1. Spirit Fanfics >
  2. Skyfall - A grande queda do céu! >
  3. Lapsos

História Skyfall - A grande queda do céu! - Capítulo 11


Escrita por:


Notas do Autor


Mais um capítulo...
Está molhado como o mar...

BANDA ~~Theory Of a Deadman~~
Música 1 - Angel - https://www.youtube.com/watch?v=thfpVOAC-y0
Música 2 - Heaven (Little by little) - https://www.youtube.com/watch?v=Je96XruA6cw

Os personagens não me pertencem, e sim à Rumiko Takahashi!
Boa leitura!!

Capítulo 11 - Lapsos


Fanfic / Fanfiction Skyfall - A grande queda do céu! - Capítulo 11 - Lapsos

Chegaram na cidade de destino, como a banda é Canadense, o destino óbvio era voltar para lá. Dessa vez, iriam tocar em Vancouver, do outro lado do país.

Foram hospedados em um hotel luxuoso, tudo pago pelo Theory. Quando chegaram Tyler e os rapazes os cumprimentaram. Por mais que tudo fosse muito novo, legal e entusiasmante. InuYasha não conseguia tirar Kagome da sua mente, e também não conseguia curtir com a mesma alegria que Sesshoumaru e os outros...

Foi para o quarto preparado para ele. Pela primeira vez os quatro dormiriam em quartos separados.

- Será que ela está bem? – se perguntou enquanto deixava sua mala e o case da guitarra ao lado.

Olhou para cama e se lembrou dos dois... Dos corpos grudados e dos beijos.

- Kuso... – sentiu a falta que ela fazia em todos os sentidos. – Você realmente não vai sair da minha cabeça?

Ele suspirou.

- Acho que vou tomar um banho... – disse pegando o roupão branco do hotel e a toalha.

Ligou a playlist do show no celular... Parece que Kami queria castigá-lo...
(...)

I’m in love with an angel who’s afraid of the light

Eu estou apaixonado por um anjo que tem medo da luz
Her halo is broken but there's fight in her eyes
Sua auréola é quebrada mas há luta em seus olhos


Walls are built to keep us safe
(Paredes são construídas para nos manter seguros)
Until they’re crashing down
(Até elas desabarem)
Worlds apart we were the same
(Mundos separados, nós eramos iguais)
Until you hit the ground
(Até que você atingiu o chão)

InuYasha cantava  durante o banho, sentindo que talvez não a veria novamente...

Maybe I’m crazy, maybe I’m weak
(Talvez eu seja louco, talvez eu seja fraco)
Maybe I’m blinded by what I see
(Talvez eu esteja cego pelo o que eu vejo)
You wanted a soldier but it wasn't me
(Você queria um soldado mas não era eu)
'Cause I could never set you free
(Porque eu nunca poderia te libertar)

So fly on your own
(Então voe por conta própria)
It’s time I let you go. Go!
(É hora de eu deixar você partir. Vá!)

A música trocou. Agora era a Heaven que tocava. A playlist começou a incomodá-lo...

Now don't you be afraid
(Agora não precisa ficar com medo)
We can always talk about it
(Nós sempre podemos conversar sobre isso)
No need to medicate
(Não é necessário medicar)
Cuz I know you're strong without it
(Pois você sabe que é forte sem isso)
You got me through the days
(Você me pegou durante esses dias)
When I thought I couldn't face it
(Quando eu pensei que não poderia encarar isso)
Let me count the ways
(Deixe-me contar as maneiras)
The love we have you can replace it
(O amor que nós temos, você não pode substituir.)

Just hold on, I'm not that strong
(Apenas espere, não sou tão forte.)

There's a little piece of heaven
(Há um pedacinho do paraíso)
Right here where you are
(Bem onde você está)
The fact that you keep trying
(O fato de você continuar tentando)
Is what sets you apart.
(É o que te isola)
Help me find the reason
(Ajude-me a achar a razão)
And I'll help you find the way
(E eu te ajudarei achar o caminho)
To get rid of all your pain
(Para perder toda sua dor)
Little by little, day by day
(Pouco a pouco, dia a dia)

Now, you're far away
(Agora que você está longe)
And I'm alone to cry about it
(E estou sozinho para falar disso)
It's not a better place
(Não é um lugar melhor)
When you die and leave me here to say
(Quando você morre e me deixa aqui pra dizer.)

