História Smoke and Mirrors - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias Demi Lovato, Justin Bieber, Wilmer Valderrama
Personagens Demi Lovato, Justin Bieber, Personagens Originais, Wilmer Valderrama
Tags Demi, Dilmer, Hot, Justin, Wilmer
Visualizações 107
Palavras 3.430
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Heyy mores, boa leitura. 💕

Capítulo 10 - Uma gota no oceano


Fanfic / Fanfiction Smoke and Mirrors - Capítulo 10 - Uma gota no oceano

Alguns dias se passaram e tudo estava bem, Demi e Wilmer estavam ficando na casa de Justin por ser mais seguro já que Marcus estava procurando por ela.

Era o dia do teste de Isabella, Justin foi com ela e Demi e Wilmer ficaram esperando em casa, eles foram de manhã e deixaram que Demi e Wilmer cuidassem da casa, apenas brincou com toque de seriedade pedindo para eles não transarem em todos os lugares da casa.

– E então? – Demi perguntou sentada no sofá com Wilmer

– Eu passei – Isabella disse animada

– Parabéns! – Demi disse – Agora só não morra – ela brincou

– O que é isso no seu rosto? – Wilmer perguntou se referindo ao machucado na maçã do rosto dela

– Isso é o que eu ganhei por finalmente estar fazendo algo útil com a minha vida – Isabella disse

– Eles acabaram com você – Justin disse colocando o braço em volta do ombro dela

– Não, eu estou legal – ela disse – Nós deveríamos comemorar, talvez sair para beber

– Nós não podemos arriscar que o Marcus nos veja juntos – Demi disse e Wilmer assentiu

– A gente podia beber aqui mesmo – Wilmer sugeriu

– Sim, com umas pizzas – Demi disse

– Poderíamos chamar a Liza – Justin disse e Isabella olhou séria para ele

– Sim, eu vou ligar para ela – Demi disse

– Beleza – Justin disse e olhou para Isabella – Vamos passar alguma coisa nesse seu rosto

Ela assentiu e foi com ele procurar um remédio para passar no rosto. O trabalho de Demi e Justin não era uma agência como o de Wilmer, não havia uma central como a Firma Kensington, ela não tinha que prestar conta nem nada, mas precisava de uma autorização para ter acesso a armas e essas coisas e para isso servia o teste, para provar que a pessoa estava apta a isso, ela estando apta poderia até trabalhar sozinha ou em equipe como Demi, mas a regra era, se matassem uma pessoa inocente iriam para a cadeia como qualquer pessoa, mas se matassem pessoas como os agentes da firma Kensington, por exemplo, estaria tudo bem, porque estariam matando pessoas que eram realmente más.

Demi ligou para Elizabeth e chamou ela para a casa de Justin, eles marcaram o horário e ela disse que iria e ela realmente apareceu no horário marcado.

– Eu não sabia o que trazer e você disse que iríamos beber, então eu trouxe a minha tequila favorita – Elizabeth disse entrando e lhe entregou a garrafa de tequila

– Não se preocupa com isso – Demi disse

– Liza! – Justin disse animando ao vê-la

–Justin! – Elizabeth disse indo até Justin e o abraçou

– Como você está? – Justin disse se separando do abraço

– Estou ótima, e você eu soube que está comprometido – ela disse

– Sim, vem conhecer a Isa – Justin disse

Elizabeth conheceu Isabella e não era difícil de ver a ligação entre Justin e Elizabeth. Eles pediram pizzas e comeram com bebidas e a tequila que Elizabeth havia levado. Eles estavam sentados no sofá da sala conversando, bebendo e comendo.

Demi estava sentada em uma ponta com Wilmer, ele tinha o braço em volta dos seus ombros a abraçando praticamente, ao lado deles estavam Isabella e Justin, ela às vezes deitava a cabeça no ombros dele e Elizabeth estava sentada em uma poltrona virada para eles para conversarem.

– Eu estou me sentindo uma vela tão grande perto de vocês – Elizabeth brincou e bebeu um pouco e Demi riu levemente

– Pelo menos não somos aqueles casais chatos que só falam na primeira pessoa – Demi disse

– É verdade! – Justin disse – "Nós odiamos o inverno" – ele debochou

– "Nós nunca viajamos de carro" – Demi debochou

– "Nós só gostamos de quinoa" – Elizabeth completou e os três riram e olhou para Demi e Wilmer – Então, senhor e senhora Lovato-Valderrama, é isso mesmo ou ao contrário?

