1. Spirit Fanfics >
  2. Slow Down - Creek - Bunny - Style >
  3. Capitulo 3.3

História Slow Down - Creek - Bunny - Style - Capítulo 33


Escrita por:


Notas do Autor


Capitulo quentissimo (literalmente) da madrugada pra vcs e.e maaaas voces vao me odiar pois não sao de um shipp tao agradavel e o outro ja se tornou abusivo...mas vou ter que cortar o Lemon tbm e dxar pro cap de amanha a tarde, espero q n me odeiem tanto, bjinhos <3

Estou fazendo um jornal diariamente ou em uma pausa de dois dias sobre os meninos da fic, sejam bem vindo a dar uma olhadinha ;3

Craig >>>>>>> https://www.spiritfanfiction.com/jornais/mais-sobre-os-personagens-de-slow-down--craig-tucker-21669847
Stan >>>>>>> https://www.spiritfanfiction.com/jornais/mais-sobre-os-personagens-de-slow-down--stan-marsh-21676780
Kyle >>>>>>> https://www.spiritfanfiction.com/jornais/mais-sobre-os-personagens-de-slow-down--kyle-broflovski-21695020

Boa leitura <3

Capítulo 33 - Capitulo 3.3


Fanfic / Fanfiction Slow Down - Creek - Bunny - Style - Capítulo 33 - Capitulo 3.3

Kyle Broflovski

Eu estava ansioso, minha perna não parava de tremer. Stan tinha dito que queria falar comigo, eu imaginava mais ou menos o que ele queria, mas não estava nem a fim de que essa hora chegasse.

Estou a semanas negando os toques dele e de Wendy, a semanas recusando seus pedidos, com certeza agora eles iam inventar uma ameaça nova ou algo ainda pior para que eu cedesse, mas eu não ia me entregar tão fácil, meus planos eram continuar sem esboçar meus sentimentos – ato que não era mais tão complicado, desde de que eu havia perdido essa capacidade de os demonstrar – assim, talvez eles me matassem logo (o que era difícil, por que o Stan me ama, segundo o que ele fala) ou me deixassem em paz, sei la.

Escutei o som da porta se abrir, minha respiração trancou no mesmo momento que o ranger daquela porta se fez presente em meus ouvidos. Não olhei para la, eu não queria encarar aqueles olhos de Stan, aquele não era meu Stan.

– Kye… - O escutei chamar, Butters já havia direcionada a atenção para ele também.

– O que foi? - Respondi seco, Butters estava comendo ao meu lado, ele havia engatinhado para cá.

De uns tempos pra cá, nossa proximidade havia aumentado, não sei se por eu estar o protegendo tanto ou se por ele ter apenas a mim no meio desse fim de mundo.

– Preciso que tome esses remédios…são…hum…calmantes… - Balbuciou, não eram calmantes… talvez fosse veneno com formato de remédio? Eu não sei, mas se fosse seria ótimo, assim eu me livraria de toda a dor.

Não respondi nada, apenas estiquei a mão em sua direção, deixando que ele me desse o copo de água e as pastilhas, o cheiro delas era bom, não tinha como ser veneno…ou tinha? Engoli aquilo sem nem pensar, e ao devolver o copo de água, vi Stan sorrir da porta, um sorriso malicioso, o que ele havia me dado?

Apenas o vi fechar a porta sem falar mais nenhuma palavra, sentindo a mão de Butters agora apertar a minha, a apertei de volta, forçando um sorriso para ele.

– O que foi isso que ele te deu?… - Perguntou, preocupado

– Eu não sei Butters…não faço ideia, vamos descansar o.k.? Eles provavelmente vão querer mudar de estado, cidade ou até de pais de novo – Empurrei as sacolas para o lado, apalpando o colchão, vendo agora Butters sorrir e vir se deitar ao meu lado.

O abracei, fechando meus olhos e tentando descansar, precisava descansar, logo minha rotina voltaria a ser a mesma, surras da Wendy em horários que Stan estivesse fora de casa e sexo com os dois a noite, seria horrível.

Mas com o passar do tempo, eu não conseguia pegar no sono, não conseguia pensar em nada, meu corpo estava esquentando, não, estava queimando! Me sentei na cama, ofegante, vendo Butters me olhar preocupado e perguntar o que estava acontecendo, mas, eu não tinha forças pra responder ele, eu precisava de alguém, precisava transar com alguém, agora!

Me levantei, tentando abrir a porta, mas parei e escorreguei por ela quando me lembrei que estava trancada, o que o desgraçado do Stan havia me dado? Meu corpo está pegando fogo, meu pau está pegando fogo! Que porra ele me deu!?

– Kye, o que foi!? - Senti a porta abrir e cai nos pés de Stan, vendo agora ele me olhar chocado, mas esse olhar não durar nem um minuto direito.

Em questão de segundos sua expressão havia mudado e ele estava sorrindo com malícia, agora agachando em minha frente e me segurando por meu queixo.

