1. Spirit Fanfics >
  2. So far, but so close >
  3. Goodbye Beaufort

História So far, but so close - Capítulo 8


Escrita por:


Notas do Autor


Boa noiteeeee! Fico imensamente feliz que a fic esteja sendo assim tão bem recebida. Obrigada pelos comentários, favoritos, e tudo mais... Obrigada pelo apoio ❤️ Fiquem com mais u capítulo :D

Capítulo 8 - Goodbye Beaufort


Capítulo 08 

 

 

FECHEI A PORTA DO MEU QUARTO E ESCOREI-ME NA MESMA COM UM SORRISO BOBO NOS LABIOS.  Eu tinha passado o dia todo com Piper e tinha sido simplesmente perfeito. Tirei minhas roupas jogando-a sobre minha cama e me enfiei no chuveiro com água pelando. Enquanto a água caia sobre minha cabeça, eu relaxava e revivia todos os momentos em que tive com Piper nas ultimas 24 horas.

Ah, porra... o que vai ser de mim?

O que vai ser de mim, jesus?

Estou completamente, perdidamente apaixonada por Piper, não que isso seja novidade nessa etapa do campeonato.

Sai do banho com meu pijama já, pronta para dormir. Estava cansada. Tinha sido muita emoção para um dia só. O banho havia durado mais ou menos meia hora. Coloquei meu celular para carregar, e então bateram na porta.

Meu coração gelou.

Seria Piper?

Abri a porta colocando meus óculos. Era Nicky. Ela foi entrando e me olhando de cima em baixo com um sorriso sugestivo nos lábios.

— Hm... tá com cara que andou transando muito. Me fala — fechou a porta do meu quarto.

— Não fala besteiras — rolei os olhos. — Não transamos.

— Posso saber por quê? Você se declarou, né? — cruzou os braços.

— Não, Nicole, eu não me declarei.

— Qual é, Vause... por Deus, está esperando o que para fazer isso? — bufou.

— Piper nunca vai me dar bola. Nem para mim e nem para ninguém, porque a Piper se fechou para o amor devido o trauma do meu querido irmãozinho. Além do mais, ela nem cogita a ideia de ficar com mulheres. Ela é hetero. Fim de papo, ok?

— Que coisa — retorceu a boca. — Bom, você é quem sabe, mas eu não quero ver você choramingando na minha cabeça, falou?

— Quando que eu fiz isso? — coloquei as mãos na minha cintura.

— Nos últimos quinze anos em que nos conhecemos? TODO O SANTO DIA, PORRA! — respondeu.

Encolhi os ombros. — Não exagera também.

— Sabe muito bem que não estou exagerando, madame.

Ri sem emoção. — Tá, não está mesmo.

— Obrigada — sorriu com cinismo.

Desabei na cama sentada suspirando. — Nicky... — choraminguei.

— Lá vem — rolou os olhos.

— Para com isso, poxa, é isso! — encarei-a com angustia.

— Fala, né... sou sua melhor amiga para isso mesmo. Desembucha! — sentou-se na poltrona cruzando as pernas. — Comece.

Suspirei organizando as palavras em minha mente. — A Piper é incrível... quer dizer, ela sempre foi, as agora... agora ela tinha algo diferente que eu não sabia explicar, sabe? — tirei meus óculos. — Ela... Piper Chapman me fez gaguejar, você tem noção disso?

— Opa, opa, opa! — Nicky ergueu a mão se colocando de pé. — Você gaguejou?

Assenti.

— Você: Alex Vause, gaguejou?

— Exatamente.

— O...kay. isso é insano só de imaginar. Não consigo, não consigo — sacudiu a cabeça pasma. — Vocês vão sair amanhã?

— Bom, marcamos de ir um pouco à praia e depois no fim do dia vamos partir. Ela vai com a gente... não sei se falei, mas ela mora em Nova York também.

— PARA TUDO! —  exclamou exageradamente. — Como você não me atualiza das coisas, senhora Alex? Claro que não me disse. Nem nos vemos mais ué. Tem mais de 24 horas que eu não te vejo, sabia?

Rolei os olhos. — Olha o drama, Nichols!

— Drama, eu? Mas, ok, ok — passou a mão entre seus cabelos desgrenhados. — Seguinte, amanhã eu vou nesse passeio aí. Quero ver com meus próprios olhos você gaguejando, porque sinceramente, nem consigo imaginar, viu?

