História Slow Down - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Kai, Lay, Suho, Xiumin
Tags Exo, Kaibaek, Yaoi
Visualizações 277
Palavras 3.483
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


a escritora mais xixi do site voltou

Bom, eu tenho que me explicar nehh?

eu não gostei do extra que eu tinha feito, meus leitores não gostaram, ninguém gostou porque 'tava um lixo

então, depois de muito refletir, de assistir muito porno 3some e de tomar vergonha na cara... Eu apaguei tudo e refiz.

Eu comecei a escrever na madrugada de quinta, ai eu dormi, ai eu acordei as 15:00 de sexta e fiquei escrevendo até as 06:30 de hoje (agr são 07:07) ;------------------- que meu esforço tenha algum valor obrigada

e eu foquei bastante na relação KaiXing pq eu achei que eles mereciam uma explicação :v

no primeiro cap eu digo que "YiXing é o parsa pra todas as horas" mas na verdade ele é o ex do jongas e pá pá pá, todo mundo já viu, todo mundo já sabe. só que tirando isso, esse cap não tem absolutamente nada a ver com o outro! Por favor leiam :')

eu gostei de como está, e eu espero mesmo que vocês gostem.

Capítulo 2 - Capítulo extra


 

Zhang sentia uma extrema dificuldade de achar algum pornô decente. Ele particularmente gostava de pornô lésbico japonês, as garotas eram menos forçadas e mais bonitas, mas não sabia se os outros dois iriam aprovar, porque bom... Né? Mas realmente não achara nada de interessante, então que se foda, colocara em um de seus vídeos favoritos e o deixara reproduzindo.

Afinal a casa é sua, então a escolha do pornô também seria.

Retirara suas roupas, ficando apenas de roupa íntima, deixando-as dobradas sobre a poltrona.

E JongIn já conhecia os gostos de YiXing, além do que já citei, ele adorava fetiches, mesmo que não os praticasse. E se fosse esse tipo de vídeo, seu Cheguinho lindinho ficaria extremamente desconfortável; achava-o inocente demais, ele era tímido, e não conhecia bem esse tipo de coisa.

Ficara aliviado ao ver a televisão enorme e não ter ninguém apanhando ali.  BaekHyun encontrava-se em seu colo, com o corpo coberto por um roupão, as pernas grossas circulavam sua cintura e o rostinho mantinha-se escondido em seu peito. Porquê ter Baek nos braços era a melhor sensação que poderia sentir, não sabia, mas tinha anseio por ter a pele dele roçando na sua e ter o cheiro de leite dele lhe tomando os sentidos. Deixara um selinho na cartilagem da orelha pequena, colocando seu namoradinho no enorme sofá daquela sala de estar.

O menino Byun encolhera-se dentro do roupão, não sabia nem para onde olhar, não queria encarar YiXing e muito menos as moças na televisão, e não achara que sentiria tanta vergonha, parecia uma ótima ideia; queria ganhar experiência, achava-se muito bobo e era mesmo. Contudo... Naquele momento... Sentia seu coração querer sair do corpo.

Não queria nem a pau ficar longe de JongIn, seria ainda mais vergonhoso, porém, como se ele lesse sua mente, o fodido resolvera conversar a sós com o Zhang. Baek não era um pessoa violenta, longe disso, só que não ser uma pessoa violenta não acabava com a sua vontade de socar a cara bonita do namorado até aquele nariz amaçado dele ficar mais amaçado ainda!

YiXing franzira o cenho, seguindo o mais alto para dentro de um dos quartos, mais especificamente o seu, estranhou quando ele começara a abrir suas gavetas e olhar dentro de seu armário assim que pôs os pés dentro do cômodo.

– Ei, o que acha que está fazendo?! – O loiro tentara conter o Kim tocando seu ombro, contudo este o estapeara a mão, abaixando-se para olhar debaixo da cama. Bingo. – Kai, que porra você a–  Para de falar assim que mirara dois saquinhos nas mãos alheias. Um continha maconha, o outro, cigarros já prontos.

– 'Cê é loiro? Eu já falei ‘pra tu não deixar essa merda no chão. Tu não muda, né, Lay? – Pronunciara debochado, deixando o menor um pouco sem jeito por ser repreendido daquela forma. – Porra, tem que colocar num lugar alto, enrolado num pano com perfume, ‘pra cachorro nenhum farejar.

