta-feira você vai fazer o quê?

- Hm, nada.

- Poderia ficar com Haru pra mim? Tia Kushina e tio Minato vão sair, e eu também tenho um jantar.

- Jantar? – ele sorriu sapeca. – Com o Itachi não é?

Ela corou.

- Hm, sim.

- Eu sabia. O Sasuke vai ter que me pagar agora.

- Não acredito que apostaram isso.

- Não totalmente. Apenas suspeitamos que vocês não resistiriam ao outro e logo se entenderiam.

- Sabe que não é tão fácil assim.

- Sei, mas se vocês se acertarem ficaríamos todos felizes.

- É. Disso eu sei bem.

Naruto voltou a comer enquanto Wyva terminava de secar as louças.

- Ela disse que não sentia nada por mim.

Wyva o encarou surpresa, não esperava que Naruto contasse o motivo de estar tão triste. Ela sabia que era de Hinata que ele falava.

- Como assim?

- Ela acabou me vendo conversando com Yugito, mas juro que não teve nada da minha parte, eu estava dispensando ela... Hinata viu e nem me deixou explicar, disse que não tínhamos nada e eu não devia explicações, e disse que felizmente ela não havia se apaixonado por mim. – voltou a comer sem muita vontade, mas precisava se não adoeceria.

- Não acredito que a Hina lhe disse isso.

- Tudo bem Wyva, é normal. Apenas eu me apaixonei, agora só preciso superar isso. Vai ficar tudo bem.

- Eu realmente espero que você fique bem Naru. – nos pensamentos da Ishikawa ela ainda conversaria com a Hyuuga.

- Então, você e o Itachi já tentaram fazer novos sobrinhos?

- Naruto!

Ela o bateu e ele apenas sorria, e com brincadeiras e como já estava ficando tarde, os dois logo subiram para dormir.

XXXXX

Quarta-feira

O relógio marcava oito horas da noite, e Wyva se encarava mais uma vez no espelho, estava nervosa é claro, mas diferente da primeira vez que jantara com Itachi ela estava totalmente mais certa do que queria. Foram sete anos, tempo demais para que ambos crescessem e mudassem. Ouviu um grito de Naruto a chamando na escada, Itachi já havia chegado, e após sorrir para seu reflexo ela pegou sua bolsa e saiu.

Itachi conversava com Naruto e seu filho, apenas lhe beijara já que o pequeno disse que se o abraçasse iria amassar sua roupa, o Uchiha vestia uma camiseta social azul escuro com uma calça jeans e sapatos sociais pretos, sabia que estava um pouco formal, mas queria estar bonito para a Ishikawa. Logo passos foram ouvidos na escada e os três olharam para a figura de Wyva descendo os degraus, ela usava um vestido azul com saltos pretos, o cabelo estava preso em um coque meio bagunçado e ela sorria para os três.

- Mamãe você linda. – Haru falou sorrindo para ela que logo o beijou.

- Não tenho como discordar. – Naruto sorriu.

O Uchiha estava em silêncio, sem palavras, estava totalmente encantado por ela. Como sempre fora.

- Vamos? – ela lhe perguntou.

- Claro. Vamos. – sorriu.

- Vocês dois se comportem e Haru não passe do seu horário de dormir viu mocinho?

- Pode deixar mamãe.

- Divirtam-se. – o loiro sorriu malicioso para os dois que logo saíram da casa.

Já no carro, Itachi se recuperou e decidiu falar com sua amada.

- Você está maravilhosa Wyva.

- Oh, estou? Você ficou quieto lá dentro cheguei a pensar que não havia gostado.

- Na verdade só fui pego de surpresa. Fiquei sem saber o que dizer, literalmente.

Os dois sorriram e deixaram o silêncio preencher o carro até o restaurante. Após parar na entrada do restaurante, Itachi abriu a porta do carro para ela que sorriu o manobrista logo assumiu o carro e eles adentraram o local, Wyva sabia que aquele restaurante era um dos mais chiques de Konoha, afinal, era de Chouji.

- Boa noite Sr. Uchiha.

