História Slave of Moon - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hinata Hyuuga, Hyuuga Hiashi, Itachi Uchiha, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Abo, Alcateia, Alfa, Cio, Drama, Escravo, Hinasasu, Hinata, Lobos, Louiisee, Naruto, Nejihina, Nejiino, Ômega, Romance, Sasuhina, Sasuke
Visualizações 232
Palavras 2.619
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Ficção, Fluffy, Hentai, Luta, Magia, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oii minna, tudo bem com vocês? Espero que sim <3

Finalmente vim atualizar essa belezinha, geralmente as att saem na quinta mas vim mais cedo pq semana passada não consegui postar nada.

Muito obrigada a todo mundo que comentou e favoritou, foram 117 favs e 17 comentários que amei muito, obrigada a todo mundo <3 Fiquem com o capitulo de hoje e leiam as notas finais, boa leitura:

Capítulo 2 - Capítulo- II


Fanfic / Fanfiction Slave of Moon - Capítulo 2 - Capítulo- II

- Se conhecendo -

Hinata passou boa parte da noite acorda, apesar de aparentar estar tranquila, a presença do rapaz em seu quarto a deixava incomodada. 

O Uchiha caiu no sono logo que a noite chegou, ele parecia cansado demais para ficar acordado e mesmo que tivesse certeza que ele estava dormindo, pois foi checar, não conseguia pegar no sono. Tinha medo de fechar os olhos e ser atacada, apesar de ter sido legal com ele, afinal, o deu um lugar para dormir, cobertas e travesseiros e foi buscar algo para que comesse antes de se deitar, ainda não confiava nele, provavelmente nunca confiaria. Seu pai devia estar louco em colocar um alfa inimigo embaixo de seu teto.

Ou talvez ele só não se importasse com sua vida.

Suspirou cansada assim que o dia amanheceu, se levantou sem fazer muito barulho, constatando que Sasuke devia estar muito exausto, afinal ele tinha audição aguçada e não acordou nem com a porta abrindo e fechando. Desceu para a cozinha e tomou um café da manhã rápido, preparando alguma coisa para seu servo. 

Era estranho ter novamente alguém a servindo, quando criança, possuía um criado pessoal que a ajudava em tudo, apesar de não o tratar dessa forma, ele não deixava de ser um dos inúmeros escravos de seu clã que quando libertos por Hiashi, fizeram questão de desaparecer de Konoha. As vezes sentia falta de Ko* e se perguntava se era recíproco, provavelmente não pois ele devia estar bem mais feliz agora.

E ela estava feliz por ele. 

Abriu a porta do próprio quarto encontrando Sasuke sentado no futon onde dormira, forçou um sorriso. 

— Trouxe café da manhã. — Sim, estava tentando ser o mais legal possível, assim, quem sabe ele não tentaria mata-la quando a primeira oportunidade surgisse. 

Sasuke comeu em silencio, não iria bancar o prisioneiro rebelde, estava ali por sua própria incapacidade, tinha sido capturado e agora arcaria com as consequências que, em sua concepção, estavam sendo até que bem leves.

Talvez tivessem percebido que ele não contaria nada, não importa o quanto o torturassem e então, desistiram, o fazendo sofrer de outra forma; servindo aquela garota. 

— Não era eu quem deveria servir você? — Questionou ácido assim que ela se abaixou para recolher a bandeja.

— Talvez mais tarde. — Ela devolveu calma, mas pode sentir uma pequena quantidade de ironia em sua voz. — Gostaria que me acompanhasse até o centro de Konoha hoje a tarde. 

— Não fale como se eu tivesse escolha. 

Hinata suspirou, ele era difícil, mas no fundo o entendia, também ficaria arisca se fosse capturada por uma alcateia inimiga. Entretanto era sua pouca liberdade que estava em jogo, precisava dele e precisava ainda mais ir até Konoha falar com Ino, sua amiga que entendia de plantas e ervas medicinais, quem sabe a loira pudesse ajudar com seus cios problemáticos.

— Tenho algumas coisas para fazer agora pela manhã, tome um banho. Vou pedir que tragam roupas limpas. — Antes de sair do quarto, o olhou uma ultima vez, encontrando as orbes ônix a fitando com intensidade, cortou o contato deixando o cômodo.

-...-

Sakura corria pelos corredores buscando o escritório de Itachi, a ômega tinha o coração a mil por conta dos rumores que tinha ouvido, ao chegar entrou sem bater, encontrando o moreno desanimado sobre a mesa. 

Então era verdade. 

