História Sisters - Capítulo 15


Escrita por: ~ e ~ffabs21

Postado
Categorias Arrow, Legends of Tomorrow, Supergirl, The Flash
Personagens Barry Allen (Flash), Carter Hall (Gavião Negro), Cat Grant, Cisco Ramon, Detetive Joe West, Dr. Harrison Wells, Dr. Martin Stein, Dra. Caitlin Snow, Eddie Thawne, Felicity Smoak, Helena Bertinelli, Iris West, James "Jimmy" Olsen, John Diggle, Kara Zor-El (Supergirl), Laurel Lance, Lena Luthor, Leonard Snart (Capitão Frio), Malcolm Merlyn, Mick Rory (Onda Térmica), Oliver Queen (Arqueiro Verde), Personagens Originais, Ray Palmer, Roy Harper (Arsenal), Sara Lance, Thea Queen
Tags Barry Allen, Caitlin Snow, Cisco Ramon, Cispsy, Felicity Smoak, Gypisco, Gypsy, Olicity, Oliver Queen, Snowbarry, Snowstorm
Visualizações 193
Palavras 2.390
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


FALA GALERAAAA

Alguém viu o ep ao vivo? DKJ LA KHFALHAHF Só digo uma coisa... GIRL POWER... Foi o melhor da temporada até agr socorro. To tremendo até agora e até consegui simpatizar com a Íris... Enfim... Follow the capítulo.

Capítulo 15 - A verdade - Parte 1


- Vocês nem podem me dizer o porquê de eu estar presa? – Pergunta Juliette. Quando os policiais chegaram, Caitlin pediu para a empregada cuidar dos gêmeos enquanto ela acompanhava Juliette até a delegacia.

- Descumprimento de contrato. – Diz o responsável pela prisão.

- Oi? Mas eu não descumpri contrato algum... – Ela rebate.

- Que contrato? – Pergunta Caitlin.

- O contrato que diz que Juliette deveria manter sigilo quanto ao seu envolvimento com os jogadores e você descumpriu. – Responde Stein. – Desculpe-me meninas, mas eu estou apenas fazendo o meu trabalho, eu não queria prender você, Juliette.

- Mas eu não fiz nada. – Diz Juliette ainda algemada. Stein suspira e coloca sobre a mesa prints impressos da postagem no blog do Ramon.

 

A verdade sobre os filhos de Juliette Snow.

 

Juliette Snow, que ocupa metade das postagens do blog, aprontou de novo, mas dessa vez com a real paternidade de seus filhos.

Ao que parece, quem engravidou de um dos jogadores foi Juliette Snow e foi ela quem deu a luz aos gêmeos na Holanda se passando por sua irmã, o que pode virar caso de falsidade ideológica se Caitlin Snow denuncia-la. Mas ao que parece Caitlin sabia o tempo inteiro do plano. Vamos à história completa.

Caitlin declarou que estava voltando à Holanda para assumir o trabalho em sua empresa de cosméticos e fragrâncias com Juliette ficando em Central City para cuidar do time, e na Holanda, Caitlin declarava que estava servindo de barriga de aluguel para uma amiga.

Mas quando os gêmeos nasceram, eles chegaram a Central City e Juliette Snow nos surpreendeu com uma postagem no instagram e uma declaração sobre os gêmeos.

A paternidade dos gêmeos era um segredo, todos acreditavam que eles eram frutos de inseminação artificial, mas as minhas suspeitas de que algum dos jogadores poderia ser o pai dos gêmeos aumentaram.

Primeiro pensei que poderia ser de Ray Palmer, graças ao vídeo compartilhado nas redes e por mim, mas que o time pagou para ser corrompido. Depois as dúvidas passara para os jogadores Barry Allen e Ronnie Raymond que tinha envolvimento com as gêmeas, claro que as minhas suspeitas iam para Barry Allen, já que até então acreditava-se ser a Caitlin que dera a luz aos gêmeos, mas quando Caitlin voltou ao trabalho antes de Juliette, eu fiquei confuso.

Recebemos então a resposta de quem é o verdadeiro pai dos gêmeos e ele é:

Ronnie Raymond, o quarterback.

Juliette Snow engravidou do quarterback e ela e a irmã trocaram de lugar para que um contrato de restrição e sigilo não fosse quebrado, quem sabia dessa troca eram apenas Carla Tannhauser, Barry Allen e Ronnie Raymond.

Confiram as provas.

