1. Spirit Fanfics >
  2. Slow Down - Creek - Bunny - Style >
  3. Capitulo 3.2

História Slow Down - Creek - Bunny - Style - Capítulo 32


Escrita por:


Notas do Autor


E aqui que começamos o arco 3 >:3 com a desgraça do coitado do Kyle e do Butters nas maos do Stan ;( como sera q ta a vida deles??

Estou fazendo um jornal diariamente ou em uma pausa de dois dias sobre os meninos da fic, sejam bem vindo a dar uma olhadinha ;3

Craig >>>>>>> https://www.spiritfanfiction.com/jornais/mais-sobre-os-personagens-de-slow-down--craig-tucker-21669847
Stan >>>>>>> https://www.spiritfanfiction.com/jornais/mais-sobre-os-personagens-de-slow-down--stan-marsh-21676780
Kyle >>>>>>> https://www.spiritfanfiction.com/jornais/mais-sobre-os-personagens-de-slow-down--kyle-broflovski-21695020

Boa leitura <3

Capítulo 32 - Capitulo 3.2


Fanfic / Fanfiction Slow Down - Creek - Bunny - Style - Capítulo 32 - Capitulo 3.2

Kenny McCormick

E la estávamos nos de novo, dentro de um carro alugado seguindo disfarçadamente o carro de Wendy e Stan.

Desde de que havíamos saído de South Park eu estava fingindo ser uma mulher, que, eu ainda não tinha dado conta de decorar o nome, meu amado e machista marido era o Craig, com uma identidade de um homem de 25 anos, eu também não decorei o nome dele ainda.

A questão é, Wendy e Stan não paravam na porra de um lugar! Eles viajam a merda do país inteiro no carro – provavelmente roubado – deles e claro, levavam Butters e Kyle com eles, meu Butters tá ali! E eu não posso chegar chutando a cara da Wendy por que nos já descobrimos que pra onde ela vai ela leva a pistola dela junto, eu ainda não sei como ela nasceu tao cagada de sorte a ponto da polícia não ter interferido contra eles nenhuma vez!

E agora estávamos em mais uma perseguição corriqueira, tentando descobrir onde caralhos os dois estavam hospedados – se bem que essa hospedagem não ia durar mais do que 1 semana – enquanto eu terminava de tomar meu refrigerante que tinha pedido no shopping, bem que o Craig podia ir mais devagar com essa bosta.

Finalmente o carro havia parado, eu apenas olhei pela janela, vendo agora Stan e Wendy saindo com sacolas na mão e entrando em um hotel 5 estrelas – não sei de onde caralhos eles tão tirando tanto dinheiro – nos dando a informação de onde eles estavam hospedados.

– Conseguimos – Craig respirou aliviado, pegando o celular e fotografando o local várias vezes.

– Se ficar fotografando desse jeito, eles vão descobrir que estamos atrás deles – Disse.

– Eles já entraram no apartamento, não enche! - Respondeu com ignorância, me fazendo revirar os olhos.

– Nem imagino o que Butters e Kyle estão passando com eles – Suspirei, eu estava sentindo muitas saudades de Butters, muitas mesmo.

– Logo nos vamos tirar eles de la, já temos o local, só precisamos ver um jeito de agir rápido, antes que eles se mudem de estado de novo – Parou de fotografar, gravando o celular e ligando o carro de novo.

Apenas encostei minha cara no vidro, olhando tristemente para aquele apartamento, Butters estava ali dentro, tudo que eu queria era entrar ali, o tirar dali e falar que estava tudo bem, que ele ia voltar pra casa e agora ia ficar seguro…mas eu não podia, se eu morresse ali, mesmo que eu fosse imortal e fosse reviver em South Park, ia foder com todas e quaisquer chances de o ter de volta, então eu tinha que me segurar.

Ser imortal não significava que eu podia fazer tudo.

Kyle Broflovski

A quanto tempo estamos com eles? Já tem meses? Eu não sei…

Eu perdi a noção de tempo. Estava deitado naquela cama de hotel, em um quarto trancado, olhando para o teto e contando os minutos, se eu estiver certo a porta vai se abrir.

Escutei o barulho da porta ranger assim que pensei nisso, eles sempre demoravam cerca de 20 minutos para voltar, 20 minutos seria tempo o suficiente para fugir? Mas como fugir se eu se quer sei em que pais, estado, ou sei la estamos? Como vamos voltar para South Park sem dinheiro? O.k. que podíamos ir ate a polícia, mas o que íamos falar? Seria convincente? E como fugir?

– Kye… - Butters segurou minha mão, ele estava ao meu lado.

Desde de que havíamos sido raptados por Wendy e Stan, eu protegia aquele loiro como se ele fosse minha própria vida, não deixei Stan tocar uma vez nele, nem Wendy, em troca eu fazia tudo que eles queriam, literalmente tudo, as vezes Stan saia e Wendy me humilhava sem que ele soubesse e então, ameaçava Butters caso eu contasse algo.

