História Smallville - Capítulo 29


Escrita por:

Postado
Categorias Austin Mahone, Camila Cabello, Fifth Harmony, Shawn Mendes
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais, Shawn Mendes
Tags Camren, Camren G!p, Camreng!p, Dinally, Dinallyg!p
Visualizações 160
Palavras 1.777
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Ficção, Ficção Adolescente, Romance e Novela
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Intersexualidade (G!P)
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 29 - Capítulo 28


Fanfic / Fanfiction Smallville - Capítulo 29 - Capítulo 28

Camila Cabello

Na trabalhar no Talon às vezes nunca é fácil, tem seus dias difíceis iguais ao de hoje. Três adolescentes estão sentados colocando bebida alcoólica no café deles.
- Nada como uma bebida no café. - um deles fala.

- Lamento, gente, mas o café daqui não é irlandês. - paro na frente deles.

- Relaxa, gata.

- Toma um gole.

- Acho melhor vocês beberem isso lá fora. - eles param de palhaçada, um me olha com cara de deboche. - Até porque já vamos fechar. - deixo eles.

Sigo para a mesa da Ariana, ela está sozinha.
- Mais alguma coisa? - pergunto.

- Só um namorado que não dê bolo.

- Acho que está falando com a pessoa errada. - brinco. Ela ri.

Olha para o lado e fica séria, acho que é por causa do cara que está lendo jornal perto dela. Aqueles três adolescentes começam a ri alto, chamando nossa atenção.
- Tudo bem, Ariana? - pergunto quando noto que ela fica estranha quando não encontra aquele cara do jornal.

- Está, pensei ter visto uma pessoa. - ela começa a se levantar. - Já está tarde, vou embora. Obrigada, Camila. - sorrio pra ela.

- Tchau.

- Tchau.

Vou para a bancada e deixo um prato que estava que estava na minha mão.
- Soubemos que o atendimento daqui é o mais simpático da cidade. - fala um dos adolescentes.

- Vão embora. - ele está vindo na minha direção.

- Não é legal tratar um freguês assim. - estou sozinha com eles no café, olho para porta pensando se a Lauren virá pra cá, coloco meu dedo no botão vermelho atrás do balcão e aberto, é para emergências como está. - Ei. - o garoto me joga na parede, caio no chão, ele se ajoelha e coloca a mão no meu rosto. - Vamos lá para trás ter uma festinha particular.

- Largue ela. - olho para a frente e vejo a Lauren.

- Não está na hora de criança dormir. - o cara fala pra ela. Lauren me olha, ela parece se perder quando me vê no chão.

- A polícia está vindo aí.

- Vamos nessa. - eles vão embora.

Lauren Jauregui

Me ajoelho na frente da Camila, ela está com a testa sangrando um pouco.
- Você está bem? - ela parece lutar para não chorar.

- Estou. - sinto tanta raiva daqueles caras. Me levanto, irei atrás dele. - Deixa isso pra lá. - ela me pede.

- Hoje não. - uso minha velocidade e vou atrás deles, ainda estão no beco do Talon. - Ei, vocês. - chama a atenção deles.

- Olha só quem está aqui. - o cara que bateu na Camila fala.

- Eu não quero ver vocês no Talon outra vez. Sacou? - não vou bater neles.

- Olha só, idiota, nós fazemos o que quisermos e queremos voltar aqui amanhã.

- Já estão avisados. - passo por eles.

- Ah, saquei. Está a fim da gerente gostosinha, né? - me viro para ele. - Só é uma pena que ela seja uma vadia. - dou um empurrão nele que cai no chão.

Os amigos dele vêem para cima de mim mas jogo eles longe.
- Tá legal, vai encarar? Quero ver se você aguenta. - ele levanta a mão para me dar um soco, mas seguro sua mão e torço ela.

- Vão tomar café em outro lugar. - jogo ele longe, e por uma má sorte ele acabou caindo no carro da sheriff.

Me viro para correr, porém encontro a Camila atrás de mim, ela está me olhando. Não consigo dizer nada, só fico parada.
- De joelhos. - ouço a voz da sheriff atrás de mim, me viro para ela, a vejo me apontando uma arma. - Agora.

Coloco minhas mãos na minha cabeça e me ajoelho.

Ela nos leva para dentro do Talon, depois de ligar para um ambulância para os garotos. Olho para a Camila que está sentada, não queria que ela estivesse passando por isso.
- Rapazes arremessados não é uma coisa que se vê todo dia. - a Sheriff fala. - Aquele rapaz me disse que você agrediu ele e seus amigos, depois lançou ele no meu carro.

- Então porque os paramédicos estão cuidando dele e você não tem nenhum arranhão? - ela não me deixa responder. - E você, senhorita Cabello? O que viu?

- Nada. - responde a Camila.

- É mentira sua.

- Como é?

- Falaram que o seu capuccino é ótimo, não deixa de ser uma verdade. - Camila sorri.

- Acho que terminamos. - digo.

- Não, senhorita Jauregui, estamos apenas começando. - que droga. - Vamos, tenho que conversar com os seus pais, estarei te esperando lá fora. - ela sai me deixando com a Camila.

- Que confusão. - digo.

- Eu pedi para você não fazer nada. - olho para a Camila.

- Eu não iria fazer, só pedi para eles não virem mais no Talon porém aquele cara me provocou e eu perdi a cabeça. - chego perto da Camila.

- Não quero que você se prejudique por causa de mim.

- É minha culpa não sua, eu caí na provação dele. Mas tudo vai ficar bem, sempre fica. - dou um sorriso pra ela.