Ri maneando minha cabeça em negativa. — Exagerada!

— Não mesmo, minha filha. Não mesmo — foi a caminho da porta. — Boa noite!

— Boa noite, Nichols!

Ela abriu a porta e saiu do meu quarto. Suspirei deitando-me na cama macia e encarando o teto, sorri boba e me peguei imaginando o que Piper estaria fazendo agora no quarto da frente?

Até que meu celular tocou. Meu coração disparou. Era uma mensagem dela.

 

“Não sei o que dizer... meu dia foi incrível. Você transformou o que teria tudo para ser horrível, em algo surreal.”

 

Meu sorriso se alargou.

O que eu ia fazer com essa mulher tão perfeita?

 

۞

 

FAZIA ALGUM TEMPO QUE EU TINHA CHEGADO E TOMADO UM BANHO BASTANTE RELAXANTE.  Estava agora deitada na cama macia do Hotel, encarando o teto do quarto. Um sorriso não saia de meu rosto, porque... o dia que eu passei com Alex tinha sido tão perfeito... que eu não tinha palavras para descrever. Tinha lhe mandado mensagem agradecendo por tudo, e estava na espera de sua resposta.

Apesar de o dia ter sido bastante agradável, também tinha me causado bastante confusão mental. Eu mesma não estava me entendendo, entendendo meus pensamentos.

Suspirei.

Não tinha ideia do que estava acontecendo comigo, e preferia não pensar muito nisso.

Meu celular vibrou. Era uma mensagem de Alex respondendo a minha anterior.

 

“ Meu dia também  foi incrível... adorei cada momento que passamos juntas. 

Amanhã Nicky vai integrar ao grupo e vai à praia conosco.”

 

Sorri e já fui respondendo sua mensagem.

 

“Vai ser empolgante. Ela me pareceu muito bem humorada. Gosto de pessoas assim.”

 

Sua resposta veio rápido.

 

“Pode apostar que Nicky é muito engraçadinha mesmo.”

 

Ri com sua resposta.

Era estranho, mas eu queria estar com ela agora, e nem tem duas horas que nos separamos. 

— Jesus, Piper... — resmunguei bufando. — Isso não está nada certo. Nada certo — liguei a tv a fim de me distrair um pouco.

 

//

 

NÃO TINHA ME DADO CONTA QUE EU TINHA DORMIDO COM A TV LIGADA, E SÓ PERCEBI O FEITO QUANDO DESPERTEI E VI ELA LIGADA, NA VERDADE NEM TINHA ME DADO  CONTA QUE TINHA CAÍDO NO SONO, ESSA ERA VERDADE.

Espreguicei-me, enquanto bocejava. Peguei meu celular, passava um pouco das nove e tinha combinado com Alex que iriamos almoçar juntas e ir para a praia, e certamente de lá iriamos embora para Nova York, já que Nicole iria conosco, não tinha porque voltarmos até o Hotel.

Ergui-me já preparada para tomar u banho relaxante, pois eu tinha ainda muito tempo, além do mais eu teria que comprar um biquíni, porque não tinha trazido nenhum, já que não pretendia entrar no mar, porém minhas ideias mudaram.

Fiquei debaixo da ducha um bom tempo, e quando sai enrolada na toalha e fui verificar as mensagens em meu celular. Maritza havia me mandando algumas mensagens hoje mesmo querendo saber quando eu voltaria. Resolvi respondê-la, antes que ela aparecesse aqui na porta do meu quarto. Louca do jeito que só ela é, não duvidaria de nada disso.

 

“Não surte.

Amanhã volto ao trabalho normalmente, Mari.”

 

Sua resposta veio no mesmo instante.

 

“Você e seus mistérios. Sou sua amiga, mas ok, você não quer me contar mesmo o que está acontecendo ”

 

Suspirei digitando a resposta.

 

“Estou resolvendo algumas pendências em relação ao meu passado.”

 

“Passado? Aquele que você não gosta nem de mencionar, é esse?”

 

“Ele mesmo. Estou fazendo o que meu terapeuta recomendou e está funcionando. Me sinto mais feliz e leve!”

