História Smile - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camren, Faberry, Larry, Muke, Vercy
Visualizações 215
Palavras 2.998
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Luta, Romance e Novela, Saga, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 9 - Open Book


A menor não respondeu; preferiu ignorar o cumprimento da mais velha que continuou fitando ela.



- Não vai me responder, Cabello? - arqueou as grossas sobrancelhas fazendo a garota engolir seco.



Estava sem ideia, só queria que sua mãe chegasse logo e que a morena tivesse algum compromisso e tivesse que sair dali.



- Desculpa, Lauren. - disse tentando soar firme porém sua voz não colaborou. - Olá... - murmurou.



Lauren começou a analisar a menina deixando-a mais constrangida se possível. 



- Por quê vive me fitando? - perguntou se arrependendo. Sabia da fama da maior e não queria que levasse a frase para um sentido grosso.



- Você é...interessante...de se observar. - deu de ombros enquanto apoiava as mãos na mesa, entrelaçando-as.



Achava que ia receber uma resposta ríspida da chefe de sua mãe mas teve resultado contrário. 



- Odeio os discursos do meu pai. - bufou atraindo a atenção de Camila que olhava as próprias mãos apoiadas no colo. - Todo ano faz agradecimentos e discute sobre algum tema...acho que dessa vez é sobre xenofobia. - disse de uma vez só. 



Não queria se pronunciar mas sua mente gritava para falar algo e não deixar a conversa "morrer".



- Que bom então... - seu coração acelerou com a própria resposta fútil e o olhar de Lauren a queimando.



- Posso saber...? - perguntou sugestiva



Não sabia se deveria contar ou deixar para lá mas sua mente estúpida implorou para falar. A maior tinha algo que a faz querer conversar por muito tempo, apesar de não gostar de socializar.



- Nesse ano tivemos uma novata que não é daqui...alguns alunos implicam com ela e dizem palavras horríveis como "abre os olhos, japonesa" ou então "você luta karatê bem?". Sendo que nem japonesa é. Ela é muito simpática; é minha melhor amiga... - suspirou e percebeu que foi a frase mais longa que falou para a morena.



- Sei bem como é... - disse amargurada relembrando sua infância. - Qual o nome dela? - perguntou tentando ter mais contato com a menor.



- Kim Dahyun, ela é da Coréia do Sul. - respondeu olhando ao redor procurando sua mãe. Percebeu que não adiantaria ignorar Lauren mesmo; talvez sua mãe tivesse inventado a desculpa de pegar bebidas para deixá-las a sós. - Acho que você gostaria da Dahyun, ela é muito elétrica na escola mas em casa é muito quieta e na dela.


- E por que eu gostaria dela? - perguntou curiosa


- Hã... não sei explicar direito...vocês tem o mesmo jeito de vez em quando! - exclamou olhando com atenção os olhos verdes.


- Me acha elétrica? - perguntou prendendo o riso


- Você entendeu. - disse sorrindo fraco. Lauren ficou séria ao perceber que era a primeira vez que viu um sorriso dela. Apesar de não ser completo, era bem bonito de se ver.


Assim como disse, seu pai começou com os agradecimentos - muito longos para variar - e enquanto olhava todos com um sorriso.


- Ele parece simpático. - disse um pouco mais relaxada.


- O coroa, apesar de muitos defeitos, é uma pessoa gentil e honesta. - respondeu dando de ombros olhando para o enfeite da mesa. Era bom saber que Camila estava ficando relaxada consigo mesma. - Então, você tem muita intimidade com essa... - disse sugestiva


- Dahyun. - respondeu achando fofo a forma da maior querer ter contato com ela de qualquer forma. - Como eu disse, ela é minha melhor amiga! Ela aparece raramente lá em casa e quando aparece ficamos assistindo animes no meu quarto enquanto mama vai trabalhar. Já que não gosto muito de conversar até mesmo com minha mãe, ficamos só assistindo. Às vezes falamos sobre o dia-a-dia. - falou simples


Não queria admitir a si mesma mas a morena ficou incomodada ao saber dessa informação.


Levou o copo de água até sua boca e bebeu uma boa quantidade. 


- Você namora, Camila? - perguntou direta fazendo a menor se engasgar.


Logo a maior se levantou e se sentou na cadeira do lado da mais nova.


 - Você está bem? - perguntou preocupada mas logo Camila acenou concordando. 


Estranhou ter se preocupado com uma desconhecida então retornou a sua postura reta.


- Digamos que não sou social e ninguém do colégio me acha atraente ou algo do tipo... - disse timidamente brincando com as mãos. 


- Talvez tenha alguém, e você não notou! Não tem como não ter alguém. Apesar de não falar muito, até que você é simpática e bonita também. -disse novamente elogiando uma estranha.