 

Caitlin e Juliette leram a notícia e ambas ficaram extremamente irritadas, Juliette foi levada para a cela e Caitlin jogou os papéis de volta a mesa e pegou seu celular ligando para a mãe e avisando o que aconteceu. Carla pegou o voo naquela mesma noite e chegaria no dia seguinte. Caitlin avisou à Barry o que aconteceu e disse que iria para casa ficar com os gêmeos.

 

Ronnie andava a frente de Barry, furioso, ele ignorava o Barry mandando ele esfriar a cabeça, chegou ao estádio e foi até a sala de Malcolm, chutando a porta ele entrou na sala.

- O QUE DIABOS VOCÊ TEM NA CABEÇA? – Pergunta gritando. – VOCÊ PRENDEU A JULIETTE?

- Sim, mandei prendê-la. – Ele diz calmo e se levantando da cadeira. – Joshua deu duro por esse time desde o começo dele eu o assisti dando tudo por ele e eu não vou deixar que essas duas infrinjam as regras desta maneira.

- Ela tem dois filhos, Malcolm, como pôde fazer isso? – Diz Barry enquanto Ronnie passa a mão nos cabelos. Malcolm dá de ombros.

- Ela poderia ter abortado. – Ronnie iria partir para bater em Malcolm, mas Barry o segura. – Já está feito, Ronald... Ela assinou um contrato de restrição e sigilo e não o cumpriu... Por isso foi presa. – Ronnie se solta de Barry e aponta o dedo para Malcolm.

- Isso não vai ficar assim... – Diz ele saindo da sala. Barry encara Malcolm e nega.

- O que, senhor Allen?

- Estamos começando a nova temporada de jogos e você faz isso? Como Ronnie vai se concentrar? – Malcolm deu de ombros.

- Ele pensasse nisso antes de se enfiar na Juliette... – Barry nega outra vez e sai atrás de Ronnie. – Ronnie... Calma... – Diz ele dando uma corridinha para alcança-lo.

- Calma? E se você, Barry? E se fosse a Caitlin que tivesse sido presa? – Barry respirou fundo nem quero imaginar a possibilidade. – Pois é... Mas a Julie está presa por algo que não tem sentido. – Ronnie passa a mão nos cabelos outra vez.

- Esfria essa cabeça e vamos até na casa delas, Caitlin está lá com os gêmeos e ela e as crianças mais do que ninguém precisam que sejamos fortes e que estejamos lá para eles. – Ronnie assentiu, Barry tinha razão, Caitlin e os gêmeos são os que mais sofreriam por essa história.

 

Ronnie e Barry adentraram a mansão e encontraram Caitlin dando a jantinha dos gêmeos, ela fazia o possível para não chorar, mas Barry sabia que ela definitivamente não estava bem. Quanto aos gêmeos, pareciam saber que algo estava errado, eles estavam bem quietos e com carinha de choro, assim que viram Ronnie, ergueram os bracinhos para o pai, que sentou ao lado de Caitlin e colocou os filhos no colo.

Após terminarem de jantar, Ronnie subiu para dar banho nos filhos deixando Barry e Caitlin na sala, a morena se jogou nos braços do namorado, que afagava seus cabelos.

- Eu não estou suportando isso, Julie melhorou tanto, ela finalmente tomou juízo e está se saindo tão bem, tanto no time, quanto sendo mãe, ela não merece isso Barry. - Ele beijou o topo da cabeça dela.

- Nós vamos tirá-la de lá, agora você precisa ser forte, Felipe e Aninha precisam de você. - Caitlin assente e limpa suas lágrimas. - Eu estarei ao seu lado.

Caitlin selou seus lábios, mas foram separados pelo choro dos gêmeos, ambos subiram as escadas até o quarto deles, Ronnie tentava acalmar os filhos quê choravam descompassados.

- Eles costumam mamar antes de dormir, eu tentei preparar a mamadeira, mas eles não quiseram. - Ronnie estava desesperado, ele não podia fazer nada para que seus filhos não sofressem. - Calma meus anjinhos, o papai também sente falta dela.

Caitlin apanha Aninha que deita no ombro da tia enquanto segura seu travesseiro, seu choro parecia cessar, enquanto Felipe estava inconsolável no colo de Ronnie, ele era um pouco mais sensível que a irmã e também era muito apegado à mãe, Ronnie abraça o Filho e franze o cenho ao tocar a testa do menino.

