História Smoke (Blackpink) - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Black Pink
Personagens Jennie, Jisoo, Lisa, Rosé
Tags Blackpink, Chaelisa, Chaeyoung Park, Jennie Kim, Jensoo, Kim Jisoo, Lalisa Manoban
Visualizações 383
Palavras 3.253
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Festa, Ficção Adolescente, Mistério, Policial, Romance e Novela, Suspense, Violência, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Desculpa qualquer erro ou algo assim </3

Uma história meio louca, tudo junto e misturado (Chaelisa e Jensoo)

Capítulo 1 - Change


Fanfic / Fanfiction Smoke (Blackpink) - Capítulo 1 - Change

POV Jisoo

Tic Tac - o relógio velho na parede ecoava no pequeno quarto acabado em que eu estava. Jogada num colchão velho e várias garrafas de bebida e sujeira ao meu redor, sem contar as sujeiras da parede que à tornavam imunda - Tic Tac - Me perguntava como eu, a melhor aluna que só tirava dez e obedecia e fazia tudo que os pais mandavam fui terminar desse jeito. Na verdade eu sabia, foi tentador e eu me entreguei, mas a torre de cartas começou a desabar, eu não liguei pois não estava encima dela, não notei que estava bem embaixo dela - Tic Tac - Minha cabeça dói e eu não tenho força para qualquer coisa, só consigo ficar ali, descabelada jogada na porra de um colchão velho e sujo - Tic Tac - Logo eles chegam... - Tic Tac - Eles sempre chegam.

Tempos antes dos acontecimentos acima

- Veja filha! Eles tem uma academia para ballet aqui! - Minha mãe virava do banco ao lado do meu pai para trás tentando me animar com a mudança de cidade, mas eu ainda continuei emburrada com meus fones de ouvido olhando pela janela com cara de paisagem, senti ela desanimar e voltar a sua posição - Estamos chegando - ouvi um pouco baixo com os fones, ela anunciou animada avistando a casa de longe

Meu pai estacionou o carro bem na frente da casa me dando vista da janela para a nova casa, não era uma casa grande, era como essas americanas, um jardim bem verde, varanda pequena, toda de madeira e com várias árvores ao redor, num bairro normal.

Saímos do carro e pude ver crianças brincando na rua, por um momento elas pararam para me encarar curiosas e eu com vergonha desviei meu olhar para baixo e fui andando rápido para dentro

- Calma apressadinha! - Minha mãe falava debochando e pegando algumas malas do porta-malas, apenas ignorei e segui até a porta

Abri a porta e dei de cara com a sala que era junta com a cozinha, mas até que era bonito, era algo todo marrom e rústico, levei um susto quando minha mãe chegou por trás de mim e e deu uma cutucada

- Ahn? Ela riu da minha reação

- Vá pegar o resto das malas e caixas dentro do carro, seu pai não vai aguentar tudo - falou e entrou colocando as caixas na cozinha e fui ajudar com as malas do carro

Horas Depois...

Já era noite e eu estava de pé mexendo numa caixa em meu quarto que estava em cima da cômoda quando ouvi baterem na porta fechada e que logo se abria

- E aí? Gostou do seu quarto novo? - minha mãe "vomitava" felicidade em mim tentando me animar

- Quarto? Achei que era nosso novo sótão - Fui sarcástica sem olhar em seu rosto e ela suspirou sentando na cama

- Sei que não queria mudar... - tentou se explicar

- Sabe? - interrompi sarcástica de novo

- Seu pai não podia perder a proposta de emprego aqui, Jisoo - apenas à escutava de costas - Com o tempo você vai se acostumar, Seul é uma cidade muito agradável e garanto que você vai ter um monte de coisas para fazer aqui, quem você não começa a fazer Yoga? - olhei para ela pelos ombros séria e vi seu sorriso virar nada e sua cabeça abaixar - Entendi, você não está pra papo, quem sabe amanhã - foi em direção à saída e fechou a porta com a maior delicadeza possível

Respirei profundamente e logo senti lágrimas escorrerem pelo meu rosto, eu não costumo ser assim, juro, eu sou muito boa e trato as pessoas muito bem, mas eu realmente estava esgotada e tudo o que faziam pra tentar me animar só me botava mais pra baixo, só me fazia lembrar da minha antiga cidade

Terminei de arrumar as coisas e me joguei na cama para aliviar minhas costas, no mesmo momento caí no sono

Acordei com o sol da janela sem cortina batendo no meu rosto e minha mãe batendo na porta me chamando para tomar café, resmunguei mas me levantei, fiz minha higiene e fui tomar meu café, após isso me arrumei para o primeiro dia de aula numa escola nova, eu realmente estava muito afim de faltar, matar aula ou tratar todos como lixo mas já que eu iria passar bom tempo (talvez toda a vida) aqui, precisaria ser eu mesma e tentar fazer as pessoas gostarem de mim, certo? não sei

O uniforme e igual esses típicos de colegial, o que me fazia sentir mais falta do meu antigo que era liberal (Imagem do uniforme nas Notas Finais) 

Peguei minha mochila e quando olhei para o relógio me toquei que estava atrasada, meus pais sempre me notificavam do horário mas como agora os dois saem mais cedo para trabalhar acabo dependendo de vários despertadores, corri para fora, tranquei tudo e quando cheguei para pegar o ônibus vi ela cruzando a esquina, minhas pernas ficaram bambas, não podia me atrasar no meu primeiro dia, e meu histórica de bom aluna como ficaria?