- Para agora de falar com essa garota. - implorou seu cérebro mas a adrenalina e o perigo de estar se "aproximando" de alguém era tão alta que ignorou


- Não acho mas obrigada... - respondeu olhando seu colo e mordendo o lábio inferior levemente corada. Era claramente um costume das Cabello.


- Não morda o lábio. - mandou trincando a mandíbula fazendo a menor se assustar com seu tom repentino. 


- Porquê? - perguntou inocente agora fitando-a.


Não respondeu, somente a encarou e Camila percebeu que não deveria nem ter perguntando e só parado de morder o lábio inferior.


Sinu chegou com três taças de champanhe quebrando o contato visual das duas.


- Trouxe champanhe! - exclamou sorrindo e Lauren se levantou 


- Desculpe mas tenho que falar com minha irmã! Te vejo na segunda, Sinu. - falou gentilmente. - Até algum outro dia, Cabello. - disse com Camila que agora fitava o chão. 


- Tchau. - disse baixo


Okay, ficou incomodada com a tal Dahyun? Ficou. Devia ter saído antes que Sinu chegasse? Devia. A pequena Cabello chamou sua atenção mais do que está acostumada? Com certeza.


Mas aquilo era passageiro. O famoso "te vi, me chamou atenção, foi embora, esqueci de você". Então, não se preocupou com isso e rumou para a mesa de seus antigos amigos. 


Chegando lá, todos conversavam sobre medicina e o dia-a-dia deles no hospital. Iglesias conversava com um sorriso no rosto enquanto segurava a mão de Taylor tinha um leve sorriso olhando Verônica. Típico hábito de quando eram jovens; quem via de longe pensavam que namoravam.


Arqueou as sobrancelhas tentando não acreditar no que estava vendo. Verônica tinha quebrado a "promessa"?


- Oi, Laur! - exclamou Yang e todos voltaram a atenção para Lauren. Verônica imediatamente soltou suas mãos, que estavam entrelaçadas com as de Taylor, fazendo a mais nova ficar confusa


- Oi, Cristina, oi, Alex e oi, Izzie. - cumprimentou dando seu melhor sorriso convencido. - Com licença, mas Taylor, Verônica e eu temos que voltar para nossa mesa. - falou lançando um olhar para Vero que entendeu tudo.


- Mas...? - Vero apertou a coxa de Taylor como um sinal para que fosse com Lauren e a mesma não questionou e se levantou. -Tchau, gente. Até segunda. - falou beijando a bochecha de cada um e Lauren e a amiga apenas acenaram.


Seguindo para a mesa grande, Iglesias nem tentou olhar para a maior. Sabia o que ela queria fazer com a mesma e não duvidava que fizesse mesmo.


- Então...como foi com a pequena Cabello? Vi vocês conversando e... - engoliu seco ao ver o olhar que recebeu.


- ...bem, deixei para agradecer minha família por último pois é a parte mais especial. Tenho uma mulher linda e três filhos incríveis que amo muito. Obrigado a todos por terem vindo me prestigiar e também... - as três estavam sentadas na ponta da mesa retangular, bem longe de Clara, Chris e as primas.


- Ué, o papai errou, não foi?! - perguntou com a mão no queixo e uma cara de dúvida


- Errou em que parte, Tay? - perguntou Lauren bebendo um conteúdo que não soube o que era. A cada minuto, os garçons chegavam e abasteciam a mesa com bebidas, doces e salgados. 


- Ele disse que agradecia aos três filhos...Chris é nosso irmão? - perguntou e as três riram baixo querendo gargalhar. Só quem vivia com as duas quando adolescentes entenderiam o por quê da piada interna.


Christopher olhava com raiva para as duas irmãs e respirou pesadamente. 


Analisou a situação com bastante calma enquanto estava sentado; o ponto fraco da irmã caçula sempre foi Verônica, até mesmo quando não sentia nada pela mesma, somente amor fraternal. Lauren não tinha um ponto fraco específico ao seu ver; desde crianças foi crescendo e foi se tornando uma pessoa fria, com poucos amigos e sem nada para usar contra a mesma. 


Mas ele iria descobrir e iria se aproveitar das duas. Nem sempre foi um garoto mal, só era...incompreendido? Talvez.


Assim que acabou, foi aplaudido por alguns minutos que pareciam eternidade para ela.


- Tenho um compromisso com minha cama e essa festa não acaba. - resmungou com raiva 


- Eles são sua família, Lern. Paciência! - riu Iglesias colocando sua mão sobre a coxa de Taylor que mexia no celular sem ligar para o ato da maior.


- Posso dormir lá? Por favor, irmã, eu não aguento mais a situação lá em casa... - pediu fazendo bico


- Pode ser. Você dorme no... - parou de falar ao raciocinar. Se deixasse a irmã dormir no quarto de Verônica saberia no que daria. - Você dorme na minha cama. - disse e pegou seu celular para checar se tinha alguma mensagem.


