História Six Days Of Heat - Capítulo 17


Escrita por:

Postado
Categorias One Direction
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Personagens Originais, Zayn Malik
Tags Abo, Alfa, Beta, Harry Styles, Larry, Larry Stylinson, Liam Payne, Louis Tomlinson, Ltops, Mpreg, Narry, Niall Horan, Nouis, Nourry, Ômega, One Direction, Zayn Malik, Zbottom, Ziam, Ziam Mayne
Visualizações 231
Palavras 2.870
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Ecchi, Famí­lia, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Maratona 2/3

Capítulo 17 - Stuck On You


***

A família já estava acomodada quando Ailee e Ruth deixaram a cabana, a alfa deveria leva-la para casa para que ela pudesse pegar alguns pertences, os pais da ômega haviam falecido muitos anos antes e ela não tinha parentes próximos vivendo com ela, então ela não levou mais do que dois segundos para decidir seguir aquela família esquisita para qualquer lugar que eles fossem, principalmente considerando um certo par de olhos castanhos-esverdeados pelos quais estava perdidamente apaixonada, mesmo que não gostasse de admitir.

Karen e Trisha se encaravam de forma não muito amigável e não conversavam mais do que o necessário, as duas nutriam um incômodo sentimento de frustração diante da impossibilidade de proteger as próprias crias e culpavam uma a outra, além, é claro, de lembrarem-se sempre que o último encontro entre as duas não havia sido nem um pouco amistoso.

Liam e Zayn estavam no quarto, o ômega dormia pesadamente enquanto o alfa protegia seu sono, era como se não pudesse, de forma nenhuma, pregar os olhos. Isso poderia custar a vida das pessoas que mais amava, então ele não dormiria, ficaria acordado, cuidando de sua família, porque era isso que devia fazer. Estava sentado em uma desconfortável cadeira de balanço que ficava próxima a janela, sua atenção estava voltada para qualquer movimento do lado de fora, até ouvir um suave ronronar.

- Hmm... Leeyum... - o alfa ergueu uma sobrancelha ouvindo seu ômega grunhir baixinho.

- Zee? - se aproximou da cama, sentando-se ao lado de Zayn e tentando acorda-lo, ele provavelmente estava tendo um pesadelo. - Zee...?

- Hmm... - Malik apertou os olhos fechados e mordeu o lábio inferior.

- Zee! - disse um pouco mais firme e passou as pontas dos dedos pela testa do ômega, constatando que sua pele estava um pouco febril.

Payne puxou o cobertor para fora do corpo de Zayn, que estava começando a suar. Seus olhos se fixaram um pouco abaixo do umbigo do ômega, em seu membro parcialmente ereto marcando a calça de moletom e um sorriso safado brotou em seu rosto. Será que ele estava tendo um desses sonhos explícitos? Mordeu o lábio, tentado a tocar o corpo obscenamente curvilíneo do moreno adormecido e usando de uma força sobrenatural para não fazê-lo.

Prestando um pouco mais de atenção, o alfa percebeu que Malik estava gostoso em um nível que ele não podia assimilar. Os quadris ainda mais avantajados, a bunda parecia ainda maior. E lá estava ele, deitado com o tronco e as tatuagens a mostra, a pele morena exalava um cheiro ainda mais forte, será que eram os hormônios?

Zayn se moveu desconfortável, o volume entre as pernas o incomodava. Liam ergueu-se um pouco, dando espaço para que ele se movesse. Antes que pudesse fazer algo para impedir, o ômega levou a mão diretamente para a origem de seu desconforto. Os olhos castanhos do alfa brilharam e ele sentiu o próprio membro repuxar em suas calças.

- Leeyuuum... - Zayn gemeu arrastado em meio ao sono.

