1. Spirit Fanfics >
  2. Slepaya lyubov' >
  3. Único

História Slepaya lyubov' - Capítulo 1


Escrita por: Aniverse e notsoufast

Notas do Autor


Agradeço à @Blue_Wave pela betagem incrível e ao @_blue_ivy_ pela capa maravilhosa. <3

Capítulo 1 - Único


Ouviu o ranger da porta sendo arrastada e, logo após, sendo batida suavemente. Conseguiu até mesmo captar o barulho da chave girando na fechadura, assim como os passos pesados de Momota sobre a madeira meio desgastada. Não demorou muito para Kaito achar e ir de encontro ao seu amado, segurando fortemente um objeto entre suas mãos.

Kokichi passava a maior parte do tempo sentado no chão amadeirado, sempre com os olhos fechados, escutando o barulho da fonte que ficava em seu pequeno quintal. Abriu os olhos observando onde pensava que Momota estava parado.Ele desejava muito poder enxergar os orbes arroxeados, aqueles cabelos rebeldes e o sorriso que brilhava mais que o sol no rosto masculino. Sentia até mesmo a falta de ver aquela barbicha feia de doer, semelhante a de um bode.

Kaito apenas se aproximou do mais novo, acariciou os fios macios lentamente, não tardando a se sentar ao seu lado:

— Eu trouxe esse bentō feito pela minha avó.

Tirou com cuidado o pano quadriculado em tons roxos e brancos, abrindo a tampa com cuidado do alimento que já estava quase gelado. Afinal, Kokichi não gostava de comida quente .

— Ainda bem que foi ela que fez, senão eu iria morrer se comesse sua comida. — Kaito bateu de leve na cabeça do Ouma vendo-o soltar uma risada fraca.

Pegou os hashis puxando uma quantia de arroz e os direcionou até a boca do outro.

— Abra — falou. Kokichi abriu os lábios recebendo de bom grado o arroz em sua boca.

Após o término da refeição trazida pelo amado, limpou seus lábios com um guardanapo que veio junto do bentō e, em seguida, apenas colocou tudo ao seu lado. Mais tarde levaria para casa dos avós de Kaito já limpos. 

— Kokichi, tenho duas perguntas. — O Ouma murmurou em resposta, indicando para ele continuar. — Por que você sempre fica aqui do lado de fora ao invés de ficar no seu quarto?

— Eu sou cego Kaito, é impossível eu ir sozinho até o meu quarto. 

Era mentira. Kokichi conhecia a casa dele como a palma da mão. Momota o ajudava a se locomover por ela quando perdeu a visão.

— Segundo, por que você não me deixa te levar ao médico?

— Credo. Deus me livre ir ao médico, ele vai usar agulhas e eu as odeio. — Kaito franziu o cenho.

— Não tem porquê você ter tanto medo de agulha, é como levar um beliscão.

— Até parece. Desista Kaito, não tem quem faça eu ir até a clínica.

Momota suspirou, Kokichi podia ter vinte e quatro anos mas ainda parecia uma criança, era um medo bobo mas não deixava de achar uma graça.

Sentiu sua manga ser puxada pelo namorado, Kokichi fazia isso quando queria se sentar no colo do outro. Dito e feito, Kaito puxou e posicionou o namorado com leveza em suas pernas.

Ouma posicionou sua orelha no peito do namorado, especificamente do lado esquerdo, Kaito, por sua vez, apertou Kokichi em seus braços e depositou-lhe um beijo no topo da cabeça.

Quando Kaito não estava, o seu único conforto era aquela pequena fonte, a água morna que caía sobre  os esteatitos, os barulhos de pássaros tomando banho nela. As coisas mais simples da natureza aqueciam o coração de Kokichi, mas nada supera o pulsar do coração do seu amor.


Notas Finais


Fiquei muito feliz de ter escrito essa fanfic, espero que vocês tenham gostado dela tanto quanto eu. <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...