História Singularity - Capítulo 1


Escrita por:

Visualizações 54
Palavras 1.045
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia)
Avisos: Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


oi gente, como vão? rs

Quem aí está preparado para o comeback do BTS que vai destruir geral? Eu com certeza não.

Estão dizendo que em airplane os meninos dançaram em cadeiras mano, então não, EU NÃO ESTOU PREPARADA

Mas enfim. Eu vi que muitas pessoas estão escrevendo songfic com esse hino maravilhoso que se chama Singularity e também resolvi trazer a minha songfic pra vocês :3 é vmin porque vmin é lindo, soulmates pra sempre. E também porque fazia tempos que eu não postava nada. Se você é um leitor que acompanha minhas fanfics, elas não foram esquecidas no churrasco e não vou desistir de nenhuma delas ok? Eu só estou precisando de um tempo pra organizar a minha vida e as minhas fanfics, e estou fazendo isso aos poucos. Por isso não fiquem triste comigo :( e se vocês tiverem sugestão de drabble, podem dizer nos comentários, sendo de Jikook ou de outros ship, eu ficaria muito feliz em escrever :D

O título do capítulo está em italiano e significa "eu não tenho um rosto"

Espero que gostem e tenham uma boa leitura meus anjos! :3

se tiver algum errinho, me perdoem♡

Capítulo 1 - Uniq: non ho pi facia


Fanfic / Fanfiction Singularity - Capítulo 1 - Uniq: non ho pi facia

Eu não me sinto culpado.

Mas eu poderia dizer que me sinto. Todavia, como você mesmo dizia, eu sou um péssimo mentiroso.

Mas isso é outra mentira não é?

Eu sempre soube mentir muito bem.

Hyung, você se lembra das nossas tardes em que ficávamos no telhado da sua casa, observando o sol se pôr? Você sempre estava coberto por uma manta amarela. Amarelo é a sua cor preferida certo? O hyung dizia que amarelo transmite otimismo, alegria, vida e calor. Amarelo certamente é a sua cor, hyung. Pois você é como um raio de sol que ilumina meus dias, sempre tão pintados de roxo. Eu menti mais uma vez, hyung. Verde nunca foi a minha cor, porque ela é a cor da esperança e liberdade. Também representa renovação espiritual, mas o meu espírito nunca estivera tão preso. Sou como um pássaro hyung, alojado dentro de uma gaiola. Então deixe-me contar porque roxo é a minha cor:

Roxo transmite a sensação de tristeza e introspecção. É a cor da transformação e a libertação de medos e outras inquietações. Mas nesse caso ela transmite uma depressão tão grande hyung, uma melancolia tão profunda... Eu realmente queria que verde fosse a minha cor hyung, queria transmitir esperança, queria ser livre... Mas tudo isso sobre mim era falso, hyung.

Porque eu sempre usei uma máscara.

Até mesmo com você.

Hyung, eu nunca fui fã de literatura, sempre achei chato para ser sincero, mas você muitas vezes me convencia a ler alguns livros ou até mesmo assistir algumas peças teatrais. Lembra-se de Hemlet? E se lembra da personagem Ofélia? A morte dela é considerada a mais poética da literatura, fora eternizada por tantos artistas... Enquanto ela boiava sobre as águas do rio, a mesma cantava fragmentos de velhas canções.

Ela abraçou a morte, hyung.

Deveria eu fazer o mesmo?

Eu deveria me deixar ser levado por essas águas que me afogam a todo instante e abraçar a morte?

Se estivesse comigo nesse instante, certamente teria me dado vários tapinhas com suas mãos pequenas e macias, hyung. Mas eu estou sendo sincero pela primeira vez na vida! Viver é mais doloroso do que morrer. E eu não tenho certeza se quero viver.

A verdade dói hyung. Mas já notou como ela está se tornando cada vez menos comum? Todos estão optando pela mentira, pela máscara. Estão enterrando suas vozes, hyung. Elas não tem mais identidade.

Elas não tem mais rostos. 

Mais perto esse som se torna. O som da mentira. Rachando-se como uma estátua. O lago congelado também está ganhando cada vez mais rachaduras. Acho que estou finalmente encontrando o meu rosto, hyung!

Mas a que preço?

Eu não consigo mais dormir, hyung. Seria tão mais fácil se estivesse aqui comigo. Seu corpo menor envolveria o meu em um abraço caloroso, e então o hyung diria que eu sou como o seu gato de chita.

Hyung, eu sinto tantas saudades...

Mas o que eu poderia ter feito, então?

O que eu deveria está fazendo?

Estou cansado, hyung. Minha agonizante dor fantasma permanece a mesma.

Eu queria falar. Mas a minha voz não é real. Nada disso aqui é real. É falso hyung. Tudo é falso.

O amor que eu sempre demonstrei por mim mesmo era falso também. 

Você me chamava de louco quando eu dizia que admirava as pessoas narcisistas. Elas podem ser aproveitar das pessoas ao redor ou serem muito egoístas, mas pelo menos elas se amam, hyung. Elas gostam da própria imagem que as olham de volta no espelho, elas gostam de cada detalhe delas mesmas. E eu finjo nutrir esse amor próprio.

Eu finjo amar a mim mesmo, amar cada detalhe meu quando na verdade eu repudio com todo o meu âmago.

Por ela, hyung. Por ela eu finjo. Por ela eu uso essa máscara, escondendo a minha verdadeira face. Mas será que eu ainda tenho um rosto, hyung? Será que, depois de tanto tempo, ainda tenho um resquício do meu antigo eu?