Tinham vezes que ela chegava a me machucar, me machucar a sério, e depois falar a Stan que eu cai ou que me machuquei de propósito por que estava infeliz.

Eu não aguento mais ficar aqui, não aguento mais essa vida, sinto que a cada segundo que passa eu estou perdendo o propósito para viver. O único motivo de eu ainda não ter acabado com tudo e esse loiro, se eu morrer, ele morre também e Kenny nunca vai me perdoar, eu sei que Kenny está vivo, está atrás da gente, ele nunca ia desistir de Butters, já eu, estou com a pessoa que tanto amo, mas não é do jeito que eu quero.

Eu não reconheço mais Stan, aqueles olhos, aquela pessoa, ele não é o Stan Marsh que conheci em minha infância e que eu me apaixonei, não é mais ele.

– Vai ficar tudo bem…eles devem ter só ido comprar comida… - Disse, puxando o loiro para mais perto de mim naquela cama de solteiro, haviam duas, mas Butters sempre ficava com medo e preferia ficar ao meu lado.

– Eu espero que sim…eu quero ir pra casa Kye… - Encostou o rosto contra meu peito, agora chorando.

– Nos vamos pra casa, não se preocupa, logo o Kenny vai salvar a gente… - Beijei a testa dele, acariciando seus cabelos loiros, tentando o acalmar.

– Eles não vão mais te machucar né? Eu não gosto de te ouvir sofrer… - Choramingou.

Eu não podia prometer que não, nem confirmar a ele uma resposta sobre isso, era obvio que eu ainda tinha muito a sofrer, tanto nas mãos de Wendy quanto nas de Stan, mesmo que nesses dias ele tenha respeitado meus ‘’Nãos’’ a paciência dele estava se esgotando, logo, eu teria que voltar a aceitar suas ameaças, pelo bem de Butters.

– Eu…eu…não sei Butters… - Suspirei, sentindo o loiro se agarrar mais a mim.

Logo escutei os passos vindos do lado de fora na direção da porta de nosso cativeiro, empurrei Butters um pouco e ele entendeu, se levantou apressado e foi se deitar na outra cama, agora virado para a parede.

Já tinha um tempo que eu não conseguia mais esboçar reação alguma, apenas os obedecer e fazer suas vontades como um boneco, e eu amava ver como isso incomodava Stan e tinha sido o principal motivo de ele ter começado a ouvir meus nãos. Já Wendy, também estava incomodada, tinha parado de me torturar igual antes, a graça pra ela vinha quando eu tinha reação sobre as palavras e ações que ela tinha contra minha pessoa

- Kyle, trouxemos lanches pros dois, sei que estão com fome e já tem tempo que não comem algo tipo um lanche… - Stan colocou as sacolas no chão, eu apenas me sentei na cama, sem se quer olhar para a cara dele. Eu não queria olhar para ele.

Me levantei pegando as sacolas, ainda sem o olhar e cutuquei Butters, que se virou e me olhou com brilho nos olhos. Ele ainda tinha vida, e eu protegerei essa vida que ele tinha até o final, para que ele não ficasse igual a mim.

– Kye eles trouxeram lanches! - Butters disse, animado.

– To vendo, toma – Respondi seco, entregando para ele, que desembrulhou seu lanche as pressas.

– Obrigado… - Sorriu para Stan, agora enchendo a boca de batatas fritas.

– Não agradeça – Disse seco, fazendo ele baixar um pouco a cabeça, tristemente.

– De nada Butters – Stan respondeu e logo, eu senti seu olhar ser direcionado a mim, mas não o olhei, apenas comi em silêncio – Depois que terminarem eu venho pegar você, Kyle.

Apenas murmurei um ‘hurum’ e o vi estralar a língua, irritado, ato que me arrancou um sorriso, ver ele e Wendy sofrerem era como um remédio para mim. Comemos em silêncio, minha ignorância havia feito Butters perder a vontade de conversar sobre qualquer coisa, ou manter aquele ânimo, mas, minha ignorância era necessária, Stan havia tentado matar ele e agora estava nos prendendo em cativeiro, por que esse loiro ainda insistia em agradecer as coisas que ele fazia? Eu nunca ia me submeter a isso, nunca mesmo.

Eu tinha medo do que eles iam fazer comigo, mas já tinham semanas que eu havia perdido a capacidade de esboçar meus sentimentos.

Stan Marsh

– Que cara é essa, querido – Escutei a voz enjoativa de Wendy perguntar, ela estava sentada no sofá, quando me virei para ela, a vi me lançar um olhar malicioso – cade o ruivinho?

– Comendo, deixa ele comer primeiro – Suspirei, me sentando ao sofá.

– Que merda, você não quis ontem, não quis antes de ontem e agora tá esperando ele comer!? Quando vamos transar de novo!? Você só aceita quando ele tá no meio! - Bufou, socando uma almofada.