— Itachi. — O chamou baixinho, ganhando sua atenção. — Sasuke-kun... 

Não precisou completar, o lupino desviou o olhar, suspirando exausto, tinha passado a noite em claro por conta dos últimos acontecimentos. 

— É verdade Sakura, tudo o que deve ter ouvido é verdade. — Ele confessou, se levantando da cadeira. — Sasuke foi capturado pelos Hyuuga's a dois dias, desculpe esconder isso de você.

A rosada levou a mão a boca em choque. 

— Ele... esta bem? — Não obteve resposta. — Itachi, me diga que eles te comunicaram para um acordo. 

O mais velho se aproximou ainda mais, se escondeu em seu peito, sendo abraçada pelos braços protetores do Uchiha. 

— Ele deve estar bem, Sakura. Sasuke é forte, além do mais, tudo o que Hiashi quer é acabar com a rixa contra nossa alcateia, ele não vai matá-lo 

— Espero que esteja certo, querido. — Buscou os lábios do companheiro em um beijo casto, se sentindo um pouco mais tranquila. — Traga-o de volta, por favor. 

— Eu trarei, Sakura... eu trarei. 

-...- 

Sasuke nunca se sentiu tão entediado.

Estava a quase vinte minutos andando naquele cavalo com Hinata nas rédeas, a ômega era extremamente calma, ela guiava o animal devagar, sem pressa, e para ele que estava acostumado a correr - e também, estar a frente no comando - era quase uma tortura. 

— Sasuke-kun, cuidado para não cair. — Hinata ditou mansa, não sentia as mãos do Uchiha em sua cintura e se perguntava se ele estava segurando em alguma outra coisa. 

— Esta brincando com a minha cara, Hyuuga? — Praticamente rosnou, tirando um risinho baixo da garota com olhos de lua, a muito tinha percebido que ela achava graça de seu jeito estressado, provavelmente porque todos aqueles Hyuuga's patéticos não sabiam ao menos levantar a voz. — Como vou cair com você indo nessa lerdeza? 

Em um movimento rápido, Hinata puxou as rédeas com força para trás fazendo o cavalo erguer as patas dianteiras no ar. Sasuke que não esperava tal ato, quase caiu, agradecendo mentalmente por ter reflexos rápidos e agarrar a cintura da ômega a tempo. Ela soltou um risinho debochado.

— Ei! — Bradou irritado, colou seu tronco nas cotas da garota, satisfeito ao ver o corpo dela se arrepiar com sua aproximação. Levou o rosto até o ouvido pequeno: — Era isso que queria? Ter o meu corpo colado ao seu? Pois então conseguiu, vou passar o resto da viagem agarrado em você.

Hinata corou, não, não era isso que ela queria, tinha a intenção de lhe dar apenas um susto, mas não teve forças para pedir que se afastasse, infelizmente estava gostando. O toque o do alfa era quente e ela, como uma boa ômega, reagia a isso. Bateu as mãos que seguravam as rédeas no ar, fazendo o cavalo ir um pouco mais rápido, tinha que chegar logo ao centro de Konoha ou não se responsabilizaria se começa-se a suspirar em deleite apenas por tê-lo tão perto de seu corpo.

Assim que chegaram, Sasuke atrelou o cavalo em seu devido lugar enquanto Hinata admirava tudo em sua volta, fazia um bom tempo desde a última vez que esteve ali.

— Você já veio aqui, Sasuke-kun?

O moreno torcia o nariz cada vez que ela o chamava de maneira tão intima, por Deus, aquela garota não parecia entender o que acontecia a sua volta. Ele era seu escravo! Não seu amigo para trata-lo daquela forma.

— Não. Uchiha's não são mais bem vindos em Konoha. Graças a seu clã. — Observou os olhos dela se arregalarem.

— Ah, eu não sabia disso...  

— Tem muita coisa que você não sabe, princesa.

Hinata ignorou o modo desdenhoso que ele a chamou, assim como ignorava o fato dele não a tratar pelo nome, era sempre "Hyuuga" ou apelidinhos com tons de deboche e desdém. 

— N- Não tenho culpa por seu clã ser tão indisciplinado. 

As desavenças entre as únicas alcateia da região começaram por conta dos inúmeros problemas que os Uchiha's causavam, além de aceitarem forasteiros em seu território. Deixaram de ser um clã sangue puro a muito tempo e isso para Hiashi era inadmissível.

— De não sermos robôs, você quis dizer. — Sasuke rebateu. — Nunca seremos como vocês, somos livres, ao menos conhece o significado da palavra?