Payne curvou-se o suficiente para encostar os lábios aos de Zayn, suavemente. A agitação do ômega diminuiu um pouco, a testa franzida deu lugar a uma expressão calma e ele retirou a mão do próprio membro estendendo-a sobre a cama. O alfa se levantou, sorriu ladino, encarando o moreno enquanto desabotoava calmamente a camisa branca que usava, desabotoou os jeans e a peça acompanhou a camisa que havia sido dobrada e colocada sobre a cadeira que antes ele ocupava.

Sorrateiramente, Payne se enfiou embaixo dos cobertores, deitando-se ao lado de Zayn e o envolvendo com um dos braços. Levou os lábios até o lóbulo da orelha do ômega, começando a beija-lo calmamente. Beijinhos rápidos, enquanto a mão acariciava a barriga um pouco aparente. Prendeu aquele pedaço de carne entre os lábios, chupando-o de forma lenta, passando-o por seus dentes, prendendo-o ali.

- Aahh... Lee... - curiosamente, Malik ainda não havia acordado, e, vocês sabem o que dizem sobre interromper sonhos como o que ele estava tendo...

- Eu estou bem aqui, babe. - a voz rouca e baixa, sussurrada ao pé do ouvido, fez todos os pelos do corpo do ômega se arrepiarem. - Você é tão lindo, Zayn. Tão lindo...

Passou a beijar-lhe o pescoço, mordendo e chupando o que conseguia da pele do ômega. A mão que antes acariciava a barriga já havia migrado para um dos mamilos e trabalhava intensamente, puxando e apertando. Zayn arfou, abrindo os olhos um tanto confuso, parecia o sonho mais real que ele já havia tido. Piscou diversas vezes e em um ato reflexo, suas mãos se embrenharam nos cabelos do afa, que lhe mordia o pescoço sem trégua.

- Ahhh... Liam...

Voltou a fechar os olhos quando se deu conta de que o que havia começado como um sonho, acabara de se tornar realidade. O alfa ergueu-se na cama, movendo-se para cima do ômega que abriu as pernas para recebe-lo. No minuto seguinte as bocas já se procuravam em desespero, quando finalmente se encontraram, não houve tempo, o ômega entreabriu os lábios deslizando a língua para dentro da boca alheia, se agarrando ao cacheado com braços e pernas.

O beijo era urgente e, por mais que o alfa tomasse cuidado com a "bolinha de golf" que ainda não tinha nome, ele não era muito bom em se controlar, pelo menos, não com Zayn. Uma das mãos desceu pela lateral do corpo pequeno e agarrou-se à coxa farta e redonda, apertando o suficiente para que o ômega quase pudesse sentir os dígitos através do algodão do moletom.

Payne interrompeu o beijo, enfiando o rosto no espaço entre o pescoço e o ombro do ômega, lambendo a pele que já estava muito suada. O cheiro e o gosto de Zayn não deixavam o pobre alfa respirar corretamente, estava tão entrecortada, rápida e alta que ele quase sentia falta de ar. Movia o quadril entre as pernas do rapaz, o suficiente para sentir o próprio membro roçar o tecido da cueca que usava. Era torturante.

O ômega não estava em heat, claro que não, mas era óbvio, se ele ficasse excitado, ele ficaria molhado, e, considerando a loucura hormonal dentro do seu corpo, ele estava sensível, tanto quanto se estivesse no cio.

- Tira. - o ômega sussurrou agoniado, agarrando o membro do alfa sobre o algodão da boxer, massageando-o como podia.

O alfa apoiou as mãos sobre o colchão, uma de cada lado da cabeça do ômega, enquanto ele enfiava as mãos dentro da sua cueca e agarrava o membro necessitado de seu alfa, arrancando dele um gemido baixo e contido. Zayn ergueu o tronco da cama, ocupando-se com a pele branca do pescoço do alfa, beijando, lambendo, mordendo, espalhava marcas arroxeadas, enquanto masturbava o membro do cacheado com as duas mãos.

