História Sing With Me - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Stray Kids
Personagens Bang Chan, Han Ji-sung, Hwang Hyun-jin, Kim Seung-min, Kim Woo-jin, Lee Felix, Lee Min-ho, Personagens Originais, Seo Chang-bin, Yang Jeong-in
Tags 3racha, Hanjisung, Leeminho, Minsung, Straykids, Yaoi
Visualizações 48
Palavras 1.867
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


boa leituraaa

Capítulo 13 - Capítulo treze


— Hoje o céu ta bem bipolar. Quero dizer, choveu pela manha, depois fez sol e agora ta nublado. — Minho falava. Ele estava sentado na cadeira ao lado da cama de Minjung, com um exemplar de Pequeno Príncipe no colo e um copo de café nas mãos. — Hoje o Jisung vai pra casa e nossa, seria errado eu dizer que não quero? Eu me acostumei com a presença dele aqui e não vou mentir, eu gosto de estar com ele, gosto da sensação boa que ele me trás.

Minho parou de falar e suspirou. Ele nem sabia ao certo do porque estar falando sobre Jisung.

—  Eu falei com o Minkyu hoje, ele sente sua falta. Ele tenta se manter forte na frente dos seus pais, mas eu sei que ele ta muito afetado com tudo isso. Eu disse que ele pode desabafar comigo e em certo ponto ele ta. Ele quer que você melhore logo e eu também. — o Lee olhou para o garoto, pros traços jovens e angelicais, e novamente, se perguntou do porquê algo tão ruim ter acontecido com alguém tão jovem — Eu preciso ir agora, daqui a pouco o Sung ganha alta e eu quero me despedir. Amanha eu volto, prometo. — falou, e deu um sorriso minimo antes de sair do quarto.

Minho ainda não entendia do porque se sentia tão tocado com o caso do Kim. Talvez fosse porque ele o lembrava do irmão mais novo. Minho não se sentia mais triste ao lembrar dele, já fazia tanto tempo que ele havia aprendido a substituir as lembranças ruins pelas boas. E em partes, nem se culpava mais.

Enquanto passava pelo balcão de Kuanlin e Seongwoo, o Lee até pensou em parar para conversar com os amigos, mas viu que Daniel e Jihoon estavam ali e bem, ficar de vela não era o que o médico queria no momento.

Depois do encontro, os dois garotos contaram a Minho como tudo tinha acontecido. Seongwoo parecia um bobo apaixonado — coisa que, de fato, ele era — enquanto contava. Já Kuanlin estava mais contido e quase nem falou do Park, mas no final, quando foi falar do beijo na bochecha, ele não conseguiu conter o sorriso e bem, Minho não deixou de notar.

Quando o médico entrou no quarto de Jisung, ele não se surpreendeu por ver o mais novo na cama, lendo, porém dessa vez sem a roupa do hospital. Ele vestia uma calça preta e um moletom azul pastel, e Minho achou que aquela roupa caia muito bem em Jisung.

O Han não havia notado a presença de Minho, já que quando lia, ele não prestava atenção em mais nada na sua volta. O Lee não deixou de sorrir quando viu que Jisung soltou uma risadinha, provavelmente era alguma parte boba de livro.

Não fazia tanto tempo assim que ambos se conheciam, mas Minho já havia descoberto tanto sobre o mais novo. Agora ele sabia que Jisung cantarolava sem nem perceber, que o mais novo amava ler e que não conseguia disfarçar as reações enquanto lia. Que ele não parava quieto em momento algum, que tinha medo de sangue, que quando ficava nervoso falava demais e com uma voz um tanto estridente.  

Minho nunca imaginou que Jisung fosse assim e menos ainda que um dia teria chance de conhecer esse lado do mais novo. E de certa forma, ele ficava assustado por saber, que em tão pouco tempo, já havia memorizado cada mania e gosto do Han.