– E por que algum cachorro iria farejar? Esqueceu que não sou eu que mora perto de boca-de-fumo? Daquela favela onde você se enfia eu passo longe. – Porra... YiXing tinha cutucado a onça com vara curta, ‘tava pedindo pra apanhar... Mas não como nos fetiches.

– Cala a boca, falar isso não vai apagar o fato de que tu adora ir foder lá em casa, riquinho de merda. – Resmungara o apelidinho carinhoso, e, bom, o menor queria mesmo, real oficial, retrucar e fazer o moreno engolir suas palavras, contudo, conteve-se ao ter um breve flashback das muitas vezes em que enroscara-se com o Kim na cama quebrada dele. – E essa erva aqui? Não lembro de ter te vendido tanto... ‘Tá comprando de outro? É do Lu Han? Aquele putinho chinês arrombado... Isso é papel picado, para de ser otário.

– Olha só, veio aqui só para pegar os meus baseados e ficar criticando tudo e todos?

– Não. Não exatamente. – Retirara um cigarro do saquinho, deixando este e o outro sobre a cama. –  Quero colocar umas regras antes de começarmos. Me dá um isqueiro.

– Por que vai fumar isso? Você não acabou de dizer que era papel picado? – Zhang caminhara rapidamente até seu criado mudo, tirando um isqueiro de embalagem transparente dali de dentro, então fora até o outro, que já tinha o baseado entre os lábios e o acendera, vendo imediatamente JongIn tragar e soltar a fumaça pelo nariz.

– Eu preciso relaxar pra suportar a cagada que eu vou fazer.  E essa porra tem um gosto horrível. – Rira baixinho.  

– Se não quer fazer por que tá fazendo? Sinceramente, achei que nossa relação agora não passasse de cliente e fornecedor e olhe lá. Mas ai você resolve aparecer aqui pra transar com o seu atual.  E eu sei que você tem ciúmes pra caralho, foi por isso que terminamos, e agora, do nada, aceitou fazer a três?

– Porque meu Chego quer! Eu preciso dar mais liberdade pra ele, ele ainda é muito novo e não entende das coisas. Eu não esperava que ‘cê aparecesse de repente, e ainda que desse uma ideia desse tipo; então se meu Chego quiser fazer algo assim eu prefiro que seja contigo que eu já comi. E melhor, que eu conheço muito bem. Agora, eu posso falar o que ‘cê pode ou não pode fazer a ele?

YiXing franzira o cenho. Primeiro, porque o Kim chamava o namorado de Chego. Ele lhe chamara uma vez só desse jeito. Segundo, porque ele ‘tava sendo um escroto. Terceiro, ele tinha aceito transar a três não porque realmente queria, mas sim porque BaekHyun queria.

– Não, não pode. Se ficar botando regra, como eu transo com ele? Por telepatia? Tenho certeza que isso é medo de eu fazer ele gozar mais rápido do que você faz. – Forçara um sorriso ladino, mesmo que naquela hora sentisse-se a pessoa mais esperta do universo, era bom em provocar, e iria aproveitar-se disso.

– Nem fodendo...

–  Fodendo sim. –  Respondera ao arrancar o cigarro da boca alheia para poder tragar. –  Você vem ou vai ficar ai? 

O dançarino suspirara, seguindo o loiro branquelo para fora dali.

Porém, ao chegar a sala de estar novamente não esperava ver o que vira.

BaekHyun, imaginem bem, encontrava-se deitado de ladinho no sofá, com o rosto escondido em uma almofada, o roupão nem mais cobria o seu corpo, apenas braços, suas mãos tocavam seu pênis de forma tímida, e os gemidos baixinhos e manhosos saíam descontrolados de sua boca. E pela posição, era possível ver claramente a bunda farta e suculenta... Isso era um pedido de “venha e pegue na minha bunda”?

– Pelo visto não sou só o único aqui que gosta de pornô lésbico. – O chinês sussurrara, em resposta, Jong lhe dera um cutucão bem dado, o empurrando para o lado.

