História Slut - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Neo Culture Technology (NCT)
Personagens Winwin, Yuta
Tags Dirty Talk, Winwin, Yuta, Yuwin
Visualizações 853
Palavras 1.926
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, LGBT, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Pois é, eu estou viciada em escrever fics desse tipo djbeebdjdnjb FINALMENTE O OTPZÃO
Espero que gostem :3

Boa leitura! 💖

Capítulo 1 - Shhh...


Palestras... Ah, por que tão chatas?

Bom, não posso reclamar tanto, na verdade, eu até deveria agradecer esse pessoal que veio falar de meio ambiente bem no meio da aula mais chata do curso inteiro - e ainda nos juntaram com alguns outros cursos nesse auditório gigante, que incluía o de arquitetura onde meu lindo namorado estava - e realmente espero que essa palestra dure o suficiente para sermos liberados das aulas depois dela.

É, eu sei, olhando assim eu pareço ser preguiçoso e blá blá blá e, querem saber de uma coisa? Eu sou mesmo. Sou aquele aluno que tira foto dos slides falando que vai copiar depois, mas nunca copia, aquele que sempre deixa tudo para a última hora e quando tem algum trabalho copia do coleguinha faltando cinco minutos para começar a aula. Resumindo, sou aquela pessoa que parece não querer nada com nada, mas tira a maior nota em todas as provas.

Tudo isso porque meu namoradinho lindo e inteligente me ajuda a estudar. Falando nele, por mais que ele seja muito mais dedicado que eu, neste momento parece estar até mais entediado.

Algumas mechas de sua franja caíam em seu olhos, o que causava um contraste bonito dos fios castanhos com sua pele alva, seus olhos estavam fixos no telão, porém era visível que sua mente estava em outro lugar, e ele também estava fazendo aqueles biquinhos fofos que ele sempre faz quando está distraído. Seus braços estavam cruzados em frente ao seu peito e sua postura estava relaxada, suas pernas estavam um pouco afastadas e, por estar de calça de moletom, era possível ver o volume que existia entre suas pernas.

E isso me deu uma ideia genial.

Coloquei a mão em sua coxa e acariciei brevemente ali, sorrindo quando ganhei um beijinho delicado na bochecha, e com um pouquinho de dengo logo consegui um lugarzinho mais perto de si. Minha cabeça agora estava deitada em seu ombro e seu braço estava em volta do meu pescoço, vez ou outra ele acariciava meu cabelo e eu acariciava seu abdômen. Nós estávamos sentados no fundo e no canto esquerdo do auditório, a poltrona de Yuta estava encostada na parede e a minha estava grudada à sua, estávamos num lugar meio que escondidinho e o auditório estava escuro por causa dos slides que os palestrantes nos mostravam através do datashow, ou seja, tudo estava a favor do meu lindo plano que eu não vou demorar nem mais um segundo para colocar em prática.

-Me fale algo mais chato que essa palestra e falhe miseravelmente. - falei baixinho pousando minha mão direita na parte interna de sua coxa e Yuta deu aquela risadinha gostosa.

-Realmente, não consigo pensar em nada pior que isso. - me aconcheguei mais ao seu corpo e subi minha mão para sua virilha. -Daria tudo pra sair daqui.

-A gente podia brincar... - acariciei de levinho aquela região e olhei seu rosto bonito, encontrando-o observando meus movimentos.

-Cheng... - chamou-me e eu o olhei. -Tira a mão daí.

-Qual é... Eu sei que você quer, você gosta quando eu faço isso. - sussurrei enquanto levava minha mão ao seu pênis ainda flácido por cima da calça.

-É claro que eu gosto, você é ótimo nisso, bebê, mas aqui não é um bom lugar... E se nos virem?

-Não vão nos ver, olha onde a gente está, pode até ser que nem saibam que tem dois garotos aqui. - ri baixo e encostei meus lábios em seu ouvido. -Só toma cuidado com os gemidos. - sussurrei e mordi o lóbulo de sua orelha, puxando-o de levinho e vendo-o fechar os olhos.

-Você já pensou na possibilidade de ser ninfomaníaco? - perguntou quase num sussurro enquanto eu beijava e chupava de levinho seu pescoço, tomando cuidado para os estalos não saírem muito altos.

-Se eu sou a culpa é toda sua...