- Pensei que não deixasse ninguém dormir na sua cama. - provocou arqueando a sobrancelha.


- Considere-se uma exceção . - respondeu dando um sorriso falso. Colocou o celular no ouvido, escutando o mesmo discar. - Já volto. - disse enquanto andava rapidamente até a saída. 


- Lauren! - ouviu Michael a chamar porém ignorou e continuou andando.


Já fora do salão, suspirou impaciente quando a chamada caiu na caixa postal.


- Que merda. - resmungou apertando o celular entre os dedos. 


- Hey! - discou novamente o mesmo número. - Está sem falar comigo? - colocou o celular no ouvido. - Michelle! - puxou seu braço fazendo-a virar com tudo.


Lauren encarou a mão em seu braço e logo olhou furiosa para sua melhor amiga.


- Volte para lá e chame Taylor. Fique no carro. - disse puxando com tudo seu braço e jogando a chave do carro para a menor. - Não ouse me questionar e não saia do carro! Você tem 10 minutos para se despedir de todos. - falou abrindo dois botões da camisa. 


Verônica a olhou pasma, porém nem tanto já que sabia o motivo daquele tratamento. Tratou de literalmente correr para dentro do salão enquanto Lauren tentava ligar até que finalmente atendeu.


- Boa n...


-Preciso de munição para uma Glock, Matthew, e não me venha com desculpas esfarrapadas! - exclamou começando a suar.


- Passe aqui em casa umas 5:30. Teve sorte que encomendei semana passada, então não vai ser tão complicado como da última vez. Ah! E agora quero o dobro do que vendia. - falou normal mastigando algo fazendo com que a morena se irritasse ainda mais.


- O dobro?! Você está fumando, Matt?! Passa para Jesse agora! - disse andando de um lado para outro.


Tinha métodos estranhos de descontraiar, como atirar em alvos aleatórios como garrafas de vidroe latas de refrigerante. Hobbie estranho? Talvez. Contudo, não ligava para nada que envolvesse o pensamento dos outros sobre si.


- Desculpe pelas asneiras de Matthew, ele realmente está fumando...venha pegar assim que acordar, okay? E o preço continua o mesmo. - a tranquilizou com sua voz suave fazendo a mais alta respirar fundo.


- Tchau, Jesse. - pois é, nem agradeceu, só desligou na cara do velho colega. Não estava acostumada com agradecimentos e seus "amigos" sabiam e não se importavam.


Desceu o celular rapidamente e antes que pudesse guardar no bolso uma conhecida a ligou. 



Taylor se despediu de todos - excluindo Chris e Clara -, ficando abraçada por mais tempo com seu pai que acariciava os cabelos da mesma.


Verônica estava sendo queimada pelos olhares nada discretos de duas primas e primos das duas amigas. Estava começando a ficar envergonhado e percebeu o olhar que Taylor lançou para seus primos.


Decidiu então conversar um pouco mais com Karev e Yang que estavam completamente bêbados. 


Logo, foi puxada pelo braço pela Jauregui menor que tinha uma feição de deboche enquanto andava.


- Nunca mais peço para meus pais chamarem meus primos. - murmurou soltando o braço da mesma que estava rindo do ato.


- Ciúmes, TayTay? - provocou recebendo uma careta em troca. 


[...]


- Então você tem que levar sua prima amanhã para o colégio? No domingo?! - desacreditou no que disse fazendo-a revirar os olhos.


- Ela foi até o banheiro e ligou para mim. Minha sorte é que ela estuda à tarde; então eu pego meu negócio na casa de Jesse e Matthew, vou até ela na sorveteria e a levo até a porcaria da escola. Quando eu chegar, quero ver esse apartamente brilhando e pelo menos 1 metro de distância entre você e Taylor. - avisou abrindo a geladeira procurando seu precioso suco de laranja. 


- Hmmpf. - bufou tirando os sapatos, logo se jogando no sofá. Já tinha tomado um rápido banho e ofereceu seu banheiro para que Taylor se banhasse.


- Não sei a causa das suas reclamações; você só vai para o curso na segunda e na quarta. Trabalha meio período dando reforço de biologia na quinta e quando chega em casa só faz o almoço e jantar! - exclamou depois de beber um grande gole do suco direto da garrafa.


- Quer comparar minha rotina com a sua, caralho?! - revoltou-se e se endireitou. Logo, sentou no braço do sofá.  - Vai dar merda, essa garota vai ficar mal acostumada e vai querer que você leve ela todos os dias. - complementou cruzando as pernas.