Hinata, vendo que aquela discussão não daria em nada, passou a andar em direção a floricultura de Ino, o ignorando. O moreno a seguia a contra gosto e a cada nova esquina cruzada, percebia o olhar espantado dos moradores, ele não era bem vindo ali, imaginou como seria se pudesse matar todos eles, seu lobo se remexeu em expectativa, infelizmente aquele maldito selo em seu pulso não o deixava nem dar um sustinho sequer naquelas criaturas insolentes.

Preferia poupar seus neurônios, quem sabe um dia fosse precisar deles.

No pequeno estabelecimento, Ino mal acreditou no que seus olhos viam quando avistou a amiga vindo em sua direção, fazia tanto tempo que não via a Hyuuga que não pode deixar de abraça-la assim que ela alcançou a loja.

— Hinata-chan, finalmente saiu daquele castelo, estava quase indo lá para te resgatar. — Brincou, abraçado-a apertado.

Abriu os olhos verde azulados só então reparando na presença do alfa que acompanhava a amiga. 

— Desculpe, Ino-chan, as coisas estão difíceis na alcateia, Otou-san achava melhor me manter segura.

Sasuke que até então se mantinha de braços cruzados ao lado da garota, teve sua atenção tomada para a conversa, seu clã nunca visou atingir a garota, nem mesmo foram eles a começar toda aquela rixa, apenas estavam cansados de ficarem na retaguarda se defendendo e decidiram partir para uma abordagem mais agressiva, mas foram quase obrigados a isso e agora os poucos Uchiha's restantes não queriam parar.

— Tudo bem, você esta aqui e é isso que importa. — A Yamanaka sorriu antes de desviar as orbes novamente para o moreno um tanto intrigada com sua presença. — Entrem, vamos conversar aqui dentro.

-...-

Naquela altura, Hinata tinha perdido a noção do tempo. Havia muita conversa para ser posta em dia com Ino, principalmente sobre Sasuke. Ambas cochichavam, já que ele estava presente no cômodo, mesmo que o Uchiha pudesse ouvir tudo de qualquer jeito, parecia menos antiético na cabeça das duas.

— Quer dizer que o senhor Hiashi te deu esse cara para te ajudar no cio? — A Yamanaka segredou, colocando a mão em frente a boca como se isso fosse ajudar a abafar o som.

Sasuke que escutava tudo - não que fosse sua intenção, as vezes era uma merda ter a audição tão aguçada - revirou os olhos, não aguentava mais ver aquelas duas conversando, a loira tinha uma voz fodidamente irritante, fazendo-o se perguntar repetidas vezes como Hinata a aturava, a ômega não tinha cara de quem gostava de pessoas falantes, mas podia estar enganado.

— Sim. — Hinata devolveu no mesmo tom. — Mas não tenho coragem, só aceitei sua proposta porque poderia voltar a sair.

— Por que não? Hina, não sabe como é bom ter as mãos de um alfa te tocando. — A beta se exaltou, levou a mão na boca direcionando seu olhar a Sasuke que se encontrava sentado em uma cadeira, ele mantinha os braços cruzados e uma perna sobre a outra de um jeito desleixado, e agora, seu olhar estava com uma carranca direcionada a ela.

Hinata corou com o comentário, qualquer coisa sobre sexo lhe deixava com vergonha, apesar de ser algo normal em sua sociedade, não gostava de falar sobre o assunto por não ser experiente.

— S- Sabe que não posso ter relações antes de me casar. 

— Não. Você precisa se manter virgem, é diferente. — Ino explicou, fazendo uma cara seria como alguém muito dotado de inteligência. — A muitas outras formas de sentir prazer sem perder a virgindade. Como por exemplo, ele pode te chup-

— Ino! — Hinata a interrompeu, seu rosto devia estar muito vermelho pois o sentia pegar fogo, principalmente na região das bochechas.

— Tá bom, tá bom. — A beta riu, erguendo as mãos para o alto em forma de rendição. — Eu paro.

— Obrigada. — Murmurou baixo, fazendo um biquinho se formar em seus lábios. — Mas Ino-chan, você não conhece alguma erva que possa me ajudar nesse sentido?

— Infelizmente não. — Ela pareceu pensar antes de continuar. — Os inibidores são feitos com as ervas mais fortes, se eles perderam o efeito em você é por conta dos anos contínuos de uso, seu organismo se acostumou e não a nada que eu possa fazer, desculpe Hina. 

A Hyuuga suspirou derrotada, através da janela pode ver que o sol estava baixo, quase se pondo, desejando não chegar tarde em casa, se levantou para ir embora.

