1. Spirit Fanfics >
  2. Sleeping Beauty >
  3. Apologize

História Sleeping Beauty - Capítulo 8


Escrita por:


Capítulo 8 - Apologize


Assim que colocou os pés em Hogwarts, Lily teve que ir para a enfermaria. A ruiva já tinha perdido a conta de quantas lesmas havia vomitado e, por algum motivo, sabia exatamente de quem era a culpa. O que menos precisava naquele momento era ver um moreno, com seus cabelos bagunçados e óculos redondo mas lá estava ele. 


James parecia inquieto na porta da enfermaria apenas assistindo Lily sentada numa maca colocar pra fora aqueles animais gosmentos. Estava na cara que a culpa tinha sido dele, o problema estava sendo criar coragem suficiente para se desculpar, não só por aquilo mas por ter arruinado o encontro de Lily. 


— O que está fazendo parado ai? — A voz de Diaval soou muito irritada atrás de si, no mesmo instante o Potter se virou, apenas para confirmar o mau humor do outro. — Você já não atrapalhou o suficiente? 


— Eu quero me desculpar. — James murmurou mais para si mesmo do que para Diaval, seu orgulho era maior que tudo. 


— Não ouvi direito, pode repetir? — O Wayne disse com um sorriso sarcástico, era óbvio que ele tinha sim escutado mas queria degustar daquele momento, afinal James Potter pedir desculpas era quase um milagre. 


— Eu quero me desculpar com você. — Dessa vez James proferiu com firmeza, encarando os olhos castanhos de Diaval. 


— Agradeço seu pedido de desculpas, mas não acho que seja pra mim que você deve. — O Wayne disse desviando seu olhar para Lily e James fez o mesmo, soltando um suspiro por fim.


O Potter sabia que tinha que se desculpar com Lily, mas aquilo seria mais difícil que participar de algo como o Torneio Tribruxo. A Evans ficaria muito, muito mais furiosa do que já estava só pela cara de pau de James. Em um segundo de coragem, o Maroto foi até a ruiva brincando com os próprios dedos para tentar disfarçar o nervoso, quase fazendo nós nos mesmos. 


— Eh, oi, Lily... — James deu um sorriso nervoso quando se aproximou o suficiente, ficando não muito perto dela. A garota nem se deu o trabalho de levantar o olhar, para piorar, outra lesma enorme saiu de sua boca direto para o balde. 


— O que você quer, Potter? — A voz de Lily estava embargada, sua aparência nada boa também. — Já não fez o suficiente? 


— Lily, eu vim me desculpar. — Ao contrário do que foi com Diaval, de primeira disse em alto e bom som, com firmeza. — Sei que agi errado, fui um idiota, estúpido e não tinha o menor direito de ter feito o que fiz mesmo se tivesse algo com você. — James disse tudo de uma vez antes que perdesse a coragem. — Sei que nunca vai esquecer o que houve pois foi uma experiência horrível mas espero que um dia você possa me perdoar. 


Lily não respondeu nada, ficou apenas encarando James por minutos em completo silêncio. Ele não sabia exatamente se ela estava o agourando ou se planejava matá-lo e abandonar seu corpo no Lago Negro ou algo do tipo. 


— Preciso perguntar, por que fez isso? Digo... você nem ao menos gosta de mim, vive falando que apenas quer um encontro porque te neguei, agora vai lá e faz da minha primeira experiência um desastre... eu não entendo, Potter. — A ruiva suspirou parecendo cansada, e realmente estava. Além de vomitar aquelas lesmas, os joguinhos de James acabaram com seu humor e paciência.


James se pegou num conflito interno, se mentisse para ela, continuaria sentindo culpa, se contasse a verdade, as probabilidades dela não acreditar em si eram imensas. Lily era uma garota inteligente, bonita e popular, existiam dezenas de garotos que dariam tudo para sair com ela, então se o Potter realmente sentisse algo, deveria aproveitar aquela oportunidade; de qualquer forma, já estava passando um vexame enorme, o que mais um pouco mudaria? 


— Eu gosto de você, Lily. — Falou de uma vez sem nem mesmo olhá-la, naquele instante qualquer outra coisa da enfermaria parecia muito mais interessante do que os olhos verdes da Evans cravados em si. — Eu realmente gosto, fui corrompido pelo ciúmes e tentei estragar seu encontro, sinto muito. Isso não anula meus atos e sei o tamanho da sua repulsa por mim, mas prefiro ser com por cento sincero com você nesse momento. 