-Minha? Winkko, não tenho culpa se você é uma cadelinha que gosta de ser dominada.

-Por você. Eu não era assim antes de te conhecer... - sorri enquanto mordia seu pescoço. -Ok, eu era sim, mas não tanto quanto agora.

-Porque agora você encontrou seu verdadeiro dono... - um sorriso ladino brincava em seus lábios me fazendo sorrir do mesmo jeito.

-É... Encontrei. - mordi o lábio inferior e apertei levemente seu pau já duro em minha mão. -Mas agora sou eu que mando aqui, bonitão... - Yuta suspirou quando eu passei a mover minha mão em seu membro, sentindo cada centímetro da extensão grossa em minha palma e sentindo também meu corpo aquecer a cada segundo.

Um absurdo! Eu que estou provocando e eu que estou quase gemendo só por estar com a mão ali... Sentindo o quanto ele é grande e grosso e... Talvez eu seja um pouco ninfomaníaco mesmo.

Coloquei minha mão dentro da calça de moletom cinza que ele vestia, já sentindo a glande molhadinha um pouquinho fora da boxer azul antes de colocar a mão ali dentro e finalmente tocá-lo. Yuta gemeu baixinho no momento em que meus dedos gelados entraram em contato com sua pele sensível, descendo em direção aos seus testículos apenas para apertá-los de levinho e voltar a bater para ele devagarinho, sentindo cada veia saliente sob meus dedos e como elas pulsavam.

Novamente subi a mão até sua glande e fiquei apenas acariciando ali, tendo que segurar alguns gemidos e suspiros porque Yuta havia colocado a mão dentro da minha blusa de moletom - que na verdade era dele - e agora brincava com o piercing em meu mamilo. Eu me arrepiava cada vez que um gemido seu chegava aos meus ouvidos e mordiscava seu pescoço de levinho, parando apenas quando ele resolvia me beijar.

Yuta estava tão excitado... Eu já sentia sua respiração mais pesada e seus gemidos estavam arrastados, ele apertava minha cintura constantemente e com certeza ficaria a marca dos seus dedos ali, mas não era como se eu me importasse. Na verdade eu até gostava quando ele marcava meu corpo. A cada segundo pingava mais pré-gozo de sua glande inchadinha, o que fazia com que minha mão deslizasse melhor por seu pau e também me dava vontade de fazer uma loucura um pouquinho maior que essa.

-Yu... - gemi baixinho, diminuindo a velocidade da masturbação. -Amor...

-Eu sabia.

-Deixa? - fiz o biquinho mais manhoso que eu conseguia fazer e ele sorriu e me deu um selinho demorado.

-Você é uma vadia, Dong SiCheng. - falou pausadamente segurando em meu queixo.

-Talvez... - respondi e ele riu baixo.

-Aposto que até goza só me mamando. - falou com a voz baixa e rouca, fazendo-me arrepiar inteiro.

-E-Eu nem estou duro... 

-Ah, não? - gemi um tantinho alto quando Yuta apertou meu membro por cima da calça, mas felizmente meu gemido não saiu tão alto graças à sua mão tampando minha boca. -'Pro chão agora, cadelinha. - deu um tapinha em meu rosto antes de me soltar e na mesma hora eu já estava ajoelhado entre suas pernas.

Ajudei-o a abaixar um pouco sua calça junto com a boxer e gemi baixinho ao conseguir enxergar - mesmo que precariamente por causa da pouca iluminação - seu pau batendo em seu abdômen assim que saiu para fora da cueca, fazendo um barulhinho molhado quando a glande vermelhinha tocou sua pele. Mordeu o lábio inferior com força e gemeu baixo quando comecei a lamber toda a extensão devagarinho, me demorando mais ainda na glande, e logo senti meus cabelos serem agarrados quando chupei uma de suas bolas.

-Vai mamar direitinho, bebê? - gemeu baixo e arrastado quando lambi entre suas bolas e voltei a chupar, dessa vez a outra.

-Vai me dar leitinho, papai? - dei algumas lambidinhas em sua glande, sentindo meu pau pulsar dentro da calça jeans apenas por pensar na possibilidade de alguém me ver ali entre suas pernas tentando colocar todo o seu pau em minha boca.

-Se a minha putinha fizer tudo direitinho, quem sabe? - relaxou mais a postura e eu ergui um pouquinho o corpo para ficar mais confortável.