Hold on, I was never that strong
(Espere, eu nunca fui tão forte)

There's a little piece of heaven
(Há um pedacinho do paraíso)
Right here where you are
(Bem onde você está)
The fact that you keep trying
(O fato de você continuar tentando)
Is what sets you apart.
(É o que te isola)
Help me find the reason
(Ajude-me a achar a razão)
And I'll help you find the way
(E eu te ajudarei achar o caminho)
To get rid of all your pain
(Para perder toda sua dor)
Little by little, day by day
(Pouco a pouco, dia a dia)

You'll get stronger
(Você ficará forte)
If you need me, I'm not far away
(Se você precisar de mim, eu não estou longe)
So, just hold on
(Então, apenas espere)
I'll help you find a way
(Eu vou te ajudar a achar um caminho)
I'll help you find the way
(Eu vou te ajudar a achar o caminho)

There's a little piece of heaven
(Há um pedacinho do paraíso)
Right here where you are
(Bem onde você está)
The fact that you keep trying
(O fato de você continuar tentando)
Is what sets you apart.
(É o que te isola)
Help me find the reason
(Ajude-me a achar a razão)
And I'll help you find the way
(E eu te ajudarei achar o caminho)
To get rid of all your pain
(Para perder toda sua dor)
Little by little, day by day
(Pouco a pouco, dia a dia)

Little by little, day by day
(Pouco a pouco, dia a dia)

InuYasha terminou seu banho, dando um pause na música mesmo com as mãos molhadas, quase deixando o celular cair.

- Kuso... – olhou para o teto, como se sua visão atravessasse até o céu – É isso? Quer me enlouquecer é? – bufou, se enrolou na toalha ignorando o roupão e deitou na cama mesmo assim. – Kagome... Será mesmo que você é um ser... Celestial? – lembrou-se do corpo dela, suas coxas macias, sua cintura fina, seus seios e seus delicados lábios... – Kuso... – sentiu-se duro novamente. – Como é que pode você me deixar assim mesmo de longe?

Sentou-se, retirou a toalha e pensou em aliviar aquela tensão, tocando seu membro e o alisando, masturbando-se ao lembrar dela. Movia sua mão para cima e para baixo, sentindo-se ceder ao orgasmo minutos depois.

Jogou seu corpo para trás e lembrou dela relaxando em sua cama... As ultimas palavras que ela havia dito...

~~

- Então... É assim...? É assim que é fazer... Amor?

~~

- Kagome... Será que vou revê-la? – sussurrou a si.  Depois levantou-se e foi até o banheiro, lavando-se em seguida.

--

Kagome POV’s

Meus pés tocavam a água enquanto eu planava próximo aos Mares do Golfo, ali era quente e me trazia uma sensação familiar... Mas... O que seria?

Avistei uma rocha, próxima a uma Ilha, e pousei ali. Minhas costas doíam. Haviam muitas feridas ainda do confronto com Abaddon.

- Por que eu... Lutei contra Abaddon? – me questionava.

Sentei ali e deslizava a ponta dos meus dedos na água.

- Havia algum motivo...? – mordi o lábio.

Minha cabeça doía, meu pescoço parecia pegar fogo toda vez que eu tentava me lembrar de algo... O que seria? Por que me causava esse mal? Levei a mão molhada pela água salgada do mar até onde meu pescoço queimava, tentei afastar aquela sensação.

- Por que...?

Havia um brilho na minha memória, parecia uma nuance... Uma cor... Brilhava como correntes de prata...

- O que tinha essa cor? – ardeu muito mais depois dessa última memória.

Olhei para cima, tentando observar através das nuvens.

- Por que eu... Caí?

--

O anjo a olhava entristecido. Gostava dela, era sua amiga... Apesar de não concordar com seus atos... Mas, por que será que ela agia estranho ultimamente? Ela rodeava pelo plano terreno, parecia procurar alguma resposta.

- Gabriel não me disse o que houve lá... –“No momento eu não estava perto deles...” – suspirou. – Queria poder ajudá-la...

--

No Bar Saraka...

--

Bankotsu (Azazyel), recebeu um frasco vazio de Abaddon, que estava em sua aparência humana com nome de Naraku, e então , depois este saiu irritado do local, não proferindo uma única palavra. Seus olhos estavam rubros e raivosos. Bankotsu levava o recipiente vazio até o cofre do laboratório escondido aos fundos do seu bar de fachada.

Era cedo ainda, então passou somente pelos viciados em seu veneno que se injetavam e entravam em frenesi. Eles gritavam e gemiam. Alguns reclamavam de um fogo incessante em suas veias. Aquilo só o fazia sorrir diabólico. Como ele gostava de manipular aqueles humanos... Era tão fácil prendê-los quando vulneráveis!  

Chegou a sala, abriu o cofre, colocou o frasco em um suporte especial e trancou depois.

- Ele injetou tudo de uma vez... – sorriu malicioso – Será que ele aproveitou um pouco a situação ou já a levou em seguida?

A imagem da pequena Theliel nua em sua frente fez suas asas negras, que estavam recolhidas e ocultas em suas costas, tremerem de desejo carnal. Mordeu o lábio sentindo um gosto ferroso.

