História Só depois do casamento! - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Kim Namjoon (RM), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Imagine Jimin, Jimin, Pearl Asian, Presente Para Kykai
Visualizações 599
Palavras 1.278
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oioioi eu sei que a ansiedade mata e os capítulos também...MAIS DE RAIVA AKAKAKKAKAKSKS
To aqui pra deixar claro que eu vou atualizar com mais frequência!

Ainda mais agora com minhas leitoras ao meu lado no grupo mandando mais e mais expectativas sobre, amo vocês princesas♡

Bom, fique com o capítulo e não se desespere!

Capítulo 13 - Alterações de humor constantes


Fanfic / Fanfiction Só depois do casamento! - Capítulo 13 - Alterações de humor constantes

Raiva e mais raiva e um combo a mais de raiva.



Tudo o que eu conseguia sentir em relação a Park Jimin por ter me deixado nesse estado, era isso e nada mais. Como eu sou tão ingênua em achar que ele faria algo a mais? Mas sinceramente, estou surpreendida, que Park Jimin safado é esse que eu não conhecia?



Amarrada, algemada, amordaçada e com um vibrador no meio das pernas me fazendo delirar por horas que mais pareciam séculos, eu tentava a todo custo chamá-lo, me debatia de prazer, me arqueava sem poder muito, murmurava o quanto o amava e o odiava e quanto mais...adorava aquela sensação.



Eu sentia que já passavam de mais de uma hora presa ali, daquele jeito, toda suada e altamente nervosa e necessitada, obviamente.



O destrancar da porta foi ouvido e eu me debati mais, quem ele pensa que é? Ah vagabundo, hoje eu te desço no cacete.



Ele entrou, usava uma camisa branca, sua calça moletom preta, e um cheiro doce que só ele tinha e permanecia simplesmente...lindo!



Enquanto eu? Ah, eu tava igual a uma ninfomaníaca ou simplesmente como um animal preso pronto pra atacar sua presa, vulgo, Park Jimin.



Ele me olhava preocupado, ainda mais, toda suada...



Veio em minha direção rápido como um furacão, tirou a mordaça de minha boca e aí, aí meu filho, aí é que meu show começou meus anjos.



- Você ta doido? Ou você só finge demência? - Ele ainda não ligava e me olhava preocupado, averiguando meu corpo pra ver como eu estava, claro, toda melada - Jimin...eu vou matar você por fazer isso comigo, por que tinha de fazer isso, Minnie...- Ah mas aí a manteiga derretida que Park Jimin era se desemontou ao me ver chorar.



Mas não era de tristeza que eu chorava, era por querer e amar tanto ele.



Ele continuava calado, cabisbaixo, enfim, retirando o vibrador do meio das minhas pernas, e em seguida, as algemas, me deixando apenas com as penas amarradas em uma borboletinha deitada. Seus olhos se voltaram a mim enquanto eu esfregava os pulsos, vermelhos, um pouco machucados pelas algemas usadas e me olhou com vontade de chorar.



- S/N, por favor, m-me dê seus pulsos - eu os dei e ele os beijou, senti as lágrimas quentes e minhas mãos agarraram seu rosto - Por favor, me perdoe, por favor, eu faço o que qisuer rpa me perdoar, s-só me perdoa - Gaguejava, ele estava nervoso e preocupado comigo, eu só...o queria mais e mais, meu Deus que louca eu sou.



- Jimin, ao menos... Me toque, Jimin, por favor, ao menos toque meu corpo, já que não vai fazer nada, ao menos...me toque com suas mãos que mais parecem plumas - Com a cabeça baixa, olhar choroso de vergonha, receio, preocupação, Jimin passou as costas das mãos por meu rosto, minha clavícula, descendo pelo vão entre os seios caminhando por minha barriga me causando arrepios, esse, esse era o meu Jimin, o meu amor. Fhecei meus olhos quando ele passou a desamarrar as cordas que prendiam minhas pernas, os abrindo para ver sua reação, completamente ali, exposta, só pra ele.



Jimin desamarrou cada uma delas com delicadeza observando as marcas fortes deixadas em minhas pernas, quase chorando de medo de ter me machucado, ah meu anjo, se você soubesse o quanto eu gostei disso...