Era verdade, Lily sabia disso, ela podia sentir no tom de pesar do Potter que ele estava arrependido, mas ela ainda tinha um pé atrás quanto a ele, ainda mais quando se preparou para fazer a próxima pergunta. 


— Se eu não tivesse descoberto, pretendia me contar? — Sua voz saiu fraca, quase num murmúrio. E Lily não gostou nada da expressão que James fez, pura culpa, naquele instante ela soube a resposta. — E como espera que um dia eu possa confiar em você? James, você tem idéia... você tem idéia do que fez? Estou vomitando lesmas porque você não tem atitudes maduras suficientes para fazer eu me interessar por você. — As palavras de Lily quebravam o coração do Potter em pedacinhos, mas era a pura realidade. — Qual vai ser a próxima atitude, me dar Amortentia? 


James não sabia o que responder, ele estava sem graça e sem palavras. Merecia tudo aquilo que Lily despejava e até mais, a Evans podia até mesmo agredi-lo se quisesse, James não se importaria nem um pouco. 


— Você precisa descansar, depois dessas pegadinhas todas. — Lily disse com sarcasmo. — Por que não volta para o dormitório? Quero ficar um pouco sozinha. — A ruiva pediu.


O Potter assentiu sem querer muito, ele sentia a necessidade de estar ali com ela e cuidar da mesma mas sabia que não tinha permissão e muito menos intimidade para tal coisa. Por esse motivo, com uma despedida breve e murcha o garoto se foi, sentindo seu peito queimar e suas costas presarem em pura culpa.


Ao sair da enfermaria, James deu de cara com um par de olhos azuis curiosos e ao lado destes, castanhos preocupados e apreensivos. Selene e Heather estava ali esperando o grifinório por motivos um tanto diferentes. 


— Oi, Potter, como a Evans está? — Selene quem perguntou, cruzando os braços à baixo do peito. 


— Ela vai ficar bem, claro, Madame Ponfrey cuidará dela. — O garoto deu um sorriso sem graça. — Quando todas as lesmas saírem vai ser como se nada tivesse acontecido. 


— Pra você, né? — A Reynolds perguntou retoricamente. — Não deve ser nada bom sair por ai vomitando lesmas nojentas, ela vai te odiar pra sempre, cara... — A indelicadeza da sonserina a fez receber uma cotovelada nada discreta de Heather, que pigarreou em seguida. 


— Fico feliz que a Lily esteja bem, espero que termine aquele "trabalho" logo e que você consiga se redimir com ela. — Heather deu um sorriso reconfortante ao Potter. — Está na cara que você gosta muito dela, vai precisara correr atrás, viu? Mas te desejo boa sorte para conseguir.


— Obrigado. — James precisaria de toda a sorte do mundo naquele momento. 


— Nós precisamos ir agora, mas qualquer outro dia que resolver azarar Diaval, me chama. — Selene disse dando uma piscadela para o Potter junto de um soco meio forte no ombro, que James considerou ser amigável. 


Em seguida, as duas meninas se foram e James retomou seu próprio caminho para a Sala Comunal da Grifinória, ele sabia que chegando lá teria mais esporro vindo de Remus, então durante o caminho foi se preparando psicologicamente, ignorando qualquer um que tentasse falar consigo. 


Quando chegou no dormitório, apenas Sirius e Remus estavam lá, os dois deitados em suas respectivas camas e pareciam pensativos, o Black irritado e Remus angustiado, pelo visto não era só James que estava com problemas. 


— Boa noite! — O Potter os cumprimentou e recebeu muxoxos em troca, estranhando aquele comportamento decidiu questionar. — O que houve em Hogsmeade para vocês estarem desse jeito? 


— Você não vai acreditar... — Sirius suspirou pesado. 


— Pior do que a minha situação não foi, pode ter certeza. — James deu um sorriso sem graça. 


— Eu quase beijei a Aurora. 


No mesmo instante, James e Remus, que pareceu acordar de seus devaneios, arregalaram os olhos e tentaram conter a chuva de perguntas sobre o que houve. 


— Como isso aconteceu? 