- Aquele maldito... – referindo-se a Abaddon – Será que ele está tão furioso agora? – riu de Abaddon. – “Então... Estão cuidando dela do Alto...” – olhou para cima. – “Vai ser interessante...”

--

Kagome POV’s

Acordei sentindo todo meu corpo queimar em baixo daquele sol, sentei-me e levei as mãos a cabeça instintivamente. Depois acima da cabeça. Parecia faltar algo...

- Ah... – lembrei-me – Eu caí... Verdade... – suspirei.

Não conseguia lembrar em qual momento enraiveci Yahweh... Será que havia quebrado alguma regra?

Joguei-me na água para refrescar aquele corpo humano que sustentava meu ser, sentindo a temperatura da água me acalmar. Mergulhei um pouco e tive um lapso de memória.

Correntes negras...

Uma risada maligna...

Medo!

Senti o ar faltar e meu corpo afundava caindo pesado até o fundo do mar. Minhas asas enfraqueceram pelo medo e solidão que senti. 

- “Eu preciso lembrar!” – queria gritar. Estava SUFOCANDO!

Ombros largos...

Um sorriso...

Um Canino...

- “Quem...?”

Um tom dourado me veio a mente... Brilhava como o sol... Me aquecia. Mas, eu tinha medo... Medo de não poder mais tocar e sentir aquele calor...

- “Quem é??”

Voltei a afundar, forçando minhas pernas e braços, tentando fazer minhas asas darem algum impulso.

- “Me ajude!”

Abri a boca e senti o sal penetrar ardendo minha garganta. Meu pulmão pesava. Minha vista escurecia aos poucos.

- “Não!” – eu gritava desesperada. – “Eu preciso te ver!”

Aquela onda de calor de novo...

O que me trazia... Calor?

Desmaiei sem conseguir me lembrar...

--

InuYasha POV’s

Acordei com dor de ouvido, parecia que havia entrado água. Levantei devagar e meneei a cabeça, pressionei meu ouvido esperando que saísse alguma água dali, possivelmente do banho. Mas, não saiu nada.

- Não lembro de ter sentido a água entrar no meu ouvido durante o banho...

Sacudi a cabeça, tinha a sensação de água ali dentro, mas não saia nada. Que estranho!

Alcansei o meu celular que estava numa cômoda, liguei e vi a hora. Eram 15h27.

- KUSO! – vesti-me apressadamente, colocando um boné depois sobre minhas orelhas. Peguei o case da guitarra e sai.

Havíamos combinado de passar o som às 16h00 e até o local do show eram quase 20 minutos de trajeto.

- Eles vão me matar pelo atraso!!

Minutos depois, eu cheguei atrasado no Estádio que faríamos o show e claro... Que me receberam com uma cara de poucos amigos.

- Oe Teme! – Kouga apontou o dedo para mim. – Tá louco pra tomar uns socos, é? Baaaaka!

- Keh! Cala boca fedorento! Você vem com um soco e eu te dou uma voadeira! – ele me irritava demais! Argh!

- Parem agora... – Sesshoumaru disse olhando-nos sério. Miroku apertou os lábios e balançou a cabeça.

Eu respirei fundo.

- Hai...

- Ué... Já desistiu? – Kouga pareceu surpreso.

- Não quero que sua idiotice estrague as coisas... – revirei os olhos – Mais do que já estão... – Sussurrei o ultimo.

Sesshoumaru e Kouga se entre olharam, provavelmente escutaram bem o que eu disse, porém, Miroku pareceu não escutar. Menos mal... Ele me encheria de perguntas.

Tirei a guitarra do case, plugei o cabo p10 no jack de saída dela e depois na entrada da medusa que estava conectada a mesa de som do palco. Afinei ela usando a pedaleira e depois comecei a brincar com uns riffs e solos de improviso.

Sesshoumaru veio ao meu lado e eu nem o olhei, continuei fingindo que não o notara.

- InuYasha... O que houve com você, heim? – falou sério. – Está calado desde quando embarcamos...

- Não é nada...

- Hum... – o percebi cruzando os braços. – Está pensando naquela garota?

Eu parei os riffs e ele percebeu que a minha pausa era uma positiva.

- InuYasha... Tenta pensar em outra coisa agora tá... – virou de costas – Vamos começar a passagem de som agora...

- Hai...

Eu não conseguiria tirar ela da minha mente... Infelizmente eu ainda teria que cantar Out Of My Head hoje... Que saco!

--

As asas a envolviam como um escudo, trancando-a e protegendo-a do abismo do mar.

- “Eu quero subir...” – se estivesse seca, poderiam ver suas lágrimas... – “Quero fugir daqui!”

Apertava seus olhos em desespero.

