História Sitteo, Nadie Como Tu - Capítulo 24


Escrita por:

Postado
Categorias Sou Luna
Personagens Matteo, Simón
Visualizações 181
Palavras 2.777
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ficção, Hentai, LGBT, Musical (Songfic), Romance e Novela, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Capítulo especial.
Sobre o passado do Simon com o Benício.
Capítulo com Lemon 🔥🔥🔥🔥
Boa leitura 😘😘😘😘

Capítulo 24 - Capítulo 24. Me Arrependo De Ter Te Amado, Nadie Como Tu


Fanfic / Fanfiction Sitteo, Nadie Como Tu - Capítulo 24 - Capítulo 24. Me Arrependo De Ter Te Amado, Nadie Como Tu

Simon parecia não conseguir encarar Matteo cara a cara.

Matteo, tenho vergonha desta parte do meu passado. disse Simon.

Tudo bem, se não quiser falar, não fale. disse Matteo com ignorância.

Não, você tem razão, é necessário te falar tudo. disse Simon.

Matteo se aproximou um pouco e se preparou para escutar tudo oque Simon estava prestes a dizer.

Foi tudo a 5 anos atrás. disse Simon.

Lembranças de Simon

Cancun, México

5 anos atrás.

Era mais uma manhã de tédio, tédio porque estava indo trabalhar como todos os dias, via as mesmas pessoas e andava pelo mesmo caminho, até parece que mesmo dia e estava fadado a se repetir e ser mesmo.

Estava cansado principalmente de ver a cara de lixo da Soraya, a general, é a chefe do Food Wheels, o lugar onde trabalho, ela era mandona e só pensava nela mesma, nunca tava nem aí pra ninguém, por isso nunca liberou ninguém mais cedo e nem dava folgas pra ninguém.

Estava chegando no Food Wheels, mais uma vez, encima da hora.

SIMON, quase se atrasou. disse Soraya.

Mas não me atrase. disse a ela.

Entrei no estabelecimento e fui ao vestuário colocar o uniforme de trabalho.

Apesar do Food Wheels ser um point Food muito frequentado por jovens, não há muitos jovens trabalhando lá, os únicos eram eu e o Benício.

Benício era um amigo de trabalho, estudamos juntos por dois anos, inclusive estamos na mesma classe este ano.

Ele é legal, e é muito engraçado também, é bonito, inteligente e muito popular entre todos que conhecemos.

Ei cara, a Soraya estava torcendo pra você se atrasar pra ter um motivo pra te demitir. disse Benício apoiando seu braço em meu ombro.

Hehe coitada, vai ter que me aguentar muito. eu disse a ele.

Benício gargalha pelo meu comentário.

Benício tinha uma voz gostosa de ouvir, sua mão era macia e senti-la segurar meu ombro era confortável e eu gostava muito.

Vamos antes que ela venha nos buscar. disse Benício.

Sim, vamos. disse a ele.

Benício e eu éramos bons amigos, quase inseparáveis, eu gostava muito dele, achava ele o máximo e tudo que ele fazia pra mim era legal.

Os dias passavam, eu e Benício estávamos planejando nossa primeira fuga, estávamos no ensino médio, e tínhamos 15 anos, por uns contatos o Benício conseguiu umas identidades falsas e eu iria pela primeira vez em uma boate.

Já estava tudo planejado, minha família acha que eu só ia fazer um trabalho de escola na casa de Benício e aproveitando já dormiria por lá.

Os pais de Benício estavam voltando para a Itália, e Benício estava vivendo com sua Tia, mas sua Tia estava também na Itália, por tanto estariamos sozinhos e ninguém nos proibiria de ir a boate.

Mais Tarde

Boate De Cancun

Na porta da boate

Benício e Simon já estavam prestes a serem os próximos da fila.

Ei Benício, tem certeza que não vão nos barrar, olha o cara desta foto, nem se parece comigo. disse Simon preocupado.

Benício sorri olhando para Simon.

Naquele sorriso eu senti que Benício não estava preocupado com nada, portanto eu poderia ficar calmo.

Me mostrem suas identidades. disse o segurança.

Benício e Simon entregam as falsas identidades para o segurança.

O segurança olha as identidades e em seguida olha fixamente aos rostos de Simon e Benício, Benício estava calmo e sereno, como se nada estivesse errado, já Simón fazia um sorriso forçado, aquele sorriso que a criança que apronta faz pra se finjir inocente.

O segurança sorri discretamente e devolve suas identidades.

Se divertam, é a noite do bate cabelo. disse o segurança.

Benício e Simon estavam entrando na boate.

Como assim noite do bate cabelo? disse Simon.

Como assim Simon, esse evento é lgbt, eu te avisei. disse Benício.

Oque? mas eu não sabia... quer dizer

.. não... é... vamos embora. disse Simon.