– É isso mesmo, mas é sem hífen – Wilmer disse

– Mas o nosso sobrenome está junto apenas na certidão de casamento – Demi completou

– Certo, senhor e senhora Lovato Valderrama, sem hífen apenas na certidão de casamento – Elizabeth disse e eles riram – Que tal me contar sobre esse casamento que eu não fui convidada

– Eu convidei você sim, mas a tia tinha brigado com o tio Ben e não deixou você vir no meu casamento – Demi disse

– A mãe e o pai viviam brigados e ela achava que eu tinha alguma coisa a ver com isso – Elizabeth revirou os olhos – Mas o que eu perdi do casamento?

– Bom, teve o Wilmer cantando para mim – Demi disse olhando para ele que riu abaixando a cabeça como se ela estivesse expondo um momento vergonhoso dele

– Foi horrível – ele disse

– Não, foi lindo, você pode cantar para mim quando você quiser – Demi disse deitando a cabeça no ombro dele

– Meu Deus, vocês dois são um nojo, no bom sentido – Elizabeth brincou e olhou para Justin – Você foi no casamento?

– É claro, quem você acha que foi o estranho que ficou no fundo? – Justin brincou todos riram

– E vocês dois – Elizabeth disse olhando para Justin e Isabella – Para quando é o casamento? – ela disse e Demi e Justin se entreolharam

– Bom, eu espero que em breve – Isabella disse e olhou para Justin que sorriu

– Espero ser convidada – Elizabeth disse

– Com certeza você será convidada – Justin disse

– Bom, eu acho melhor eu ir antes que eu fique bêbada demais para dirigir – Elizabeth disse colocando o copo com o resto da tequila na mesinha de centro

– E a Arizona quer a gente de pé amanhã cedo – Demi disse

– Trabalho, que delícia – Justin disse ironicamente se levantando do sofá fazendo Elizabeth rir pelo nariz

– Estava com saudades da sua ironia, Bieber – Elizabeth disse também se levantando

Eles se despediram de Elizabeth e Justin foi com ela até o seu carro, enquanto Demi ajudava Isabella colocar os copos que beberam na pia e as caixas de pizza no lixo.

– Demi, nós somos amigas, né? – Isabella disse se virando para Demi

– Sim – ela respondeu

– O Justin e a Elizabeth são só amigos, né? – Isabella disse

– Sim. Eles tiveram um rolo, mas foi há muito tempo – Demi disse – Acredite, ele ama você – ela disse se lembrando do anel que Justin havia mostrado a ela

– Como tem tanta certeza?

– Justin e eu nos conhecemos desde os cinco anos, eu o conheço o suficiente para saber quando ele está apaixonado – Demi disse – É do jeito torto dele, mas ele te ama

Isabella sorriu levemente e Demi fez o mesmo e pegou no ombro dela e em seguida saiu da cozinha e viu Justin voltando e se aproximou dele como se fosse o abraçar.

– Talvez seja uma boa hora para tirar o anel da gaveta – ela disse no ouvido dele

Wilmer já havia subido para tomar banho quando Elizabeth saiu e Demi foi até ele. O quarto que eles estavam na casa de Justin havia um banheiro e era lá que ele tomava banho e foi lá que Demi disse.

– Eu já disse que você fica maravilhoso de terno – Demi disse fazendo Wilmer que estava de costas olhar para ela – Mas nada se compara a você sem roupa – ela disse e mordeu o lábio inferior

– Bom, tem espaço para mais uma pessoa sem roupa aqui – Wilmer disse

– Parece uma boa ideia

Ela tirou suas roupas e entrou no chuveiro com ele, ela molhou o seu corpo e Wilmer passou a mão no cabelo dela enquanto o mesmo se molhava.

– Eu ainda acho que estamos incomodando o seu amigo ficando na casa dele – Wilmer disse

– Não estamos não, não se preocupa – Demi disse

– Mas nada há melhor do que a nossa casa – ele disse

– Eu sei, mas quanto mais rápido matarmos o Marcus, mais rápido voltamos para casa – Demi disse

– Pois é – Wilmer assentiu

Eles tomaram banho, avisaram Justin que estavam indo para a cama e foram dormir, no dia seguinte Arizona ia precisar de todos eles cedo, era mais uma forma de atacar Marcus, dessa vez diretamente.

No dia seguinte eles foram para o apartamento de Arizona e Callie, Kate foi com Demi e Wilmer e Isa com Justin. Arizona já havia adiantado brevemente qual era o trabalho que eles fariam e dessa vez iria explicar direito.