Comecei a correr loucamente gritando para ver se o ônibus escutava (o que seria impossível, convenhamos) ou alguma alma boa para me dar carona, o que eu não aceitaria porque não pego carona com estranhos, enfim

Continuei correndo e andando rápido, estava suando igual uma condenada quando finalmente cheguei no colégio (imagem do colégio nas notas finais), o pátio da frente estava todo vazio, corri rapidamente para a porta e entrei, o mesmo com os corredores: vazio

Estava indo correndo tentando não fazer barulho para não me pegarem, quando virei o corredor bati de cara com uma garota, caímos no chão, eu para um lado e ela para outro, a garota se levantou massageando a cabeça, olhei a garota de cabelos morenos e me levantei rápida

- Desculpa, eu não queria... eu... - ela não parecia ligar pras minhas desculpas, só me observava como se fosse alguém estranho, e eu era né

- Aluna nova? - assenti confusa e ela soltou um sorriso de lado me olhando de cima à baixo - Cuidado - ela passou por mim e eu me virei para olhar ela andando, ela virou seu rosto entre os ombros - Ficar zanzando os corredores da detenção - e voltou a andar rapidamente pelos corredores, quando ela virou o corredor perdi a visão dela, fiquei sem palavras

Comecei a andar, quando não demorou muito pra eu me ferrar (novidade), dei de cara com um monitor de óculos e cabelo típico moreno bem liso

- O que está fazendo andando pelos corredores? - fiquei confusa e sem saber o que falar, nunca tinha passado por isso - Detenção de 30 minutos à mais depois da saída - escreveu uma nota em um bloco, arrancou a folha e me entregou, a escola deveria ser muito rígida, ele nem me deixou explicar a situação e já me mandou para a sala

Segui os corredores ainda confusa com o que aconteceu, detenção de 30 minutos? por chegar atrasada? que absurdo! 

Quando finalmente avistei a placa da minha sala bati na porta e entrei, todos ficaram me observando surpresos por eu ser nova, imagino. A professora parecia surpresa deu chegar atrasada, mas eu nem estava tão atrasada assim, certo?

Foi só eu me aproximar da mesa da professora e o sinal para a próxima aula bateu, todo mundo se levantou rápido e saiu da sala e eu fiquei apenas ali parada observando e sendo tombada milhares de vezes pelo os apressados 

- De-desculpa, eu perdi a noção do horário - entreguei meu papel de transferência para a professora e ela assentiu, assinou e me devolveu, me curvei e fui rapidamente para a sala da próxima aula, não gostaria de ter mais problemas

O dia foi passando e as aulas eram cada vez mais chatas, achei que eu iria fazer amizade rápido com as pessoas de lá pois sou muito amigável e gentil, mas eles me tratavam como um alienígena só por ser nova, toda hora tina um olho me observando, era assustador

Quando finalmente o dia terminou, ecoou o som do sinal final para saída pelo colégio todo, foi quando lembrei da detenção, suspirei e me levantei da cadeira indo em direção à sala que iria ocorrer, era do outro lado do colégio então tive que ir correndo para não pegar mais meia hora de detenção por "atraso"

Quando cheguei lá me surpreendi: todos já estavam sentados e um professor caminhava para sua mesa, entrei pelas costas dele e sentei numa cadeira vazia para ele não notar, ocorreu tudo bem

Ao analisar bem o povo da detenção percebi um rosto famliar, sim! Era aquela morena que me alertou do corredor, será que ela foi pega também? bom, por algo ela foi pega

Eu estava sentada na fileira da parede que estava a porta, segunda cadeira, na primeira cadeira estava sentando um garoto que tinha jeito de relaxado, atrás de mim uma garota loira com franja, parecia cansada e acostumada à estar ali (Vamos fingir que a Lisa ainda é loisa). Na fileira ao lado, a primeira cadeira estava sendo ocupada por uma menina de cabelo curto que não consegui ver o rosto, a segunda cadeira por uma ruiva (Vamos fingir que a Rosé ainda é ruiva), a terceira pela menina dos cabelos castanhos, elas interagiam entre si com a voz baixa, escutei poucos assuntos delas, mas nada que eu entendia ou me interessava

Quando o menino que sentava na minha frente virou para mim com um olhar estranho e ficou me fitando de cima à baixo

- Você é muito bonita sabia? - corei e coloquei o cabelo para trás da orelha - A gente podia trocar uma ideia, se conhecer melhor...

