1. Spirit Fanfics >
  2. Sinbi (Hyung Line - TREASURE) >
  3. Estilo.

História Sinbi (Hyung Line - TREASURE) - Capítulo 28


Escrita por:


Capítulo 28 - Estilo.


Fanfic / Fanfiction Sinbi (Hyung Line - TREASURE) - Capítulo 28 - Estilo.

O quarteto Black se separou para coletar as informações dos suspeitos. Jasper encarregado de falar com Kong Taeyong, Junkyu iria atrás de Oh Yi Lin, Yoshinori iria interagir com os outros convidados para tentar encontrar pistas extras e S/n em busca de Han Ollie, a ocasião a fazia lembrar de suas saídas em bares em que fazia joguinhos de sedução com caras para levá-los para um local privado onde acabariam na farra e na manhã seguinte jamais se falariam. A jovem reconheceu a cabeleira loira - da foto que Jasper mostrou para a equipe Black antes da festa - ao longe de costa para si conversando com uma morena de olhos verdes e vestido azul; nítido que ambos estavam em um flerte feroz. S/n dera um sorrisinho travesso se aproximando do casal, parando ao lado do loiro, se inclinou um pouco para frente para ficar na visão das orbes do próprio e acenou com a mão sorrindo dócil.

— Olá!

A parceria do Han trincou os dentes, cerrando os dentes pelos olhos dele mudarem do foco de si para a recém chegada.

— Hello, milady~ — segurou a mão de S/n, para beijar o verso de tal, ato esse que os outros Black notaram, ao mesmo tempo que trabalhavam não deixavam de manter os olhos na companheira com receio de algo de lhe acontecer, principalmente Kim Junkyu e Kanemoto Yoshinori por terem um apego de responsabilidade maior em relação a civil. — A que devo a honra?

— Ollie oppa! — a morena proferiu irritada, batendo o pé, atraindo um semblante de testa franzida do homem que a fez engolir em seco. — Eu cheguei primeiro. Irá me trocar por essazinha?

— E daí? Cadê seus modos, mulher?

— Eu tenho nom-

— Não o guardei, se quer saber — revirou os olhos.

Não querendo ser mais rebaixada pelo cantor, a morena até então sem nome passou por S/n esbarrando propositalmente no seu ombro e se retirou do baile para se enfiar em seu quarto sem se despedir do casal de anfitriões.

— Que bela relação essa que acaba de perder — brincara ao se por diante o loiro, que adotara uma postura relaxada ao se encontrar sozinho com a Filha de Jade.

— Ela é só mais uma das pretendentes que meus pais estão me mandando para casar — suspirou, coçando a nuca.

— Ah — arregalara os olhos demonstrando compaixão ao compreender a situação, mas rapidamente riu nasal, pondo a mão no queixo. — e o que te faz pensar que eu não seja só mais uma das mulheres mandadas por eles?

— Seu estilo.

— Meu estilo? — arqueou a sobrancelha.

— Sim, seu estilo.

— O que tem ele?

— Faz meu tipo — expressou meio bobo, abaixando a cabeça. —, eles jamais iriam arrumar uma pretendente assim.

— Hã?

Ela processara o que lhe fora dito, se comparando com a mulher que afugentou, em que a vestimenta cobria cada parte do corpo, os cabelos em um coque, maquiagem carregada e sapatilhas. Entretanto, se ele estivesse falando da personalidade, como poderia saber se de fato poderia ser seu tipo tinham trocado só algumas palavras?

— Mas por que veio até mim? Afinal, quem é você?

S/n esboçou um risinho, que escondera sob a mão.

— Pode me chamar de S/n. Estou aqui passando uns dias com alguns amigos e viemos nos divertir, entende?

— Se quer que eu seja sua diversão, serei com prazer — exclamou colocando uma mecha de cabelo atrás da orelha dela, sem desafiar o olhar dos olhos heterocromaticos de S/n, detalhe esse que ele achara incrivelmente atraente.

Ambos permaneceram trocando olhares aos sorrisos, sendo observados por alguns convidados curiosos como o casal So que dizia como os jovens possuem energia de sobra, Yoshinori que fazia um biquinho tentando disfarçar, Junkyu cerrando os punhos, Jasper rindo dos amigos que não sabiam ocultar suas emoções enquanto conversavam com as pessoas que estavam confusas pelas atitudes dos vampiros.

Junkyu ao se acercar de Oh Yi Lin que estava sentada só em uma mesa, ficou surpreso com a facilidade que fora tirar as informações. Descobrira que a jovem visitava o B&W Hotel para poder gravar para o canal do YouTube que a jovem possui e que os encontros que tivera com as vítimas fora para as entrevistar para quadros do canal, que se ele quisesse poderia checar.

— Qual o nome do seu canal?

— É o meu nome mesmo. Oh Yi Lin — corara. — sabe... Não sou muita criativa. Está fazendo todas essas perguntas por causa dos boatos que estão rodando por aí?

— Boatos?

— Sim, que algum tipo de fantasma está assombrando o B&W Hotel — abraçara ao próprio o corpo. —, eu vi que pessoas com equipamentos estranhos no quarto do lado do meu... Dizem que são caçadores profissionais.

— E acredita nisso?