– Innie... – O nome fora pronunciado junto a um arfar, sabia que estava sendo observado e apenas queria que seu namorado viesse logo lhe satisfazer. E quase gemera alto e languido ao ter mãos tocando seu corpo, porém, elas não eram de JongIn. Ele costumava ter o toque bruto e carinhoso ao mesmo tempo... Mas aqueles dedos possuíam uma maciez e suavidade desconhecidas.

Os dedos acariciaram seu quadril, depois escorregaram para sua cintura, apertando a pele pálida e gordinha com força, marcando as falanges ali. 

Céus, YiXing estava abusando das dobrinhas de BaekHyun!

Este que demorara para tomar coragem e tirar a cara do travesseiro para fitar o homem que lhe tocava tão à vontade. Seu corpo retesara e estremecera ao  ter o olhar maliciosamente ameaçador do chinês em contato com o seu. Ele sorrira ao perceber isso, mesmo que seu sorriso fosse muito bonito, acompanhando por covinhas adoráveis, o menorzinho apenas conseguia sentir que ele queria lhe devorar.

E o Zhang o achara tão excitante! Com um corpo daqueles, somado a um jeitinho tão fofo era fácil deduzir porque a chave de cu que ele deu em JongIn foi tão forte.

–  Xing. – Corrigira ao puxar o corpinho para si, endireitando BaekHyun no sofá, deixando-o sentado e com as pernas abertas. JongIn, como o bom namorado protetor que era, saiu do transe que era ver seu Cremosinho sexy daquele jeito, para ir até ele, arrancar YiXing dali. Porém, contudo, todavia, seus passos foram interrompidos por um gemido alto e engasgado que lhe escapara a garganta.

BaekHyun agora segurava o cigarro de YiXing, enquanto este  tocava os testículos redondinhos e distribuía beijos demorados pela parte interna de uma das coxas. A pele do futuro engenheiro era tão macia e cálida... Que poderia ficar ali, sentindo-a contra seus lábios pela eternidade.  

O moreno  arregalara os olhos, não poderia interrompê-los, a expressão de prazer na cara do seu Cheguinho era linda demais, as bochechas gorduchas estavam enrubescidas, os olhinhos semicerrados e a boquinha vermelha de lábios fininhos abria e fechava conforme arfava. Se Byun BaekHyun, seu Byunzinho-cu-de-veludo, erva-do-meu-baseado, também conhecido como amor-da-minha-vida, não era a criaturinha mais linda e perfeita, o maior espetáculo da natureza... JongIn não sabia quem era. Tampouco queria descobrir.

Retirara a toalha que estava enrolada em seu quadril e ajoelhara-se ao lado de YiXing. Questionava-se se iria fazer isso mesmo, mas antes que sua mente lhe desse alguma resposta, seus dentes já mordiam o períneo (o tal do espacinho entre as bolas o cu),  sabia que seu Cremosinho era sensível ali e o gemidinho manhoso que ele soltou era a prova disso.

Contento o sorriso que queria brotar em seus lábios, largara aquele pedaço de pele para distribuir chupões na poupa do glúteo esquerdo, adorando ver a pele branquinha tomando uma coloração avermelhada e então roxa.

Zhang ao perceber JongIn completamente nu ao seu lado, parara de massagear o íntimo do Byun, a mão que antes o fazia descera pelo abdome do Kim, indo em direção ao seu membro e o agarrando com força. Nisso, com sua mão livre, segurara-se na cintura delicada, e levantara-se apoiando-se nos joelhos para que seu rosto ficasse próximo do pênis turgido e molhado do moreninho.

Umidificara os lábios ao passar sua língua por eles, praticamente salivara ao ter a cabecinha encharcada diante de si. A língua habilidosa passara pela fenda, sentindo o gosto salgado invadir seu paladar. Já JongIn, ao ter os dedos do chinês apertando-lhe o membro, engoliu o gemido e não deixou a excitação que sentia transparecer, erguera-se somente para distribuir beijos pela extensão pulsante do namorado.

Namorado tal que nem sequer entendia o que estava acontecendo, naquele momento, tamanho era seu prazer que mal conseguia abrir os olhos. Movia seu quadril desesperadamente, querendo mais e mais contato, suas mãos grudaram nos cabelos alheios,  seu corpo de tão quente encontrava-se molhado de suor.