— Esta tudo bem. Deve haver outra maneira de burlar os sintomas do cio, vou achar um jeito. — Sorriu determinada, Ino a abraçou forte e sem solta-la, cochichou em seu ouvido.

— Como esta o Neji?

Hinata não ficou surpresa com a pergunta, sabia que o primo passava os cios com a loira, mas pelo visto fazia algum tempo que não se viam.

— Bem. Vou pedir para que ele venha te ver, já que esta com saudades. — Segredou cúmplice, tirando uma risada gostosa da outra.

— Queria que fosse fácil assim. — Ino suspirou, visivelmente apaixonada. — Não fique tanto tempo longe dessa vez.

— Não vou. Até mais, Ino-chan.

Terminou de se despedir, saindo da pequena floricultura, Sasuke fez uma cara de "até que enfim" e a seguiu em silencio. Enquanto voltavam para o lugar que deixaram o cavalo, notou que ela mantinha as mãos emboladas uma a outra, visivelmente nervosa, até que perguntou:

— Você ouviu toda a conversa? — Hinata fechou os olhos brevemente, esperando a resposta.

— Sim.  — Quis morrer. Levou as mãos em forma de palma as bochechas, fazendo um barulho de estalo quando as tocou com certa força.

— Desculpe por isso.

— Não me importo.  — Sasuke revelou honesto. Estava ali como um criado, um escravo que espera sua senhora conversar para depois acompanha-la até a casa, não sabia se esses pensamentos viraram frequentes por influencia do selo, mas ultimamente andava pensando dessa forma. Entretanto havia ficado curioso com uma coisa e tomou a liberdade para perguntar. — Por que teme tanto seu cio?

Hinata ficou surpresa, se voltou ao Uchiha tombando levemente a cabeça.

— Você nunca viu um ômega no cio, não é?

Era tão óbvio assim? O alfa negou com a cabeça, não conhecia muitos ômegas, só tivera um contato mais intimido com duas durante toda a sua vida, Sakura, a esposa de seu irmão, e agora, Hinata.

— Então é por isso. — Ela sorriu fraco. — Nosso cio não é como o de vocês, não é apenas uma vontade excessiva de se relacionar com alguém. É dolorido. — Revelou, fazendo uma careta. — Temos uma febre alta e sentimos dores praticamente no corpo todo, isso dura o período todo e só passa caso atinjamos o clímax, mas é impossível um ômega atingi-lo sozinho, somente um alfa pode nos fazer... bem... v- você sabe. 

Sasuke deu de ombros, escondendo sua surpresa. Ele não sabia de nada disso, mas não era problema seu, era um alfa afinal, seu cio era voltado apenas para o prazer, ficava insaciável, era uma pena que só acontecesse a cada seis meses.

Quando chegaram até o cavalo de cor caramelo, Hinata o acariciou enquanto falava coisas bobas como "estou de volta", Sasuke assistia a cena calado, aquela garota era tão boazinha que chegava a irritar, sabia que era de sua natureza, entretanto Sakura não era assim. Ouviu-a o chamando e então, ofereceu-lhe as rédeas.

— Você pode guiar dessa vez.

— É uma ordem? — Questionou levantando uma sobrancelha, exibindo um mini sorriso lateral.

— Não, é um pedido.

Caminhou até o cavalo subindo no mesmo, estendeu a mão para Hinata a ajudando subir. A ômega não era a espécie ruim de Hyuuga que conhecia, ela apenas seguia ordens de um pai rígido e tinha problemas para serem resolvidos, mesmo não gostando de sua linhagem sanguínea ou da condição que se encontrava - sendo tratado como escravo -  talvez, só talvez, ela merece um pouquinho de sua piedade.


Notas Finais


* Ko nessa fic não é um Hyuuga.

E então, o que acharam? Nesse cap o Sasuke pode conhecer um pouquinho do drama da Hina, ele já esta se simpatizando com ela, eu disse que as coisas seriam rapidinhas nessa fic, na verdade, o que é rápido é a pegação pq o amor mesmo vai demorar um pouquinho.

Ino casinho do Neji porque quero.

Capitulo calminho pro próximo ser fogo kkkk Ou não.

Comentem caso tenham gostado ou queiram me incentivar a postar mais rápido :3 Favoritem a fic também para não perder nenhuma atualização.

Bjs e até o próximo capitulo <3 Obrigada por lerem.
(Spoiler: estou escrevendo o capitulo 5 e to só o meme do faustão 🤣🔥)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...