História Sniper - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Personagens Originais
Tags Anahun, Aniversário, Gabikook, Junhee, Parabéns, Sniper
Visualizações 13
Palavras 1.833
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Literatura Feminina, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eu espero que goste e espero que eu consiga te surpreender nesta fanfic, na verdade não sei muito! Espero que saia do jeito que pensei ou muito melhor hehe

~beijos

Capítulo 1 - Capítulo I


Fanfic / Fanfiction Sniper - Capítulo 1 - Capítulo I

Verificava meu celular ao entrar no elevador. Eram exatas oito horas em ponto e eu estava indo visitar meu querido irmão. Ele me enviou uma mensagem dizendo que Gabi estava dormindo, então esta seria a hora perfeita para tratarmos de negócios.

Basicamente, matamos por dinheiro. Mas não é precisamente matar por dinheiro. Pelo menos não para Jungkook; meu irmão mais velho mata por justiça. Já que os homens de importância não dão conta e também não fazem questão, ele resolve. Já eu, trabalho porque sinto prazer nisso.

Sai do elevador dando de cara com a porta do apartamento, dei apenas algumas batidinhas na porta para não correr o risco de acordar mais ninguém.

Meu irmão abriu a porta e nem sequer me deu bom dia, apenas abriu e voltou para dentro. Ri internamente, fechando a porta com cautela e entrando no apartamento. O vejo jogado no sofá com o notebook em seu colo, e logo me aproximo do mesmo por trás. Dei um tapa em sua cabeça.

– Ya! Ficou louca? – exclamou baixo com uma de suas mãos no local do tapa.

– Nem pra me dar bom dia, seu narigudo. – murmurei em um tom amargurado, me sentando ao seu lado. Enfiei minhas mãos dentro do bolso do moletom tentando ver o que ele estava vendo em seu precioso notebook.

– Como vai o trabalho? – perguntou ele ainda concentrado, e eu desistindo de descobrir o que ele estava fazendo, coloquei meus pés sobre a mesinha de centro.

– Bem movimentado, o ódio das pessoas tem aumentado muito. – falei brincalhona. Jungkook mandou tirar meus pés da mesa e eu resmunguei. – Onde está Jiwon? Quero vê-lo! – animada, me levantei mas rapidamente fui puxada para sentar no sofá de novo.

– Nem pense em acordá-lo, praga. Ele demorou muito para dormir ontem, está tão elétrico que eu não sei à quem ele puxou. – murmurou a frase final com um leve bico nos lábios. Apertei sua bochecha e encostei minha cabeça em seu ombro. – Estava procurando algum otário para mim.. e advinha? Tem uma lista enorme, e apenas um me interessa!

– Taehyung me disse que havia te recomendado uma mulher para matar, não quis? – ele negou passando o notebook para o meu colo. – Parece que a recompensa por matá-la é grande, se eu fosse você tentava!

– Envolve outras coisas além de matar, JunHee. Não vou trair minha esposa por dinheiro ou qualquer outra coisa. – deu de ombros e acenou mandando que eu olhasse para o aparelho em minhas coxas. – Ele mora em um bairro nobre, tem uma boa quantia em sua conta bancária, leva uma vida boa. Mulher bonita, casa grande. Pena que tudo foi conquistado de maneira errada!

– Hm, ele me parece interessante. – comentei vendo todas as suas informações. – Mas eu acho que é arriscado tentar algo com este cara!

– JunHee.. JunHee. – começou risonho e eu o olhei. – Ele tem um dinheiro sujo e todos o vêem como homem justo e honesto! Sabe que eu não posso deixar isto passar. – se levantou indo até a cozinha.

Sua casa era em conceito aberto. Seu apartamento amplo e bem caro, era muito bonito.

– O que pretende então? Feri-lo seria burrice. – falei meio alto para que ele pudesse escutar. – Esse Kim Seokjin deve andar cheio de segurança em sua volta, disfarçados ou não, devem estar sempre em alerta!

– Jiwon está meio gripadinho, então Gabi precisa de mim para cuidar dele. – voltou com duas latinhas de energético. Me entregou uma e bebeu a outra. – Com esse ai, pretendo começar no básico, hackeando todas as suas informações, contatos pessoais e vazar na internet.