— Por que "quase"? — Remus fez aspas com os dedos, encarando o Maroto com curiosidade.


— Nós estávamos no Três Vassouras, conversando apenas... daí surgiu um clima que foi destruído pela Hetfield que surgiu toda afobada e arrastou Aurora para longe dali, sem nem mesmo dar explicações. — O rosto de Remus brilhou em compreensão ao mesmo tempo que ganhou a tonalidade avermelhada. — O que houve com você, Aluado? — Sirius perguntou curioso, franzino o cenho. 


— Ah, n-nada, nada... — O Lupin sorriu nervoso. — Eu fui arrastado por Bliss também, para fazer compras... — O garoto terminou a frase num fio de voz, começando a divagar. Coisa que atraiu a curiosidade e atenção dos Marotos presentes. 


— Aconteceu alguma coisa sim. — James semicerrou os olhos e riu do amigo. — Ela te beijou, foi? — Aquela pergunta fez o rosto de Remus quase ficar roxo. 


— Não aconteceu nada! — Respondeu exasperado. 


— Se você diz. — Sirius ainda estava desconfiado mas preferiu não pressionar o amigo, com apenas um olhar, ordenou James a fazer o mesmo. — Agora eu vou descansar um pouco, foi um dia cheio. 


— Nem me diga. — James suspirou se jogando na própria cama. Se antes ele tinha que fazer de tudo para conquistar Lily, agora teria que ser o dobro.



Bliss também arrastou Aurora pelos corredores de Hogwarts em busca de um lugar vazio para conversar a vontade, a garota estava tão ansiosa que mal notava seus esbarrões em outros alunos e cabia à Aurora pedir desculpas o tempo todo, ignorando os olhares de raiva. 


— Bliss, dá pra parar de me levar por ai e dizer logo o que diabos aconteceu?! — A loira pediu, já um pouco irritada.


— Aurorinha, você não vai acreditar! — A garota sussurrou, elas encostaram nas paredes frias do castelo e a sonserina olhou em volta para checar se ninguém estava de olho na conversa delas. — Eu beijei o Remus Lupin sem querer. — Ela sussurrou. 


— Oi?! — Aurora praticamente gritou, fazendo a outra loira encará-la irritada. — Desculpa mas... oi?! — Dessa vez disse num murmúrio. 


— Foi, menina! — Bliss comprimiu os lábios, assentindo de forma frenética. — Eu fui me despedir dele e o garoto virou o rosto, não foi nada demais mas... puta merda, eu senti algo.


Aquela informação fez Aurora tampar a boca para conter um gritinho animado, ela com certeza começou a apoiar aquele casal no mesmo segundo, Bliss e Remus era algo impensável que seria lindo. 


— Algo como? — Perguntou com um sorriso feliz no canto dos lábios, coisa que fez a Hetfield revirar os olhos, já tinha uma ideia do que a lufana estava pensando.


— Esquece, não vai rolar! — Disse com firmeza mas aquilo não convenceu a Hewson nem um pouco. — Aurora, o garoto não suporta nem olhar na minha cara direito, acha mesmo que isso daria certo? — Era para ser uma pergunta retórica. 


— Acho! — A loira assentiu. — Você quem não quer enxergar o que está estampado na sua cara. 


— E o que seria? 


— Você gosta dele e pela primeira vez na vida está insegura consigo mesma. — Despejou de vez nos ombros da sonserina, que ficou indignada. 


— Isso não é verdade! 


— É claro que é! — Aurora riu da reação de Bliss, deixando a sonserina ainda mais indignada. — É a primeira vez que você gosta de alguém e não o contrário, estava acostumada a ter garotos aos seus pés o tempo todo e se sente frustrada por querer um que nunca te deu bola... você parece o James, por Merlim. 


— Não me compare àquele trasgo! — Bliss empurrou a amiga pelo ombro. — Talvez, talvez, você esteja certa mas como disse, ele não me dá bola e não vou ficar correndo atrás de homem nenhum. Isso não é nada do feitio de Bliss Hetfield.


— Eu sei, eu sei... — Aurora riu, sua amiga era teimosa desde sempre e nada mudara. — Aconteceu algo comigo também... — Resolveu tocar no assunto que estava ocupando sua mente. 


— O quê? 