— Você gosta de entrar no meu quarto e ficar me olhando enquanto eu leio, né? Porque não é a primeira vez que isso acontece e eu já to até me acostumando. — Jisung falou sorrindo e Minho se assustou, pois nem notou que encarava o mais novo.

— Você fica fofo enquanto lê, não é minha culpa. — o Lee se defendeu.

— E você fica fofo sempre, então da próxima vez que eu ficar te encarando, nem ouse reclamar. — o Han rebateu.

Minho corou, e para tentar disfarçar, passou a mão pelos cabelos — agora pretos — e fingiu tossir.

— Você ficou ainda mais lindo de cabelo preto, credo! — o Han exclamou e Minho sentiu o próprio rosto ficar mais quente ainda.

— O Taehyung já veio te dar alta? — perguntou, tentando mudar de assunto.

— Ainda não, mas a Jiwoo veio aqui e disse que tava tudo certo, que eu poderia vestir minha roupa e logo o doutor Tae viria assinar os papeis. — o loiro explicou.

— Hm, o Changbin e o Chan vão vir? — o Lee perguntou.

Sempre que estavam livres, Changbin e Chan apareciam no hospital, ficavam um bom tempo com Jisung, depois falavam com Minho — porque por algum motivo que o Lee não entendia, os dois gostavam da presença dele —, e o médico até poderia chama-los de amigos. Eles também conversavam com Felix — no inicio Hyunjin ficava com medo por ver Changbin perto do australiano, mas logo ele notou que o mais velho não queria nada com o seu namorado — e Woojin, que ficava todo bobo pelo simples fato de Chan estar por perto.

— Eles tem show esse fim de semana, e antes que você diga algo, não, eu não vou participar. — falou, após ver a cara de Minho, porque ele tinha certeza que o mais velho falaria algo e estava certo — Enfim, eles precisam treinar então só o Heehwan vai vir.

— Eu gosto do Heehwan. — Minho comentou sorrindo.

— Ah é? Gosta mais dele do que de mim? — Jisung perguntou, se aproximando de Minho.

Ambos estavam sentados encima das próprias pernas, um de frente para o outro, o que facilitou para que Jisung chegasse perigosamente perto do Lee.

— Talvez... — o mais velho respondeu, só para provocar um pouquinho.

— Hm, bom saber. Então quando você quiser beijar alguém, pede pra ele. — Jisung falou, ainda sem se afastar.

— Nah, prefiro beijar você. — o Lee respondeu, dando um sorrisinho atrevido.

Jisung retribuiu o sorriso e quebrou qualquer distancia que em algum momento existiu entre os dois.

Sem nem perceber — ou talvez percebendo —, Jisung foi deitando o mais velho na cama, ainda sem parar de beija-lo. Minho suspirou quando Jisung se afastou um pouco, somente para se ajeitar melhor, e depois se aproximou do pescoço do Lee.

Como eu queria que nós estivéssemos em outra cama agora, de preferencia a do meu quarto. — sussurrou no ouvido de Minho, que estremeceu.

Minho estava quase falando "eu também", mas o barulho na porta fez ambos se afastarem assustados e quando Heehwan entrou, todo sorridente, eles sentiram uma leve vontade de empurrar o de cabelos azuis para fora do quarto e continuar o que estavam fazendo.

— Vocês dois são tão sem graça, que provavelmente o Jisung estava lendo esse livro e você observando, Minho. Poxa, nem pra fazer algo mais interessante. — o Yeo reclamou, olhando para o livro que estava entre Minho e Jisung.

Minho olhou para o de cabelos loiros, que retribuiu o olhar e ambos tiveram um ataque de riso. Heehwan ficou olhando para os dois, sem entender nada, e depois de um tempo começou a rir também.

— Vocês não estavam fazendo o que eu falei, né seus safadinhos? — o Yeo perguntou, depois que conseguiu parar de rir.

Minho corou, e agradeceu internamente por não precisar responder, já que Taehyung tinha acabado de entrar no quarto.