– E depois?

– Hackear sua conta bancária e mover todo o seu dinheiro para a minha, o que acha?

– Ele ainda vai continuar vivo, Kook. – fiz um bico achando este final sem graça. Ele riu e brindou nossas latinhas.

– É ai que eu entro! Ele não terá dinheiro nenhum, suas informações vão ter vazado e ele não terá ninguém para apoiá-lo, todos vão odiá-lo. Até mesmo sua esposa! Ou seja, ele ficará solitário e com vários inimigos. Não terá moral para ter seguranças em volta e irá morrar na rua, não terá comida e nem abrigo. – deu um gole em sua bebida, olhando fixamente para a tv desligada. – E eu o observando, vou esperar o momento certo para matá-lo! E ninguém poderá culpar alguém, pois ele vai ter muitos inimigos. E eu não tenho nenhuma relação com ele!

– Você é um gênio maninho! – marquei Seokjin em seu notebook. O desliguei e o entreguei para o meu irmão.

Ele o guardou dentro de um buraco que tinha atrás de uma parede falsa. Escutamos passos e logo olhei para o corredor dos quartos, sobre o sofá. Minha cunhada apareceu com o bebê em seu colo. Ela parecia estar acordada à mais tempo e isso realmente me preocupava, o medo que ela tenha escutado era grande. Não, ela não sabia e nem imaginava que toda a família por parte do marido era assassina. Jung apenas não contou à ela para protegê-la, ele tem muitos inimigos que o perseguem.

– Você está aqui, Jun? Não escutei você chegar. – sorriu colocando o bebê no chão, que correu meio desajeitado para o pai.

– Sim, cheguei cedo. Tinha que conversar com Jungkook sobre algumas coisas. – ela assentiu e foi para a cozinha procurando algo nos armários.

Ela estava estranha, por mais que sempre fosse calada, estava.. estranha. Normalmente puxaria algum assunto mas não. Olhei para Jungkook que se aproximou com Jiwon e o colocou sentado no sofá.

– Oi meu amor, ainda está com sono né. – o coloquei em meu colo, a cópia de meu irmão sorriu meio preguiçoso e o coloquei encostado em minha barriga. Eu achava engraçado o jeito que ele encarava, era fofo porque era como se ele estivesse desconfiado mas ao mesmo tempo sério.

– Veja se ele dorme mais um pouco, né filho! – Jungkook pegou na mãozinha do pequeno, e ele o olhou. Se ajeitou mais em minha barriga, se encolhendo. – Ele ainda está com febre, amor?

– Sim, por isso está molenga sem rir muito. – me levantei com o bebê, o colocando deitado em meu ombro. Vi Gabi colocando um pouco de suco de laranja em seu copo, escorada na ilha olhando para Jungkook. – O remédio acabou, preciso comprar mais..

– Certo, posso trocar de roupa e passo na farmácia. – ela negou colocando o copo sobre a ilha.

– Preciso respirar um pouco de ar lá fora, fique com Jiwon e faça ele dormir. Não vou demorar! – disse e rapidamente bebeu o suco em um gole.

Olhei para meu irmão e ele retribuiu o olhar, parece estranhar o comportamento da esposa, assim como eu.

– Bom, eu posso ir com você. Preciso voltar pra casa, Taehyung deve ter acordado! – passei Jiwon para o colo do pai, beijando sua bochecha gordinha. – A Tia te ama meu amor, eu volto pra te ver tá bom? – cheirei seu pescoço e ele riu baixinho se encolhendo. Jungkook o abraçou cheirando a cabeça dele e depois o beijando.


O dia estava nublado e as ruas completamente desertas. Não sabia se perguntava para Gabi se ela estava bem ou o que tinha acontecido. Sinto desconforto neste silêncio. 

– É tão bom sair depois de um tempo. – ela comentou andando com suas mãos dentro do casaco.

– Você está bem? – entramos na farmácia que não era muito longe.

– Sinto que Jeon me esconde alguma coisa. – pegou o remédio de Jiwon e fomos ao caixa. – Não aguento mais ele fingir que não tem nada JunHee, eu sei e sinto que tem alguma coisa! – passou o remédio no caixa e entregou a nota pagando o medicamento. 