- Boa noite.

- Irei acompanha-los a sua mesa. Por favor, me acompanhem.

O maître seguia na frente, e foram para o segundo andar, já que era um prédio de três andares. O espaço era totalmente luxuoso. Wyva se surpreendeu com tal grandiosidade do restaurante. No andar, os dois andaram lado a lado e chegaram a mesa reservada, ficava próximo a uma das vidraças já que esse andar era totalmente de vidro. A iluminação não era exagerada era de alguma forma aconchegante.

- Obrigado. – Itachi agradeceu.

- O garçom logo virá atendê-los. Aproveitem a noite.

Com uma reverência os deixou sozinhos. A mesa era somente para duas pessoas, e o Uchiha puxou a cadeira para que ela se sentasse em seguida, se sentou a sua frente.

- Chouji realmente me surpreendeu, ficou maravilhoso o restaurante. Ainda mais grandioso de quando ele contava antigamente.

- Ele sempre teve um talento para isso. – sorriu de lado e cada um olhou o cardápio, o garçom logo apareceu e eles fizeram seus pedidos e trouxe logo uma garrafa de um bom vinho. – Um brinde a essa noite.

- Um brinde. – ela sorriu e tomou um gole do vinho. – Esse vinho é muito bom.

- Um dos melhores. É feito pela família do Akimichi.

- Oh, não sabia que eles haviam entrando no ramo dos vinhos.

- Entraram, e convenhamos, foi uma das melhores coisas que fizeram.

O garçom logo trouxe os pedidos e eles começaram a comer.

- Você realmente sabe escolher os pratos. Já experimentou todos?

- Alguns. Mas na maioria das vezes é somente um palpite. – deu de ombros.

- Ouvi boatos de que se tornou o melhor administrador de Konoha.

- O melhor sei que não sou. – sorriu. – Mas a empresa está indo bem, Sasuke é um ótimo engenheiro.

- É. Ele realmente se tornou um dos melhores.

- E você? Tornou-se uma designer como queria? – lhe perguntou curioso.

- Sim. Fiz faculdade, me formei, e comecei a cuidar da empresa do meu pai. Com a ajuda de Hinata nós conseguimos aumentar a popularidade e, consequentemente, as ações só aumentaram.

- Fico muito feliz que tenha alcançado seus sonhos.

- Eu também.

Conversaram e beberam vinho, durante todo o tempo que estiveram no restaurante, já às onze horas, os dois deixaram o restaurante e estavam dentro do carro do Uchiha. A noite fora divertida, mas Wyva ainda precisava se confessar para ele, e não poderia adiar mais nenhum momento.

- Está calada. – ele a olhou rápido. – Aconteceu algo?

- Não. Quer dizer, deixa pra lá.

- Conte. – lhe deu um sorriso a incentivando.

- O que acha de irmos ao seu apartamento? – suas bochechas coraram.

Ele a olhou surpreso, não imaginava que Wyva iria propor isso.

- Eu...

- Foi uma péssima ideia, eu sei.

- Não, não é isso. – ele balançou a cabeça após parar o carro no acostamento e a encarou com seus olhos ônix. – Estou muito surpreso com você.

- Isso é bom?

- Ótimo. – sorriu sincero. – Se ainda quiser ir, vamos.

Ela assentiu sorrindo. Itachi apenas pegou a estrada que iria para o centro, em direção ao seu apartamento. Sentia as borboletas em seu estômago dançarem, estava totalmente nervoso, até parecia o primeiro encontro dos dois.

No apartamento, Itachi retirou os sapatos ficando descalço e abriu o primeiro botão da camisa e andou até o armário de bebidas, escolhendo um dos vinhos que possuía em sua adega. Wyva abrira a porta para a varanda e se sentara em uma das cadeiras confortáveis que havia ali. Levou o vinho e duas taças para onde a Ishikawa estava olhando a noite cheia de estrelas do céu de Konoha.

- É tão bonito. – disse assim que sentiu a presença do Uchiha ao seu lado.

