História Snow angel - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias South Park
Personagens Craig Tucker, Tweek Tweak
Tags Craig, Craig Tucker, Creek, Drama, Romance, South Park, Tweek, Tweek Tweak
Visualizações 195
Palavras 3.300
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Espero que gostem da história, apesar de curta.
Peço desculpas porque como escrevi no celular fica um pouco difícil de corrigir os erros.
Go Creek~
Obs: eu tenho outra fic em andamento desse casal, quem quiser, dê uma olhadinha na minha conta, eu a atualizo semanalmente.

Capítulo 1 - Capítulo Único



- Ei amor - o jovem loiro ouvia a voz calma lhe chamar da mesma forma de sempre, pousando os dedos magros sobre seu ombro, sacudindo o corpo desperto do mesmo. 
- Eu ainda estou cansado - murmurou baixo, voltando a face em direção ao travesseiro - Eu finalmente consegui dormir, e você me acordando Craig... - a voz abafada contra a fronha fazia com que o moreno tivesse dificuldade para ouvir suas palavras, mas este acabou por sorrir com a manha diária do namorado. 
Craig envolveu o corpo do loiro com os braços, deitando-se ao seu lado, beijando a nuca alheia com leves selares, irritando-o para que acordasse de uma vez. 
- Você tem um lugar pra ir hoje, esqueceu? - as falanges deslizavam através da pele pálida de Tweek, sob a camiseta do pijama, rodeando divertidamente o umbigo do mesmo, sabendo que aquilo o faria se levantar logo. 
- Droga cara, eu tenho que ir pra onde? - o jovem finalmente abriu os olhos, sentando-se sobre a cama ao mesmo tempo em que fixava as orbes nas do moreno, mostrando-lhe que estava mal humorado. 
Craig apenas sorriu paciente para o namorado que de uma forma ou de outra sempre encontrava uma maneira de agir mimado para consigo, alguns até poderiam achá-lo grosseiro, mas o moreno sabia que o garoto apenas tinha uma personalidade difícil de lidar, e ele era tranquilo o suficiente para sorrir diante àquilo e ainda considerá-lo fofo. Talvez tivessem nascido um para o outro. Pelo menos essa era a conclusão a qual haviam ambos concordado. 
- Eu não acredito que você se esqueceu - o mesmo sorriu minimamente, sem demonstrar o desapontamento que aquilo lhe causava. Apenas levantou-se, caminhando em direção a uma parede que continha um calendário pendurado, apontando para a data determinada. 
Tweek entreabriu os lábios, focando-se no dia marcado. Fechou a boca, abriu-a novamente. Puxou o celular da mesa de cabeceira e encarou a tela reluzente, observando a data marcada no mesmo. 
Arregalou os olhos. "Já era aquele dia?". Não conseguia acreditar, o tempo passara muito rápido. 
Como num ímpeto, levantou-se da cama, logo buscando por uma camisa decente e uma calça que estavam jogados de forma desorganizada dentro do armário. Puxou aquelas que considerava as menos "amassadas", e vestiu-se, sem pensar muito sobre o modelito. 
Virou-se em direção ao espelho, tentando arrumar em vão, as mechas de cabelo que teimosamente voltavam sempre para o mesmo lugar, apesar de se esforçar tanto para arrumá-las. 
- Você sabe que eu gosto do seu cabelo assim - Craig abraçava as costas do loiro, pousando o queixo sobre o ombro alheio, fazendo com que este observasse ambos à frente do espelho de corpo inteiro - Parece que você vai pra um velório amor, está todo de preto - riu baixo, próximo ao pé da orelha de Tweek - Ainda mais com essas olheiras fundas... 
- Quem não me deixou dormir? - o loiro se desvencilhou do abraço do maior, concentrando-se primeiro em terminar de se arrumar, calçando os tênis, guardando o celular dentro do bolso e então olhando ao redor, perguntando a si mesmo se havia esquecido de algo. 
- A chave da sua casa, está dentro da mochila - Craig apontou para o objeto sob a mesa do computador. 