– Wendy me disse que não ia durar nem meia hora para que tivesse efeito…mas eu não acreditei, olha pra você – Acariciou minha bochecha, eu apenas me sentia mais quente a cada minuto, precisava dele, precisava daquilo.

– P-Por favor…Stan… - Implorei, tentando desabotoar suas calças.

Eu não podia estar fazendo isso, eu não quero isso, não, não, não, eu não quero! Eu não quero! Eu não quero reagir a ele, eu não quero transar com ele, não quero mesmo.

– Eu vou te ajudar Kye, eu vou…se acalme – Me puxou para mais perto, beijando minha testa.

Eu praticamente gemia sem ter qualquer estimulo, sem ser tocado. Mas eu não quero estar com ele, aqueles olhos não são do Stan que eu amo…eu quero o Stan de volta…Quero o Stan Marsh do fundamental que não me drogaria para ter sexo de volta, aquele Stan que eu amava nunca ia fazer isso, por que ele ficou assim? Por que…?

Minha mente apenas se tornou um borrão turvo que conseguia apensar pensar em sexo, esqueci sobre tudo, sobre minha falta de sentimentos, sobre qualquer coisa e me agarrei a cintura de Stan, implorando enquanto o via sorrir para mim e tomar meus lábios em um beijo intenso, ao qual me agarrei sem pensar duas vezes.

Craig Tucker

– Eu estudei mais sobre o apartamento – A mesinha a minha frente era velha e gelada, uma mesa de metal.

Kenny estava tirando o vestido, corei ao olhar para ele e ver que ele estava nu, sério que ele tinha tirado até a cueca!? Corei na mesma hora e voltei meu olhar ao monte de papéis que estavam a minha frente.

– Serio? E ai, como vamos invadir? Já pensou em trabalhar pro FBI? Acho que a maior parte dos casos ia se resolver se você ingressasse la – Riu, se aproximando.

Tive medo de olhar para ele e ver seu pau, então continuei corado olhando para o mapa da estrutura do apartamento que eu estava desenhando – bem mal por sinal, os mapas de Kenny eram bem melhores.

– Isso tá horrível cara! - Disse, se aproximando mais para pegar o papel

– N-Não! - Gritei, colocando as mãos para que ele se afastasse e me virando para ele, claro que, de olhos fechados.

– O que? Ficou louco? - Riu – Eu já botei a cueca, Tucker, se é isso que tanto o preocupa – Empurrou minha testa com o dedo.

Isso havia me feito abrir os olhos devido a dor mínima presente em minha testa, na mesma hora dei de cara com um Kenny McCormick apenas com uma cueca apertada a minha frente, corei na mesma hora, sentindo meu próprio corpo esquentar

– É s-so um protótipo, vai ficar melhor! - Voltei a rabiscar desesperado, vamos la Tucker, se controla

De certo que eu tinha certeza que Kenny era bi ou pan, no fundamental e até no ensino médio ele havia ficado com muitas garotas e garotos, até com uma garota trans de nossa escola, mas eu, eu não conseguia me sentir excitado nem atraído por qualquer garota, eu era totalmente gay.

E eu estava ficando excitado em ver meu melhor amigo com uma cueca marcando seu pau no meio daquele quarto de hotel barato.

– Você tá vermelho, pegou uma gripe? Também com nosso figurino que nunca mudamos, até eu ficaria doente – Senti ele se aproximar, agora botando a mão em minha testa.

– N-Não! - Gemi, fechando os olhos com força e já sentindo pequenas lágrimas se formarem no canto de meus olhos, por que logo eu tinha que passar por isso???

Vamos la Craig, ele é ativo, você também é, você não gosta de ser dominado e ele é o McCormick, ele ama dominar e provocar! Não vai dar certo, você já ama outra pessoa, mas se nos pudéssemos transar pra nos aliviar ia ser ótimo….NÃO! Muda o pensamento! Pensa em garotos submissos, é isso ia me ajudar.

Nesse meio tempo que Kenny havia murmurado algo como ‘vou pegar um termômetro’ eu tentava ter algo como o Kyle por exemplo, em baixo de mim, ou o Tweek…sim…ter eles dois gemendo e implorando por mais… só que, a imagem de Kenny em cima de mim praticamente me fez gritar! E é, eu gritei.

– CARALHO TUCKER! - Kenny veio correndo, com vários pacotes em mãos – O que foi porra!? -

– E-Eu…eu… Kenny… - Senti as lágrimas escorrerem por meu rosto – eu to excitado em ver você assim…

De fato eu estava uma bagunça apenas por pensar nele dessa forma. O vi parar, olhar para mim de cima a baixo e colocar a mão na boca se segurando para não rir, eu por outro lado me enchi de ódio ao o ver rir de mim daquele jeito.

– Vai…Vai se foder! - Gritei, pegando uma almofada e jogando nele.