 

 

“Só em saber isso eu já fico feliz. Você merece, chefinha <32

Te amo e estou com saudades!”

 

“Saudades Tbm  <3”

 

Deixei meu celular de lado e vesti uma roupa afim de comprar alguma coisa descente para usar hoje na praia. Mesmo que de última hora. Não tinha condições eu entrar no mar de roupa novamente.

 

۞

 

 

— HM... ALGUÉM ESTÁ COM UM SORRISO DE IDIOTA NA CARA! — EXCLAMOU NICOLE ASSIM QUE SAI DO MEU QUARTO.

Olhei para os lados apreensiva. — Porra, fala baixo! — sussurrei.

— Calma, ela ainda não apareceu não — riu maneando sua cabeça em negativa.

— Nicole, não me faça lhe dar um soco na cara! — falei entre os dentes.

— Calma, Vause! — ergueu as mãos. — Sem violência, falou? —  riu.

Abri a boca para lhe responder, mas a porta do quarto de Piper se abriu, revelando-a com um vestido leve de cor branca, seus cabelos loiros soltos.

Ah, ela estava magnifica, de modo que eu hipnotizei. Era mesmo uma visão do paraíso... uma tentação em pessoa. 

— Oi, gente! — trancou a porta com suas malas já em mãos. — Desculpem o atraso, mas é que eu estava arrumando minhas coisas.

Ajeitei meus óculos. — Não tudo bem. Na verdade acabamos de sair para fora — falei toda boba.

Nicky ao meu lado segurou o riso, a encarei fuzilando-a com o olhar. Então ela parou.

— Oi, Nicky! — Piper acenou e sorriu.

— E aí, Piper? — ela sorriu de volta.

Fechamos a nossas reservas no Hotel, coloquei nossas coisas no porta-malas e então fomos a caminho da praia. Estacionei o carro. O dia estava mais ensolarado do que o normal, o que era perfeito para um passeio na praia.

Colocamos algumas toalhas na areia, Nicky já foi tirando suas roupas ficando somente de biquíni e óculos escuros. Eu fiz o mesmo. A brisa estava muito agradável. 

Piper ergueu seu vestido revelando um biquíni cor azul, e aproveitando que ela não estava me olhando me coloquei a observar seu corpo escultural que me tirava da sanidade total. Engoli em seco sentando-me em uma cadeira de praia que tinha ali. Ergui os óculos até minha cabeça para poder ver melhor, ela agora passava protetor solar em seus braços e barriga.

— Baba não — Nicky me empurrou de leve.

Bufei. — Fala mais alto. Acho que a América latina toda não ouviu! — retruquei baixo.

Ela riu. — Você fica tão puta! É muito engraçado!

— Vai se foder! — maneei a cabeça em negativa.

— Alex, você acha que esse biquíni ficou bom? Sei lá, comprei ele hoje de ultima hora e acho que ele não me valorizou — Piper disse de repente se aproximando.

— Ah, tá brincando? Ele super valorizou seu corpo.. você está... — respirei fundo. — Uau! — soltei o ar.

Percebi que acabei exagerando no elogio, então pigarrei. 

— Q-quer dizer — cocei a nuca. — Eu só estou respondendo a sua pergunta...er... não leve a mal, eu não estou dando em cima de você. Não que você não seja linda... Na verdade linda é pouco  — suspirei derretida. — Você é... enfim, er... o que eu quero dizer é ... — fechei meus olhos com força me acalmando. — Respondendo a sua pergunta: está bem assim — sorri sem graça abrindo meus olhos.

— Que porra é essa! — Nicole explodiu em risadas do meu lado, sentada em outra cadeira como a que eu estava. — Quem diria... eu nunca pensei em ver Alex Vause gaguejar!

A fulizei com o olhar, e meu rosto queimou.

— Sério? — indagou Piper espremendo mais protetor em sua mão.

— Primeira vez — confirmou Nicky.

— Ignore a Nicky — sorri tentando soar calma. — Quando ela não tem muito o que dizer, começa a sair um monte de merda da boca dela. Faz parte de ser sua amiga , tem que ter paciência e ouvi as asneiras! 

Nicole deu de ombros.

Piper sorriu. — Ok...  e valeu pela opinião! — dei deu de ombros e continuou a passar o seu protetor.

Fitei Nicky com cara de que: “Sério essa porra?”

