1. Spirit Fanfics >
  2. SNOW - HunHan >
  3. 03 - Faunos

História SNOW - HunHan - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Eu sei que eu demorei muito, ok?
Eu não estou no meu melhor estado emocional, então isso afeta mimha forma de colocar os pensamentos em ordem, para poder escrever um bom capítulo para vocês. Eu espero que vocês gostem desse capítulo.

Capítulo 3 - 03 - Faunos


A verdade é que Luhan sempre esperou que Sehun pudesse voltar, sabia que um dia, mesmo que não quisesse, voltaria para a Coréia, já que seu irmão morava ali. No momento em que o lobo branco estava de frente para si, sentiu uma calmaria lhe invadir, um alívio em seu coração.


— A festa acabou. — Kris disse alto, usando a voz de alfa. Todos os ômegas se encolheram, menos Luhan.


Incrivelmente, todos obedeceram o comando do Wu, Luhan agachou no chão para ver o lobo, tocando em seu pelo, olhando dentro de seus olhos cinzas, aquele olhar queria lhe dizer algo.

Mas não foi possível dizer uma palavra sequer, antes de tentar qualquer coisa, seu corpo apagou. Luhan estava no chão, inconsciente.


                             ❄


Quando acordou, viu que estava amanhecendo, havia um cheiro conhecido. Estava deitado em uma cama, bastante confortável, pelo o que podia notar.


— Acordou? — Ouviu a voz do alfa soar alta pelo quarto.


Quando se sentou sobre a cama, olhou diretamente para a janela, Sehun estava olhando para fora, seus olhos estavam cinzas. 


— O que aconteceu comigo? — Perguntou sentindo a tontura em sua cabeça.


— Você desmaiou depois de me ver. — Disse calmo e saiu de onde estava, se sentando ao lado do ômega na cama. 


Luhan tremeu sentindo a presença de alfa perto de si, fazendo seu lobo se encolher. O alfa envolveu suas mãos com as dele mesmo, apertando com carinho, quando Luhan menos esperava, o maior deixou um beijo demorado em sua testa.


— Quando você voltou? — Perguntou olhando nos olhos do maior. 


Sehun suspirou, estava evitando Luhan desde havia chegado na cidade, não fazia a menor idéia que seu lobo tomaria o controle de seu corpo, logo que sentiu o cheiro forte do ômega na casa, e o pior, estava perto de um cio. 


A distância entre os dois lobos havia prendido todos os seus cios, tanto do alfa, quanto do ômega. Não seria nada calmo passar o cio um com outro.


— Já faz uns três dias. — Disse desviando o olhar. 


— Por que você não me procurou? — Perguntou com os olhos molhados e visivelmente magoado. 


— É complicado...


— Sabia que eu ando desmaiando direto por causa do selo? — Disse derramando algumas lágrimas. — Está cada vez mais fraco. 


— Eu preciso contar uma coisa para você. — O alfa disse enquanto levava a mão para a bochecha do mesmo, fazendo um carinho. — Mas não agora, tá bom? Ainda temos aula.


                            ❄


— Não entendi, ele estuda aqui agora? — Zitao sussurrava para Luhan, Sehun havia acabado de chegar no colégio com Kris.


— Ele voltou a poucos dias, mas só começou a estudar hoje. — Disse olhando para um ponto fixo no chão.


O olhar de seus amigos queimava na sua pele, queriam uma explicação, eles nem ao menos sabiam do tal selo que Luhan tinha com Sehun. A única pessoa que sabia disso, além dos dois, era Kris. 


O lobo de Luhan estava agitado, ele estava feliz. Luhan sentia isso. 


— Luhan. — Ele ouviu a voz do alfa, novamente seu coração acelerou.


— Oi Sehun. — Respondeu baixinho, sentindo pontadas na cabeça. Não deveria ter bebido a noite. 


Os ômegas saíram dali, deixando Luhan sozinho com o alfa. Estava com uma sensação ruim. Nada de bom poderia vir dessa conversa. 


Porém, o sinal do colégio tocou antes que Sehun pudesse começar a falar, os dois se entreolharam e Luhan tinha um péssimo sentimento em seu coração, Sehun exavala uma aura ruim sobre aquilo, o que fazia Luhan tremer, ao imaginar sobre o que o alfa iria falar.


Durante as aulas, o pensamento de Luhan vagava sobre aquela conversa, a ansiedade apertava seu peito, o fazendo imaginar coisas. A maior das possibilidades seria a de Sehun o deixar. E seu selo estava tão fraco, que não seria tão difícil para o alfa fazer isso.


— Luhan. — Tao cutucou o menor, o chinês lhe olhou em confusão, mas logo viu que não havia nenhum aluno na sala. 


Baekhyun suspirou antes de sentar-se na cadeira em frente ao amigo. Os outros ômegas estavam ali também, e lhe olhavam com os olhos curiosos, preocupados.


— Vai nos contar sobre o selo?


— Kyungsoo! — Minseok o repreendeu.


— O que? Ele só perguntou o que todos nós queremos saber. — Baekhyun disse sorrindo, Tao resmungou antes de concordar com a cabeça. — E aí, Luhan? 


— Tá bom. — Disse rindo fraquinho. — Escutem com atenção, é complicado.


Disse por fim, e assim, todos concordaram.


                            ❄


O inverno era a estação favorita de Luhan, por duas razões; a primeira, era por conta da neve, o ômega adorava ver cada floco cair, vagarosamente. A segunda, tinha nome e sobrenome; Oh Sehun.


