História So in Love - Capítulo 33


Escrita por:

Postado
Categorias Billie Eilish, Danielle Campbell, Histórias Originais, Louis Tomlinson, Mackenzie Foy, Victoria Justice
Personagens Billie Eilish, Danielle Campbell, Personagens Originais
Tags Billie Eilish
Visualizações 66
Palavras 3.201
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), FemmeSlash, Festa, Ficção Adolescente, Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 33 - Billie, are you in love with a girl?


Quando entramos no carro, olhamos uma pra outra

- e agora? - perguntei

- não sei - ela ligou o carro - ideias?

Pensei um pouco. Lugares públicos não, ainda era o dia normal dela e lugares públicos não seriam legais agora. Ja sei!

- minha casa - falei sorrindo. Os meninos vão ficar o dia todo e boa parte da madrugada fora de casa, hoje a Darkness e a daylight abrem e eles não vai querer perder isso - podemos fazer várias coisas juntas, você pode dormir lá em casa - falei inocente, pensando em filmes e noite das garotas. Mas minha inocência não foi percebida pela Billie que me olhou maliciosa

- isso inclui sexo? - abri a boca para falar alguma coisa mas não saiu nada, então só a fechei denovo e billie riu 

Olhei para o porta-luvas e lembrei dos montes de CDs de música que billie guarda aqui

- vamos ver o que billie eilish escuta em seu carro - abri o porta-luvas e tirei uma pilha de CDs que estavam do lado das camisinhas, balas e lenços, Nem quis perguntar 

- só não bagunça - ela falou, sem tirar os olhos da rua. 

- você tem bom gosto - falei, vendo os CDs - mas confesso que tem alguns aqui que eu nunca ouvi falar na vida

- eu sempre procuro pelo menos conhecido, eu sou aquela pessoa que escuta os que ninguém escutam

- gosto disso - falei, guardando os CDs no lugar

- e você? Só escuta pop moderno? 

- na verdade, sou uma grande fã de rock clássico - admiti, o que deixou ela claramente surpresa

- Oi? Ouvi direito? - ela parecia meio cética - Você escuta rock?

- Claro

- E o que você escuta?

- Hum, muitos - pensei um pouco - The Rolling Stones, Elton John, Gun's N' Roses, Nirvana, AC/DC, The White Stripes, The doors, Metallica...

- Puta que pariu, você me surpreendeu - billie disse - nunca imaginaria que você escutasse heavy metal 

- minha banda de heavy metal preferida é a Mötley Crüe, eles são incríveis - lembrei que quando eu tinha 12 anos, Louis me levou para o último show deles, eu consegui uma foto com Nicky sixx, foi incrível - mas, tem uma banda que eu sou tipo, super fã e quase ninguém sabe

- serio? Quem?

- Queen 

- Você é fã do queen?

- ta brincando? São super, tenho todos os discos deles, posso te mostrar se quiser - falei, me animando com a idéia 

- pode ser - sorri vitoriosa - escuta Frank Sinatra? 

- Já ouvi uma ou duas músicas, acho que jazz não é muito meu lance - ela olhou para mim com os olhos semicerrados

- eu sou fã do Frank Sinatra 

- foi mal - falei rindo 

- the Beatles?

- Não gosto da pose de bom moço deles, conheço algumas musicas mas acho que a única musica que eu decorei foi yellow submarine 

- Qual é o sei problema? Beatles são os melhores!

- ainda prefiro queen

- Meu deus - ela balançou a cabeça - inaceitável 

- ah para - ela estava dirigindo só com uma mão e a outra estava descansando em cima do freio de mão. O que será que ela faria se eu pegasse em sua mão e entrelaçasse nossos dedos? Provavelmente tiraria. Para de pensar nessas coisas, Liv. Mas claro que eu não ouvi minha cabeça. Em um movimento lento, peguei em sua mão e entrelaçei nossos dedos, eu não sei se foi os anéis frios ou a pele quente dela que fez um arrepio subir pelo meu braço. Quando ela notou o que eu fiz, ela olhou rapidamente para mim, sorriu e apertou levemente minha mão. Sorri também e olhei para frente

- With every small disaster - Comecei a cantar, do nada. Eu escrevi essa letra a anos atrás e agora ela veio na mente - I'll let the waters stillTake me away to some place real