Novamente ela deu de ombros e se ergueu. — Vou dar um mergulho — espreguiçou-se. — E vocês duas: não demorem.

Assenti e fiquei mais aliviada. Com ela longe por enquanto eu poderia voltar a minha sanidade mental normal.

— Passa nas minhas costas? — Piper ergueu o pote de protetor solar em minha direção.

Engoli em seco me erguendo e agarrando o pote. — Claro — espremi um pouco na mão enquanto ela ficava de costas e colocava o cabelo de lado.

Passei em suas costas, toda a extensão. Sua pele era macia e eu podia também sentir o seu doce aroma, que na verdade, estava me deixando completamente fora de mi.

— Prontinho — finalizei, então Piper virou-se de frente para mim e lhe entreguei o pote.

— Obrigada — sorriu. — E você? Não passa? — questionou-me. — Vai ficar parecendo um camarão — riu. — Eu passo — ofereceu-se já espremendo-o em sua mão.

— Tudo bem — concordei ficando de costas.

Piper espalhou o produto pela minha pele.

— Gostei da tatuagem, aliás, qual tatuagem sua eu não gostei? — disse e então aplicou um beijo em meu ombro. — Prontinho.

Céus, ela era tão espontânea... Fazia as coisas sem nem ao menos perceber. Sem maldade. Dava para sentir, mas isso não significava que não mexia com meus ânimos.

Ela então foi e direção ao mar. Respirei fundo observando-a se afastar. Tirei meus óculos escuros e segui os seus passos. Nicky já estava lá lutando com as ondas do mar, que hoje estavam mais fortes.

Piper já estava dando alguns mergulhos, a água estava a levando para longe. Entrei no mar e Nicky se aproximou de mim cansada pelas ondas.

— Misericórdia, Alex... Vou te falar, a Piper é gostosa mesmo, hein? — disse fitando-a logo à frente. — Que corpo é esse?

— Tira o olho! — falei séria e enciumada.

— Qual é, até parece que sou fura olho, mas é sério, o que eu estou querendo dizer, é o seguinte: olha o impoderamento dessa mulher? Nem sendo levada a força pelas ondas ela perde a pose.

Suspirei como uma boba apaixonada que eu sou. — É, ela mudou muito mesmo.

— Tipo, se você não se declarava antes, imagina agora — riu alto.

Fitei-a arqueando uma de minhas sobrancelhas. — Obrigada pelo apoio — sorri com sarcasmo.

Ela então tocou meu ombro. — Estou aqui para isso, Mortícia!

Suspirei com angustia.

Sacudi minha cabeça e nada disse.

— Posso te falar uma coisa?

— Lá vem! — rolei os olhos.

— Credo, nem falei. Me deixa falar, por favor? — encarou-me.

— Fala — retorci a boca.

— A Artesian, apesar de eu não gostar dela, é linda, e como eu tenho olhos digo com sinceridade, né, mas a Piper — fez uma cara sugestiva e comprimi os olhos. — Ela é um pedaço de mau caminho como dizem por aí.

— Chega disso! — falei impaciente. — Vamos combinar uma coisa?

Nicky franziu o cenho. — Que coisa?

— A partir de agora você não vai mais falar o quanto Piper é linda e nem ficar me fazendo passar vergonha na frente dela, ok? Ou eu vou ligar para a Lorna e falar que você ainda é completamente, loucamente apaixonada por ela.

Ela então arregalou os olhos. — Credo... que horror! Você pega pesado, sabia?

Sorri maldosa dando de ombros.

//

 

O SOL ESTAVA INDO EMBORA E O FRIO ESTAVA TOMANDO CONTA DE BEAUFORT. Nicky estava no telefone alguns minutos conversando com Shani, e Piper estava encarando o horizonte por um tempinho já, então resolvi me aproximar.

— Devo me preocupar com isso? — questionei-a de uma maneira mais leve ficando ao seu lado.

Ela então fitou-me e sorriu. — Não. Estou bem. De verdade — suspirou colocando uma mecha de seu cabelo atrás da orelha. — Eu só estou... digerindo — respondeu de uma forma intensa. — Quer dizer, eu vim para cá pensando que seria os piores dias de minha vida, mas não, acabou sendo  algo sobre partida ou algo assim. Um recomeço.