— Acho que Sirius ia me beijar se você não tivesse me tirado de lá a força. — A Hewson confessou fazendo as orbes de Bliss quase pularem para fora e antes que ela abrisse a boca, Aurora foi mais rápida e a tampou com a palma da mão. — Por favor, não grita. 


Bliss estava tão surpresa que mal teve reação a não ser hiperventilar, a sonserina fora pega de surpresa. Afim de comentar algo, ela lambeu a mão de Aurora, que recuou no mesmo instante. 


— Ew, Bliss... — A garota fez cara de nojo e limpou a palma nas vestes da Hetfield. 


— Você ia dar seu primeiro beijinho e eu atrapalhei?! Que tipo de monstro eu sou?!


— Acho que foi melhor assim... — Aurora ficou cabisbaixa de um instante para o outro, dando os ombros. A atitude deixou Bliss confusa. 


— Por que acha isso? 


— Porque seria meu primeiro beijo, como você disse... tem que ser especial, com alguém que goste de mim e tudo mais. — A garota justificou. 


— E não tinha nada disso? — Bliss estava ainda mais confusa. 


— Sirius não gosta de mim. — Aurora riu sem humor. 


— E eu não sou linda. — Bliss ironizou, deixando a outra confusa então resolveu explicar, dando um suspiro. — Aurora, pelo amor de Merlim, está estampado naquela cara de otário do Sirius que ele gosta de você, acho que sempre gostou porque te olhava de forma diferente... só que você era sonsa demais para notar. 


— Eu não sou sonsa! — A Hewson tentou desviar o assunto, sentindo suas bochechas corarem. 


— Está se fazendo de sonsa nesse exato segundo! — Bliss exclamou com veemência, meio irritada. — E tenho certeza que você também gosta daquele trasgo feioso, não estou certa? 


Aurora estava constrangida, talvez tivesse cultivado sentimentos pelo Black rápido demais. 


— Acho que sim, mas é muito rápido para dizer. 


— Minha cara amiga lufana, quando se trata de sentimentos, tempo não existe, é relativo demais. — Bliss sorriu compreensiva. — Se você gosta dele, diz logo antes que termine igual ao Potter. 


— Ah, sei lá... — Aurora deu um suspiro fundo. — Ele é gentil, cavalheiro, carinhoso e muito divertido. — Ela começou a divagar. — Sirius é como uma nuvem, ele é leve, fofo e trás calmaria...


— De fato, às vezes olho pro céu e vejo um animal. — Bliss não aguentou a brincadeira, assistindo a melhor amiga sonhar acordada com um sorriso idiota no rosto. Como consequência, recebeu um olhar feio. — Calma, estou só brincando, fico feliz que você esteja gostando de alguém, mesmo que seja do garoto que quebrou o nariz da sua melhor amiga...


— Bliss, não está ajudando... 


Quando a sonserina abriu a boca para responder uma voz autoritária soou atrás de si, fazendo as duas garotas se assustarem. 


— Senhoritas Hetfield e Hewson, o que ainda estão fazendo nos corredores? — A Professora McGonagall perguntou. 


— Assombração! — Bliss gritou sem querer, colocando a mão no próprio peito e sentindo seus batimentos acelerados. 


— O que disse, Srta. Hetfield? — A mulher arqueou as sobrancelhas, ela fingiu não ter escutado e Bliss sabia disso. 


— Eu disse "que mulherão". — A loira riu nervosamente espiando Aurora de soslaio, a lufana não sabia onde enfiar a cara. — Uma mulher incrível dessas me abordando do nada no corredor, o que mais eu poderia dizer? 


Estava claro no rosto da Professora que ela não tinha comprado aqueles sorrisos cúmplices mas por sorte, ela resolveu relevar daquela vez.


— Por gentileza, vão para o dormitório de vocês. — Pediu olhando para as duas. — Não quero mais encontrá-las depois do horário fofocando pelos corredores, sim? 


— Claro, Professora, tenha uma boa noite. — Aurora sorriu para a mulher e saiu dali, puxando Bliss consigo já que a Sala Comunal de ambas ficavam na mesma direção. 


— Escapamos de uma e tanto, Aurorinha... — Bliss deu um sorriso aliviado. 


— Nem me fale, quase fiz xixi nas minhas calças... — A garota confessou rindo, fazendo a outra gargalhar alto. 