– Eu posso te prometer que ele não está te escondendo nada.. – nada demais. 

Ela suspirou assentindo, agora eu entendia o motivo de estar tão cabisbaixa. Saímos da farmácia e eu a acompanhava olhando a paisagem. Uma placa informando sobre uma empresa à alguns quilômetros. Parei de andar e tentei enxergar melhor o que estava escrito.

Empresa Seokjin's

– Ei mulher! Pare ai! – rapidamente olhei pra frente. Dois homens pararam minha cunhada, esta que os olhava desconfiada com a sacola com um único remédio em mãos.

– O que vocês querem? – ela perguntou os analisando de cima a baixo. Me aproximei dela parando ao seu lado, sorri sarcástica para a dupla, notando as armas em suas cinturas. Um deles segurava um celular com a foto de Jungkook e Gabi. Estavam atrás dele. – Por que você não vai na frente? Te encontro no apartamento, tudo bem?

– Mas.. – apertei seu ombro lhe passando conforto. Ela meio relutante, passou pelos homens, olhou para trás uma última vez antes de continuar.

– Vocês não vão atrás dela! – falei séria ao ver que eles fizeram menção ao segui-la. – O que querem com Jungkook?

– Aquele maldito matou o nosso chefe, mas isso não te diz respeito. Quem é você? – fui andando na direção deles e eles deram passos para trás. Entramos em um beco e eu suspirei.

– Sou a irmã dele. – rapidamente parti pra cima deles, socando a cara de um o derrubando. O outro pegou em sua arma mas antes que a levantasse, derrubei no chão e o empurrei para a parede socando sua cabeça contra o concreto. O outro me agarrou por trás me sufocando, chutei seu joelho e dei uma cotovelada em sua barriga. Me soltou e então peguei sua cabeça e bati contra o meu joelho e deixando desnorteado.

Os coloquei lado a lado no chão, tirando suas armas e jogando todas as balas em lugares aleatórios. Com a primeira coisa que encontrei, amarrei os dois fortemente e me ajoelhei na frente deles. Bati minhas mãos para limpar a poeira.

– Já que querem encontrar com meu irmão, ele mesmo virá até vocês! – peguei meu celular tirando uma foto de ambos e mandando uma mensagem para o mesmo. 

Eles me olharam com ódio e eu sorri vendo que nem estavam muito machucados. Desta vez tinha sido muito rápido. 


– Aonde você foi, amor? – Taehyung estava sentado na cama desnudo, questionou sonolento. Ri e me sentei na cama lhe dando um selinho.

– Jungkook me disse que está interessado em um novo cara. Este é diferente! – ele fez uma careta e eu ri. 

– Aigo, hoje está tão frio! – se deitou na cama cobrindo totalmente seu corpo. 

Apenas ri do mais velho e peguei meu celular entrando no gps. Digitei Empresas Seokjin's. Não era muito longe da minha casa. Tirei meus sapatos e sentei com as pernas cruzadas. Aproveitei para ler mais sobre a empresa; O nome da empresa é pelo fato do dono ser Kim Seokjin e sua esposa Seo Soojin. O nome é a combinação de Seokjin e Soojin. Quando fui verificar as fotos, uma mão tampou meu celular e senti um peso em meu ombro.

– Amor, abaixe isso! – Tae distribuí beijos pelo meu pescoço. Coloquei meu celular no criado-mudo e me virei para o moreno. Ele me puxou para seu colo iniciando um beijo lento, mordi seu lábio sentindo suas mãos descendo para a minha cintura.

Em um piscar me jogou na cama ficando por cima entre as minhas pernas, puxando meu moletom para cima.


Notas Finais


Seu aniversário foi 14/08, então me perdoe pelo super atrasado maninha!!

Interativas da xuxu:
Kill This Love (Vagas Encerradas): https://www.spiritfanfiction.com/historia/kill-this-love-interativa-bts-16478167

The Moon Beside Us: https://www.spiritfanfiction.com/historia/the-moon-beside-us-interativa-bts-e-sf9-17106878/capitulo1

Jianhurén: https://www.spiritfanfiction.com/historia/jianhuren-interativa-exo-16956956

perfil da xuxu: @xkJunHeex


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...