— Entendo, então você deve estar feliz, porque era isso mesmo que você queria, não?

— Era isso mesmo — respondeu com um sorriso tão largo e linda, que fez meu coração descompassar. — E eu estou tão feliz que não se nem me expressar por meio de palavras, e claro que grande parte isso eu devo a você, Alex — o sorriso não saia um minuto do seu rosto, seus olhos estavam ainda mais azuis que o normal, e eles me encantavam de uma forma que eu não sabia nem explicar.

Ela deu alguns passos em minha direção, ficando bem próxima. Piper segurou meu rosto com as duas mãos, e eu senti meu coração na boca. 

Ela ia me... beijar?

Ela então me puxou para um abraço. Envolvi-a com meus braços, sem pensar muito. Não era beijo, mas tê-la assim em meus braços era algo que fazia meu coração feliz. Apliquei um beijo em seus cabelos e senti seu doce aroma adentrar minhas narinas e seu coração batendo forte.

— Não sei por que, mas estar em seus braços me acalma de uma maneira inexplicável — disse ela ainda junto a mim.

Sorri.

Era bom saber isso.

— Acho que isso se chama confiança.

Piper então se afastou, para encarar-me — Eu confio em você de olhos fechados.

Foi uma tarefa impossível meu sorriso não aumentar. Toquei a ponta de seu queixo e exclamei: — Se você quiser que eu continue aqui por você, eu vou estar.

Em resposta ela franziu o cenho. — Como assim?

— Em Nova York, eu quero dizer.

— É claro que eu quero que você faça parte da minha vida, Alex. Não somente como minha arquiteta ou como minha cliente, eu falo fazer parte mesmo, entende? Eu me arrependia todos os dias por não ter me despedido de você ou perdido seu contato.

— Então, você quer continuar me vendo?

— É obvio!

Ajeitei meus óculos. — É bom saber disso.

 

۞

 

 

 

— É BOM SABER DIISSO — DISSE ALEX AJEITANDO SEUS ÓCULOS.

Aquele gesto... aquele maldito gesto, fazia minhas pernas ficarem bambas. Isso não podia ser algo normal. 

O que estava acontecendo comigo?

Eu já estava cansada de me fazer esse questionamento. A todo momento uma nova novidade. Por exemplo agora, eu ia mesmo beijar a Alex? IA! Só que mudei de ideia antes de fazer isso. 

Meu Deus do céu!

Meu Deus do céu!

Meu Deus... do céu!

Odeio me sentir perdida e confusa como estou me sentindo. Onde eu estava com a cabeça quando pensei nessa loucura, hun? Em seguida pegamos o carro de Alex para irmos embora dali. Finalmente eu tinha fechado um ciclo de minha vida.

— Ei, loira, pode ir na frente — disse Nicky dando uma piscadela em minha direção e abrindo a porta de trás.

Dei de ombros e abri a porta a frente, Alex já estava na direção com o seu celular em mãos. Assim que fechei a porta ela suspirou, deixando o aparelho de lado.

— Algum problema? — questionei-a afivelando meu cinto.

— Minha ex quer conversar comigo.

— É aconselhável.

Ligando o carro, Alex suspirou. — Aconselhável por quê? Ela só vai dizer as mesmas coisas de sempre, Piper. Ela não quer me dar o divorcio.

— Ok, vou falar agora como sua advogada — encarei-a. — Sempre é aconselhável uma, duas, três conversa antes de ir com o processo, entendeu?

Ela ponderou. — Está bem, então.

— Assim que você falar com ela, me liga, pode ser?

— Pode sim.

— Fala aí Piper, quem em sã consciência vai dar o divorcio para Alex Vause? — questionou Nicky se inclinando para frente, ficando entre nós duas.

Ri achando graça de seu comentário.

— Nicky, fecha o biquinho, ok? — Alex retrucou encarando-a.

— Tá bom — se ajeitou no banco. — Não está mais aqui quem falou — colocou fones de ouvido e se escorou fechando os olhos.

— Me desculpe pela Nicky — disse Alex maneando a cabeça em negativa. — Ela é assim mesmo.

Ri. — Não, tudo bem. Ela é bem legal. Gostei dela, de verdade.

— É, geralmente as pessoas gostam dela — sorriu encarando a estrada com atenção.