Pressionou o polegar sobre a glande inchada, espalhando pré-gozo por ali, enquanto com a outra mão massageava as bolas entumecidas. Liam apertou os olhos fechados, tombando a cabeça para frente, sentindo os dentes de Zayn rasparem sua pele e seus dedos habilidosos se moverem sem descanso. Moveu o quadril contra a mão do ômega e gemeu alto quando ele fechou os dedos, pressionando.

Com pressa, o ômega fez Liam se ajoelhar sobre o colchão, os lábios finos de Zayn prederam-se à barriga e os dedos se agarraram à cintura alheia. O alfa mordeu os lábios e enfiou os dedos nos fios lisos e castanhos do seu ômega enquanto admirava a trilha de saliva deixada por ele.

- Ah... Zayn... - fechou os olhos e suspirou aliviado quando sua cueca foi puxada para baixo e seu membro saltou para fora.

Sem muita demora, Zayn deslizou a língua sobre o membro do alfa, enfiando-o todo em sua boca logo em seguida. Mantinha os olhos fechados enquanto lambia e sugava o pênis do cacheado. Mais do que satisfazer o seu alfa, o ômega satisfazia a si mesmo. Liam mal podia conter os gemidos desesperados que lhe escapavam dos lábios, era insano demais admirar enquanto o pequeno o sugava sem interrupções.

- Zayn... Babe... Para... Eu não vou durar... Ahh... Não vou durar muito... Zayn...

O ômega ergueu-se, ajoelhando-se no colchão e deixando o membro do alfa escapar dos seus lábios enquanto deslizava a língua pelo corpo alheio, com as duas mãos, Liam segurou o rosto de Zayn, fazendo-o encara-lo nos olhos. Os lábios finos estavam parcialmente inchados e excessivamente vermelhos, as bochechas estavam coradas e a franja colava-se a testa.

O moreno tentou se aproximar do alfa, mas, foi impedido pelas mãos que o forçavam a manter-se longe dos lábios carnudos que tanto sentira falta. Mesmo assim, Liam não podia perder a oportunidade de admirar a beleza daquele ômega, não com ele tão perto, ele não sabia se veria aquele rosto novamente, precisava guardar aquela imagem, porque não havia nada mais bonito.

- Me beija, por favor. - conseguiu se livrar das mãos firmes em seu rosto, colando o próprio corpo ao do mais novo, envolvendo-o em um abraço necessitado. - Liam, por favor.

Atendendo à súplica do mais velho, o alfa tomou os lábios entre os seus, voltando a enfiar os dedos nos fios castanhos, mantendo os rostos colados, sentindo as unhas curtas marcarem suas costas. Era irreal. Isso, essa era a palavra certa, irreal. Não havia nada no mundo que o fizesse se sentir melhor ou mais feliz. Completo, talvez? Sim, completo.

As bocas pareciam se encaixar, os corpos idem, as mãos foram feitas apenas para tocar o corpo um do outro, porque não havia outro par de mãos em Bradford que causasse uma sensação que fosse remotamente parecida com aquela. E lá estavam eles, mordendo-se, lambendo-se, conhecendo um ao outro da forma mais íntima.

Cuidadosamente o ômega foi colocado sobre a cama, o alfa deitou-se sobre o corpo pequeno, certificando-se de não depositar todo o peso sobre ele. Voltou a erguer-se, retirando a última peça de roupa que ainda o cobria, fazendo o mesmo com as peças que mantinham Zayn longe dos seus olhos. Demorou-se tempo demais admirando a figura, quando o moreno, envergonhado, cobriu a pequena protuberância em seu ventre.

- Não... Não faz isso... - delicadamente o alfa substituiu as mãos pequenas pelas suas e logo por seus lábios em um beijo carinhoso - É perfeita, amor... - passou a distribuir beijos sobre a sua "bolinha de golf", tentando daquela forma demonstrar o quanto Zayn estava lindo e não devia, de jeito nenhum, envergonhar-se.

