História So Hot - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Black Pink
Personagens Jennie, Jisoo, Lisa, Personagens Originais, Rosé
Tags Chaelisa, Chaesoo, Jenlisa, Jensoo, Jisoo Centric, Lisoo, Surublackpink
Visualizações 253
Palavras 2.045
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ecchi, FemmeSlash, Shoujo-Ai, Yuri (Lésbica)
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Helouuuu,

Bom, eu meio que tinha entrado em hiatus e me afastado do Spirit pq não estava me sentindo bem mas então brotou essa ideia de OS e eu senti vontade de escrever. Essa é minha primeira vez fazendo uma fic Yuri, do BlackPink e SuruBlackPink, então não me julguem se tiver um cocô rs

Capítulo 1 - Propagandas, toques e novas experiências


Fanfic / Fanfiction So Hot - Capítulo 1 - Propagandas, toques e novas experiências

“Virgens se masturbam?”

Em menos de um segundo o Google me dá a resposta.

_____________________________________

“Novinha virgem se masturbando -

www.XVideos.com.Kr

_____________________________________

Novinha virgem caiu na internet se masturbando para o namorado. A novinha amadora tava com muita vontade que resolveu gravar…

_____________________________________


— O quê? — Fiz a página carregar de novo e surgiu a mesma coisa no resultado de pesquisa, claro que tinha outras coisas como “dicas de masturbação para garotas virgens”,  mas aquela estava no topo de tudo e por mais que eu estivesse envergonhada minha curiosidade venceu e eu cliquei naquele link sendo encaminhada para um site… pornô.

A primeira coisa que vi quando o site carregou por completo, foi uma propaganda de prostituição com a foto de uma mulher peituda sendo penetrada por um homem enorme — em todos os sentidos da palavra — e a seguinte frase ao lado: “Chame uma gostosa para foder”.

Ok, eu tinha acabado de entrar e ainda dava tempo de fugir, mas pensa só, eu sou uma  adulta sem experiências sexuais que queria aprender a tocar na parte estranha entre minha pernas e nada melhor que ver um vídeo de uma garota na mesma situação que eu — virgem — para aprender como é que se faz.

O único problema disso tudo era que eu estava no meu horário de almoço, até aí tudo bem, mas antes que eu pudesse sair da loja onde trabalho e chegar em casa, eu acabei ficando com tesão e juntando isso a curiosidade, bom, agora eu estava trancada em uma das cabines do banheiro, sentada sobre o vaso sanitário e apertando as pernas para ver se isso era o suficiente para me trazer um pouco de alívio.

Eu deveria culpar a Lalisa Manoban e sua mania irritante de ficar conversando sobre coisas pervertidas junto com a Rosé, mas meus hormônios também não ajudam muito, ultimamente eu estava ficando excitada vendo ou ouvindo qualquer coisa. Às vezes eu sentia um pouco de inveja por elas duas serem mais novas que eu e terem muitas experiências com garotos enquanto eu mal sabia beijar direito, pelo menos foi isso que meu ex crush deu a entender depois que enfiou a língua na minha boca e eu acabei paralisando de surpresa e o mordendo.

Nas minhas mãos o celular ainda estava naquele site pornô, esperando que eu tomasse coragem e fosse ver aquele vídeo.

— Fight Jisoo — Murmurei para mim mesma e depois de clicar na tela fui encaminhada para outra página, onde o vídeo estava carregando e para deixar aquele momento mais desconfortável, um GIF de pênis estava piscando acima do vídeo, era mais uma propaganda e dessa vez dizia: “Aumente seu pênis em duas semanas”.

Aquele site era muito machista, tudo nele era feito para os homens se divertirem com seus paus e as mulheres? Nós também vemos pornô então bem que podia ter uma propaganda de “chame um gostoso para te foder” ou “aumente seus seios em duas semanas (sem precisar de silicone)”.

Quando finalmente o vídeo carregou, uma garota estava arrumando a câmera de uma forma que pegasse a cama atrás dela. Ela se deitou na cama, abrindo bem as pernas e eu só conseguia pensar no quão aquilo era constrangedor de se ver.

