História So Far Away - Min Yoongi - Capítulo 15


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Agust D, Bangtan Boys, Depressão, Drama, Fobia Social, Kpop, Min Yoongi, Problemas Psicológicos, Romance, Suga
Visualizações 186
Palavras 1.512
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Survival, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 15 - 13 - desistindo de se importar


Me chamando, passando por mim, perdendo todo seu destino.
Ainda assim, começa a corrida de mão única
Mesmo que comecemos a nos separar, tudo bem

Você não precisa se preocupar com nada, não, nada

Agora, é a minha vez de ir atrás. Eu, definitivamente, alcançarei seus pensamentos

Seu eu pudesse voltar no tempo, iriam reembolsá-lo
Você chora entre a sombra e a luz

Não me deixe, eu acredito, 
me alcance
Você é minha esperança sem fim

Don't leave me 

***************

Hoje é um dia frio, mas Sook está por perto para me aquecer.

Era por volta das três horas da tarde. Estávamos conversando, até que ela decidiu tocar em um assunto não tão interessante.

— Yoonblue, você já teve um psicólogo? — Sook Mi me surpreendeu com sua pergunta. Ela tem essa mania de encaixar perguntas sérias quando estamos apenas nos divertindo.

— Sim, eu já tive. 

— Há quanto tempo?

— Minha última consulta deve fazer uns 10 meses — falo, pensativo — Mas não importa. Eu parei de ir.

— Por quê? 

— Porque essa pergunta? Você quer ser minha nova psicóloga? — brinco com ela.

— Não, mas acho que você deveria marcar uma consulta. — ela diz séria.

— O que quer dizer com isso? 

— É que talvez seja bom você desabafar um pouco com um profissional. — ela se justifica.

— Passei três anos com o mesmo psicólogo. Acredite, não é nada bom contar da sua vida de merda para um riquinho metido á sabe tudo. — cruzo os braços.

— Você deveria tentar ver as coisas de um outro ângulo, ele só quer ajud…

— Não.

— Okay. — ela soa decepcionada e vai para a cozinha — Vou preparar algo.

》{…}《

— Yoonblue, o Jin me passou um receita super gostosa e cheia de fibra, cálcio e ferro. Eu cozinhei para você comer! — Sook sai da cozinha toda alegre com avental e tudo. — Vem provar, está uma delícia!

— Sook… Não estou afim de comer agora. — dou de ombros.

— O quê? — ela arqueia a sobrancelha. — Você não comeu nada hoje além de porcarias gordurosas dentro de um saco de alumínio! — Ela cruza os braços, se referindo ao salgadinho de batata doce que comi.

— Mas isso já matou a fome. —  justifico.

— Nunca! Isso só te engordou, isso sim!

— Está me achando gordo? — me entristeço. — Devo fazer dieta?

— Santo Deus! Yoongi, claro que não! Você já é muito magro! — ela revira os olhos. — Você é anêmico, Yoongi. Precisa comer comida de verdade.

— Você precisa calar a boca. Está parecendo minha mãe! — reclamo — Sook Mi, eu agradeço por você ter feito uma comida para mim, mas eu realmente não estou com fome! Depois eu como!

— Você tem noção do que é anemia? Sabe que se você não se alimentar bem, pode desenvolver outras doenças como até mesmo o câncer?

— Foda-se. Qualquer coisa que vier para ajudar na minha morte é lucro. Já estou na merda mesmo. — Dou de ombros.

— Caramba Yoongi, você escuta o que você fala? — Ela abre a boca em um O, impressionada. E também decepcionada. — Quer saber? Cansei de ser trouxa.

Ela joga o avental no sofá e vai para o quarto.

— Aish, Sook… — segui ela. A mesma estava sentada na sua cama, de braços cruzados.

— Aish nada, Yoongi! Sabe como é chato você fazer DE TUDO para uma pessoa, e essa pessoa não valorizar NADA? — ela se exalta — Cansei de querer o bem de quem não se importa.

— Para de drama, vai! — reviro os olhos.

— Drama? Drama, Yoongi? — ela se levanta, irritada — Não é drama quando eu sempre te incentivo a seguir seu sonho e você diz não, quando eu sempre digo para você fazer uma visita à um psicólogo e você diz não, quando eu sempre digo para você comer e VOCÊ SEMPRE DIZ A PORRA DE UM NÃO! — ela se altera — Eu quero que você mude de vida, eu quero te ajudar, mas que culpa eu tenho se você mesmo não quer ser ajudado? Só fica negando as coisas que vão te fazer bem, mas aposto que se eu te oferecer uma bebida, você vai falar a porra de um sim.

— TÁ, IDAÍ? VOCÊ ACHA QUE É FÁCIL ADMITIR QUE PRECISA DE AJUDA? QUE E FÁCIL ADMITIR QUE ESTÁ DOENTE? — me altero — Você nunca passou por nada do que eu passei, por isso pensa que é tão fácil. Mas não, Sook Mi, ter a porra de uma depressão que me faz ter pensamentos suicídas, ter a porra de uma fobia social que dificulta meu relacionamento com as pessoas, e agora ter a porra de uma anemia filha da puta, NÃO É NADA FÁCIL!