– Oi – Demi disse já entrando no apartamento delas

– Oi – Callie e Arizona disseram em uníssono

– Bom dia – Wilmer disse e Kate apenas acenou

– Bom dia – Callie respondeu sorrindo – Meu Deus, Demi, ele diz bom dia – ela disse e Demi e Wilmer riram e ela olhou para Justin que estava de se aproximando delas já que ele havia chegado primeiro com Isabella – Você sabe falar bom dia, Justin?

– Eu sei mandar você ir se foder – Justin disse

– Grosso – ela disse e Arizona que estava do lado dela passou o braço por seus ombros a abraçando

– Então, o que a gente vai fazer mesmo que você precisa de todo mundo? – Kate perguntou

– Claro, um minuto – Arizona disse e pegou seu computador

– Vamos matar o tal do Marcus? – Isabella perguntou

– Não, matar esse desgraçado é o último round – Demi disse saindo da cozinha com duas canecas de café entregou uma a Wilmer que agradeceu – Dessa vez vamos até Brandon Michaels

– Um velho amigo meu – Wilmer disse e bebeu um pouco do café – E também a pessoa que o Marcus mais confia depois de mim

– Ou seja, se matarmos ele, afetamos o Marcus – Justin completou

– Mas antes, vamos tirar dele algumas respostas que não temos – Arizona disse e olhou para Kate – Por isso precisamos de você

– Ótimo, nunca gostei dele mesmo – Kate deu de ombros

– Wilmer – Callie disse olhando para ele chamando sua atenção – Você vai para a Kensington, seu disfarce é importante para nós – ela disse e ele assentiu

– Enquanto Demi e Kate vão estar com o Brandon – Arizona disse

– Por que nós duas? – Kate perguntou

– Para acostumar vocês a conviverem juntas já que são cunhadas – Arizona disse – Até porque, eu duvido que eles vão se separar algum dia

– E não vamos – Demi cruzou os braços

– Certo – Kate assentiu ainda com os braços cruzados

– Eu estou esperando você dizer o que eu vou fazer – Justin disse

– Você vai trabalhar com a sua namorada – Arizona disse – Vão pegar a filha do Brandon, Lana Michaels. Ele pode ficar calado mesmo a Kate torturando ele, mas eu duvido que continue assim quando ver que estamos com a filha dele

– E onde a gente vai pegar a menina? – Isabella perguntou

– Ela não tem aula hoje então vai para um parque com a babá, ela tem sete anos, vai ser fácil pegá-la – Callie disse

– Vamos fazer chantagem com uma criança, ótimo – Justin disse

– Vocês só não podem matar ninguém – Wilmer disse

– Não quer que seu colega morra? – Justin alfinetou e Wilmer revirou os olhos

– Não é isso. Eu conheço o Marcus, se matarem o Brandon vai ser a mesma coisa de declarar guerra – Wilmer disse

– É verdade – Kate concordou – Nunca vi ninguém mais rancoroso que o Marcus, ele se vinga

– Então ele pode matar quem ele quiser ou quem ficar no caminho dele e nós não podemos fazer nada? – Demi disse, ela tinha um toque de raiva se lembrando dos seus pais

– É assim que funciona com o Marcus, então se aceitam um conselho, não matem ninguém – Wilmer disse

Eles apenas combinaram mais algumas coisas e em seguida foram fazer o que deveriam. Eles sabiam que todas as quintas, Brandon tinha consulta com um terapeuta antes de ir para a Firma Kensington e ia ser no estacionamento do prédio do terapeuta que Demi e Kate iriam abordá-lo, enquanto Wilmer ia para a Kensington e Isabella e Justin foram pegar a menina.

– Brandon Michaels? – Demi o chamou andando até ele que andava até o próprio carro e ele se virou

– Eu conheço você – ele disse olhando para ele

– É o lado bom de ter a cabeça a prêmio na firma que meu ex marido trabalha – Demi disse – Mas eu estou aqui porque temos que conversar algumas coisas

– A única conversa que vai ter aqui vai ser da bala da minha arma e a sua cabeça – Brandon disse e sacou sua arma

Demi apenas olhou para ele exibiu um sorrisinho de deboche.