A garota fez a mão deslizar pela barriga lentamente chegando na amiguinha entre as pernas dela, o dedo do meio estava brincando com a parte inchadinha no encontro dos lábios que protegem a vagina. Eu tinha que deixar a vergonha de lado. Abri os botões da calça e desci o zíper, deixando mais fácil da minha mão deslizar para dentro da calcinha. Fechei os olhos me concentrando em relaxar enquanto meus dedos massagiavam a carne molhada, me senti como um tipo de DJ mas ao invés de música ecoando pelo lugar, o banheiro estava sendo preenchido por meus suspiros frustados, talvez eu estivesse fazendo os movimentos da forma errada e a única coisa que estava acontecendo era minhas unhas roçando na pele sensível.

— Você tá’ fazendo da maneira errada Unnie. — Uma voz disse soltando um risinho, me assustando de tal forma que acabei deixando o celular cair no chão. Olhei para paredes do cubículo onde estava, só para ter certeza que não tinha ninguém ali até que meus olhos foram pra cima e dei de cara com a Rosé pendurada me observando, foi impossível segurar o grito agudo que escapou de mim.

— O que foi Rosé?

A voz da Lisa me fez paralisar e quis enfiar minha cabeça na privada e dar descarga pra morrer afogada quando ela se pendurou e olhou para dentro da cabine o de eu estava. Queria conhecer a pessoa que criou os banheiros de cabines com paredes tão pequenas, pequenas o suficiente para ter um vão de espaço acima e dar um soco bem dado na cara do miserável.

— A Unnie não sabe se masturbar. — A Rosé disse rindo e foi aí que os olhos da Lalisa paiaram sobre minha mão e a parte exposta da minha intimidade, ela franziu a testa corando ao ponto de ficar com as orelhas vermelhas.

Ah… isso é tão gostoso. — A voz da garota do vídeo me fez despertar da minha paralisia e tudo o que aconteceu foi bem rápido. Me levantei, fechei a calça e saí correndo do banheiro desejando desesperadamente que um meteoro resolvesse destruir aquele lugar. Como o horário de almoço estava quase perto de acabar, eu só voltei pra trás do balcão e tentei me concentrar no trabalho e tentar não pensar no que tinha acabado de acontecer.

Sabe quando você faz algo errado e tenta fingir que nada aconteceu e então fica com um sorrisinho desconfiado ou uma cara de bunda? Deveria ser assim que eu estava pois os clientes estavam me olhando de uma forma estranha.



Eram cinco da tarde, meu horário de ir para casa, quando a Rosé parou na minha frente no meio do corredor. Eu estava com um monte de caixas para repor a mercadoria das pratilheiras de doces antes de ir embora da loja de conveniência.

— Você lavou as mãos depois que saiu do banheiro? — Me engasguei com o clichê que mastigava.

Puta merda!

Com toda aquela confusão, eu esqueci.

A mais nova segurou uma das minhas mãos, consequentemente me fazendo segurar a caixa com apenas uma única mão, por sorte não estava tão pesada.

— O que foi? — Perguntei tentando puxar a minha mão de volta, mas ela segurou com força e aproximou o rosto, colocando a língua pra fora e quase tive uma parada cardíaca quando ela colocou meu dedo do meu na boca, o chupando. — R-Rosé…

— Argh Rosé, a Unnie passou a tarde inteira tocando em outras coisas, o gosto dela já deve ter saído da mão. — A Lisa disse caminhando pelo corredor, ela pegou a caixa da minha mão.

— Verdade — A Rosé disse finalmente largando minha mão e fazendo um biquinho.

— Ashi, por que fez isso? — Quis saber passando minha mão pela calça, tirando a saliva dela do meu dedo. — Bateu a cabeça? E que história é essa do meu gosto já ter saído.

— A Rosé só queria te entregar  seu celular — A Lisa dando uma cotovelada na outra garota. — Não é?

— Ah, sim! — A Park disse sorrindo sem graça e tirando meu celular do bolso traseiro da calça dela. — Eu também queria saber se você quer sair mais tarde.

— Eu preciso ir pra casa. — Eu disse pegando o celular, sentindo minhas bochechas corarem ao lembrar o motivo de o ter deixado cair.

— Hoje é sexta, achei que poderíamos sair pra jantar já que você não comeu nada o dia inteiro. — Ela insistiu.

— E eu queria uma carona até em casa, será que rola? — A Lisa sorriu piscando os olhos sem parar , aquilo a deixava muito adorável, era difícil dizer não a ela ou a Roseanne e seu rostinho pidão com aquele biquinho fofo.

— Okok, eu só preciso repor algumas mercadorias e então vou estar livre!

Dei as costas para as duas e saí andando pelo corredor, normalmente, até dobrar a esquerda e sair correndo como uma louca para o banheiro, precisava lavar as mãos.