Zayn enfiou os dedos sobre os fios de seu alfa, mordendo os lábios e sorrindo, deixando-se ser acariciado daquela forma tão carinhosa. Lentamente, os beijos foram levados por todo o tronco do ômega, a saliva dos beijos excessivamente molhados misturava-se ao suor que cobria a pele morena. Interrompeu o percurso, prendendo um dos mamilos em seus dentes, mordendo-o e chupando-o o quanto conseguia.

- Ah... Lee... - fechou os olhos, segurando a maior quantidade de fios de cabelo que conseguiu.

Ergueu o corpo até que estivesse face à face com o ômega, sentiu as mãos pequenas se agarrarem ao seu rosto e os olhos âmbar fixarem-se aos seus verdes. Se alguém dissesse àquele alfa que perfeição não existia, ele ficaria feliz em apresentar Zayn Malik, porque aquele ômega marrento, grosseiro e mimado era uma criatura perfeita.

Levou as mãos ao topo da cabeça de Zayn e curvou o rosto até que os lábios tocassem gentilmente a testa do moreno. Passeou os dedos entre os fios em mais um gesto carinhoso, voltando à olha-lo logo em seguida.

- Eu amo você.

Foi Zayn quem disse primeiro, inesperadamente, Zayn. Quando os lábios moveram-se e essa frase saiu, foi como música para os ouvidos do alfa. Que sorriu e exibiu as covinhas, orgulhoso. Porque sim, aquele ômega o amava. Ele amava aquele ômega, tanto, que sentia seu coração doer somente com a hipótese de perdê-lo.

- Eu amo você, alfa. Não ouviu? - rosnou baixinho, intrigado com a ausência da resposta que esperava.

- Não feche os olhos. Olhos em mim, ok? Sempre em mim.

Sem muita dificuldade, deslizou para dentro do ômega, que entreabriu os lábios, assustado com a invasão repentina. Moveu-se para fora e tornou a penetra-lo, ganhando um gemido manhoso de presente.

- Oh... - Zayn fechou os olhos, aproveitando-se da sensação.

- Não. Abra os olhos. Abra os olhos. - o ômega obedeceu, esforçando-se absurdamente para mante-los abertos.

Passou a entrar e sair repetida e rapidamente, sem descanso, sem pausas, mantendo os olhos verdes sobre o rosto perfeito do seu ômega. Os dedos arrastaram-se do rosto para o pescoço do alfa, pressionando as unhas curtas sobre a pele branca, deixando marcas com seus arranhões.

- Leeyum... - gemeu manhoso quando sentiu massagear sua próstata e rolou os olhos.

- Olha pra mim, Zee. Olha pra mim. - passou a surrar o ponto de prazer do ômega enquanto o ouvia berrar seu nome.

Seu corpo tensionou e ele sentiu os primeiros sinais do orgasmo se aproximarem, as bochechas extremamente coradas e as gotas de suor pingavam do seu rosto para o rosto do ômega. Não foram necessárias muitas estocadas para que ambos viessem juntos e soltassem gemidos arrastados, que pareceram completar um ao outro. Não fecharam os olhos.

- Eu amo você, ômega. - fez uma pausa - Eu amo vocês, ômega.

***

Quando acordou, Liam não sentiu o calor do corpo do ômega contra o seu, abriu os olhos e constatou que Zayn não estava ao seu lado. Levantou-se com dificuldade e estranhou o silêncio na cabana. Vestiu seus jeans e saiu do quarto, coçando os olhos, tentando enxergar melhor.

- Zayn. - chamou baixinho, olhando ao seu redor. - Mãe? Sra. Malik? - entrou em alguns cômodos, mas, não havia sinal de alguém vivo naquele lugar. - Ruth? Ailee?

Ouviu um barulho do lado de fora e se assustou instantaneamente. Correu para fora dando de cara com a pior cena que poderia ver naquele momento. Ruth estava amarrada à uma árvore, seus machucados pareciam graves e ela grunhia de dor, estava amordaçada e impossibilitada de se transformar. Trisha, Karen e Ailee estavam caídas, desacordadas, enquanto Caleb mantinha Zayn sob seu poder, havia uma faca em sua mão e ela estava estrategicamente colada ao pescoço do ômega, qualquer movimento brusco poderia ser fatal.