(Com cada pequeno desastre

Eu vou deixar as águas continuarem

A me levar para qualquer lugar real)


Billie não olhava para mim, mas estava sorrindo

- continua 

Sorri e fechei os olhos levemente. Lembro que minha mãe me ajudou a escrever. Ficamos a tarde toda no quintal escrevendo músicas 

- 'Cause they say home is where your heart is set in stone

Is where you go when you're alone
Is where you go to rest your bones
It's not just where you lay your head
It's not just where you make your bed
As long as we're together, does it matter where we go?
Home, home


( Porque eles dizem que lar é onde seu coração está gravado em pedra
É para onde você vai quando está sozinho
É para onde você vai para descansar seus osso
Não é só onde você deita sua cabeça
Não é só onde você faz sua cama
Contanto que estejamos juntos, importa para onde nós vamos?
Lar, lar )


Quando olhei para billie, ela estava com a boca aberta

- fecha a boca billie - falei rindo um pouco, fazendo carinho em sua mão com meu polegar

- onde você aprendeu essa música? 

- eu escrevi 

- você escreveu? - ela me olhou rapidamente com uma sobrancelha

- aham - coloquei uma mecha de cabelo atrás da orelha - foi a uns 4 anos, minha mãe me ajudou na verdade - olhei para a estrada, lembrando de cada detalhe, ela estava linda com aquele vestido azul - era verão, eu ia passar as férias no Brasil com meu pai e eu lembro de dizer "mãe, eu quero ficar aqui, aqui é o meu lar" e ela falou, lar é onde você se sente bem, é onde você vê um porto seguro - suspirei, limpando uma pequena lágrima no canto do olho - naquela tarde, sentamos no quintal e Ela me ajudou a escrever essa música 

Senti billie apertar mais forte minha mão 

- ela parece ter Sido uma pessoa incrível 

- ela era a melhor pessoa do mundo 

- como ela morreu? 

- Ela tinha uma forma rara de câncer no cérebro chamada glioblastoma multiforme, ou gbm para abreviar

- eu sei que isso vai parecer idiota e clichê mas...sinto muito

- tudo bem - sorri fraco - Eu tinha Louis do meu lado, pelo menos ela morreu rápido e sem dor, isso meio que me conforta um pouco

- que clima pesado agora - ela disse tentando descontrair, eu ri também - vamos mudar de assunto, como tá indo seu negócio com a música?

- Ah, ta indo melhor do que eu achava que seria, Louis disse que as gravadoras estão lutando por mim, o telefone dele não para de tocar

- wow, isso é bom - ela olhou para mim e percebeu minha cara - Isso é bom né?

- hmmm - resmunguei - eu tô com um pouco de medo sabe? Medo da fama, acho que não tô pronta para isso, não vou conseguir

- tá doida? É claro que vai! No começo eu também era assim, imagina, uma garota chata, insegura e emocionalmente instável de 14 anos tendo que lidar com as câmeras? No começo foi horrivel, mas depois foi o melhor sentimento sabe? Era ótimo fazer um show e ver várias pessoas cantando minhas músicas

Suspirei e olhei pela janela, já estávamos chegando em casa

- Como você conseguiu? Tipo, qual era sua motivação? - perguntei realmente interessada

- O dinheiro - ela disse rindo - tô brincando, bem, em partes - ela virou na esquina de casa - o dinheiro foi sim um bom motivo mas eu realmente gostava daquilo sabe? De ser vista, eu amo a fama, as vezes é chato pra caralho, mas eu adoro chamar atenção sabe? Eu adoro pensar que tem pessoas por aí que nunca conversaram comigo e me amam, isso é doido mas é incrível

Ela estacionou o carro e saímos, ela veio atrás de mim enquanto eu revirava minha bolsa atrás da chave. Abri a porta com ela atrás de mim

- quer alguma coisa? Suco? Água? Café? - joguei minha bolsa no sofá

- não gosto de café - ela olhou envolta da sala, como se fosse a primeira vez que estivesse aqui, seus olhos finalmente pararam em mim - mas aceito a água

Fui até a cozinha e peguei um copo de água, quando voltei, ela estava jogada no meu sofá, mexendo no celular

- Aqui - entreguei o copo para ela - vou tomar um banho agora, fica a vontade

Ela me olhou maliciosa

- posso ir com você?