Já comecei colocando o máximo que eu conseguia na boca ouvindo Yuta praticamente rosnar, em seguida tirando-o da boca e voltando a masturbá-lo.

-Shhh... Você quer que a nossa brincadeira acabe?

-Vai logo, porra. - Yuta xingava muito durante o sexo e, cara, isso me deixava a ponto de enlouquecer.

Ri baixinho e voltei a colocá-lo na boca, dessa vez começando a chupá-lo com vontade e devagar, vendo Yuta encostar a cabeça na poltrona e suspirar profundamente. Fazia questão de pressionar minhas bochechas o máximo que conseguia em sua extensão pulsante e tentava percorrê-la inteira com a língua, contornando cada veia saliente.

Eu gostava tanto daquilo, de sentir seu pau grosso quase inteiro em minha boca indo fundo, às vezes até chegando em minha garganta, e pulsando contra minha língua, cada gemido baixo seu me arrepiava e eu simplesmente amava o jeito que ele agarrava meu cabelo e forçava minha cabeça contra seu pau, não me importando em gemer baixinho durante o ato.

-Huuum, minha putinha me mama tão bem... - murmurou com a voz rouca e eu soltei seu membro e coloquei a língua para fora, logo sentindo-o esfregá-lo ali. -Deixa eu foder sua boquinha, bebê... - me olhava quase hipnotizado, esfregando sua glande em meus lábios.

-Não, vai chamar atenção se eu engasgar. - respondi enquanto o masturbava devagar, ele riu baixo e puxou meus cabelos para trás fazendo-me olhá-lo.

-Eu não estava pedindo permissão. - gemi baixinho e tentei capturar sua glande com os lábios quando ele a esfregou em minha bochecha.

-Yuta... - gemi baixinho quando ele puxou mais meu cabelo.

-Ok, dessa vez eu deixo passar. - sorriu e me deu um selinho antes de me deixar continuar o que estava fazendo.

Suspirei baixinho voltando a abocanhar seu membro e sugando-o com afinco, vendo-o morder o lábio inferior e jogar a cabeça para trás. Ele estava quase lá, eu conseguia sentir isso e, por mais que eu odiasse admitir, eu também estava. Sentia meu pau pulsar cada vez mais dolorido e já estava ficando difícil me controlar para não tocá-lo.

Levei uma mão até seus testículos, acariciando ali e apertando de levinho de vez em quando, enquanto a outra seguia diretamente para o meio das minhas pernas, apertando meu pênis duro como uma pedra e passando a esfregar a palma da minha mão ali enquanto movia minha cabeça um pouco mais rápido. Eu não precisaria de muito mais para gozar, assim como Yuta.

-Caralho, amor... Isso, Cheng, assim, eu estou quase... - avisou quase num sussurro em meio aos gemidos arrastados.

Naquele momento eu agradecia muito pelos palestrantes terem colocado um vídeo e deixado o volume alto.

Não demorou muito mais do que algumas mamadas para Yuta gozar forte em minha boca, fazendo-me agarrar sua calça e apertar minhas bolas enquanto gozava em minhas roupas de baixo, gemendo contra seu pau e fazendo questão de engolir cada gotinha de sua porra. Depois de me recuperar, ajudei-o a vestir a cueca e a calça e sentei em meus calcanhares, deitando a cabeça em sua coxa um tanto ofegante e super corado.

Eu havia mesmo gozado enquanto o chupava.

-Eu estava certo, né? - ele sorria enquanto acariciava meu cabelo. -Tão vadia...

-Shhh!

-Seguinte, bebê: quando essa merda dessa palestra acabar nós vamos para o meu apartamento, e aí eu vou te dar um motivo... Não, vários motivos para gozar. - deixou um beijinho na minha testa e me puxou para o seu colo, deixando-me sentado de lado em suas coxas.

-Eu não vou ficar molhado até isso acabar, vamos para casa agora. - ele riu e nos levantamos.

Se eles aplicarem uma prova sobre essa palestra nós estamos bem ferrados, mas com certeza aquelas professoras com cara de safadas iriam adorar saber o que aconteceu em meio àquelas informações "ultrainteressantes" que os palestrantes nos trouxeram.


Notas Finais


Amei fazer esse WinWin safadinho, gente e.e
Até a próxima! 💖


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...