Tweek sempre se surpreendia com a forma que o moreno conseguia ler seus pensamentos. Craig tinha o poder - sim, Tweek considerava aquilo um super poder, e então acabava por se lembrar de quando pequenos, brincando de super heróis, rindo juntos - mas o poder real do namorado, era saber tudo o que se passava na mente conturbada do loiro, e dar-lhe soluções da melhor maneira possível. 
Ele se considerava uma pessoa de sorte. 
Afinal apenas Craig teria a possibilidade em toda a sua vida, de aguentar alguém como Tweek, tratá-lo da melhor forma possível e fazer de tudo para vê-lo bem, feliz, em paz. 
- Obrigado - o loiro deu um sorriso para o garoto mais alto do que si, pegando então o molho de chaves, guardando-as no bolso livre da calça - Ok, tudo pronto. Vamos.
- Vamos - Craig sorriu encaminhando-se para ficar ao lado do loiro, envolvendo sua mão na alheia. 
Ambos desceram as escadas a passos leves, silenciosamente um ao lado do outro. Craig parecia-lhe mais animado do que o normal, enquanto Tweek sentia uma dor estranha na garganta, sua cabeça começava a doer na nuca e têmporas. Estava se sentindo mal, mas não contaria para o moreno, não queria estragar o dia de ambos com problemas que provinham de si, como sempre. 
- Tweek? - a mãe o chamou, a mesma estava sentada junto ao seu pai no sofá da sala de estar, os dois concentrados na televisão ao mesmo tempo em que bebiam xícaras de café até serem interrompidos por sua presença, fazendo com que desviassem o olhar para si - Vai a algum lugar? 
- Sim mãe, mas não volto tarde, eu prometo - Tweek vestiu um casaco que estava pendurado no gancho próximo à porta de entrada da residência, abrindo a mesma enquanto acenava para os pais. 
- Qualquer coisa ligue para nós, tenha cuidado - a mãe acenou, observando a porta sendo fechada atrás do filho que lhe parecia um tanto quanto abalado - Estou preocupada com Tweek Richard - ela se voltou para o marido, encarando-o. 
- Não se preocupe querida, vai ficar tudo bem - o homem apenas afagou os cabelos da esposa, confortando-a. 

Os dois garotos caminhavam pelas ruas suburbanas de South Park lentamente, não estavam com pressa. Craig segurava a mão do namorado carinhosamente, acariciando-a com o polegar. A neve caía sobre as ruas, fazendo com que as crianças se reunissem para brincar dos mais diversos passatempos que a estação lhes proporcionava. 
Tweek sentia inveja daquelas crianças. 
Ele queria brincar também. Queria esquecer seus problemas. 
- Craig? - o loiro se virou ao observar que o mais alto soltara sua mão, o mesmo corria à sua frente, rindo enquanto o fazia - Onde vai? - o garoto passou a correr atrás do outro, tropeçando no percurso, sentindo o vento gelado contra a sua face - Craig me espera - chamou novamente, mas o moreno não o ouvia, estava muitos metros à sua frente. Tweek sentia um aperto no peito, queria vomitar, mas permanecia correndo atrás do namorado. Craig era como um ponto azul em meio a toda neve branca, e apenas aquele fato fazia com que o menor não o perdesse de vista.
Parecia que estava correndo a tanto tempo, já havia alcançado o bosque que também estava coberto pela manta branca, mas não tinha mais sinal do namorado diante o seu olhar. 
Tweek sinceramente odiava aquele tipo de brincadeiras.  
- Craig? - chamou novamente, esperando alguns segundos pela resposta do mesmo, sem ouví-la - Craig você está me irritando, apareça, agora - Tweek olhava ao redor, procurando o ponto azul que fugira de sua visão, a dor em seu peito o afligindo novamente. Aquilo estava se tornando angustiante, era como algo o consumindo por dentro, parecia que o puxava para baixo, afogando-o. Não conseguia respirar bem, sentia como se fosse desmaiar a qualquer instante enquanto as imagens se tornavam enevoadas, sua cabeça parecia flutuar.
Sentiu algo atingir-lhe nas costas, desfazendo-se no chão. Tal ação o fez se distrair das sensações que o assolavam, virando-se para entender o que o impactara, fixando os olhos num ponto azul atrás de uma árvore. Craig abriu um sorriso largo, montando uma bola de neve entre os dedos. 