— Em que momento eu disse que era fácil? Mas mesmo que seja difícil, não é motivo para você desistir de tudo com essa idade que tem. Você tem a vida toda pela frente, mas fica se limitando por causa dessas merdas e nem tenta se reerguer! — ela trinca os dentes — Reclamar nunca resolveu nada, seu idiota. Para de ficar reclamando que tem isso e tem aquilo, e seja forte para acabar com o que está te matando.

— Quer saber de uma coisa, Sook Mi? — olho nos olhos dela — Dar conselhos infantis nunca resolveu nada também. Poupe seu tempo. 

— Tá. Ótimo. — os olhos dela se enchem de lágrimas após uma luta perdida. — Que seja. Só me deixa sozinha agora e vá fazer a sua vida do jeito que você achar melhor.

— Sim. — engulo em seco e saio do quarto dela. Pego minha carteira (com poucas notas de dinheiro) e meu celular, e saio do apartamento dela. 

Vou caminhando pelas ruas, sentindo a brisa fria do inverno. Não fazia muito tempo que as estações haviam trocado. 
Comecei a me arrepender por não ter pegado meu casaco. A camiseta branca de mangas longas que eu visto são finas, então não adiantam de nada. 

Essa garota é infantil. Ela acha que tudo sempre é fácil, e que a vida é um mar de chocolate. Ela acha que só porque ela conseguiu lidar com a dor de perder alguém, e só porque ela conseguiu desapegar de algo que lhe fazia mal, ela acha que todos também conseguem fazer isso. 
Não, Sook Mi. Nem todos são fortes. Nem todos apenas conseguem falar "sai de mim toda a coisa ruim" e a coisa simplesmente sai. Isso não funciona desta maneira.

Fui um idiota de pensar que ela seria boa para mim. Pois ela não é. Sook Mi só sabe ser positiva, e as vezes isso a faz tirar os pés do chão e voar para longe da realidade. Mas ela precisa saber que é necessário colocar o pé no chão e encarar as coisas como elas são.
Indo a um psicólogo eu vou parar com esses meus problemas? Vou ganhar um emprego? Vou parar de ser fracassado? Eu acho que não.
Ela deve estar me achando louco. Está vendo? Eu disse! Eu avisei a ela que se ela começasse a me conhecer melhor, não ia gostar. Eu a deixei ciente disso! Mas não, ela quis arriscar, e olha agora? Eu a "magoei" e sou o vilão da história. 
Mas de alguma forma, isso é bom. Consegui me livrar dela, e agora não preciso esconder meu passado e ela não precisa ficar mais curiosa sobre mim. Eu não quero que ela sofra comigo, não quero que ela tenha pena. Eu odeio que sintam pena de mim.

O que eu odeio? Odeio falar em público. Odeio ficar em ambientes cheios (quatro desconhecidos já é muito para eu considerar um lugar desconfortável para mim), odeio pensar que estão pensando mal de mim. Odeio me sentir odiado. Odeio odiar tudo isso.

"Você precisa de amor" - É o que ela costumava falar para mim. Bobagem. O amor não serve para nada. As vezes, eu ainda tenho dúvida de que amor realmente existe. Talvez seja um sentimento que as pessoas inventaram só para iludirem umas as outras.

Eu não sei o que é amar. Essa é a verdade. Quando eu me sinto amado demais, eu me incomodo, pois não consigo retribuir da mesma forma. E aí lá vem mais comentarios: Ele é frio, ele é rude, ele é grosso, ele não tem sentimentos. Porra! Por que caralhos essas pessoas falam o que não sabem? 

Eu me esforçava. Eu me esforçava sempre. Na escola, em casa, na rua. Eu sempre me esforcei. Mas talvez o meu esforço seja diferente do que o dos outros, que costumava funcionar. Porque este não funcionava. Eu continuava sem amigos, sem felicidade, sem esperança. E sempre sozinho.

Solidão. O sentimento que me acompanha desde que eu nasci. Desde o momento em que eu acordo até a hora que eu vou dormir, eu sempre me sinto sozinho. Abandonado. Como se ninguém estivesse comigo e eu sou meu unico companheiro. Mas dentro do meu coração tem um vazio. Parece sempre que está faltando um pedaço.

Falta algo dentro de mim… 
Amor, esperança, fé. Isso está faltando, e Sook Mi não vai mais me ajudar á encontrar.
Agora está na hora de me dar por vencido. Eu perdi. E eu não aguento mais essa vida.

É um dia frio. Mas Sook não está mais por perto para me aquecer. Era bom, mas acabou.


Notas Finais


"Assim, permanecem agora estes três: a fé, a esperança e o amor. O maior deles, porém, é o amor." 1 Coríntios 13:13 NVI

OLÁ AMORAS! Mais um capítulo! Espero que esteja gostado!
Perguntinhas:
Qual a religião de vocês?
Estão gostando dos capítulos e o que a fanfic está retratando?
Vocês também lêem outras obras minhas? Quais?
Da onde vocês são?
Vocês também escrevem? Tem alguma obra publicada?
Vamos nos conhecer ^-^

Ps.: A partir do próximo cap as coisas vão ficar mais tensas!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...