— Eu te amo tanto, Hewson, você alegra meus dias. 


— Eu te amo mais, Hetfield.


𖤍


O café da manhã no dia seguinte era constrangedor e diferente de qualquer outro dia em Hogwarts. Aurora não soube muito bem como aconteceu mas literalmente todos seus amigos estavam sentados na mesa da Lufa-Lufa, as de sempre como Heather, Selene e Diaval, que de bônus trouxe Lily; os Marotos também estavam ali embora ninguém os tivesse convidado, deixando o clima pesado depois do que houve no passeio. 


Lily e Diaval fuzilavam James com o olhar enquanto comiam, o Potter no entanto mal conversava, apenas existia ali. Remus e Bliss não conseguiam nem se olhar mas enquanto um não estava olhando, o outro espiava. Sirius e Aurora estavam envergonhados mas trocavam poucas palavras, ambos com bochechas rubras. Peter parecia obrigado a estar ali. Heather e Selene eram as únicas que se divertiam com a situação. 


— Então... todo mundo parece bem feliz essa manhã, né? — A Reynolds brincou com um sorriso satisfeito enfeitando seus lábios rosados, Heather apenas riu ao seu lado mas decidiu que uma era suficiente para provocar seus colegas. — O dia está lindo, vamos ter algumas aulas juntos... tudo uma maravilha, não acham? — A garota dizia com falsa animação, recebendo respostas desconexas e desanimadas.


— Para com isso. — Heather sussurrou segurando ao máximo seu riso. As duas eram espertas suficiente para deduzirem mais ou menos o que rolava ali julgando as reações de todos e o que elas sabiam. — Remus e Bliss, vamos nos encontrar depois da aula? 


Os dois mencionados se entreolharam antes de voltar a atenção para Heather, que os olhava curiosa. 


— Eu perdi alguma coisa? 


— Não, nada! — Bliss se apressou em dizer. Heather jurou ver Remus murchar um pouco.


— Então tá... — A Martin disse devagar, meio desconfiada dos dois. Ela alternava o olhar entre Bliss e Remus, que pareciam não querer estar ali a todo custo. — Nos encontramos aqui depois das aulas, não se atrasem. — Foi autoritária e eles apenas assentiram. 


Depois disso o silêncio entre eles reinou, todos usando a desculpa da boca estar cheia de comida para não dizer nada, estavam praticamente se empanturrando quando Aurora lembrou-se de algo que ainda não tinha feito, como uma de suas madrinhas havia aconselhado por uma carta há alguns dias.


— Gente, minha madrinha convidou vocês para passarem o Natal e mais alguns dias em casa já que dia vinte e sete é meu aniversário... — Aurora puxou o assunto, ganhando atenção dos amigos. — Todos vocês estão convidados. 


— O Natal eu não prometo nada, Aurorinha, mas seu aniversário não vou faltar, e ainda vou comprar o melhor presente. — James falou pela primeira vez naquela manhã, dando um sorriso orgulhoso para a loira. — Meus pais acham que esse feriado é muito de "família" então fazem questão da nossa presença, não é, Sirius? 


Aurora desviou o olhar para o grifinório que apenas assentiu. Sirius queria passar o Natal com a Hewson mas os Potter convidaram primeiro e seria deselegante desmarcar o compromisso faltando tão pouco tempo, ainda mais com aquela família maravilhosa. 


— Mas prometemos ir no seu aniversário. — Sirius assegurou, dando um sorriso para a loira que correspondeu prontamente.


Aurora não queria parecer desanimada na frente dos outros, mas ela queria a presença de Sirius no Natal. No entanto, ela ficou feliz que o restante de seus amigos confirmou presença já que a maioria deles não se importavam tanto com o feriado, seria legal passar entre amigos pela primeira vez. Lily também iria, a convite de Diaval já que ela e Aurora ainda não tinham tanta intimidade. 


O restante do dia seguiu da mesma forma, apesar de juntos, não falavam muito. Nas aulas em dupla com outras casas, optaram por manter-se separados a maior parte do tempo, aquela fora a primeira vez que Aurora dividiu uma mesa com alunos da Lufa-Lufa naquele ano. No jantar, eles ocuparam suas respectivas mesas, completo do contrário do que fora no café da manhã, com exceção de Aurora e Heather, que se juntaram às sonserinas, era como se nada houvesse mudado. 