- Guerra de neve! - ele gritou divertidamente. 
Tweek encarou estupefato o jovem parado alguns metros à sua frente. E tão logo se esquecera das sensações que o tomavam segundos atrás, começara a se perguntar o que o namorado estava fazendo agindo como uma criança. Não era de seu feitio. 
- Você é idiota? - o loiro franzia as sobrancelhas - Vamos logo Craig - ele tentava limpar as costas com a neve que fora jogada em si, sendo atingido nos cabelos ao mesmo tempo em que o fazia. 
- Ta com medo de perder? Eu sempre tive uma ótima mira né? - o moreno ria ao observar o namorado gritando com a neve gelada contra sua cabeça, o mesmo balançando-se de um lado para o outro, sentindo que o gelo havia entrado em sua camisa. 
- Perder pra você? - Tweek sorriu com o canto dos lábios, juntando uma porção da brancura entre as palmas, formando um círculo perfeito - Fique olhando enquanto eu faço você engolir neve - o mesmo saiu correndo atrás daquele com o capuz azul, tentando acertá-lo.
- Essa frase foi muito cliché Tweek! - Craig ria, sendo acertado na perna pelo loiro. 
Ambos corriam de um lado para o outro, numa competição interna para tentar determinar o vencedor daquele contexto bobo criado apenas para a distração dos dois. Tudo o que se podia ouvir eram os passos sendo abafados pelo monte de neve acumulada e os risos do loiro, que gritava cada vez que um pouco de gelo tocava diretamente sua pele, sentindo como se a cada roçar, seu corpo se anestesiasse um pouco. 
Craig fora acertado da última vez, o que fez com que o mesmo corresse na direção do menor, derrubando-o contra o chão, envolvendo seus pulsos com as palmas frias, sentando-se sobre o corpo de Tweek. Um sorriso divertido tomava-lhe a face, Craig parecia muito feliz, e aquilo fazia com que o mais baixo se sentisse um pouco melancólico. O moreno não tirara aquela expressão por um segundo sequer. 
O mesmo se aproximava do rosto do namorado, que corava levemente com as suas ações. Craig aproximou os lábios dos semelhantes, selando-os com calma, sentindo o lábios gelados e ressecados de Tweek. Deslizou lentamente a língua sobre os mesmos, deixando-os úmidos ao mesmo tempo em que a destra acariciava a bochecha do loiro, escorregando até seu queixo, puxando-o com delicadeza para baixo de forma que os lábios do namorado se entreabrissem. O moreno fixou as orbes sobre as alheias, um e outro se encarando sabendo exatamente o que se passava em suas mentes. Tweek deslizou a língua sobre a semelhante, aprofundando o contado dos dois, apreciando o sabor tão conhecido dos lábios alheios. 
Conseguia sentir o sorriso de Craig contra si, e naquele momento não pôde evitar fazer o mesmo. 
O namorado se afastou, observando-o, entregando-lhe outro sorriso animado, deitando ao seu lado um tanto quanto afastado, mas ainda próximo o suficiente para segurar sua mão. 
- Está mais feliz? - o de touca azul se pronunciou após alguns minutos de silêncio. 
- Eu não disse que estava triste - Tweek murmurou apertando os lábios, voltando o olhar em direção ao moreno, apertando seus dedos entre os próprios. 
- Como se você precisasse dizer algo pra eu saber o que está sentindo ou pensando - ele deixou que uma risada escapasse - Lembrou dos velhos tempos? 
O loiro suspirou, sentindo-se derrotado pelo namorado. Não havia forma alguma, Craig o conhecia bem até demais. 
- Lembrei sim. 
- Você também se lembra daquela árvore? - ele apontou fazendo com que o menor se voltasse para o tronco velho que possuía as iniciais "C e T" marcadas no mesmo.
Tweek se lembrava perfeitamente daquele dia, como se tivesse sido naquela mesma semana. Era primavera diferentemente daquele dia, e Craig o arrastara contra a vontade até aquele bosque dizendo que tinha um lugar para apresentar ao loiro. Que seria o lugar "secreto" de ambos. E realmente, que lugar lindo. Um local perfeito para os dois que gostavam de estar sozinhos, apenas um na companhia do outro. Sem serem incomodados por uma alma sequer. Eles podiam passar horas naquele lugar, conversando, calados, o importante era estarem juntos fazendo o que quer que tivessem vontade. 