- Liam... - o ômega disse baixinho, os olhos âmbar estavam arregalados e encaravam o alfa, que estava impotente.

- Oh, hey filho. Nós estávamos esperando você. - Caleb abriu um sorriso assustador, pressionando a faca no pescoço do ômega, causando um corte superficial e fazendo-o grunhir.

- Pai... - ergueu as duas mãos enquanto se aproximava lentamente - Pai, por favor...

- Olha Liam, eu não tenho porque me explicar para você, você não entenderia, isso é muito maior do que eu e você, essa história não diz respeito somente à nossa família!

- Nós podemos conversar, eu e você, solta eles.

- Não, Liam. Eu não posso solta-los, esse ômega carrega o resultado da minha falha em impedir que o plano do seu avô se concretizasse, eu preciso dar um fim nisso.

- Pai, eu, a Ruth, nós somos a concretização do plano do vovô. Nós. Há mais de 20 anos você jogou fora essa sua cruzada quando deixou que nós nascêssemos.

- Você não entende, eu... Eu me apaixonei pela sua mãe.

- E eu me apaixonei pelo Zayn. Não é a mesma coisa?

- Não! Eu não posso permitir, a linhagem de Walter vai terminar, mesmo que para isso eu tenha que sacrificar as pessoas que eu mais amo.

Caleb pressionou a faca um pouco mais sobre o pescoço de Zayn, fazendo um filete de sangue escorrer. O ômega grunhiu novamente, os olhos marejaram e as lágrimas se formaram nos cantos. Liam correu até o pai, mas, antes que pudesse se aproximar, quatro lobos surgiram entre eles. O alfa mais velho arregalou os olhos e assustou-se com a presença dos sobrinhos.

Leo parecia o líder da matilha, enquanto os outros três o seguiam. O alfa rosnou para o tio e seus olhos caíram no corpo trêmulo do ômega.

- Eu não vou soltá-lo. - respondeu, como se entendesse o que ele dizia, Leo rosnou novamente, avançando sobre Caleb, fazendo com que ele e Zayn caíssem no chão.

- ZAYN! - Liam berrou desesperado, mas, não pôde se aproximar, Mason, Benjamin e Aidan, jogaram-se sobre o alfa, mordendo-o, arrancando do cacheado gritos estridentes.

Ruth grunhia e chorava enquanto assistia o desenrolar daquela história. Tentava, inutilmente, livrar-se das correntes que a prendiam no tronco da árvore, os cortes profundos em seu rosto ardiam pelo contato com as lágrimas.

Finalmente o corpo de Caleb caiu inerte quando Leo terminou o que devia fazer, Zayn gritou assustado ao vê-lo com um grande pedaço do seu pescoço faltando enquanto o lobo mastigava, provavelmente, o pedaço que havia arrancado.

Seus olhos caíram sobre seu alfa, a única parte dele que podia ver era sua mão ensanguentada, jogada sobre a grama. Quando os lobos finalmente pararam, Payne era uma bagunça de pele e sangue esparramada, o peito subia e descia com dificuldade e os olhos estavam fixos em Zayn.

O ômega não pôde se aproximar, foi agarrado com violência por Leo que já havia voltado à sua forma humana. Mason, Benjamin e Aidan afastaram-se do corpo do alfa e sumiram floresta adentro. Zayn não tinha forças para se debater, engasgava com o próprio choro, enquanto sequenciava baixinho o nome do alfa.

- Vamos logo, princesa. Você e esse filhote precisam de cuidados. - Leo disse baixinho.

- Não, por favor. Não. - Liam acompanhou com os olhos enquanto seu ômega era levado, o grito amedrontado de Zayn foi a última coisa que ouviu antes de desmaiar. - LIAM!

***


Notas Finais


2/3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...