História Six Days. - Capítulo 29


Escrita por:

Postado
Categorias Apink, Bangtan Boys (BTS), Got7, Monsta X
Personagens BamBam, Hyung Won, I'M, Jackson, JB, Jinyoung, Jung Eun-ji, Jung Hoseok (J-Hope), Ki Hyun, Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Mark, Min Hyuk, Min Yoongi (Suga), Park Cho-rong, Personagens Originais, Show Nu, Won Ho, Yoon Bo-mi, Youngjae, Yugyeom
Tags 2jae, Got7, Jackbum, Markjin, Markjinson, Yugbam
Visualizações 76
Palavras 1.553
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


oi oi olá

Capítulo 29 - Vigésimo nono.


— Jackson! — Bambam berrou do portão, gritando pelo chinês que encontrava-se largado na cadeira de descanso da varanda. — O que está fazendo aí sozinho? 

A pergunta soou impaciente. Jackson cruzou os braços, dando de ombros a final. Não havia muito o que fazer na areia quando não gostava desta. Sem contar que havia acordado com um enjôo imenso e o receio de que algum dos garotos notassem seu mal estar o parava. Não queria bem estragar os planos deles para àquele dia apenas por seu mal estar bobo e inoportuno. Podia bem lidar com aquilo pelo restante do dia ou até que passasse, não era? Então, não haveriam ademais problemas.

Jinyoung suspirou, erguendo-se do chão para logo caminhar para dentro a passos lentos. Mark seguiu o namorado, agarrando a mão deste quando entraram juntos na casa. Jackson continuava da mesma forma, daquela vez, encarando o chão. Os namorados pararam à sua frente, ambos com os braços cruzados e as sombrancelhas arqueadas. O mais novo os encarou, sorrindo sem jeito logo após. Nada mudava, o olhar de ambos os rapazes ainda teriam imensa influência sobre si, por vezes, deixando-o envergonhado.

— O que você tem? — a pergunta veio de Mark, que encontrava-se ao seu lado direito. Jackson o encarou, piscando debilmente. — Jackson?

— Nada. — a resposta fora baixa ao que o chinês inquieto abaixava o olhar para as próprias mãos. — Exatamente, nada.

— Então, por quê está aqui quando estamos todos para lá? — Jinyoung também mostrava-se sério.

— Eu não gosto da areia. — respondeu, ainda baixo. — E eu não estou sentindo-me bem.

— O que você tem? — o Tuan sentou-se a sua frente, cruzando as pernas. — Está com alguma dor?

— Não. — o Wang balançou a cabeça para os lados, mordendo o lábio inferior. — Apenas enjôo.

— Por isso colocou o café da manhã para fora? — o moreno também sentara a sua frente. O baixinho concordou, acanhado. Odiava preocupar as pessoas. — Quer algum remédio?

— Não. — voltou a negar, daquela vez, coçando os olhos. — Está tudo bem.

— Irá ficar passando mal? — o americano cruzou os braços, ainda sim, sério.

— Mark, está tudo bem. — Jackson sorriu curto. — Não se preocupem.

— Então, vamos para a areia. — Jinyoung levantou-se, ajudando o Tuan a fazer o mesmo para posteriormente, estender a mão ao Wang, que suspirou antes de entrelaçar os dedos aos dele e levantar-se também. — Bambam não parava de encher.

— Eu estou perto de socá-lo. — Mark fez uma careta, agarrando ao braço direito do chinês, que riu baixo. — Como pode ser tão agitado?

— Ele é legal. — Jackson fechou os olhos por curtos segundos, balançando a cabeça para os lados seguidamente. — Muito, aliás.

Os meninos permaneceram quietos e largaram seu braço assim que juntaram-se aos outros na areia. O chinês fez uma careta ao sentar-se, tendo a cintura agarrada pelo amigo tailandês que ria de algo dito por um Yugyeom irritado. Deixou de prestar atenção em ambos, rodando o olhar. Youngjae dividia uma casquinha de sorvete com Jaebum e ambos riam de algo que sussurravam, como um perfeito casal de namorados. Ao lado deles, tinha um Hyungwon emburrado e Jackson só fora entender o motivo ao ver Hoseok um tantinho mais distante mexendo no celular. Riu baixo. Bambam e Yugyeom eram os únicos a fazerem enorme barulho, agitados como era.

O chinês revirou o olhar, encarando os namorados que conversavam mais distante de si. Sorriu mínimo. Mark mostrava-se irritado com algo que Jinyoung fazia e fugia continuamente do toque dele, causando assim, graça no outro. Encarou-os durante um longo tempo, tendo de desviar o olhar ao ser retribuído. As bochechas queimaram e o baixo não precisou de muito para saber que certamente estava corado. Bocejou, coçando os olhos ao final. Sentia sono, mas sabia que não podia bem entrar para dormir.

Os garotos haviam chegado cedo pela manhã e falantes como eram, acordaram-no com as falas e risadas exasperadas. De certo, ficou zangado. Jackson era bem uma pessoa que não podia ter o sono interrompido e menos ainda poderia acordar com gritos, caso contrário, ficaria com um humor horrível. Bom, ao que parecia, ninguém importava-se com aquele fato, visando que haviam o acordado aquela manhã a berros de um tailandês irritado e um coreano escandaloso. Lembraria-se de não permitir que Youngjae e Bambam não ficasse tão juntos cedo.

O pôr do sol logo cairia e por mais que desejasse apreciar a visão e a calmaria que viria com ele, já começava a incomodar-se com a areia, que irritava suas pernas e àquela altura, braços também. Jaebum não demorou a irritar-lhe, murmurando algo sobre pele sensível que de certo, nenhum dos outros exceto Bambam, entenderia. O loiro riu, mostrando a língua ao amigo antes de fechar os olhos, coçando-os novamente.