- Completamente. – lhe entregou uma taça de vinho e ela a pegou, levando até seus lábios, ato que não passou despercebido pelos olhos ônix. Itachi logo se sentou ao seu lado.

- O motivo de ter chamado você pra vir até aqui, foi porque queria conversar com você.

- Conversar? – Itachi sentiu o coração apertar. Será se ela diria que após o casamento de Neji e Tenten voltaria para Londres?

- Sim. – ela se virou e o olhou nos olhos. – Eu preciso te dizer que mesmo depois de todos esses anos, eu nunca consegui me esquecer de você Itachi. Não só por ter Haru que me lembrava de você em alguns gestos e fisicamente, mas por me lembrar de todos os momentos que tivemos. – ela corou. – A realidade é que... Nunca deixei de amar você.

Âmbar nos ônix. Encontravam-se.

As estrelas iluminavam os dois ali, encarando um ao outro.

Wyva estava nervosa por não saber os sentimentos de Itachi.

Itachi estava surpreso por Wyva ter revelado que ainda o amava. Aquilo parecia um sonho, mas ele sabia que era muito real.

E sem esperar mais um minuto, ele a beijou. Sentindo o gosto dos lábios dela misturados com o vinho que bebera há pouco. Ele sentira tanta saudade disso. Não. Sentira saudades dela. Quando por fim, parou o beijo por faltar de ar. As bochechas coradas dela o faziam querer beijá-la para sempre.

- Eu te amo e sempre amarei você Wyva. – um brilho apareceu no olhar da Ishikawa assim como no do Uchiha. E eles sabiam, que poderiam se passar anos e anos, mas o amor deles seria eterno. – Mas antes eu preciso dizer que a coisa que mais me arrependo no mundo é ter mentido sobre meus sentimentos por você naquela noite. Eu achei que você deveria ir atrás de seus sonhos, eu errei meu amor.

- Ita-kun. – ela o chamou de forma carinhosa, segurando em seu rosto. – Isso não importa mais. Estamos tendo uma nova chance, vamos só aproveitá-la.

Após ouvir isso, Itachi sorriu e se levantou, segurando em sua mão e ela se levantou e os dois seguiram para dentro do apartamento, na verdade, para o quarto do Uchiha. Wyva entrou primeiro e ele fechou a porta e a abraçou por trás, dando alguns beijos em seu pescoço desnudo.

Ela logo se virou e os dois se beijaram novamente. As mãos finas e macias de Wyva abriam os botões da camisa dele, e logo a retirando jogando-a pelo quarto. Suas mãos agora percorriam o peitoral e abdômen exposto do Uchiha que se arrepiava ao sentir as unhas o arranharem levemente. Itachi segurava em sua cintura, e logo levou uma de suas mãos até o zíper do vestido que ela usava e o abriu, os dois se afastaram deixando o vestido deslizar pela pele macia. A lingerie preta que usava deixou-a ainda mais sexy para ele. Os lábios se juntaram novamente em um beijo cheio de paixão e luxúria, e como estavam com os corpos colados o maior levou-os diretamente para a cama, deitando o corpo da Ishikawa sobre a cama.

Sem retirar os olhos dos dela, Itachi desabotoou sua calça e a retirou, ficando somente de cueca. E logo começou beijá-la na barriga, descendo-os até as coxas e aproximando-se lentamente de sua intimidade. Um gemido baixo escapou de seus lábios o que o fez sorrir lascivo, com suas mãos grossas e ágeis retirou a calcinha e a jogou no chão. Seus olhos estavam totalmente inebriados de luxúria. A beijou ali, sem pressa. Devagar. Wyva segurava forte nos lençóis e quando aumentou o ritmo em que ele a chupava, os gemidos tornaram-se mais altos e o prazer que só Itachi sabia lhe proporcionar era reconhecido pelo seu próprio corpo.

O orgasmo lhe atingiu. Em êxtase seu corpo tremeu de prazer.