Alex era linda... de perfil então, com seu nariz empinado e sua boca. E lá vou eu de novo com isso? Deus, me ajude, por favor.

Suspirei escorando minha cabeça no encosto do carro.

— O que foi?

Neguei. — Só... cansada.

— Pode dormir — disse de forma terna.

— Sério? Você vai ficar sozinha.

Ela sorriu novamente. — Não tem problema. Pode dormir tranquila.

Sorri assentindo e fechei os olhos.

Ia me fazer bem.

 

//

 

TIREI MINHAS COISAS DO PORTA-MALAS COM A AJUDA DE ALEX. Estávamos em frente ao meu apartamento. Alex fechou o porta-malas malas e encarou o edifício.

— Um belo prédio — ajeitou seus óculos olhando bem para cima.

Ri. — Gosta de prédios?

Alex riu também. — Como uma boa arquiteta, sim — colocou suas mãos dentro no bolso da jaqueta. — Feliz em estar de volta? — se aproximou de mim de uma forma que eu me encostei contra seu carro.

Ela estava perto de mais, de modo que eu podia sentir o calor do seu corpo emanar e seu perfume amadeirado, que era tão... bom. — Sim, — dei de ombros. —Eu nasci em Beaufort, mas meu coração está em Nova York.

Alex sorriu. — Bom, o que dizer? Nova York é Nova York, não é mesmo? — suspirou.

— Exatamente!

— Então é isso, — se afastou suspirando. — Tenha uma boa noite.

— Boa noite. Mantemos o contato, tá?

Ela assentiu. — Tá, claro.

Adentrei meu prédio então, cumprimentei o porteiro e peguei o elevador. Assim que abri meu apartamento, Caramelo, meu gatinho veio miando em minha direção.

— Oi, meu bem — falei fechando a porta. — Está com fome, está? Mamãe vai colocar comida e água nova para você — e foi o que fiz.

Ele era tão fofo.

Feito isso subi as escadas para tomar um bom banho em minha banheira. Nada mais relaxante que isso e iria pedir comida Árabe que eu simplesmente amava.

 

 

۞

 

— POR DEUS, VOCÊS TEM UM CLIMA, UMA QUÍMICA DA PORRA, MAS CERTAMENTE VOCÊ NUNCA PERCEBEU, NÃO É MESMO? — COMENTOU NICKY ASSIM QUE ENTREI NO CARRO.

— Você está imaginando coisas — resmunguei dando a partida no meu carro.

— Aí, viu? — riu.

— É que você está mesmo viajando geral, ok? — dei de ombros.

— Tá, se você acredita nisso aí, ok então.

Não tocamos mais naquele assunto. Em cerca de meia hora chegamos ao apartamento de Nicky, onde consequentemente eu ainda estava ficando.

— Enfim em casa... meu Deus do céu! — espreguiçou ela.

— Sentiu falta do aconchego daqui? — brinquei.

— Sempre! — bocejou. — Tô só o caco.

—  Sério isso? — indaguei incrédula. — Eu que vim dirigindo, você dormiu a viagem toda, sem falar que em saiu direito do Hotel e está cansada?

Nicky deu de ombros. — Estou ué, além do mais, nem me lembre disso aí, você me abandonou, Vause.

Ri. — Lá vem você com seus dramas.

— Não são dramas. É Verdade — defendeu-se. — Enfim, vou tomar banho e cair na cama. Nem quero comer nada — pegou suas coisas e subindo as escadas.

— Vai lá — concordei pegando meu celular, com um suspiro respondi Artesian.

 

“Podemos nos falar. Eu aceito.”

 

Sua resposta veio quase que de imediato, enquanto eu estava desfazendo minha mala no quarto de hospedes.

 

“Jantar amanhã?”

 

Ri incrédula.

Ela queria mesmo um jantar? A luz de velas e tudo? Como um casal? Qual é...

 

“Nada de jantar. No meu almoço no café perto do meu trabalho, se quiser.”

 

“Por mim tudo bem. Eu só quero te ver, falar com você.”

 

Nem fiz questão de lhe responder, somente tirei minha roupa para tomar um banho, para finalmente poder descansar um pouco. Estava morta. Tinha sido muitas emoções nos últimos dias.


Notas Finais


Vauseman está cada dia melhor meu povo ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...