— O que vocês farão quando sairmos daqui? — Youngjae perguntou baixo, encarando os amigos.

— Em que sentido? — Jinyoung o questionou, deixando de dar atenção ao um Mark emburrado ao seu lado, que apenas emburrou-se mais com a atitude do Park.

— Não sei. Não é estranho pensar que seremos todos adultos? — o Choi riu baixo. — Teremos de nos sustentar, procurar faculdades, agirmos corretamente.

— Mas, sem perder a essência. — Jackson ditou baixo. Os garotos o encararam confusos. — Qual graça teria de crescer e deixar de ser quem somos e quem aprendemos a ser pelo peso da idade? Por quê mudar apenas por ter tornado-se mais velho, pelas responsabilidades terem crescido a níveis grandíssimos?

— Eu ainda não entendi. — Bambam murmurou, tendo uma careta na face. O loiro riu.

— Passamos por três fases, não? A infância deve ser a melhor delas, ainda somos totais inocentes e ainda pensamos grande sendo tão pequenos. A adolescência vem e traz consigo problemas extensos; baixa auto estima, falta de sonhos, ausência de vontades, frustrações. Todavia, ainda é boa, pois vivemos. Mas, e quando adultos? Estes problemas podem aumentar ou diminuir, não é nós quem decidimos? Pense que se não tivéssemos largado a nossa criança interior lá atrás, hoje seríamos plenamente satisfeitos com os ensinamentos.

— Então, se largarmos nossos adolescentes agora, seremos adultos frustrados? — Youngjae também mostrava-se confuso. Jackson acenou e negou, confundindo-o ainda mais.

— É meio termo. — sorriu curto ao falar, voltando a bocejar. — Não tem uma música que fala: "cresça mais não perca a sua essência"? Ou: "seja para sempre jovem"?

— Tem. — Jaebum respondeu, tão confuso quanto.

— Onde você quer chegar? — Hyungwon questionou-o.

— Respondendo a pergunta do Youngjae; eu irei crescer. Mas, não necessariamente irei. Crescerei aqui, mas serei sempre o mesmo Jackson aqui. — apontou a cabeça e posteriormente, o coração. Mark sorriu.

— Você é incrível. — murmurou baixo, atraindo a atenção do loiro. — Imensamente, incrível.

— É verdade. — Jinyoung também sorria. — Continue assim sempre.

— Mas, Jackie. — Bambam o chamou, risonho. — Você não irá crescer.

Os rapazes desataram em risos, causando assim, o riso do chinês que não conteve-se ao acertar um tapa fraco no amigo ao seu lado. O tailandês protestou, rindo. Jackson negou com a cabeça e levantou-se, murmurando algo sobre a areia estar irritando imenso sua pele. Não era ao todo mentira, visando que a pele já encontrava-se avermelhada em certos pontos. Todavia, o motivo central era seu enjôo que apenas piorara ao sair para fora. Talvez, dormisse por longas horas após banhar-se.

Ao chegar ao quarto, o chinês procurou por roupas limpas e após achá-las, pegou a toalha e foi ao banheiro, onde despiu-se e banhou-se. Ao sair já vestido, encontrou com Mark e Jinyoung na cama. Ambos dormiam agarradinhos e se quer mexiam-se. Aproveitou e tirou uma foto, sorrindo ao que observava-os. Totalmente fofos. O coração como o comum, aqueceu-se diante tal cena, o que levou o Wang, a apertar as mãos em um gesto eufórico. Estava ali o motivo claro da sua euforia e alegria constante.

Sentou-se na beirada da cama, encarando-os. Quando haviam ido para o quarto? A dúvida perdurou na cabeça do loiro por alguns segundos, até que totalmente vencido pela necessidade incessante de dormir, deitou-se no espaço vago entre os dois corpos, fechando os olhos. Não demorou para que Mark o abraçasse por frente e Jinyoung por trás, ambos com os corpos quentes e cheirosos. Certamente, haviam tomado banho em algum outro banheiro. Dormiu pouco depois.

— Porra, Mark! — a voz de Jinyoung soou irritada. Confuso e zangado pelo sono ter sido interrompido, Jackson sentou-se na cama, coçando os olhos seguidamente. Encarou os rapazes perdido. — Você não pode conter a porra dessa raiva em algumas horas? Caralho!

— Eu avisei. — Mark também estava irritado, apesar de aparentemente mais calmo. — Ele é irritante!

— O que houve? — Jackson murmurou meio grogue, tendo o cenho franzido. Ambos os rapazes o encarou.

— Mark agrediu Yugyeom. — a voz do moreno era mais calma. — Mas, ele está bem.

— Por quê? — o chinês tossiu fraco, espreguiçando-se.

— Ele é irritante. — Tuan deu de ombros,largando-se ao seu lado. — Desculpa por termos acordado-te.

— Sem problemas. — o Wang sorriu ao sentir os lábios alheios contra os seus, segurando no rostinho do Tuan para que pudessem intensificar o ósculo. Cessaram assim que a terceira presença mostrou-se incomodada.

— Injustiça. — Jinyoung protestou em falsa mágoa. — Eu também quero beijinhos.

Os rapazes riram, puxando-o para perto e o enfiando de alguma forma naquilo que haviam iniciado.


Notas Finais


provável que saía outro ou amanhã depois, uns dois dias e será totalmente voltados aos nossos outros casais :)

até!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...