E praticamente gritara quando YiXing abocanhara seu membro e JongIn mordera a base.

Era uma competição pelo pau do Byun? Os mais velhos chupavam, lambiam e beijavam com tanta voracidade que era o que dava a entender.

 – E-eu... – BaekHyun tentara avisar que chegaria ao seu ápice, mas a sensação dormente e viciante que lhe tomara o corpo todo lhe impedira, e quando dera por si, já tinha gozado na boca do loiro, e seu corpinho de gorduchinho sedentário gostosinho, ficara tão pesado que nem tinha forças para mover-se.

– Byun-ssi você gozou tão rápido... – YiXing engolira um pouco contrariado, não gostava muito de engolir, mas não poderia fazer a desfeita, né? Limpara o canto da boca e largara o pau do morenão para pegar seu baseado de volta, arrancando-o dos dedinhos gordinhos. Tragara, sentindo aquilo invadir seus pulmões e relaxar seu músculos. – Eu acho que... Como Kai já se divertiu com você hoje... Nada mais justo do que agora ser a minha vez não é? –  Rapidamente, levantara do chão, sentando ao lado do menorzinho, pegando-o pela cintura para que sentasse em seu colo.

BaekHyun ajeitou-se sobre as cochas do chinês, suas costas ficaram coladas ao peito dele. Com seu braço direito, YiXing puxara a perna do pequenininho, segurando o joelho dele na altura das costelas, deixando-o arreganhado. E com a mão livre... Retirara seu  membro duro de dentro da boxer, guiando-o para o buraquinho do Byun.

– O que tu acha que tu ‘tá fazendo? –  JongIn demorara a entender e quando percebera já era tarde demais.

–  O que você acha que eu vou fazer? – O loiro questionara cínico, arrastando a ponta do nariz pelo pescocinho com cheiro de leite doce e cheio de marcas de chupões. 

–  Acha que ele quer que tu enfie esse seu pau dentro dele?

– Eu acho que sim. Não é Byun-ssi? – Indagara, agora mordendo o lóbulo pequeno da orelha do moreninho, escutando-o gemer manhosamente enquanto concordava com a cabeça. – Viu?

O Pobre coraçãozinho massacrado de JongIn quis sair do peito e dar uma surra em YiXing. Estaria ele preparado para ver aquele loiro manguaçeiro fazer sexo com o seu, e somente seu, Cheguinho lindinho? Pelo visto YiXing tava cagando e andando para o que JongIn achava, pois forçou seu membro para dentro de BaekHyun, e o corpo do menino de tão mole que estava nem apresentara tanta resistência.

O pênis teso de YiXing deslizara inteirinho, de uma vez só, acomodando-se no interior estreito. Os dedinhos de BaekHyun apertaram os antebraços do loiro, mordera seu lábio inferior e a respiração arfante do  chinês atrás de si apenas servia para lhe excitar mais.

O quadril dele começara a impulsionar para cima, estocado lentamente, e em resposta, Baek rebolava ritmado, sentindo aos poucos o sangue voltar a correr mais rápido e seu membro enrijecer-se novamente.

– I-innie...! – Baek chamara meio engasgado com os próprios gemidos. – V-vem cá-ahn...! Eu q-quero você t-também! 

O cenho do moreno arqueara. O que diabos BaekHyun queria dizer? 

Andara até os outros dois, curvando-se dobre o namoradinho para lhe tomar a boca em um beijo. Baek enlaçara o pescoço do moreno, deixando que sua língua lhe explorasse bem como quisesse. As respirações entrelaçaram-se, e agora mantinham aquele beijo num ritmo só deles.  

– Coloca c-com cuidado, tá? – Uma das mãos pequenas guiara-se até o pênis do moreno, puxando-o para si.

–  Posso mesmo? –  Perguntara para ter certeza se poderia prosseguir ou não.  E BaekHyun concordara com a cabeça. E entendendo o que aconteceria a seguir, YiXing parara seus movimentos, segurando a gora a perna livre do menor, deixando-o completamente exposto.