Os beijos subiam de sua coxa até chegarem ao seu colo, onde Itachi retirou o sutiã deixando seus seios livres para que ele pudesse tocá-los sem qualquer restrição. E antes de cair totalmente sobre o corpo dela, retirou sua cueca deixando seu membro totalmente excitado exposto. Deitou sobre o corpo esguio e a beijou, os corpos colados e os dois órgãos se tocando, o atrito os fazendo se excitarem ainda mais.

- Eu amo cada detalhe seu. Cada parte. Preciso de você. – a última parte foi sussurrada.

- Eu também preciso de você.

Após ouvir isso, Itachi a penetrou devagar, sentindo as unhas de Wyva fincarem em suas costas. Os olhos não desviaram um segundo dos seus. E com um aceno ela deu permissão para que ele continuasse. O ritmo foi aumentado e os dois gemiam enquanto o som dos corpos e dos órgãos se colidindo ecoava pelo quarto.

Calor percorria pelos seus corpos. Estavam quentes. Quentes demais.

A posição logo foi mudada e agora Wyva estava por cima. Ela rebolava em seu membro e isso o fazia revirar os olhos. Como ele adorava senti-la dessa forma. Os dois gostavam. Os gemidos continuavam a ecoar pelo quarto e as unhas da Ishikawa arranhavam o abdômen do Uchiha deixando-o marcado como seu. Os movimentos eram rápidos. Profundos. E não demorou muito para que os corpos dessem sinais de que chegariam ao orgasmo.

Âmbar estavam nos ônix.

Presos.

Uma completa sintonia. Uma verdadeira canção.

- Eu amo você.

Falaram juntos, assim como atingiram ao clímax do prazer. Juntos.

Para sempre.

XXXXX

Sábado

O grande dia finalmente havia chegado. Nos terrenos dos Hyuugas a decoração do casamento já estava pronta, e nos inúmeros quartos da mansão, as madrinhas e padrinhos se arrumavam para a cerimônia que iniciaria em duas horas. Tenten estava em outro quarto com sua mãe ao seu lado e algumas pessoas contratadas que faziam sua maquiagem e seu penteado. Ino, Temari, Sakura, Hinata e Wyva também estavam sendo maquiadas. Em outro cômodo, Naruto, Sasuke, Rock Lee, Shikamaru e Gaara apenas esperavam a hora de se arrumarem, o Uzumaki apenas pensava no quanto teria que esperar para poder beber, isso o fez soltar um gemido frustrado que não passou despercebido pelos outros, mas nenhum deles queria pressionar o loiro a contar o que acontecera.

No horário certo, os cinco rapazes desceram para o andar de baixo onde encontraram Neji já arrumado e o fotógrafo os esperando para tirar algumas fotos antes da cerimônia. Após tirarem algumas fotos, as cinco garotas logo desceram as escadas, os vestidos idênticos e cada uma com um pequeno buquê de flores. E depois de algumas fotos os dez foram para os jardins onde aconteceria o casamento. Os convidados já estavam quase todos presentes, Haru seria o pajem que levaria as alianças dos noivos, que já estava arrumado e sentado ao lado de Itachi.

A pessoa responsável por anunciar a entrada de todos logo pegou o microfone avisando que a cerimônia logo iria começar. Neji ficou atrás dos cinco casais de padrinhos e madrinhas, e a cerimônia por fim, iniciou.

As meninas ficaram do lado que Tenten ficaria, e os rapazes do lado de Neji. A marcha nupcial logo começou a tocar e o coração do Hyuuga acelerou, estava nervoso, e quando Tenten surgiu na entrada e começou a ir a sua direção, seus olhos marejaram e algumas lágrimas caíram. Os convidados também se emocionaram ao ver a Mitsashi, ela estava linda. Tenten logo chegou ao altar e Neji segurou sua mão e a beijou em seguida, os dois se viraram para o juiz de paz. As palavras mais esperadas logo foram anunciadas.

- Hyuuga Neji, você aceita Mitsashi Tenten como sua legítima esposa? Para amá-la e respeitá-la, na saúde e na doença. Na alegria e na tristeza. Na riqueza e na pobreza. Para todo o sempre?

- Aceito. – sorriu para sua noiva.