Shhh! - O professor que estava dormindo na cadeira falou de olhos fechados para o menino

- E aí? o que acha? - falou sussurrando

- Por que você tem que ser tão cafajeste? - ouvi a ruiva que sentava na fileira ao lado falar para o garoto e ele apenas riu

- Quem não arrisca não petisca, certo? - olhei pra ele confusa

- Não liga pra ele, ele só quer transar com você e depois te largar como qualquer uma - Arregalei os olhos e virei pra ele que não parava de rir dos comentários da ruiva - Vai por mim

- Por que está ajudando ela? São amigas agora? - o garoto debochou para a ruiva

- Só por ela estar aqui já sei que o dia não foi fácil, e um cachorro igual à você só vai atrapalhar mais a vida dela - ele parou de sorrir

- Você responde por ela agora? - a ruiva se calou e me fitou

- Você quer transar com ele? - neguei com a cabeça muito confusa e corado com a situação e percebi o garoto ficar sem reação

- SHHHH! - mais uma vez o professor alertou do barulho e o menino virou para a frente, olhei para a ruiva que apenas piscou pra mim e voltou a conversar com as garotas

O tempo passou e o garoto da minha frente foi liberado, ele estava detido apenas por 15 minutos, que injustiça... Foi quando notei que só ficou eu e as três garotas na detenção e o professor que roncava na cadeira

- Gostei da mochila - me assustei e olhei para trás

- Obrigada... - agradeci com um leve sorriso

- Você é nova aqui, certo? - a ruiva me perguntou entrando na conversa e eu assenti 

- Como sabe? - falei em meio a risos leves

- Jennie contou SIM MAS COMO ELA SABE???

- Você não é de falar muito, é? - A de cabelo castanho, que chamavam de Jennie me perguntou e eu neguei com a cabeça, pra variar com vergonha - Qual seu nome?

- Jisoo, e o de vocês? - perguntei

Pode me chamar de Rosé, a loira atrás de você é a Lisa e essa você já conhece, Jennie - e curvei sentada para elas às cumprimentando - Tá afim de sair com a gente? - fiquei sem reação, eu mal conhecia elas, meu extinto era negar mas como passei o dia sendo observada a e duvidava se amanhã seria diferente, estava precisando de amigos...

- Claro, pra onde? - elas olharam uma para outra sorrindo

- Pra minha casa - Jennie respondeu

- Tudo bem, onde é sua casa? 

- Relaxa, a gente vai depois da escola e te leva, pode ser? - Rosé falou e fiquei meio apreensiva mas a loucura me fez assentir 

- Mas preciso avisar minha mãe, ela já deve estar preocupada por essa meia hora que estou aqui

- Tudo bem, relaxe, você liga de lá - Jennie me encorajou e eu assenti

O fim da detenção chegou, peguei minhas coisas e fui em direção a saída, chegando lá fora fui surpreendida com Rosé, Jennie e Lisa dentro de um carro preto muito sofisticado (Imagem nas notas finais), como era Jennie quem dirigia deduzi que o carro era dela

- Entra ai garota! - Rosé que se levantou do passageiro de trás me chamou, ri da sua atitude e fui em direção ao carro, entrei e coloquei e tirei a mochila

- Que tipo de música você escuta, Jisoo? - Lisa perguntou e Jennie começou a acelerar o carro em direção à sua casa

- Ahh... Eu gosto de escutar bastante coisa, coloca qualquer coisa - Lisa riu e deu play numa música qualquer (Imagina ai qual música você quiser) 

- Isso! Essa música e muito boa! - Rosé se levantou do banco, com o carro em movimento, segurou uma mão no banco de Jennie em sua frente e a outra levantava para cima enquanto fechava os olhos curtindo o som da música, só consegui rir, era divertido estar ali

Realmente minha mãe tinha razão, Seul é uma cidade muito bonita e cheia de gente e de oportunidades

Não demorou muito com a velocidade do carro de Jennie para chegarmos até sua casa, que era enorme, num bairro de ricos, me surpreendi ao ver as casas, ela estacionou na frente de uma branca fabulosa e então saímos do carro

- Tá de brincadeira? - Me olharam confusas - Essa é sua casa? - Riram e fizeram sinal para entrar

A sala dava 10 da minha, era realmente muito enorme, entramos e as garotas jogaram as mochilas no enorme sofá de couro de Jennie, eu apenas tirei e coloquei ali na cadeira

- Minha mãe não está em casa, pra variar, deve estar transando com qualquer outro por aí - me assustei com ela falando desse jeito - Vem, vamos para o meu quarto logo 