Beijou minha testa, minhas clavículas, circulou meus seios com seus beijos mas não os biquinhos, apenas me deixando eriçada. Beijou cada parte de minha barriga e eu arqueei as costas pra ele, querendo mais de seus beijos. Ao chegar ans minhas pernas, beijou cada uma até chegar nos pés e beijou o fim deles. Abriu minhas pernas, não acariciou, nem nada, apenas beijou bem acima de onde eu mais queria que ele chupasse e depois...NADA!



COMO ASSIM NADA?



- Jimin! Porque você parou? Pirou de vez foi? - Ele me olhou triste, ah mas isso não fica assim não meu amor, ainda mais que a jararaca aqui ta solta, oh Deus me dê a divindade! 



Não deu tempo nem do garoto respirar e eu já estava encima dele. Eu o olhei no fundo dos olhos, e o beijei, o beijei com tudo de mim, suas mãos em minha cintura delicadas continuaram, não apertaram, apenas fizeram carinho ali.



Esperou que eu estivesse envolvida pra inverter as posições e se por por cima de mim dessa vez, sempre, sempre dominante, assim que eu gosto.



Me olhou e continuou me biejando, com amor, carinho, enquanto eu o devorava e queria mais e mais...Sentia uma ereção grande em suas calças, e isso me deu mais fogo, entrelaçando minhas penas em seu quadril criando um atrito perfeito entre minha bocetinha e o pau nada pequeno dele.



- Ahhhh Jimin - ah... 



Ao continuarmos nos beijando e vendo que eu não pararia e queria mais e mais, Jimin me soltou, me deixou lá e saiu da cama bagunçando os cabelos lisos e bonitos.



- Não podemos continuar com isso, S/N, chega! Você sabe que não! - Isso...só isso, foi o auge.



Me levantei da cama as pressas, pra mim, também já chega Jimin, chega disso tudo e desse jogo de gato e rato.



Peguei minhas roupas, as vesti correndo e desesperada, ele me olhava como se eu estivesse louca e ah, meu Deus, como eu estava doida, completamente! Eu bati na escrivaninha próxima a mim, retirando a aliança de noivado completamente anestesiada pela raiva.



- Chega! Acabou! Acabou nosso noivado e toda essa palhaçada! E VAI PRA PUTA QUE TE PARIU POR TUDO ISSO QUE FEZ COMIGO, dog do satanás! - Ele me olhou desacreditado, a mão foi até o peito como se não soubesse de nada do que havia acontecido oq ue me deu mais raiva.



- Não fale assim da minha mãe, ela não é puta, se bem que... - Revirei os olhos.



- Ah, Jimin, pelo amor de Deus ne, chega! Que saco de vida, que saco você, que saco eu, que saco tudo, eu termino oficialmente AGORA e sem mais. - Ele vinha correndo até mim, mas corri e sai pela porta o deixando lá dentro.



Corri o mais rápido possível pra sair daquele lugar, eu só queria ir pra onde não houvesse aquela dor e nem aquele fogo no meu cu infernal.



Ao sair dali eu dirigia com rapidez, sabia exatamente o que fazer e nada nesse mundo seria melhor, eu chorava, eu gritava com os motoristas o quantos eles eram meias-rodas, o quão merda era minha vida e o quanto eu odiava Park Jimin mesmo sabendo que o amava e que voltaria pra ele.



Depois de um longo percurso, meu destino finalmente chegou, o destino que eu realmente suspirei ao entrar pela portaria, sem dar meu nome apenas rejeitei os gritos da recepcionista.



- Senhorita, você não pode ir entrando assim não, vou chamar os seguranças! 



- Vai tomar no meio do seu cu, se eu to aqui, sou muito bem convidada, então sai do meu caminho inferno! - Ela me tratou super mal antes, então, que aguente! Ela me chamou de senhorita com o maior deboche, ah que lae se coma.



Entrei no elevador suspirando, tentando me acalmar, a raiva não passava e eu queria apenas estar calma. 



O barulhinho de 'tin' do elevador se fez e eu sai, me encaminhando a porta da frente, suspirando novamente...toquei a campainha finalmente.



A cara espantada de quem me recebeu se fez e seu sorriso apareceu logo em seguida.



- S/N?



- Quanto tempo, TaeTae - Meu sorriso malicioso se fez.



Deus que me perdoe mas o que vou fazer aqui, será um desastre!







 


Notas Finais


HAHAHAHAHAHAHHAHA EU DISSE QUE IA SURPREENDER.

E então? Querem mais informações?

Entrem no grupo de leitoras:

https://chat.whatsapp.com/GCaXVtdWxUZJ8uUJqqATZa


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...