Ainda pequeno, o alfa havia se mudado para Seul. Nevava forte e fazia muito frio, e Luhan lembrava de sempre observar o menor pela janela de seu quarto. Não foi surpresa para a mãe do ômega, quando vira o selo no peito do filho.


— Eu sempre penso em você antes de dormir, Lulu. — Sehun dizia sorrindo de ladinho. 


Eles eram dois lobinhos muito novos. Com apenas nove anos, fundiram sua alma em uma só.


— Por que pensa em mim? — Perguntou o menor sentando-se ao lado do alfa em um pedaço de madeira.

 

O bosque sempre fora o lugar secreto dos dois, eles sempre se encontravam ali. Somente os dois.

Saíam para brincar, e às vezes, apenas para sentir a presença alheia, e o calor que emanavam um para o outro.


— Você já leu o oráculo? — Perguntou sorrindo fofo, um pouco corado, a pontinha do nariz vermelha pelo frio.


— O livro das raças? Nunca cheguei a ver um. — Ele respondeu tombando a cabeça para o lado.


— Eu tenho um. — Suspirou. — Eu li uma vez sobre selos. 


— O que são selos?


— Eu não sei muito bem. — Franziu as sobrancelhas. — Dizia que a gente deve fazer com alguém que nós amamos muito, foi isso que o appa me ensinou. 


Luhan não entendia muito bem tudo aquilo, Sehun muito menos, mas eles sabiam de uma coisa; eles se amavam, como o amor mais puro que um dia já existiu. E seus lobos os induziram àquilo.


— Estou fazendo certo? — Perguntou o ômega chinês, que tinha as garras crescidas, e as presas para fora. 


— A gente tem que tirar a blusa. — Respondeu o alfa, que não estava diferente do outro. Suas garras eram afiadas, e suas presas estavam fazendo pequenos cortes em sua boca.


— Está frio. — O ômega protestou. 


— Peça calor ao seu lobo. — Disse o alfa, já tirando a própria blusa. 


Luhan ainda acanhado, fez o mesmo. Removendo aquela peça de seu corpo. Seu peito queimava quando sentiu o calor se espalhar por seu corpo.


— Eu não vou conseguir. — Disse choroso.


Sehun suspirou o olhando, ele não queria fazer seu amigo sentir dor, mas o selo mandava fazer aquilo.


— Eu vou fazer primeiro. — Ele disse fechando seu punho.


Tentava emanar seu poder pelas mãos, logo um vento forte os rodeava, como um furacão. Luhan não conseguia fazer o mesmo, pois seu poder não era visível ainda, deixou que o alfa se aproximasse de si.


— Sehun…


— Me desculpa.


                             ❄


— O que está escrito? — Minseok perguntou com os olhos brilhando. 


Luhan abriu três botões de sua camisa, deixando a mostra a marca. Uma cicatriz. Havia sido feito com garras.


— Hun. — Luhan respondeu. — Eu chamava ele assim. — Disse sorrindo, todo bobo.


— É estranho pensar que você precisou ser arranhado para demonstrar seu amor. — Kyungsoo disse rindo.


— Você tinha que falar alguma merda. — Tao reclamou.


— Isso é lindo. — Baekhyun disse, levando seus dedos para a pele de Luhan, mas não pôde dedilhar seus dedos diretamente sobre o selo.


— Não toque! — Era Sehun. — Vai doer. — Ele avisou, o que fez Baekhyun se afastar de Luhan. 


— Por que doeria? — Minseok perguntou.


— Porque está fraco. — Disse como se fosse óbvio. — E porque...o selo só pode ser tocado por mim. — Se aproximou. — Já que é como se meu lobo tivesse marcado território. 


Ele dizia se aproximando dos demais. A atenção de Luhan voltada para si, a forma como seu corpo se movia, e de como o lobo de Sehun o chamava. Chamava pelo seu lobo.


— E cadê o seu? — Tao perguntou, e logo em seguida o alfa afastou a peça de roupa, mostrando um pouco abaixo de seu ombro.


— Han...— Minseok pronunciou baixinho, a marca sobre a pele de Sehun, era tão linda quanto a de Luhan.


Quando saiu de seu pequeno transe, Luhan viu que Sehun lhe estendia a mão, com a esquerda, segurou a alça de sua mochila, e logo pôs a direita sobre a do maior que era estendida em sua direção. 


Deixando seus amigos para trás, dentro da sala, o ômega deixou Sehun lhe guiar pelos corredores, até estarem fora do colégio. Não haviam dito nada durante os segundos que caminharam lado a lado, apenas quando viraram em um beco, que Luhan pôde ver.


Os olhos do alfa estavam cinza, e ele tinha um olhar tão sério, que fazia Luhan tremer dos pés a cabeça.


— Você lembra sobre os faunos? — Perguntou baixo, como se tivesse medo de aumentar seu tom. Mas Luhan lhe ouvira.


— Sim..— Sussurrou.


Sehun levou sua mão até a mão alheia semelhante a sua, a apertou como se passasse segurança, para seu ômega, para o lobo interior de Luhan, que parecia amedrontado.


— Estão me perseguindo.





Notas Finais


Bom, eu estou em um colégio integral agora, passo manhã e tarde na escola, e só tenho a noite livre. Eu espero poder escrever aqui com mais frequência, não quero ter que apagar snow, essa fanfic é meu xodó.
Espero que tenham gostado.
Até o próximo ❤❄


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...