Aí para Simon, agora que a gente entrou vamos até o fim. disse Benício.

Simón olhava para os cantos e via várias dragqueens balançando o cabelo.

Música eletrônica alta, luzes coloridas de neon, e várias luzes piscando em todos os lados.

Wow, isso é incrível. disse Simon.

Pois é né, você ainda não viu nada. disse Benício.

Benício pegou na mão de Simon e o carregou até a pista de dança.

Na pista eles dançaram juntos bem colados, Simon finjia não gostar, mas durante uma esfregada no corpo de Simon, Benício pode perceber uma ereção.

Pov Simon

O Benício era incrível, ele despertava em meu corpo coisas maravilhosas, senti meu corpo tremer com uma insaciável vontade de apertar ele contra meu corpo.

Nunca havia sentido isso por nenhum outro garoto, nem por uma garota, em outras palavras, jamais havia beijado ninguém.

Eu não sei se sou Gay, sei lá, eu gosto de mulheres mas... tem algo que me chama atenção em alguns homens, e Benício tinha esse "algo" que tanto me deslumbra.

E enquanto dançávamos percebia isso cada vez mais.

Depois de dançar fui beber um pouco, também nunca tinha bebido, parece mágico o momento em que colocamos um gole de bebida com álcool na boca, não tem um gosto bom a princípio, pelo contrário, queima como se estivesse bebendo gasolina, mas algo dentro de mim se sente realizado, um desejo de beber, algo que demonstrasse ser prova de que atingi a maturidade suficiente para ser um homem.

Benício seguia na pista, parece que nada nem ninguém atrapalha seu momento de brilhar na pista, eu gosto disso nele, ele é único.

Já podia sentir após uns minutos, sentia que já existia mais álcool em minhas veias do que sangue, a luzes de neon se misturavam, sentia minha cabeça pesada como se existisse uma grande âncora acorrentada a ela.

Minha visão embaça e eu me aproximei lentamente de Benício e o abraçei.....

Abri meus olhos lentamente, minha cabeça tava estourando, ao recuperar completamente a visão que estava embaçada, vi o teto do quarto de Benício.

Me levanto de uma só vez e minha cabeça parece explodir.

Aí, minha cabeça. disse Simon.

Simon olhou pros lados e percebeu que havia dormido na cama de Benício.

Bom dia flor do dia. disse Benício entrando no quarto.

Benício, oque ouve ontem? perguntou Simon.

Você bebeu muito. disse Benício.

E eu desmaiei? disse Simon.

Não, não se lembra de nada, você ficou acordado a festa inteira. disse Benício.

Oque? mais não me lembro de nada. disse Simon.

Você fez loucuras ontem, se jogou contra o chão, subio nas mesas, mexeu com os outros, e outras coisas. disse Benício.

Outras coisas? Benício, eu fiquei com alguém? perguntou Simon.

Não, pelo menos eu não vi, porque teve vários momentos em que você deu perdido. disse Benício.

Aí, e agora. disse Simon.

Calma, você não transou com ninguém por lá, tenho certeza de que nem beijou alguém. disse Benício.

Tomara que não tenha mesmo, quantas horas? perguntou Simon.

Bem, quase na hora de sair pro trabalho. disse Benício.

Algumas horas depois

Já estamos trabalhando à horas, o Food Wheels estava lotado, Benício trabalhava como garçom e eu nas entregas com os patins.

Já não estavam pedindo entregas, mas Benício estava a todo momento ocupado, e o pior é que eu nem poderia ajudar já que a Soraya exigia que eu estivesse disponível pra qualquer entrega que pudesse ser pedida.

Aí... hoje o dia tá puxado. disse Benício se esgotando no balcão.

Pois é, aqui tá bem lotado hoje, de manhã eu tive que fazer várias entregas mas agora tá calmo. disse Simon.

Eeei, garçom. disse um senhor estralando os dedos chamando Benício.

Já vai. disse Benício indo até a mesa do cliente.

Aproveitei que não estava com trabalho nenhum pra fazer e fui visualizar algumas fotos do meu telefone, já que sei que tirei algumas fotos.

Nas primeiras fotos estavamos na casa de Benício com o look de balada, umas na fila da boate, e até algumas lá dentro, mas de algumas fotos a frente encontrei fotos que não me lembro de ter tirado.

Tinha várias fotos selfies, mas umas me chamaram atenção, várias fotos com o Benício e alguns vídeos com ele também.

Em um desses vídeos, eu estava atrás de Benício, sarrando minha vara em sua bunda, esse vídeo me excitou apenas de olhar.

Olhei pros lados e não tinha ninguém, mas tive medo de ser pego, então fui até a dispensa.

Acho que ninguém vai me ver aqui. disse Benício.