— Eu... não sei. Devo acreditar?

— Se está duvidando, por que acreditaria? — sorriu singelo, se levantando para se juntar a Yoshinori que terminara de coletar tudo o que queria e agora estava parado em um canto próximo a um canteiro de margaridas brancas.

Jasper também se uniu aos dois e meneou com a cabeça, ao dizer:

— O empresário não veio para a festa porque está fora do país, só veio a esposa dele. Não consegui nada de útil.

— Porra, Jasper, e ficou tanto tempo conversando com ela por quê? — Junkyu questinou furioso.

— Hyung, não desconte sua raiva em mim — deu tapinhas no ombro do moreno, que bufou. —, ela estava me dando uma receita de uma torta de limão que sempre quis aprender a fazer.

— Torta de limão?! Cara, eu amo! Espero que faça uma para mim — S/n apareceu atrás do platinado toda sorridente, segurando um papel com o número de Ollie, ela balançou na frente dos rapazes toda convencida. — Eu disse que um bom flerte resolvia tudo.

— Conseguiu alguma informação que possa nos ajudar?

— Ele contou que todas as pessoas com quem falou nesse lugar foram contatos relacionados aos pais, fossem pretendentes ou sócios da Empresa Han Cosméticos, nada além disso.

— Você parecia bem confortável fazendo isso, S/n — Jasper comentou sorrindo malicioso, passando o braço pelos ombros da humana, provocando os hyungs com os olhares. —, já fez antes?

— Claro — falara recordando nostálgica de quando suas preocupações eram meramente as ressacas causadas pelo caos do dia anterior. —, incontáveis vezes quando saía com a Seon e queria ficar com alguém por uma noite.

— Uau... A pegadora — bagunçou os fios da mulher, que o empurrou de leve e terminaram rindo pela infantilidade.

Yoshinori forçou a garganta para o trio o encarar.

— Pessoal, vamos analisar as pistas que conseguimos. Temos que identificar essa criatura e lançar um escudo de proteção pelo perímetro para proteger os civis.

— É melhor irmos para um lugar reservado s-

Junkyu se calou com o surgimento do casal So conversando com um grupo de quatro pessoas, entendendo que eles seriam apresentados. Uma mulher de cabelos castanhos com as pontas tingidas em rosas e três rapazes morenos, todos com olhos negros como a escuridão, diferente dos demais, o quarteto usava roupas casuais como blusas brancas, jeans rasgadas e tênis comuns. 

— Equipe Black, esses são os GZ — o chefe apresentou um por um, apontando e citando os nomes, os jovens apertaram as mãos trocando faíscas através dos olhares. —, são os caçadores de fantasmas que mencionei na carta.

Yoshinori riu fraco, pensando em que lidar com armadores era um luxo o quão eles não tinham tempo se desejam acabar de uma vez por todas com o somnium e ter câmeras gravando seus passos não ajudaria. Então, por que infernos o Chefe So os aceitaria como hóspedes em primeiro lugar? Era como se autossabotar.

— Foi um prazer conhecê-los — Junkyu comentou educadamente. —, mas já estávamos nos retirando, então, se nos permite...

Em fila, os quatros seguiram rumo o elevador ao se despedirem em acenos singelos. Sozinhos, Jasper soltou:

— Esses caçadores são estranhos, não acharam?

— Sim — concordaram em uníssono.

— Devemos nos preocupar? — S/n indagou.

— Não... Eles usam iniciais como codinomes, devem ser só crianças brincando de detetives — Yoshinori descontraiu, fazendo os companheiros rirem.

 

 

Horas mais tarde, S/n não soube por quanto tempo dormiu, entretanto, ao despertar se viu deitada nos braços de Yoshinori, a cabeça descansada sobre o peito do mesmo, ambos completamente nus e uma enxaqueca absurda. Olhara ao redor, sem se levantar sequer tinha forças e o japonês não a deixava o fazer por está a abraçando enquanto dormia, ainda se encontrava no B&W Hotel. Tentara recordar o que ocorrera para chegar naquele estado, podia imaginar, não era nenhuma idiota, mas não possuía nenhuma lembrança própria e isso era torturante.

— Y-Yoshi... — o cutucou várias vezes na bochecha para tentar acordá-lo, após algumas tentativas e resmungos, conseguira.

O acastanhado abrira os olhos lentamente, estranhando que estivesse acompanhado e como método de defesa pegou a pessoa pelos pulsos se colocando sobre ela ao levar os olhos sobre o topo da cabeleira de S/n que arregalara os olhos pela atitude repentina. Reconhecendo a figura da amiga, a soltou sem sair de cima e corou completamente.

— Nós..?


Notas Finais


Como ficou o bicho? 😹🍃

A maioria suspeitando da Zoya e até do Junghwan que tá no Brasil pskpskpsk adoro, agora as suspeitas continuam a mesma?

O próximo será o último capítulo do segundo arco, preparados?

Logo as escolhas restantes feitas no capítulo 26 serão postas em ação e nesse capítulo vocês têm mais uma para fazer. Para participar, basta comentar uma letra (A, B) ou a situação desejada.

Lembrando que sempre que quiser comentar a # do favorito nos capítulos, é válido :>

Se cuidem 👺


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...