– Não é a mesma coisa se ele não esboça nada, ele nem geme mais! Os olhos dele se quer tem vida! - Praticamente gritei.

Eu ainda sentia que sequestrar Kyle e o submeter a ter sexo e outras coisas com Wendy junto não tinha sido a melhor ideia

– Isso é normal quando você sequestra alguém e praticamente estupra ela – Disse, era incrível como ela não conseguia sentir remorso por nada, nem esboçar pena nenhuma por eles.

– Não é desse jeito que eu quero – Respondi, tristemente.

– Então, que tal dar uns remedinhos para ele? Ele vai se animar por e vai voltar a reagir – Propos.

– Remédios?… - Levantei uma sobrancelha, agora olhando para ela, de fato aquilo era interessante.

– Sim, uns estimulantezinhos, vão ajudar ele a ficar bom e com vida rapidinho – Sorriu.

– Você quer drogar ele pra ele voltar a ser o que era!? Isso é mais errado ainda! -

– Mas é o único jeito de você voltar a ter o Kyle de antes de volta, seu idiota! Mas se não quer, prefere ser bonzinho, então se vira pra fazer ele se sentir bem estando em cativeiro – Revirou os olhos.

Eu apenas olhei para a parede, refletindo sobre a ideia de Wendy, de certo eu queria ter o Kyle de antes de volta, mas drogar ele para que ele voltasse a ser o que era, era realmente a melhor ideia? Eu não sabia, mas eu já tinha feito merda pra caralho, o que é mais uma pra lista? Olhei para a Wendy de novo e respirei fundo.

– O.k., me dá esses estimulantes, eu vou dar pra ele – Estiquei a mão em sua direção.

– E disso que eu gosto… - Lambeu os lábios, pegando a bolsa que estava em cima do balcão.

Tweek Tweak

Eu estava dando mamadeira ao filho de Damien, ele era uma graça, parecia ter puxado mais do Pip do que do Damien, sim, ele tinha poderes de demônio iguais aos de Damien, mas ele só os usava as vezes e havíamos descoberto que era quando ele tinha emoções muito fortes, ele sempre acabava ateando fogo a algo, sempre que isso acontecia eu ficava nervoso demais! Não sabia como reagir! Mas nessa parte, graças a deus, Damien sabia como controlar e cuidar do filho.

Mas eu ainda estava incrédulo em como ele não tinha dado um nome para essa criança! Ele precisava dar logo, não podíamos chamar ele de ‘o bebe’ pra sempre.

– Q-Quando…quando você vai dar um nome? - Tomei coragem para perguntar, Damien estava me olhando tão fixamente que eu estava ficando até com medo.

– Ainda não tive coragem pra isso – Respondeu, agora tendo seu rosto tomado por um semblante triste.

– C-Coragem? - Perguntei, confuso

– Sim…eu acho que vejo muito do Pip nele, não se é por ele ser loiro, mas eu não consigo, sempre que penso em qualquer nome, apenas o de Pip vem em minha cabeça… - Suspirou.

– E-Eu…eu te entendo… - Baixei a cabeça, olhando um pouco para o bebe, que agora tomava o leite de olhos fechados.

Eu entendia Damien, para onde eu olhava eu via Craig, qualquer pessoa com um conjunto azul na rua me lembrava o Craig, me fazia achar que ele voltou, seria eu o errado por namorar Clyde e ainda pensar em outro garoto?

Mas Craig estava morto, não tinha como reverter a morte dele igual à de Kenny. Nem me dei conta quando as lágrimas começaram a escorrer por meu rosto.

Eu sentia falta de Craig Tucker, sentia falta demais e desejava que por um milagre divino ele revivesse, apenas para que pudéssemos conversar, para que eu pudesse uma última vez um ‘eu te amo’.

Mas eu certamente encontraria a Wendy, ela e Stan iam pagar.


Notas Finais


E agora??? o que sera da saude mental de Kyle? Stan esta planejando o obrigar a ter sentimentos dnv, isso vai piorar a situação psicologica de Kyle ou nao?????
Craig e Kenny sabem onde os dois estão agora, eles vao tentar os resgatar ou Wendy e Stan vao mudar de lugar dnv???
Descubram no prox ;3

Ola de novo, sabiam que tenho outras duas fanfics???? Deiam uma olhada!:


https://www.spiritfanfiction.com/historia/o-inicio-de-uma-era--o-ultimo-elfo-21655784
https://www.spiritfanfiction.com/historia/fingerbang-21607974


Jornais:
Craig>>>>>> https://www.spiritfanfiction.com/jornais/mais-sobre-os-personagens-de-slow-down--craig-tucker-21669847
Stan >>>>>> https://www.spiritfanfiction.com/jornais/mais-sobre-os-personagens-de-slow-down--stan-marsh-21676780
Kyle >>>>> https://www.spiritfanfiction.com/jornais/mais-sobre-os-personagens-de-slow-down--kyle-broflovski-21695020


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...