Escondendo atras de um armário, Simon abre o zíper de sua calça e abaixa sua calça junto a sua cueca, Seu pênis completamente ereto salta pra cima, Simon coloca o vídeo pra repetir e começa a se masturbar.

Já estava me masturbando há uns minutos, estava gemendo o mais baixo possível pra que ninguém me escutasse.

Estava gemendo o nome de Benício.

Você está se masturbando? e dizendo meu nome? disse Benício que apareceu de repente.

Oque? Benício... não é nada disso.. é. disse Simon.

Calma. disse Benício olhando pra mim com um sorriso cômico, como se tivesse achando a cena engraçada.

Olha me perdoe. disse Simon.

Na hora que Simon estava tentando levantar sua calça, Benício viu o vídeo deles ser reproduzido no celular de Simon.

Você está se masturbando enquanto vê esse vídeo? disse Benício.

É... quer dizer... não, não. disse Simon.

Quando Simon levanta sua calça, Benício a segura pra que Simon não a feche.

Que foi Benício? porque está segurando minha calça? perguntou Simon.

Shhh. Benício pediu silêncio colocando seu dedo indicador em meus labios, e com a mão que estava segurando a calça, aperta meu pênis e começa a me masturbar.

Benício, oque você tá fazendo? perguntou Simon.

Você não quer? respondeu Benício com um sorriso bem malicioso.

Ah, quero... quero sim. disse Simon.

Ao ouvir isso, Benício se agachou frente a Simon e enfiou o pênis de Simon completamente em sua boca.

Simón deu uns pequenos e baixos gemidos enquanto Benício o chupava inteiro.

Após uns minutos, Simón já estava gemendo alto, Benício seguia chupando seu membro.

Aí, Benício tá vindo. disse Simon, após uns instantes a boca de Benício se enche do esperma de Simon, Benício engole o esperma e beija Simon, que retribui o beijo apaixonadamente.

Vamos voltar antes que dêem falta de nós. disse Benício voltando pro Food Wheels.

Simon suspirou fundo e sorriu.

Depois de uns Minutos.

Pov Simon

O Food Wheels continuava lotado, Benício trabalhava atendendo um cliente atrás do outro, eu já estava recebendo mais entregas pra fazer, até que voltei de uma entrega e Benício estava no balcão esperando o próximo cliente o chamar.

Voltou rápido Simon. disse Benício me olhando com uma cara animada.

Sim, sou um flash encima dos meus patins. disse eu me gabando.

Olha eu tenho um convite pra você. disse Benício.

Ah é, oque? perguntei a ele.

Vamos até a praia mais tarde? disse Benício.

Até a praia, mas a gente larga serviço as 18hrs, nem dá mais pra pegar sol. eu disse a ele.

Não é pra pegar sol, é pra passar a noite lá. disse Benício.

Passar a noite, na praia? disse pra ele.

É Simon, não me diga que você mora e cresceu aqui em Cancun e nunca passou uma noite na praia. disse Benício.

Tá bom, te encontrar lá. disse a ele.

Beleza, vou estar te esperando.

Terminamos nossa carga horária e voltei pra casa, iria passar a noite na praia, estava tranquilo, pois deve ser como acampar, e eu já havia acampado várias vezes com meus amigos.

Já estava escuro da noite, já havia chegado a praia, não era bem iluminada por luz elétrica, mas a luz da lua permitia enxergar tudo ao meu redor, inclusive Benício, estava sentado sobre um grande lençol jogado ao chão, estava muito longe, em uma área da praia que é deserta, ao vê-lo caminhei até ele.

Oi. disse a ele.

Ei, que bom que você veio. disse Benício.

Sentei ao lado dele e apreciei a vista do mar de onde estava, Benício havia escolhido um excelente lugar, além de vazio e cheio de paz, era também lindo de se ver.

Éh Benício, porque me chamou aqui? perguntei a ele.

Sei lá... queria criar uma cena especial pra nós dois. disse Benício.

Nós dois? éh.... falando em nós dois, Benício oque aconteceu hoje mais cedo foi um erro, não podemos voltar a cometer este erro. disse a ele.

Tem certeza Simon, você não me quer? disse Benício se deitando lentamente sobre o lençol.

Não é isso... e não, eu não quero... o fato é que estamos errando achando que você e eu pode rolar alguma coisa. disse a ele.

E oque rolou hoje mãos cedo, não foi gostoso. disse Benício.

Não... eu não queria aquilo. disse Simon gaguejando pois era mentira.

Ah não queria, não foi isso que eu percebi na hora. disse Benício.

Foi você que foi até meu pênis e me chupou, eu não fiz nada. disse Simon um pouco vergonhoso.

Ah é, então desta vez eu é que não vou fazer nada. disse Benício tirando sua própria roupa.

O... Oque... Q... você tá fazendo? perguntei muito assustado de que alguém nós veja.