- “Se eu morrer... Será que um dia eu o veria?”

Ela não sabia por que tais pensamentos enchiam sua mente. Não se lembrava da junção daquelas cores que vislumbrava em pequenos lapsos de memória.

Prata, depois o dourado...

Em suas lembranças um sorriso com um canino era sempre bem visível. O que tudo isso junto significaria?

--

Lamaniel via a agonia dela nas profundezas daquele mar.

- Yahweh! – gritou – O que quer dela?

- Ela tem que se lembrar... – Gabriel tomou a palavra fazendo Lamaniel surpreender-se com sua presença ali, o Arcanjo respondeu sabendo o que seu Mestre diria. – Só assim... Só assim ela regressará pronta...

- Pronta para que? – Lamaniel questionou o Arcanjo.

- Para se decidir... Sobre o lugar que quer fazer morada...

Lamaniel ficou quieto. Entendeu o que Gabriel lhe disse.

- Mas... – olhou a imagem da caída no fundo do mar. – Ela vai subir a terra firme?

- É só uma questão de tempo... – tocou o ombro dela. – Acredite nela... Ela é mais forte do que pensa... – sorriu levemente.

--

A correnteza do mar se agitou para o lado contrário, fazendo uma enorme espiral aparecer e formar um enorme redemoinho. Do centro dele, a luz de Theliel brilhava forte. Sua energia celestial irradiou e para os olhos humanos, parecia ser um relâmpago que tocava à água.

Ela lançou-se fora dali, sentindo as asas pesadas pela quantidade de água que as encharcava. Bateu-as ferozmente e deu giros no ar, indo em direção de uma pequena ilha e caindo arrastada lá. Arranhando seu rosto e a lateral direita de seu corpo na areia cheia de conchas quebradas.

Sentiu dor e se permitiu chorar.

- “Por que não me lembro de nada?” – agarrou seus cabelos entre as mãos e gritava. – Quem é ele? – as lágrimas desciam pesadas em seu rosto. Seu peito doía. Sentia falta de algo... De uma sensação... Do toque dele... – Eu preciso lembrar de você... – mordeu o lábio com raiva, fazendo a dor agir na região.

Arfava.

Seu coração humano palpitava.

Tremia...

~~

Chovia muito... Havia uma espécie de corredor enegrecido pela tempestade. Um animal passou por entre suas pernas correndo. Uma mão apertava sua cintura e havia uma pressão... Pressão que alguém fazia em sua virilha.

~~

Aquela memória a fez levar a mão até sua intimidade e tocá-la. Não sabia por que, mas queria muito sentir aquilo. Enfiou a mão por dentro de suas vestes e elevou subitamente seu tronco quando o dedo indicador tocou o local sensível. Seus mamilos ficaram entumecidos e seus seios arrepiados. Ela se tocava deslizando o dedo, tentando saciar o que aquela lembrança a causava.

Quem a fazia sentir tamanho prazer? Quem a fazia sentir algo parecido a isso que ela se proporcionava?

Levou a outra mão ao seio, apertando-o e às vezes beliscando levemente seu mamilo.

Um gemido saia e parecia querer formar uma palavra que não fazia sentido para ela.

- Ya... – acelerou sua mão sentindo um ápice se aproximando – Sha... – Seu quadril saltou levemente com os espasmos que a atingiam. Sentindo suas pernas fraquejarem logo depois.

Sua respiração estava pesada e seu pescoço tornou a queimar.

Por que o mesmo que a faria querer se tocar... Lhe causava tamanho sofrimento?

- Por que...?– se deixou chorar novamente até acalmar-se.

Suas asas estavam cheias de areia. Sentiu alguns respingos de água tocarem a ponta dos seus pés. Seus olhos pareceram pesar toneladas... Fazendo-a adormecer em seguida.

~~

Ela sonhava...

Havia uma música ao fundo, mas ela não entendia sua letra, parecia um murmúrio fraco.

- Já ouvi essa canção... – olhou o que estava a sua frente – Como se chama?

- Angel... É do Theory... – Ele apontou para o fone...Depois ela mesmo o retirou e entregou a ele.

- É uma composição muito bonita... Pena que é impossível um envolvimento com anjos... – ela ria baixo.

- Quem sabe... – ele olhou-a nos olhos e ficaram instantes se encarando.

Pode observar bem seu rosto... Aquele sorriso... Aquele fogo dourado que tomavam seus olhos. Suas madeixas prateadas... Era ele! Mas... Como era seu nome?

--

Continua...


Notas Finais


Então? O que acharam?
Acalmem-se e lembrem-se... Após a tempestade, sempre vem a calmaria... <3

Obrigada por acompanhar, favoritar e comentar!
Kissu no kokoro <3
Byeeee!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...