E um dia Craig simplesmente tirou um canivete do bolso e caminhou até uma árvore, desenhando suas iniciais, oficializando o lugar como "deles". Dizendo que ninguém poderia tomá-lo além do casal. 
Craig era uma pessoa incrível não era? 
- Eu me lembro. 
- Ok, isso é bom. Só falta uma coisa - ele puxou o braço de Tweek junto ao próprio, fazendo ambos arrastarem a neve, e continuou fazendo aquele movimento para cima e para baixo, o outro braço imitando aquele gesto enquanto as pernas abriam e fechavam - Vamos, anjos de neve são indispensáveis. Temos que deixar nossa marca. 
O loiro apenas sorriu com a animação alheia, imitando os atos do namorado. 
Fechou os olhos por um instante. 
Aquela sensação era tão nostálgica. Ter Craig o levantando, fazendo-o caminhar em momentos difíceis não era uma novidade para si. Mas exclusivamente naquele dia, tudo lhe parecia lúgubre, era como se quanto mais feliz o namorado se encontrasse, mais culpado acabava por se sentir. 
- Amor, olha.
O mesmo abriu as pálpebras, voltando-se para o moreno, um cristal de neve perfeito caía em sua direção, a cena parecia ocorrer em câmera lenta, fazendo com que Tweek tivesse a possibilidade de observar cada traço do rosto do moreno, os olhos azuis se equiparavam a uma pintura, as cores o faziam viajar, aprofundando-se naquele mar límpido o qual comparava as íris alheias, os lábios rosados curvados naquele sorriso fixo que sempre o fizera se sentir confiante, confortado e a pele branca, que combinava perfeitamente com o cenário em que se encontravam, parecia-lhe que o mais alto poderia desaparecer a qualquer instante. Então Tweek não pôde evitar pensar que Craig lhe assemelhava realmente um anjo de neve. O floco pousou sobre o nariz do mais alto, desfazendo-se no processo. E aquilo fez com que algumas lágrimas passassem a escorrer dos olhos esverdeados do loiro, apertando a mão de Craig com força. 
- Eu te amo Craig - a voz trêmula soava um tanto quanto desesperada, e a expressão do moreno se transformava numa face tristonha, levando a mão livre até o rosto do namorado, limpando as gotas salgadas que escorregavam pelas bochechas alvas. 
- Eu te amo Tweek. Não chore - ele se levantava, levando o mais baixo consigo - Vamos, estamos enrolando demais - e sorriu, guiando o caminho. 

Tweek caminhava atrás do mais alto, seguindo-o cegamente, tentando se concentrar em não chorar mais. O caminho não era distante, na verdade sentia que era perto até demais. Ele desejava que não chegassem nunca, mas parecia que a trajetória do casal se aproximava do fim. 
Atravessaram o portão de ferro, que intimidava qualquer um que o trespassava, exceto por Craig. Craig não se impactava por nada. Ele realmente era como um super herói. "Super Craig". As palavras soaram dentro da cabeça do loiro, e ao mesmo tempo o mais alto se virou, sorrindo para si, como se escutasse seus pensamentos novamente. 
Os passos do loiro pareciam mais pesados, mas o namorado o obrigava a continuar em frente, arrastando-o. As sensações de antes voltavam com força.
Tweek estava com medo. 
- Craig eu não quero - ele tentava puxa-lo para trás, em vão. 
Craig continuava a empuxa-lo forçadamente. 
- Craig por favor, não.
Tweek não possuía forças contra o mais alto. 
- Craig não! - o mesmo gritava em meio ao seu desespero.
- Chegamos Tweek. 
O moreno soltou seu pulso, caminhando em direção à pedra enterrada no chão, fitando-a. 
- Faz um ano amor - Craig voltou a sorrir, esticando a mão para que o loiro a alcançasse. 
E assim ele o fez, ajoelhando-se no chão, encarando as letras entalhadas que formavam o nome do namorado, deslizando o indicador livre sobre cada uma delas. 