– Calma porra! Se acalma – Ele ria, com as mãos na frente do corpo, pegando as almofadas todas que eu jogava, enquanto tinha um surto e gritava entre lágrimas – CALMA! - veio correndo e praticamente se jogou em cima de mim.

A cadeira giratória em que eu estava sentado, acabou não aguentando o peso de duas pessoas e tombou, dando a seguinte cena; Kenny em cima de mim apenas de cueca, ambos com os lábios próximos, enquanto eu estava com os braços abertos e as pernas entorno de sua cintura.

Ao se quer imaginar a cena em minha cabeça, corei e coloquei as duas mãos no rosto dele, o empurrando, enquanto havia voltado a gritar, eu não sou passivo! Nunca vou ser! Não posso ficar com o Kenny, não posso e não vou!

– MMM…Craifh… - Ele tentava falar e tirar minhas mãos que ainda empurravam sua cara para longe da minha.

Apenas respirei fundo e tentei controlar meu surto, tirando as mãos primeiramente de seu rosto, agora encarando Kenny McCormick, que de perto conseguia ser mais bonito e gostoso do que de longe…QUE PORRA EU TO PENSANDO!? Corei de novo e agora coloquei as duas mãos em minha própria cara, na tentativa de me controlar.

– Ei, Ei! - Segurou meus braços, impedindo que eu continuasse me punindo com minhas próprias mãos para acalmar meu surto – Não é errado você querer isso….eu também quero, desde a escola – Agora ele que estava corado e tinha desviando o olhar.

Como assim ele queria desde a escola??? Que porra é essa do nada!?

– Eu…quero ficar com você, mas minha cabeça diz que é errado, eu não posso ser…dominado… - Falei a última parte baixo, desviando o olhar antes que a vergonha me matasse, me fizesse explodir, sei la! Qualquer merda!

Kenny apenas riu, o que me fez imediatamente tentar levantar, isso já era demais pra mim.

– Ei, calma! - Me segurou, impedindo que eu me levantasse – Fala sério Craig, isso é tão brega – Riu de novo, me fazendo morder o lábio pela vergonha e pela pontada de raiva que eu sentia ao o ouvir dizer aquelas coisas – Por que não tenta experimentar?

– Experimentar?… - Repeti.

– Sim, comigo…talvez você goste – Agora ele que mordia o lábio, pela sua cueca eu já conseguia sentir que ele estava excitado, sua ereção já roçava a minha, me fazendo soltar pequenos gemidos.

Puta merda, estou a tanto tempo sem transar que eu quero foder com Kenny McCormick! Vocês entendem a gravidade do problema!?

Respirei fundo, agora controlando minha ansiedade e fechei meus olhos, passando os braços entorno do pescoço de McCormick e vendo ele apoiar suas mãos sobre minhas costas, me inclinando e ajudando que eu tivesse mais aproximação com seus lábios.

Quando me dei conta, eu estava beijando Kenny McCormick e nos dois estávamos esfregando nossas ereções que, para mim pelo menos, já estava dolorida dentro da calça.

Beijar Kenny era bom pra caralho, tipo, acho que de todo mundo com que já fiquei, do fundamental até hoje, ele é a pessoa que mais sabe o que tá fazendo, será que é por que ele já ficou com metade da cidade? Eu não sei, mas também não queria saber, não dei importância, apenas desfrutei daquele beijo e da sensação de prazer, Me agarrei com mais força a ele, deixando que ele ditasse o ritmo, que me dominasse.

Pela primeira vez eu ia experimentar algo diferente, ia sair da minha bolha e talvez Kenny fosse a melhor pessoa para com quem fazer isso, ele era experiente. Deixei com que sua língua adentrasse minha boca e me dominasse por completo, enquanto já sentia suas mãos desabotoarem minhas calças e as tirarem sem muita pressa, aproveitando cada segundo em que nossos lábios estavam colados.

Aquela ia ser uma noite do caralho (literalmente).


Notas Finais


Nada a comentar, vcs ja sabem oq vai acontecer no prox cap smdkasmksdma e.e ent eh isso, ate o cap de amanha a tarde.
So digo uma coisa: coragem pra quem ainda shippa o Stan e o Kyle, pq olha...nessa fic...

Ola de novo, sabiam que tenho outras duas fanfics???? Deiam uma olhada!:


https://www.spiritfanfiction.com/historia/o-inicio-de-uma-era--o-ultimo-elfo-21655784
https://www.spiritfanfiction.com/historia/fingerbang-21607974


Jornais:
Craig>>>>>> https://www.spiritfanfiction.com/jornais/mais-sobre-os-personagens-de-slow-down--craig-tucker-21669847
Stan >>>>>> https://www.spiritfanfiction.com/jornais/mais-sobre-os-personagens-de-slow-down--stan-marsh-21676780
Kyle >>>>> https://www.spiritfanfiction.com/jornais/mais-sobre-os-personagens-de-slow-down--kyle-broflovski-21695020


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...