— Pronto para receber alta, Jisung? — o Kim perguntou, com aquela simpatia que já era característica dele.

Todos no hospital amavam o doutor Kim Taehyung, principalmente um certo paciente chamado Jung Hoseok.

— Mais do que pronto, doutor! — Jisung respondeu sorrindo.

Depois de assinar os papeis e garantir que o Han continuaria o tratamento em casa — Minho fez questão de afirmar que sim, ele continuaria —, Jisung recebeu a tão sonhada alta.

Minho, Jisung e Heehwan foram juntas até o térreo do hospital e antes de passarem pela porta, o Yeo falou que precisava fazer algo antes de ir, deixando Minho e Jisung sozinhos.

— Então, como vão ficar as coisas entre nós? — Minho perguntou.

— Eu não quero parar de te ver, Minho e bem, eu tenho seu numero então eu vou ficar 24h por dia te incomodando. — Jisung respondeu com um sorriso.

— Poxa, eu quero tanto te beijar agora. — o Lee confessou, fazendo biquinho.

— Beija.

— Aqui, na frente de todo mundo? É muito cedo para as pessoas saberem que eu existo, Jisung. — Minho respondeu rindo.

Quando Heehwan voltou, os dois ainda estavam rindo e depois que Jisung entrou no carro — não sem antes abraçar Minho e sussurrar no ouvido dele que eles iriam se ver novamente —, o Lee continuou sorrindo.

O médico ficou algum tempo parado na porta do hospital, olhando para o céu, com um misto de sentimentos no peito e varios pensamentos martelando na cabeça. Ele só saiu do próprio mundinho quando viu que Felix estava vindo correndo na direção dele, ele parecia estar desesperado e por um momento, Minho temeu pelo que pudesse ter acontecido.

— Minho, você precisa ver isso! — falou tentando recuperar o folego e entregando o celular para o Lee mais velho.

Minho pegou o aparelho, ainda confuso e começou a ler o conteúdo do site que estava aberto.

"Não é novidade nenhuma que Han Jisung vive dando em cima de fãs, mas sera que alguém teria conseguido conquistar o coração do loiro?"

Era o titulo da matéria e mesmo sem ler o resto, Minho sentiu o coração parar.

" Todos sabiam que Han Jisung estava no hospital para cuidar de uma anemia, mas aparentemente, outras coisas acabaram acontecendo. Algumas pessoas nos informaram que um certo médico chamado Lee Minho, havia conseguindo roubar o coração do loiro e olha que nem cardiologista ele é. De acordo com nossas informações, Han Jisung foi visto almoçando com o neurologista de 27 anos no restaurante do hospital, e eles possuíam muito mais intimidade do que um simples médico e paciente.
Por enquanto não sabemos com certeza se ambos possuem algum tipo de relacionamento, mas de acordo com as fotos abaixo, é possível suspeitar que sim!
E você, o que acha? Será que Han Jisung finalmente vai sossegar? Se surpreendeu pelo cantor, que até então todos achavam ser hetero, estar envolvido com outro homem?
E desde já, nós desse site deixamos bem claro que respeitamos todo e qualquer tipo de relacionamento e esperamos que vocês, leitores, tenham a mesma opinião."

Antes de entregar o celular para Felix, Minho deslizou para baixo e viu as fotos do seu almoço com Jisung. Eles sorrindo um para o outro e até o momento que Minho se aproximou para tirar o esparadrapo do rosto de Jisung.

O Lee sentiu a cabeça doer e uma sensação ruim. Ele estava com medo. Não sabia no que aquilo iria resultar e muito menos em como seu relacionamento com Jisung ficaria.

Ele sabia que com certeza não queria se afastar do mais novo, mas no fundo, algo o dizia que isso seria inevitável.



Notas Finais


espero que vocês tenham gostado do capítulo

amo vcs estrelinhas


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...