Calma, ninguém vai nôs ver. disse Benício alisando seu corpo, chamando a atenção de Simon.

Para, já sei oque está fazendo, está me seduzindo, pra dizer depois que aconteceu algo mais você não fez nada. disse Simon.

Já disse que eu não vou fazer nada. disse Benício totalmente pelado sobre o lençol.

Benício estava completamente nú sobre o lençol, seu corpo estava sendo iluminado pela luz da lua naquela noite escura, eu estava ficando tão excitado que meu pênis já estava consideravelmente duro, causando um volume monstruoso em minha bermuda, parecia que ele estava agindo por conta própria, querendo explorar o interior de Benício, já não estava aguentando de desejo, o corpo sensual de Benício estava literalmente se entregando a mim naquele momento,e meu pênis já estava tão duro que o volume empurrava o zíper da bermuda e eu sentia como se o botao da bermuda fosse sair voando.

Não pude resistir, rapidamente aguarrei o pescoço de Benício e o beijei, Benício não fez sequer um movimento, aproveitei o momento e retirei todas as minhas roupas, ficando completamente nú, aguarei Benício pelos meus braços e o trouxe are mim.

Ei, chega né, se você não quiser fazer nada fique quietinho, mas eu vou fazer isso... por bem ou por mal. disse Simon beijando o pescoço de Benício loucamente, alisando os cabelos de Benício que suspirou baixo para esconder sua vontade de gemer.

Ei Benício, eu quero te penetrar. disse Simon sussurrando no ouvido de Benício.

Benício ficou calado e fingiu desinteresse na vontade de Simon.

Bem, eu te disse, seria por bem ou por mal. disse Simon colocando Benício de quatro sobre o lençol, apesar de não contribuir, Benício não lutava contra Simon.

Tá preparado? perguntou Simon sem receber resposta alguma.

Simon por brincadeira relou seu pênis na entrada de Benício, enfiando apenas a cabeça e parando, pra seguir apenas relando, ao perceber que Simon não estava o penetrando Benício foi arredando seu trasseiro mais próximo de Simon, entretanto Simon continuou brincando com Benício, o enchendo de desejo.

Simón continuou com sua brincadeira, até que em um momento em que novamente enfiou a cabeça de seu pênis em Benício, ele deu um pulo pra trás, enfiando todo o comprimento de Simon dentro dele, Benício deu um grito que foi parado por Simon, que enfiou dois dedos em sua boca.

Opa, pensei que você não fosse fazer nada. disse Simon.

Cala a boca e me fode. disse Benício.

Simon começou a estocar seu pênis em Benício de forma brusca e violênta, Benício tentava gritar mais não podia, já que os dedos de Simon estavam em sua boca, Simon apoiou seu corpo sobre o de Benício, fazendo os dois caírem sobre o lençol, com o impacto da caída Benício sentiou o pênis de Simon ir mais fundo em seu interior, Simon seguia penetrando Benício sem nenhuma delicadeza.

Ah.... Simon... para, eu... não... agu... a.. a.. aguento mais... aahh. gemia Benício.

Os gemidos de Benício deixavam Simon mais excitado, Simon continuou penetrando Benício com força até que encheu o interior de Benício com seu esperma, ao sentir que Simon havia gozado dentro de si, Benício caiu em cansaço.

Simon poxou o corpo de Benício pra cima do seu e apoiou sua cabeça encima de seu peitoral.

Simon, você é otário mais gostoso que eu já amei na vida. disse Benício.

Eu também te amo, essa foi a melhor noite da minha vida. disse Simon puxando Benício pra mais perto, Simon e Benício dão um beijo quente e apaixonado.

Alguns dias depois Benício roubou o dinheiro da caixa registradora do Food Wheels e colocou a culpa em mim, eu fui demitido, nunca mais quis ver a cara dele, depois foi provado que ele era o ladrão, Soraya o demitiu, e me recontratou, depois disse nunca mais o havia visto, até ano passado quando ele chegou de repente no loft, e tentou pegar meu lugar na banda, e essa é toda a história que eu tenho com o Benício.

Não acredito que Benício foi capaz de te acusar pra não ser pego roubando. disse Matteo.

Eu o odeio, e é por isso que nunca teria coragem de beijar ele novamente, Matteo você precisa acreditar em mim. disse Simon.

Eu... não sei, preciso de um tempo. disse Matteo.

Mais quanto tempo? disse Simon.

Eu não sei, eu só preciso de tempo. disse Matteo se retirando deixando Simon sozinho.

Benício, como eu te odeio com todas as minhas forças, eu vou fazer você pagar por tudo oque você me fez sofrer. disse Simon apertando seu punho direito.


Notas Finais


#AguenteSitteo
Logo logo posto mais um capítulo.
Hasta la vista amiguitos (as)
❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...