JongIn espalhara seu pré-gozo por toda sua extensão com a ajuda da mão do Byun, admitindo para si mesmo que a visão de seu Cremoso sendo... Bom... Fodido, era muito sexy. Com uma mão, puxara um dos glúteos cheinhos para o lado, e com a outra, encaixou seu membro ali da melhor maneira que pode. Então forçara-se, enfiando-se com dificuldade, estava extremamente  apertado, e conforme ia colocando-se, BaekHyun segurava seus gemidos de dor na garganta, não querendo demostrar que sentia, mesmo sendo bastante óbvio pela sua expressão facial.

O dançarino deixara um suspiro deleitoso escapar-lhe a garganta, controlando-se para não mover-se. Byun escorara-se no peito de Lay, respirando com dificuldade, seu corpo doía, sentia-se rasgado.

– Espera... I-isso dói... ‘Pra caralho. – O Kim queria rir ao escutar o  namorado dizendo palavras de baixo calão, mas segurara-se, não queria irritá-lo.

–  Eu sei, meu amor, quer que eu peça desculpas de novo? – Fizera carinho nas bochechas vermelhinhas, deixando um selinho nos lábios bonitos. – Tu sabe que eu não quero machucar meu Cheguinho gostoso...  – Ao terminar a frase, passara a masturbar o pequenininho fervorosamente para distraí-lo da dor. 

–  J-JongIn!  – Exclamara, sentindo como se dor e prazer batalhassem dentro de si.  – Droga... Se meche logo!

YiXing não precisara nem pensar, pois seus quadris passaram a moverem-se sozinhos, e o morenão maconheiro não quisera ficar atrás, se Xing entrava, ele saia, e assim ritmavam-se. Mesmo com dor, BaekHyun esforçava-se para focar no prazer que estava sendo-lhe proporcionado. Aquela sensação era completamente nova. Seu interior não ficava vazio, era sempre preenchido, seja por JongIn ou por YiXing, e isso poderia fazer-lhe perder a pouca sanidade que restara-lhe.

Jong insistia em procurar seu rosto pra trocar beijos, porém tudo o que o baixinho conseguia fazer era gemer, arfar, se contorcer, quicar e gemer mais. Então, aquele chinês manguaçeiro, aproveitando-se disso, soltara uma perna do Byun para poder pegar o Kim pelos cabelos. E não hesitara em beijá-lo.

O mais esquisito fora que ele correspondera.

Caralho.

Tinha até esquecido como beijar JongIn era bom... Aquela boca carnuda não parecia tão apetitosa atoa. Não que sentisse algum tipo de saudade...  Puff...!

 

Os três não souberam dizer por quando tempo ficaram ali, se foram minutos... Ou horas. BaekHyun só sabia que nunca tinha dado a bunda como dera naquele dia. Não que a vida sexual do Byun fosse cheia de aventuras adultas, até porque a maior loucura que já fez antes disso foi invadir a casa de YiXing pra transar.  Batera seu próprio recorde duas vezes num dia só! Se pá, batera três recordes. Porque até então o número limite de paus que já entraram em si era um.

Nem acreditava que tinha transado com duas pessoas ao mesmo tempo! 

Quer dizer... Tinha feito mesmo, mas tudo parecia um filme pornô!

 

Pela baixa temperatura já devia ser de madrugada. YiXing, JongIn e BaekHyun encontravam-se jogados no sofá, dividindo o que sobrou daquele baseado. Bom... Mais ou menos.

A preguiça de pegar os saquinhos em cima da cama do Zhang era muito grande.

– Byun-ssi... Você quer um pouquinho? – O chinês oferecera, estendendo o cigarro para o menorzinho, porém, recebera um tapa na mão vindo do Kim.

– ‘Cê é loiro, YiXing? Não dá isso pra ele não, caralho!

– É injusto você ter a sua hortinha e não compartilhar a erva com o seu machinho. Ainda mais quando ele tão gostoso. – Encostara a cabeça no ombro do Byun. Este que roncava baixinho, soltando uns barulhinhos agudos.  – Eu acho que o Byun-ssi dormiu. Ele é muito fofo dormindo.

– Quando fica acordado também.  Ele é todo gostoso de cremoso... Lindo de bonito... E cheira a leite com açúcar e baunilha.