Rosé pegou uma maçã do balcão e fomos em direção ao quarto de Jennie que óbvio que não iria ser pequeno, era novamente, enorme, absurdamente grande e cheio de coisas e enfeites, cheguei até a sentir um pouco de inveja

O tempo passou e nós nos divertimos muito, elas me passaram vários tipos de maquiagens e fizeram muitas coisas no meu cabelo, elas fofocaram sobre as pessoas do colégio e os professores também, pude conhecer cada uma muito melhor

Rosé é uma garota muito vivida, solta e topava tudo, pegou muita gente e já teve experiências lésbicas, seus pais vinham de uma linhagem rica e seu destino era obviamente nadar em rios de dinheiro, ela era a que planejava e fazia as festas acontecerem, e por alguns momentos que ela cantava as músicas do som percebi que ela tinha uma voz maravilhosa

Lisa é filha de estrangeiros, é modelo aprendiz de revistas e se concentra tanto na moda quanto na dança, brincamos um pouco de dança e ela mostrou seus passos que eram admiráveis, realmente sensacionais, ah, e por sinal, seus pais também são ricos

Jennie é a que mais me interessou, pais divorciados, rica, capa de revista, consegue tudo o que quer, foi a que formou esse grupinho, aparentemente elas vivem em confusão, Jennie me provocava mas não propositadamente, não sei, o jeito que ela me olhava enquanto contava sobre si me envolvia, não que as outras duas não me envolvessem, era estranho mas eu tinha criado um laço muito forte com cada uma

Depois das meninas me contarem sobre elas, tentei ser o mais mínimo detalhista sobre a minha vida, realmente minha vida não era interessante, acabei inventando algumas mentiras, mas nada demais, a gente riu bastante que eu até esqueci de ligar para avisar minha mãe

Jennie se levantou e foi até seu mini-frigobar, retirou garrafas de cerveja de dentro e meus olhos arregalaram, Rosé comemorou e Lisa bateu palmas, Jennie jogou para cada uma uma garrafa

- Vai querer Jisoo? - comecei a olhar as garotas sorrindo pra mim e fiquei com medo de que se eu negasse talvez me rejeitassem, e aliás é só uma bebida, né, o que pode acontecer?

- Claro... - Rosé comemorou e Jennie me jogou uma cerveja

Abrimos as garrafas e tomamos, era realmente muito amargo e o gosto me enjoava, mas não podia fazer desfeita à essa altura do campeonato, terminei de beber tudo, quando notei já estava em outra garrafa junto com elas, e depois outra, e outra e outra...

Resumindo: Minha alma saiu do meu corpo de tão bêbada que eu fiquei. O gosto já não era tão amargo, passava suave pela garganta, ou eu tava louca ou minha garganta dormente. Minha cabeça doía e eu estava bem tonta, mas apesar disso só sabia rir, ouvi de relance as meninas falaram

- Exagerou na primeira vez Jisoo! - reconheci: Rosé. Falava rindo e comemorando novamente, consegui ouvir as outras rindo junto

Tudo começou a ficar embaçado, e eu apaguei, acordei de susto com Rosé me balançando no carro, já estava de noite e Jennie estava indo nos levar pra casa, Lisa e Rosé estavam sorrindo quando acordei

- Wow garota, a gente teve que te carregar até o carro! - Lisa disse e as garotas riram, não consegui ter reação nenhuma, só sentia muita dor de cabeça e tontura

- Onde estão minhas coisas? Onde estamos indo? - Perguntei

- Relaxa, estamos te levando pra casa, e sua mala está ai do lado - Jennie me informou e eu conferi

O carro estacionou onde eu tinha dito que era minha casa, desci do carro e dei tchau para as garota que gritavam

- Você é demais! - Rosé

- Arrasou garota! - Lisa

- Uhuuu! Nos vemos amanhã grande Jisoo - Jennie, e o carro acelerou e foi embora

Soltei um leve sorriso olhando elas indo embora e então segui até a porta, entrei em casa e me deparei com minha mãe e meu pai sentados no sofá muito nervosos e preocupados, foi ai que que me toquei que havia esquecido de avisa-los

- Jisoo! - minha mãe levantou do sofá e correu para me abraçar, o que foi um erro já que eu cheirava a cerveja - Que cheiro é esse? - ela cheirou e lá estava eu com cara de morta - Você bebeu? Onde estava?

Meu pai levantou

- Kim Jisoo eu e sua mãe exigimos explicações agora mesmo - engoli seco, minha mãe e meu pai me olhavam bravos ao ver minha situação e minha cabeça estava explodindo, meu estômago revirando

- Eu... - Foi nesse momento que a coisa piorou:

Eu vomitei. 

Continua...

 

 

 

 

 


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...