- Exagerada! Eu tenho que fazer esse favor à ela e só levarei amanhã e na segunda, quando for para o trabalho. Então, relaxe. - disse mexendo no celular


- Hmmpf. - bufou mais uma vez revirando os olhos.


- Ficou um pouco grande, hehe. - riu sem graça segurando a toalha, o vestido e as peças íntimas no braço direito.


Verônica ficou boquiaberta e fitou a amiga dos pés à cabeça. Taylor vestia um short de algodão cinza pequeno que deixava suas belas coxas à mostra e uma camisa grande que cobria boa parte do short.


Iglesias mordeu o lábio ao encontrar o olhar da Jauregui mais nova que corou e seguiu para a cozinha.


- Acho que está na hora de você dormir, senhorita. - disse ainda com raiva pelo o que aconteceu entre as duas mais cedo e pelo gesto da menor que não passou despercebido por Lauren.


- Hã...sim, sim, okay. Er...boa noite, Laur, boa noite, Tay. - colocou as mãos nos bolsos e andou rapidamente até o quarto, fechando a porta do mesmo com força. 


- Para de intimidar ela, sério, isso é chato na maioria das vezes. - reclamou Taylor depois de deixar sua toalha e roupa na lavanderia. - Não sou mais criança, sei muito bem me cuidar, e não cairei na rede de Verônica novamente. - avisou passando as mãos nos ombros da maior que estava de costas para a mesma.


Ficou na ponta dos dedos e deu um beijo na nuca da mais velha que devaneiou sobre o assunto por um determinado momento.


- Até amanhã. - disse bocejando e seguiu para o quarto da irmã. 


Certamente, aquela noite estava sendo uma das mais loucas da sua vida. Sua irmã e sua melhor amiga voltaram a se falar, viu seus "amigos", falou com pessoas fora de seu convívio e...Camila.


Até aquele momento não tinha pensado na menor. Por quê pensaria? Não via nada de tão interessante na morena porém tinha algo que a intrigava e a deixava querendo mais.




Acordou cedo naquele domingo com seu nervosismo. Algo a deixou ansiosa fazendo-a ser a primeira a levantar.


Deixou um bilhete para Taylor, tomou um banho rápido e rumou para seu amado carro.


O cedo da maior em todo feriado ou domingo eram 11:00 horas, sempre. Então, só tomou seu suco de laranja e escovou os dentes sem pressa. Afinal, tinha que deixar Ashley no colégio às 13:00 e decidiu pegar sua compra depois de deixasse a prima.


Ashley era uma garota baixa, com um corpo de deixar qualquer garota com inveja porém nada exagerado, tudo na medida perfeita. Seus cabelos eram curtos picados deixando-a com uma aparência fofa, o que realmente era. A garota parecia um anjo.


Não conversaram muito no carro. Sempre que Ash puxava assunto, Lauren a cortava mas a menor nunca desistia. Sempre foi muito elétrica e a maior sempre foi uma das suas primas favoritas.


- Só vai ter uma palestra para hoje pois não conseguiram encaixar na semana e ela é essencial para a redação que temos que fazer amanhã. - explicou para Lauren que dirigia atenta.


- Deixarei você aqui, pegarei uma coisa, e depois volto, então. - se ofereceu. Não tinha nada para fazer mesmo.


- Obrigada, Laur. - agradeceu sorrindo abertamente. Ela sorrindo era tão lindo quanto ela séria. De fato,  as três primas Jauregui eram as mais bonitas da família. 


Desceu saltitante do carro enquanto caminhava graciosa em direção ao seu namorado que estava sentado no banca embaixo de uma árvore ali perto.


Loiro, com ombros largos e sério. Não era de falar muito e muito menos interagir; estava no aniversário do dia anterior mas Lauren não deu tanta atenção. 


Apenas acenou com a cabeça para a morena - que tinha descido ao mesmo tempo que Ashley - recebendo outro aceno da mais velha.


Continuo encostada no carro olhando a prima e sentiu olhares a queimando de todas as partes. Nunca mudaria, seria sempre assim em todos os lugares que fosse.


Olhou rápido para os poucos alunos que esperavam na frente da escola e seu olhar encontrou o de uma morena confusa.


Segurava fortemente um livro nos braços e tinha uma expressão nervosa e completamente confusa. Jamais pensaria que encontraria a mais velha ali, em alguns metros a sua frente.


Lauren a encarou tentando decifrá-la que agora olhava para o chão fixamente. De todas as pessoas que conheceu, Camila era a única que não conseguia entender, decifrar.


Todos eram como um livro aberto;; sempre falando de si mesmos. Mas a latina não era assim, era calada, na dela e possuía um bloqueio que deixava Lauren cada vez mais curiosa.


Decidiu para de encarar a menor. Somente entrou no seu carro, deu partida e seguiu para a casa de Jesse.







Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...