– Você sempre foi bom em frases de efeito – Kate disse atrás dele com sua arma apontada para a cabeça dele – Mas nunca passou disso

– Está do lado dela, Kate? – ele perguntou

– Parece que sim. Diz para o Marcus que ele está encrencado – Kate disse – Abaixa a arma, como ela disse, temos que conversar, e você vai conversar comigo, olha que sorte

– Você não sabe o que está fazendo, Kate – Brandon disse

– Coloca a arma no chão, Brandon – Kate disse e engatilhou sua arma e Brandon jogou a arma no chão – Agora anda – ela disse e o empurrou com a arma em direção ao seu carro

Brandon foi com Kate e Demi pegotava do a arma dele no chão. Brandon entrou no quarto com elas e foram para um galpão um pouco mais afastado onde Demi viu Kate prender Brandon em uma cadeira como fez com ela, Kate pegou uma tesoura e cortou a camisa social dele exibindo seu peitoral.

– Então, Brandon – Kate disse – Eu tenho algumas perguntas para você e a minha cunhada também, e bom, você me conhece, sabe o que acontece se não cooperar

– Você acha mesmo que eu tenho medo de você, Kate? – Brandon disse

– Não, eu sei que você é machista demais para assumir que está com medo de uma mulher – Kate disse e enfiou tesoura que tinha na mão no braço dele e ele gritou – Mas vamos mudar isso

A tesoura não tinha uma ponta fina, era uma tesoura comum o que exigiu de Kate força para fazer a mesma perfurar a pele.

Kate começou com suas perguntas e como ele não respondia ela começou a tortura e Demi olhava horrorizada com como ela conseguia fazer tudo aquilo e as vezes com um sorriso no rosto.

Havia passado uma hora com Kate torturando Brandon, praticamente todo o seu peitoral já sangrava com cortes superficiais e quando Kate ficou irritada ela começou pegar pesado e havia cortado dois dedos dele.

– Você vai me falar o que eu quero saber agora, Brandon? – Kate disse tirando a fita da boca dele para ninguém ouvir seus gritos

– Vai se foder – ele disse com a voz trêmula de dor

Antes que Kate dissesse ou fizesse algo, a porta do galpão se abriu, entrou Isabella que se assustou com a quantidade de sangue que viu, trás dela estava Justin segurando na mão da filha de Brandon.

– Bem na hora – Kate disse

– Papai! – a menina gritou assustada quando o viu sangrando

– O que ela está fazendo aqui? – Brandon disse surpreso em ver sua filha lá

– Vamos machucar a sua filha se não começar a falar – Demi disse

– Estão blefando – ele disse

Demi olhou para Lana que estava sentada no chão abraçada aos joelhos do outro lado da sala, ela sacou sua arma, apontou na direção da menina e atirou na parede acima da cabeça dela voltou seus olhos para Brandon.

– Eu estou blefando? – Demi disse e ele engoliu seco – O que você sabe sobre o assassinato de Dianna e Patrick Lovato? – ela repetiu a pergunta que já havia feito

– São seus pais, não é? – ele disse – Eu estava tentando adivinhar porque queria tanto saber disso

– Só responda – Demi disse

– Eu não matei eles – Brandon disse – Talvez o seu marido saiba, torture ele

– Ex marido – ela o corrigiu, ele não podia contar para Marcus que saber que ela e Wilmer estavam juntos

– Não me importa – ele deu de ombros

– Por que o Marcus mandou matar eles? – Demi perguntou

– Talvez porque o Patrick precisasse morrer – Brandon disse – Talvez porque a Dianna era uma vadia que deu para todo mundo do trabalho dela

– Cala a boca – Demi disse irritada e ele de calou – Eu vou matar ele se eu for fazer isso – ela disse olhando para Kate

Demi saiu do galpão Justin foi atrás dela.

– Você está legal? – Justin disse se aproximando dela que pegava o celular do bolso

– Estou, pode voltar e ver o show de horror da Kate – Demi disse

– O que aquele cara falou, não mexeu com você?

– Não, ele está falando só para me irritar, eu sei – Demi disse olhando para ele – Você pode me deixar sozinha por favor?

– Está bem – Justin assentiu e voltou para dentro do galpão

Demi pensou no que ele disse e imaginou o que ele disse poderia ser verdade por ela ter pedido a verdade, mas não conseguia acreditar nele.

Enquanto Kate tentava tirar respostas de Brandon, Marcus já estava ciente do seu sumiço e havia mandado Wilmer rastrear o celular dele para encontrá-lo, Demi havia desligado o celular dele, mas o celular dele era capaz de ser rastreado até mesmo imerso na água, o que Demi e Kate deveriam ter feito era ter quebrado o celular dele se não quisessem ser encontrados.