Eu me perdi. 

E ganhei ela. 

Hyung, você era o único que me amava de verdade. E também era umas das poucas pessoas que não se entregou a ela. E quando você partiu, tentei entregar meu smeraldo para outras pessoas, mas elas também usam máscaras hyung. Então o amor que elas nutriam por mim consequentemente era falso também.

Eu odeio ela, hyung. Enterrei minha voz por ela, e preciso tampar a minha boca para não desenterrar a voz engasgada e gritar por detrás da máscara. Perdi tudo por ela. Eu perdi o meu rosto por ela. E novamente me pergunto:

O que eu deveria ter feito? 

Ela me mantém nesse lago congelado, preso nesse azul melancólico, nesse inverno sem fim.

A primavera era sua estação favorita, hyung.

E eu preciso que ela derreta esse gelo.

Eu preciso que a verdade sobreponha a mentira. 

Ela me fez perder tudo. Me fez perder o meu antigo eu, minhas características que o hyung dizia serem únicas e peculiares. Eu perdi a minha singularidade, hyung. 

Eu perdi traços que me tornavam único.

Eu virei apenas mais um que se entregou a ela. 

E a única voz que eu tenho agora, é a voz dela! Eu não falo mais por mim agora, hyung.

Eu falo pela sociedade. 

Me perdoe, hyung.

Sei que me odeia agora e não quer falar mais comigo. Mas eu continuo te amando, você é a melhor coisa que já me aconteceu, a única coisa real que existe em minha vida e é a única pessoa que eu verdadeiramente amo.

“Mas para amar aos outros, você precisa amar a si mesmo.”

Mas eu não consigo, hyung. Por isso que continuar se tornou algo tão difícil. 

Respirar se tornou algo difícil. 

Eu estou sufocando com as minhas próprias mentiras. Com esse falso eu que a sociedade criou. Ela destruiu minha identidade hyung e agora sou obrigado a viver com esse rosto falso, livre de imperfeições sendo obrigado a esbanjar sorriso e demonstrar felicidade.

Você estava errado ao dizer que eu era um péssimo mentiroso, hyung.

Pois eu vivo em um mar de mentiras.

E elas finalmente conseguiram me afogar.

Eu sinto muito hyung.

Mas o que eu poderia ter feito? 

Acho que finalmente poderei ter paz agora, hyung.

Livre de qualquer máscara. 

Eu consigo enxergar as flores.

A primavera finalmente chegou. 



Notas Finais


Digam nos comentários: sempre que aparecia o "ela", em que ou em quem vocês pensavam?

Mano a cada "hyung" que eu escrevia, era uma lágrima que eu derramava, sério mesmo.

Eu gostei bastante dessa oneshot, porque foi isso que Singularity me transmitiu. Alguém que não tem mais voz própria, que não tem mais uma identidade ou uma peculiaridade por causa da sociedade que nos molda de forma padronizada e estereotipada. Gostei dessa oneshot também porque eu consegui encaixar boa parte das teorias que eu vi nela, e combinou perfeitamente com a fanfic e também coloquei algumas referências a serendipity. Quem percebeu, respira.

E há, pra quem não entendeu a parte do smeraldo, não tem aquela flor que o Taehyung segura em Singularity? Então.

"Sim, Smeraldo é uma flor com coração machucado, uma flor com uma história ardente, e isso pode ser visto no seu significado de seu nome, que é 'non potevo dire la verita', que do italiano significa 'não devo contar a verdade' "

Pelo o que eu entendi, a lenda dessa flor é relativa, pq existe várias histórias. Uma delas se passou em uma vela rural no norte da Itália. Havia um homem com uma aparência muito feia, e por causa do ódio e do bullying que sofreu, ele não se sentia confortável em abrir seu coração pra ninguém, por isso vivia sozinho em seu castelo. Ele apenas se sentia bem plantando. Mas um dia uma mulher apareceu nos arredores do castelo, roubando as flores desse homem. Quando ele percebeu isso ficou nervoso e ficou vigiando o jardim a noite toda. Mas em um determinado momento ele caiu no sono e a mulher roubou suas flores novamente. Depois de algumas noites, ele passou a fingir que dormia para ver a mulher se aproximando. Ele ficou curioso ao seu respeito. E em um certo dia ele a seguiu, e acabou descobrindo que ela vendia as flores para sobreviver.
Ele queria ajudar a mulher, mas tinha medo em ficar de frente à ela, pois tinha certeza que a moça ficaria assustada com sua aparência e que ninguém nunca conseguiria ama-lo. Mas mesmo assim ele decidiu ajuda-la, criando flores que não existiam no mundo, porque assim a mulher venderia as flores por um preço alto. E quando finalmente conseguiu criar, o homem fez a flor que ainda não existia e encheu seu jardim com elas.

Mas a mulher não apareceu no seu jardim, e nem nos próximos dias. Depois de algum tempo ele foi até a vila sem cobrir o rosto, descobrindo então que ela havia morrido.

Se ele tivesse se mostrado para a mulher, talvez ele tivesse sido amado? Talvez ele poderia até ter ajudado a mulher antes que ela falecesse.

Nossa, isso ficou grande demais, socorro! Mas eu espero de coração que tenham gostado, digam que acharam e vamos nos dar as mãos e transmitir força, pq tá chegando a hora e vamos quebrar a Internet!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...