- Ele está quente. - Ele diz desesperado e Barry apanha o termômetro, depois do tempo indicado ele consegue ver a temperatura de Felipe, febre de trinta e nove graus. 

Caitlin arrumou a bolsa do sobrinho enquanto Ronnie e Barry trocavam a roupa deles, em seguida praticamente correram até o hospital. Após ser atendido, o médico de plantão examinou Felipe, ele não possuía nenhuma infecção nem nenhum outro sintoma, Caitlin explicou a situação e o médico então entendeu, Felipe estava com febre emocional, passou o antitérmico para ele enquanto a enfermeira colocava um pano úmido em sua testa. Ronnie segurava o filho no colo, mas o menino ainda choramingava.

- Mama, mama. - Todos encararam Felipe, era a primeira vez que ele chamava pela mãe, Ronnie se permitiu chorar enquanto beija a testa do filho.

- Meu filho, a mamãe não está aqui, mas ela te ama muito, você precisa ser forte, está bom campeão? - Felipe encarava o pai como se entendesse o que ele dizia. O médico internou Felipe e apenas Ronnie ficou no quarto com ele. Caitlin e Barry foram para a sala de espera já que Caitlin se recusava a ir embora. Caitlin ligou para mãe e explicou o que aconteceu, Carla foi o mais rápido que pode ao hospital.

Aninha já dormia no colo de Barry, Carla, após ter certeza que o neto estava estabilizado, vai para casa e leva Aninha. Felipe finalmente aceitou tomar o leite na mamadeira, por fim acabou dormindo nos braços de Ronnie.

       [...]

 

Cisco mexia em seus cabelos, exasperado, enquanto encarava Cynthia, ambos se sentiam mal. Eles não imaginaram que a notícia ia ter proporções tão grandes

- Cisco... - Ele se levanta e a abraça - O que fizemos? Isso passou dos limites, Juliette está presa por nossa causa, ela tem dois filhos pequenos, bebês. - Ela então desaba em lágrimas. - O menino está internado...

- Ei, calma. Nós vamos dar um jeito, e se apagarmos a matéria? - Cisco já não estava satisfeito com sua profissão há anos, Cat Grant distorceu toda a beleza e pureza do que significa ser um repórter, e Cisco estava cansado de viver sobre o molde dela.

- Não iria adiantar de nada. - Cisco limpa suas lágrimas. 

- Deve ter algo que possamos fazer.

 

 Eles foram ao horário de visita, onde Caitlin e Barry já estavam lá dentro e Felipe já estava melhor, mas ainda tristonho.

- Com licença... – A enfermeira entra e todos se viram para ela. – Há duas pessoas querendo entrar para ver o menino e conversar com o Sr. Raymond. – Eles se encaram de cenho franzido. Caitlin imaginou serem Sara e Snart, já que ambos estavam muito apegados aos gêmeos.

- Eles disseram o nome? – Pergunta Barry.

- Sim... Cisco Ramon e Cynthia Reynolds. – Caitlin torna a sua feição de dócil e preocupada, para fria e calculista ao ouvir tais nomes e furiosa sai da sala do hospital, Barry vai logo atrás.

- Como vocês têm a coragem de aparecer aqui? Meu sobrinho está com febre emocional porque sua mãe foi tirada dele, minha irmã está presa por culpa de vocês! - Caitlin esbraveja. Cynthia se permite chorar.

- Nós sentimos muito... - Cisco tenta se justificar, porém é interrompido. 

- Ah, jura? Agora vocês sentem muito? Desde sempre vocês infernizaram nossas vidas, nos vigiavam dia e noite esperando qualquer notícia, vocês destruíram nossas vidas, vocês são desprezíveis! - Caitlin diz tudo de uma vez, Cynthia começa a se sentir tonta e se apóia em Cisco. – Não tivemos descanso desde que nos mudamos e por causa de vocês... – Ela aponta o dedo para o casal. – Que estamos nessa situação. – Cynthia já não ouvia mais anda, ela cai para frente, mas Barry a impede de chegar ao chão.

- Cynthia, Cind? - Cisco se aproxima e a segura, Caitlin encara a cena preocupada, enquanto dois enfermeiros apareciam.

Cynthia passou por diversos exames até o resultado final, grávida, o médio informou para ela todos os cuidados que ela teria que ter com a gravidez dali por diante e ela fingia que prestava atenção, sua cabeça estava em outro mundo. Depois disso, o médico se retira da sala.