- Mitsashi Tenten, você aceita Hyuuga Neji como seu legítimo esposo? Para amá-lo e respeitá-lo, na saúde e na doença. Na alegria e na tristeza. Na riqueza e na pobreza. Para todo o sempre?

- Aceito. – um sorriso também estava em seus lábios.

- Agora é a hora das alianças.

O pequeno Haru andava da entrada até o altar, onde Neji e Tenten o olhavam sorrindo. O Uchiha estava um pouco envergonhado, mas continuou seguindo em frente até chegar onde Neji e lhe entregar a pequena caixa com as alianças, e após o Hyuuga bagunçar os seus cabelos, ele voltou para junto de seu pai.

- Eu, Hyuuga Neji te prometo, Mitsashi Tenten. Amar-te e ser fiel por toda minha vida. – e após colocar a aliança no dedo anelar lhe deu um pequeno beijo.

- Eu, Mitsashi Tenten te prometo, Hyuuga Neji. Amar-te e ser fiel por toda minha vida. – colocou a aliança e também beijou sua mão.

- Pelo poder convertido a mim e perante as demais testemunhas, vos declaro marido e mulher. Pode beijar a noiva.

E enfim, os dois se beijaram, com o pôr do sol de decoração dando ainda mais beleza na imagem dos dois sobre o altar. Os convidados bateram palmas assim como os padrinhos.

Após inúmeras fotos, todos estavam no espaço da festa, os rapazes já bebiam assim como Temari, Wyva, Ino e Hinata que apenas bebericava. Wyva conversara com ela, mas ela não podia contar a Hinata que Naruto era apaixonado por ela, já que isso não lhe dizia respeito. O Uzumaki por outro lado, já bebera bastante mesmo a festa tendo poucas horas de ter começado. Haru estava feliz por seus pais estarem juntos. No momento, ele brincava com Shimon e seu tio Sasuke.

Já era madrugada, Naruto já estava totalmente bêbado, e conversava com Sasuke e Shikamaru, nenhum dos três estava sóbrio e conversavam coisas sem sentido. Até o loiro sentir seu coração apertar por saber que Hinata partiria no dia seguinte.

- Sabe. Eu nunca imaginei que eu iria ficar apaixonaaado. – falou grogue.

- Isso é problemático. – Shikamaru o respondeu, com a voz também puxada. – Mas também é bom.

- É bom se for recíproco. – rebateu o loiro, já que Sasuke adormecera. – Sou realmente um idiota.

- Por quê? – o Nara o encarou.

- Por saber que só eu gostava dela. – seus olhos marejaram.

- Naruto. – Shikamaru nunca o vira assim, mas as lágrimas já desciam pelo rosto do loiro.

- Viu como sou idiota. Eu achei que realmente havia encontrado a mulher da minha vida cara. – fungou. – Ela é inteligente, tem um sorriso lindo e olha, eu sempre impliquei com os olhos de Neji, mas quando vi os olhos dela foram os mais lindos que vi em toda a minha vida. Parecia como se eu tivesse viajado pra lua e a olhasse bem de perto.

- É cara, não sei o que te falar.

- Não precisa dizer nada. Eu a perdi porque não fui capaz de fazê-la se apaixonar por mim. Até por que, quem iria gostar de mim?

- Nós amamos você Naruto. Seus pais também te amam. Se ela não foi capaz de ver o cara especial que você é, ela realmente não te merecia.

Shikamaru bebeu o restante do conteúdo do seu copo e Naruto fez o mesmo.

- Preciso pegar mais bebida.

- Deixa que eu vou.

Naruto apenas o deixou ir e encostou-se ao estofado. A lua brilhava acima de sua cabeça e aquilo o fazia se lembrar dela. Eles eram diferentes, assim como o Sol e a Lua. No entanto, o Uzumaki não tinha certeza de que poderia ser seu próprio sol, como era na vida de todos que amavam e até pensara que havia sido na vida de Hinata. Como o sol que a iluminava. Mas não passara de uma simples faísca que se apagou quando a noite chegou.

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...