— McDonald's! — A Rosé gritou depois que eu perguntei sobre um lugar onde poderíamos ir para comer. Estávamos andando na direção do estacionamento, onde meu pequeno Fusca amarelo se encontrava.

— Eu prefiro ir pra um restaurante comer frango e uma boa cerveja! — A Lisa tentou argumentar mas a Rosé não parava de repetir que o Mc seria melhor que o restaurante.

— Jisoo, qual você prefere?

— Eu gosto da ideia da Lisa, comer frango, mas ao invés de cerveja acho que sojo é melhor.

Abro a porta do carro e me acomodando no banco do motorista. As meninas fizeram o mesmo se acomodando no banco do passageiro e nos de trás.

— Ok, então o restaurante venceu! — A Lisa disse colocando o cinto de segurança, olhando para trás e sorrindo para Rosé. Liguei o carro e saí do estacionamento entrando na estrada.

— Jisoo.  

— Oi? — Olhei pelo retrovisor deixando meu olhar se encontrar com o de Rosé, ela sorriu colocando seus braços para frente, deixando as mãos envolverem mês seios.

— Eles são tão grandes que acho que consigo fazer puf puf.

— Rosé para! — Falei quando ela começou a apertar as duas mamas. Eu poderia tirar as mãos dela, mas primeiro: eu estava dirigindo, segundo: a rua estava muito movimentada pra que eu tirasse uma das mãos do volante ou resolvesse parar em algum lugar.

— Unnie, se concentra na rua — A Lisa disse sorrindo, colocando a mão sobre meu joelho e a deixando subir pela parte interna da minha coxa. Seu rosto se aproximou do meu, os lábios próximos ao meu ouvido sussurrando  baixinho. — Vou te ensinar como se toca de verdade.

Congelei.

As mãos da Rosé entraram por baixo da minha blusa, alcançando o fecho do sutiã entre meus seios e então o soltando. Tentei fechar as pernas e me contorcer para afastar as duas garotas mais elas continuaram a investir contra meu corpo. O barulho do zíper da minha calça sendo aberto me causou um arrepio e enquanto os dedos da Park se encarregavam de brincar com meus mamilos, os dedos da Monoban estavam descendo por meu ventre  pra dentro da calcinha.

— P-Parem! — Minhas mãos apertaram o volante com força, eu precisava manter meus olhos na rua.

— Parar com o que? — A Lisa mordeu o lábio inferior, alisando e movimentando a mão em círculos sobre uma parte sensível da minha parte íntima.

— Ah… — Quando o gemido saiu da minha boca, minha única vontade era de fechar os olhos e me entregar as sensações que estavam tomando o meu corpo.

— Unnie… você tá tão molhada — A voz da Lalisa sussurrou contra meu ouvido.

— Awan…

Estava impossível dirigir e foi por isso que entrei com tudo em um beco escuro, como já era noite não tinha nenhuma pessoa por ali. Deixei minha cabeça repousar contra o apoio de cabeça do banco do motorista e não me importei se estava gemendo muito ou se minhas duas colegas de trabalho estavam me tocando tão intimamente, eu só queria aproveitar o quão bom eram aqueles toques.

O meu corpo começou a estremecer, minhas respiração falha era a única coisa que se podia ouvir no carro. Eu acabei gritando quando meu corpo não aguentava mais, os dedos da Rosé apertaram meus mamilos com força e os dedos da Lisa continuaram a me tocar, um tornado de sensações tomaram conta de mim, me fazendo explodir em meu primeiro ápice.

— Uau… — Murmurei quando elas se afastaram de mim, acabei encostando minha cabeça contra o vidro frio do carro, fechando os olhos e relaxando com aquela impressão boa de bem estar. Tudo que eu queria agora era minha cama ou um bom banho.

— É assim que se toca de verdade Unnie! — A Rosé disse passando pelo espaço entre os bancos e se sentando em minhas pernas.

— Agora acho que é sua vez de retribuir o que fizemos Jisoo. — Lisa disse tirando a blusa do nosso uniforme de trabalho, ficando apenas de sutiã.

Tudo começou com um simples vídeo de uma garota se masturbando e agora eu estava vivendo minhas primeiras experiências sexuais, digamos que me dei bem no fim das contas.


Notas Finais


Hey,

se tiver algum grupo que cês curtem e gostariam de ver uma oneshort de suruba tipo essa aqui, é só deixar o nome do grupo e o que for mais "votado" eu escrevo :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...