- Eu vou ser papai. - Cisco sorri e se aproxima da morena que estava deitada na cama hospitalar. Cynthia lhe acerta uma tapa e Cisco alisa sua cabeça. - Autch... Suas mãos são pesadas, não faz isso.

- Isso é culpa sua, eu disse que essa mania de gozar dentro iria acabar mal. - Cynthia estava emburrada, nunca passou por sua cabeça a idéia de ser mãe.

- Mas você não tomava anticoncepcional?

- Às vezes eu me esqueço de tomar ou acho que já tomei e acabo por realmente não ingerir, Droga. - Ele toca em seu rosto e sela seus lábios. - Cisco, eu... Não sei se consigo.

- Nós vamos conseguir, E amanhã vamos nos demitir. Vamos repaginar nossas vidas. Essa criança veio no momento certo, vamos deixar de fazer o que fazemos e vamos dar razão para esse pequeno humaninho sentir orgulho de nós. - Cynthia assente e enfim sorri, porém volta a se lembrar dos meses arrastando uma barriga, do parto, fraldas e da choradeira.

- Ai quê droga! - Cisco sorri dela resmungando ouviram batidas e autorizaram a entrada, pela porta passou Caitlin e Barry. - Ainda bem que vieram aqui, Cisco e eu vamos sair da coluna da Cat Grant e também vamos parar de conspirar contra as gêmeas Snow no blog. 

- Fico feliz em ouvir isso. - Caitlin sorri sincera. - Me desculpe pelas... Palavras, eu perdi o controle, minha irmã estava tão feliz e de repente... Tudo desabou assim, mas... Você está bem?

- Nós merecemos ouvir aquilo. - Cisco comenta. – Eu não pensei que chegaria a esse ponto, realmente me desculpem.

- Estou dentro do possível, mas me lembro que acabei de descobrir que estou grávida e volto a achar que é o fim do mundo.

- Grávida? - Barry comenta, sorrindo. – Parabéns.

- Obrigada... E se pudermos fazer algo para ajudar, pode recorrer a nós. - Cynthia diz e Barry e Caitlin assentem.

 

[[...]]

 

- Essa Laurel... Ela é boa mesmo? – Pergunta Carla à Sara.

- Sim... E não é porque é minha irmã... Mas foi ela quem resolveu o assunto Barry e Malcolm pensou e repensou sobre denuncia-lo pela quebra do contrato. – Carla assentiu. Ela sabia da história. Sara entrou no escritório de Laurel e a irmã rola os olhos, Sara sorriu. – Maninha... – Sara abre os braços.

- Qual o problema da vez? – Sara retira uma cópia do contrato que estava na casa de Juliette e dado por Carla, da bolsa e entrega à irmã. Laurel pega o contrato.

- Malcolm Merlyn, outra vez. – Diz Sara. – Precisamos que ache uma brecha nesse contrato.

- Me contem... – Ela pede começando a ler o contrato.

- Minha filha, Juliette Snow assinou esse contrato de restrição e sigilo... – Começa Carla. – O contrato tinha validade de cinco anos até ser renovado novamente, mas uma matéria foi publicada revelando a identidade do pai biológico dos meus netos. - Sara entrega o print impresso para Laurel e ela lê a notícia.

Laurel se concentra novamente no contrato e estava difícil achar uma brecha, não era como o contrato que Barry assinou, era mais detalhado e deixava claro que qualquer declaração sobre o envolvimento de Juliette com os jogadores, resultaria na prisão da mesma. Mas todo contrato tinha uma brecha e a advogada pretendia encontrar. Ela sorriu e encarou as mulheres à sua frente.

- Acabei de encontrar uma brecha. 


Notas Finais


Pobre Felipinho </3
Como que o Cisco conseguiu isso? E será que ele e Cynthia realmente vão mudar? Ou vão cair em tentação e permanecer na vida que levam? Aliás. TEM MAIS UM VINDO AÊ....
Façam suas apostas, o baby é Menino ou Menina?
E a brecha que Laurel encontrou? Será que vai dar certo?
_ @luamariano (meu anjo lindo)
_ @Ayanne-Allen
_ @SnowBarryBR (10x)
_ @Jujuzitah
_ @KFSnowbarry (3x)
_ @sabonetinha-san
_ @Gabs_scalia (3x)
_ @AneLyma

Obrigada por comentarem... Bem-vindos aos novos leitores e é isso mesmo. Volto sábado. Beijão.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...