— Eu tenho compromisso com a Heather agora, nós nos vemos amanhã? — Bliss perguntou para as outras meninas, que assentiram meio sem opção já que as duas se mandaram dali com Remus no encalço. 


O trio seguiu até a Floresta Proibida, eles sabiam que não tinham nenhuma permissão para estar ali mas haviam combinado de tentar o Feitiço pela primeira vez, julgaram que tinham estudado o suficiente 


— Vocês acham que vai dar certo? — Heather perguntou sentada no tronco de uma árvore, eles não estavam prontos, estavam? Na verdade, e se fossem pegos ali? Seriam expulsos! Ou mortos por alguma criatura, a Martin estava com certeza ansiosa e neurótica quanto àquilo. 


— A gente só vai testar, sabem como isso funciona, não é? — Remus perguntou para as duas, que assentiram em afirmação. 


Bliss precisava de sua lembrança mais feliz, mas sendo sincera consigo mesma, ela tinha uma lembrança feliz? A única que se lembrava e podia ser suficiente para um patrono corpóreo é de quando conheceu suas amigas, antes disso não tinha nada relevante, sua família era um completo porre, um desastre. 


— Pensem bem, vamos conseguir fazer isso. — Remus deu um sorriso para as duas, tentando incentivá-las. — Heather, vai primeiro? 


— Tudo bem... — A Martin parecia incerta, ela estaria mesmo pronta? Não sabia, mas tentou de qualquer forma. Heather fechou os olhos e suspirou fundo, com um movimento elegante da varinha, ela disse o feitiço em bom som. — Expecto Patronum. 


Ela ficou com medo de abrir os olhos mas o fez, deparando-se com um brilho meio azulado vindo de sua varinha, um coiote corria ao seu redor e ela soube o motivo, Heather não ficou muito surpresa por ser um daqueles, era lindo. 


— Heather, você conseguiu! — Bliss exclamou com felicidade, batendo palmas animadas para a amiga. 


— Isso foi demais, não esperaria menos da melhor aluna da Corvinal, ou talvez de toda Hogwarts! — Remus sorriu e abraçou a amiga, rodando-a no ar algumas vezes, ele nem chegou a ver a expressão de Bliss naquele instante. A loira ainda estava orgulhosa pela amiga, mas ela sentia um outro sentimento não muito bom. 


— Conseguiu um Patrono corpóreo na primeira tentativa, Heather, deve estar orgulhosa de si mesma. — Bliss olhou para a melhor amiga, ela parecia radiante, ainda mais com o braço de Remus ao redor de seus ombros. — Você é uma das melhores bruxas da nossa idade, estou realmente feliz por você. — A Hetfield foi sincera. 


Depois foi a vez de Remus, ele praticamente imitou todo aquele “ritual” de Heather, mas tudo o que conseguiu fora uma luz fraca na ponta de sua varinha, não era corpóreo mas tinha algo ali. Para Bliss, não tinha nada, no mesmo instante ela notou que não tinha memória feliz forte suficiente, apesar de amar suas amigas mais do que tudo, se ela quisesse conjurar algo, precisaria de memórias novas.


— Não se sinta mal consigo mesma, é um Feitiço difícil. — Remus comentou depois de minutos de silêncio, eles já estavam voltando para o Castelo. 


— O problema não é o Feitiço em si, é o fato de não ter uma lembrança suficiente! — A garota bufou frustrada. 


— Vai ver você tem, apenas usou a errada... — Remus tentou consolá-la e levantar seu humor. 


— Ou talvez eu só não tenho mesmo... de qualquer forma, obrigada pela ajuda, Remus. — A garota sorriu fraco e deu um toque leve no ombro do Maroto antes de apressar o passo em direção às Masmorras. 


— Nos vemos depois?! — Ele perguntou um pouco alto para Bliss escutar, mas ela não respondeu. 


Notas Finais


Boa tarde, guys! <br />Espero que esse capítulo esteja bom então comentem o que acharam, mesmo que seja pra meter o pau em mim. <br />Vou tentar não demorar para publicar os próximos porque quero terminar essa fanfic logo, já que ela faz parte de uma collab que não foi muito para frente, mas claro que não vou acelerar tudo e fazer mal feito. <br />Até logo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...