- Minha heroína. - Camila sorri e me beija, ouvimos uma buzina do lado de fora do Talon.

- Tenho que ir. - sussurro contra seus lábios. Lhe dou mais um beijo. - Qualquer coisa me liga, amo você.

- Amo você.

[...]

Estou sentada no sofá da minha casa, meus pais estão em pé junto da sheriff.
- O que quer que ela tenha feito foi necessário. - fala meu pai.

- Como arremessar um rapaz na viatura policial? - ela sai de perto da janela. - Eu pesquisei sobre a Lauren, senhor Jauregui. Esteve mais em locais de crime do que qualquer pessoa que eu conheço.

- Se Lauren se meteu em assunto de polícia é porque ela estava tentando ajudar os outros.

- Ela tem um complexo de heroína, mas até os heróis tem que obedecer a lei. - a McCall fala para minha mãe. - É por isso que ela será atuada por agressão física.

- O que quer dizer exatamente? - pergunta meu pai.

- Uma multa de 1.500 dólares, depende do juiz. - me levanto.

- Lamento, mas não temos dinheiro, senhora. - digo.

- Lauren. - olho para o meu pai. - Sente-se. - me sento.

- Bom, vou fazer um trato, Lauren. Não vou te atuar se você prestar serviços comunitários, e aí você poderá manter o mundo a salvo do lixo.

- Espera aí..- meu pai começa a falar mas minha o para.

- Ethan, o antigo delegado, pode não ter feito vista grossa nestes casos. Mas eu vou logo avisando toda essa camaradagem acabou. - essa mulher parece mais do mal do que do bem. - Boa noite. - ela sai da minha casa.

Dia seguinte

Shawn Mendes

O hospital parece mais vazio hoje, o que é bom, sempre quando fica assim a Ariana está livre. Estou indo para a sua sala, encontro a porta aperta ela está conversando com um cara, não sou do tipo ciumento, mas agora estou com ciúmes.
- Soube que você vai se casar. - o cara fala.

- Não deveria acreditar em tudo que lê, Shawn e eu só estamos pensando em nossas carreiras.

- Pelo menos esse é o nosso argumento. - eu digo, Ariana vira para me olhar.

- Shawn. - ela me dá um lindo sorriso, sorrio para ela. Entro na sala. - Quero que conheça um antigo amigo meu Paul Malik.

- Oi. - trocamos um aperto de mãos. - Parece que vocês se conhecem de Metrópoles.

- É nós namoramos na faculdade de medicina. - olho para a Ari. - Até perceber que não seríamos felizes para sempre, pelo menos não juntos. - fico olhando para eles, Ariana parece desconfortável com a situação, eu também estou.

- Bom, Paul, legal ver você. Mas Shawn e eu estamos de saída para o almoço.

- Na verdade eu passei para dizer que eu não posso. - minto. Ari me olha, ela sempre consegue me decifrar com o olhar, sabe que estou mentindo. - Me desculpe.

- Eu posso te acompanhar. - fala o Paul. - Se o Shawn não se incomodar. - ele se vira para mim, dou um sorriso falso.

- Eu acho que vocês só querem colocar a conversa em dia. - o celular da Ariana começa a apitar, ela olha para ele e sorri.

- Eu tenho uma emergência. - ela parece feliz com isso. - Nosso almoço fica para outro dia, deixa o seu telefone com o Shawn, aí a gente pode combinar alguma coisa. - ela sorri pra mim.

- Tudo bem. - Ariana me dá um beijo, isso me faz relaxar. Ela sai da sala me deixando com o seu ex namorado.

- Segura ela, Shawn. - fala Paul, me dando uma tapa no ombro. - Se puder.

Lauren Jauregui

Ally acaba de estacionar o carro em frente do Talon, ela e a Dinah não param de me zoar.
- Lauren Jauregui condenada. - fala Dinah.

- Quando vai tirar as medidas para o macacão laranja? - saímos do carro. - Ou será que é tamanho único?

- 40 horas de serviço comunitário não tem graça. - digo. - É um colete laranja.

- Ah, que pena não combina com a sua jaqueta.

- Bem vindo a Smallville, onde você combate o crime e cumpre a pena. - brinca a Dinah.

- Enérgico. - fala a McCall saindo do Talon. As garotas param de brincar e ficam sérias. - Eu poderia usar isso como lema da minha campanha. - ela me olha. - Vamos nos ver amanhã cedinho, senhorita Jauregui.

- Eu mal posso esperar.

- Tchau.

- Boa sorte, combatente. - fala a Ally entrando no Talon.

As garotas entram e a Camila sai com flores para colocar do lado de fora do Talon.
- Oi, Camz - digo. Ela coloca as flores no lugar, percebo ela estranha. - O que foi?

- Segundo a sheriff meu caso não é para o tribunal, só disse e me disse. - ela se vira para mim e me olha. - Pelo menos você estava lá, Lo.

- É, e olha no que deu. - ela olha para o lado.

- Perdão. - coloco minhas duas mãos na sua bochecha fazendo ela me olhar.

- Eu não me arrependo de ter protegido você.

- Não pode me proteger a cada segundo.

- Posso tentar. - chego mais perto dela.

- Sempre acaba me salvando, eu queria pelo menos uma vez conseguir me proteger. - ela se afasta de mim e entra no Talon, não sabia que isso tudo traria tantos problemas.

Ligo para o Shawn e peço para ele ajudar a Camila nessa parte de se defender, isso fará bem a ela.

Eu só acho que ela não entendeu uma coisa, eu vivo para proteger ela e isso é algo que não posso mudar.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...