- Por que Craig? Por quê? - o choro tomava conta de si novamente, não sendo impedido pelo maior desta vez - Por que você teve que morrer e me deixar sozinho? - ele o questionava com angústia - Por que porra? Por que teve que fazer isso? Você sabe que eu não sou nada sem você. Você sabe! E mesmo assim me deixou. 
- Tweek... - o moreno o envolveu em seus braços, e o loiro pôde sentir o corpo gélido do namorado contra o seu próprio - Eu nunca vou deixar você, eu sempre estarei ao seu lado - ele sorriu, daquela forma paciente tão conhecida por Tweek - Mas você precisa superar. Você não pode continuar assim. Você está vivendo uma mentira, e eu não quero que continue assim, eu te trouxe aqui pra que você entenda. Eu estou morto. Eu estou morto há um ano. Pare de imaginar que isso está mesmo acontecendo. Eu te amo, você sabe disso. Eu morri amando você, não precisa sofrer por isso, eu sempre vou estar com você, aqui - pousou a canhota sobre o peito do menor, sentindo a pulsação abaixo da camisa negra. 
- Eu não vou conseguir Craig... Eu não consigo continuar, não dá, não dá! - ele dizia balançando a cabeça de um lado para o outro, agarrando-se a sua imaginação - Olhe pra mim, eu estou enlouquecendo Craig, não quero que você vá. Se eu pensar que você não está aqui, eu vou perceber que está mesmo morto, e vou enlouquecer de verdade, eu vou acabar me matando Craig. 
- Não diga isso Tweek. Você precisa de força. Você cresceu tanto desde que começamos a namorar, foram tantos momentos maravilhosos juntos, eu te amei tanto, eu sempre fiz de tudo para que você fosse feliz. Infelizmente o destino me tirou de você antes do esperado, mas você consegue. Você é a pessoa mais incrível que eu conheço, você é determinado, só precisa entender isso. Eu aprendi sobre você, a lidar com sua personalidade, agora você tem que fazer o mesmo, sozinho. Pense que quando sentir minha falta pode vir aqui falar o que quiser. Aliás, faça isso agora, me diga exatamente o que está passando pela sua cabeça. 
- Eu não quero estar sozinho... Eu nunca fui feliz Craig, eu só era feliz com você - aquele aperto em sua garganta parecia lhe fazer sufocar, o choro compulsivo não o deixava ditar as palavras com facilidade, o que iria fazer sem o amor de sua vida ao seu lado? - Me desculpa Craig, eu não fui um bom namorado como você merecia. Eu devia ter te chamado de amor como você fazia comigo, eu devia ter dito mais vezes que amava você, eu devia ter tomado a iniciativa de te beijar, tocar, mais vezes, eu devia ter sorrido mais pra você, eu queria ter feito tantas coisas diferente... 
- Tweek amor, não se arrependa de nada, se eu não fosse feliz ao seu lado, eu não teria ficado até o fim - sussurrou acariciando os fios loiros do jovem, selando sua testa - Eu te amo, compreenda isso. Eu te amo e sempre amarei. Mas você precisa se livrar de mim e se deixar ir. 
- Não quero te deixar Craig... eu sinto como se isso fosse errado. 
- Não é errado, os vivos tem que seguir em frente, os mortos não tem mais o que fazer. Ah, isso soou um pouco rude... - ele riu abraçando o namorado.
- Seguir em frente... - Tweek sussurrou, fixando o olhar nas orbes de Craig, e viu refletido um vazio extenso. Assustando-o. 
Craig estava morto. 
Ele precisava compreender o peso daquela realidade. 
- Eu te amo Craig - ele disse levantando-se - E talvez eu nunca consiga te superar. Provavelmente eu vou te amar até o dia em que a minha morte chegar. 
- Eu não vou falar que me importo com isso, na verdade eu gosto de você me amar tanto assim.
A visão que Tweek tinha de Craig parecia se esvair aos poucos, o sorriso do moreno sumia lentamente enquanto o loiro continuava parado à frente do túmulo alheio, até o mesmo desaparecer totalmente.
- Eu te amo - Craig disse uma última vez. 


- Então as coisas são assim? - Tweek murmurou. 
Sozinho.
 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...