– Você para... Eu vou ficar com inveja...

– Tu que quis terminar. Mas foi bom,  porque eu encontrei o Cheguinho da minha vida... E ele é mais precioso que tuuuudo...

– Vocês dois estão muito drogradros... – O menorzinho pronunciara todo grogue, remexendo-se para que YiXing saísse de cima de si e que JongIn lhe largasse as dobrinhas da cintura. – Eu quero dormir numa cama, eu posso, Xing?

– Claro, deita lá no meu quarto. Última porta à direita.

– Obrigado. – Baek deixara um beijo na bochecha do chinês, levantando-se, prontinho pra meter o pé dali. O roupão que até então insistia em ficar preso em seus braços foi ao chão, deixando-o completamente nu.

– ‘Carai borracha, e meu beijo? Eu num ganho, não?

– Sem ppo-ppo ‘pra você. – Nem sequer virou-se para falar com JongIn, apenas saiu andando  todo estranho a procura de uma cama. Que tipo de namorado é esse que nega um ppo-ppo?  

– Eu não queria terminar mesmo... Mas você é um idiota que não sabe tratar o namoradinho. Ou melhor, que não soube me tratar, porque, pelo visto, você toma muito cuidado com o gorduchinho. – O chinês jogara o restinho de cigarro no chão, deslizando como uma naja naquele sofá,  tudo para chegar até o dançarino.  

– Eu aprendo com os meus erros...  O que ‘cê tá fazendo, Lay? – Embora o questionasse, não o impedira de abraçar-lhe e encostar a cabeça em seu peito.

– Deixa eu ficar um pouquinho assim... Quando eu achava que tinha te superado você vem e me derruba de novo... Seu filho da puta. – Sussurrara, sentindo as mãos quentes e grosseiras do moreno lhe percorrendo as costas, acariciando sua cintura reta. A derme de YiXing era quente. – Está dizendo que namorar comigo foi um erro?

– Seu loiro. ‘Tô dizendo que fui um bosta contigo, eu não quero ser um bosta ‘pro meu Chego. 

– Eu sou loiro mesmo, para de ser lambe saco. – Rira baixinho, sendo acompanhado pelo outro. – Sabe... Se fosse para namorar comigo e com o Byun-ssi, você namoraria? Porque... Se todo mundo tivesse de acordo... Eu... Sabe?

– Não se humilhe, YiXing.

– Não ‘tô me humilhando. ‘Tô falando sério.

– Então eu acho que sim. Se BaekHyun quisesse.

– Tudo iria girar em torno das vontades dele?

– Eu amo ele demais. 

YiXing riu mas queria mesmo chorar.  

 

– Innie... Xing... Vocês podem dormir comigo? Não quero dormir sozinho. – BaekHyun aparecera ali, abraçado a um travesseiro, todinho sonolento, fazendo um biquinho manhoso. E JongIn já estava pronto para mandar um “Se tu me pagar o ppo-ppo que me deve, eu penso no teu caso”, mas o chinês praticamente pulara do sofá, indo até Baekkie, quase tropeçando  no caminho.

Mesmo que ainda tivesse sentimentos por JongIn, YiXing não odiava BaekHyun. Tampouco o queria longe.

 E vendo os dois indo direto para o quarto, esquecendo completamente de si, JongIn ficara matutando sobre as falas de YiXing. Se fosse pra aceitar um relacionamento poliamor que fosse com o Zhang, e só aceitaria com ele. Não tinha o psicológico forte para dividir seu Cheguinho com uma pessoa que não fosse o loiro.

Então, se BaekHyun quisesse, ele aceitaria mesmo, como um cachorrinho.

Afinal, o que seu Cheguinho com cheiro de leite pedia manhosinho, JongIn não tinha coragem de negar.

 


Notas Finais


Nunca achei que um baseado fosse durar tanto lkjuytrertyuio

eu achei que esse cap ficou mais sério... Eu não queria ficar enfiando comédia nele, pq slá, vai que fica tosco :v


me sigam no insta -> https://www.instagram.com/me_ed.88/
e no tt tb -> https://twitter.com/1p3r3r3k4


disgurpa os erros e pá

beijin no cu e baibai <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...