– Achou o Michaels? – Marcus perguntou quando Wilmer entrou na sala dele

– Achei. Ele está em um galpão na divisa de Seattle com Portland – Wilmer disse

– Você acha que ele ainda esta vivo? – Marcus perguntou indiferente

– Se for alguém que sabe com quem está mexendo, sim – Wilmer disse

– Então vai lá, trás ele para cá – Marcus disse

Wilmer assentiu e saiu indo para onde eles estavam, ele ligou para Demi avisando que estava indo para lá e eles deixariam Brandon viver ele não podia saber que eles trabalhavam juntos, eles combinaram que eles iriam sair de lá e deixar Brandon lá e a menina na porta de casa e era isso que eles iriam fazer. Kate, Justin e Isabella foram primeiro e quando Wilmer chegou Demi ainda estava lá.

– Saiam daqui – Wilmer disse depois de entrar arrombando a porta

– Você pode pegar o seu colega que ele não me interessa mais – Demi disse colocando uma bolsa no ombro e olhou para ele

Wilmer olhou para Brandon que estava desfalecendo de tanto sangrar, os dedos cortados era típico de Kate e olhou para menina sentada no chão com medo e percebeu que ela iria deixar a menina lá. Wilmer tirou a fita da boca dele e ele respirou fundo.

– Você quer saber porque os pais morreram? – Brandon disse fazendo Demi que já aproximava da porta parar e olhar para ele

– É bom não fazer hora com a minha cara – Demi disse

– Não vou. Olha, o Patrick realmente precisava morrer, mas a Dianna morreu de graça, a não ser que o Marcus tenha matado ela por ter sido infiel – Brandon disse

– Então o Marcus matou eles?

– Sim – ele respondeu e Demi sacou sua arma apontando para ele

– Demi, não – Wilmer disse

– Isso não é da sua conta, Wilmer – Demi disse dando alguns passos na direção de Brandon – Marcus tirou tudo de mim, é a minha vez de tirar tudo dele

– Demi – Wilmer disse em tom de repreensão

– Acho melhor você cobrir os olhos e os ouvidos – Demi disse olhando para a menina e assim ela fez

Antes que Wilmer dissesse algo, Demi disparou sua arma atirando na cabeça de Brandon que morreu na hora.

– Não! – Wilmer gritou quando ela atirou

Demi apenas olhou para ele e saiu de lá rapidamente. Ela sabia que Wilmer havia dito que ela não poderia matar ninguém, mas ela estava cansada de Marcus fazer o que quer sempre, queria mostrar para ele que o jogo estava virando.

Wilmer levou o corpo de Brandon e a filha dele para a Firma Kensington para que Marcus visse o corpo.

– Quem atirou? – Marcus perguntou

– Ele já estava morto quando eu cheguei e não tinha ninguém lá – Wilmer disse

Marcus assentiu e fechou o saco preto que ele estava e foi para sua sala onde Lana estava e Wilmer seguiu.

– Você sabe quem matou o seu pai, querida? – Marcus perguntou se aproximando da menina e ela assentiu – Então você vai me ajudar e me falar quem fez isso

Marcus abriu uma gaveta trancada da sua mesa e tirou um envelope, daquele envelope ele tirou algumas fotos e colocou na mesa uma ao lado da outra. Wilmer viu naquelas fotos o rosto dos inimigos de Marcus entre eles, Demi, Justin, Arizona, Callie e Kate.

– Qual dessas pessoas estava com o seu pai? – Marcus perguntou

A menina olhou a fotos na mesa e primeiramente colocou o dedo na foto de Justin, depois na foto de Demi e por último na foto de Kate.

– Quem matou o seu pai?

Marcus perguntou e a menina colocou o dedo na foto de Demi. Marcus imaginou que Kate ou Demi estaria por trás disso, ele queria apenas ter certeza.

Wilmer mentiu para Marcus para ajudar Demi do jeito que pôde, mas ele foi mais esperto e agora que Demi havia quebrado a regra de Marcus, Wilmer não fazia ideia do que ele poderia fazer.


Notas Finais


Bom, mores é isso, eu espero que tenham gostado, eu literalmente voltei agora para ficar, todo final de semana o cap de uma fic.
Eu não tenho o que dizer hoje, só que eu sou grata por estarem aqui mesmo eu tendo passado tanto tempo sumida, amo vocês, fadas.
Beijos de neon e até o próximo cap.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...