Senti meu rosto corar e ela começou a rir

- não billie, você não pode vir comigo - andei até meu quarto e entrei no banheiro, fechei a porta e tirei minha roupa. Quando entrei embaixo do chuveiro, relaxei quase imediatamente. Eu sempre amei tomar banho, quando era pequena, minha mãe me deixava na banheira até meus dedos enrugarrem e a água esfriar


Billie Pov's


Suspirei e encarei o teto branco da sala dela. Ok, sei que não é uma boa ideia ficar perto dela, minha cabeça grita pra mim sair correndo por aquela porta e evitar ela até o que eu tô sentindo sumir, mas desde quando eu escuto minha cabeça? Fiquei repassando a conversa que eu tive com finneas hoje de manhã diversas vezes na minha cabeça mas não consigo arrumar uma solução


Flashback ON


Eu encarava o nada com a cabeça nas nuvens, sem nem prestar atenção no que meu irmão dizia, até ele me beliscar

- Ai! Por que fez isso? - falei passando a mão na região do meu braço que estava avermelhada - doeu, idiota  

- o que você tem? Ta aérea desde que acordou, aconteceu alguma coisa? - ele perguntou parecendo preocupado

- Não é nada - falei desviando de seus olhos, não consigo mentir olhando para as orbes azuis dele, mas claro, finneas me conhece como ninguém 

- Billie, o que aconteceu? Conversa comigo

- eu tô... - Não conseguia pensar em uma palavra específica, sempre esqueço as palavras quando to assim

- você tá...

- eu tô sentindo coisas que eu não quero sentir, por pessoas que eu não deveria sentir - resumi da melhor forma que pude. Finneas pareceu surpreso

- Pessoas? No plural? - e por um momento, senti meu rosto esquentar, mas afirmei - e o que tem?

- hum...O que você faria se se sentisse atraído por um homem? - Ele engasgou com a própria saliva e começou a tossir, dei alguns tapas em suas costas - ei, finneas, respira 


Ele levantou a cabeça e seu rosto estava vermelho como um pimentão


- v-você ta gostando de uma menina? Denovo? - encolhi os ombros e comprimi os lábios


Eu sempre tive queda por garotas, mas sempre foi algo físico, "curiosidade", digamos assim, eu beijava garotas pelo simples prazer de beijar, mas nunca senti algo a mais do que lábios se tocando, não sentia aquela sensação que eu sentia com garotos, até a drew, uma das minhas melhores amigas. Eu tinha 14 anos e eu fui dormir na casa dela, como eu já tinha beijado outras garotas antes e ela me disse que queria saber como era beijar alguma, nos beijamos. Quando senti aquelas malditas borboletas no estômago, me assutei, fui pra minha casa na mesma hora, mas não consegui parar de pensar nela por dias, eu contei para o finneas, conversamos por horas e mesmo ele me dizendo que não era errado gostar de pessoas do mesmo sexo, me senti culpada, me senti mal por ter gostado daquele beijo, por querer mais. Então, sim, a minha sexualidade foi um dos motivos pra minha depressão. Depois de um tempo, conversei com Drew, ela me disse que éramos só amigas mas iria ficar do meu lado em tudo.


Resumidamente, eu superei ela, até hoje somos melhores amigas, continuei beijando garotas e nunca mais senti isso, então eu era hetero, isso mesmo, era, porque agora eu estou duvidando seriamente da minha sexualidade, tudo graças a uma baixinha idiota


- Billie você tá apaixonada por uma garota? - finneas me tirou novamente da minha bolha, levantei a cabeça


- O que? Claro que Não! - neguei, eu não estou apaixonada por ela, Não mesmo - Eu gosto dela, mas não é amor, nem perto disso - soltei meu cabelo do coque que estava preso - esquece, você não entende


- Então me explica - ele pegou minha mão e deu um sorriso reconfortante


- Eu tô gostando de uma garota sim, mas eu também tô gostando do Q - finneas sabe desde sempre que eu tô ligada no Q - e eu não sei o que fazer


- É a Liv? - arregalei os olhos, como ele sempre sabe de Tudo? Afirmei com a cabeça - Eu já desconfiava, mas eu pensei que vocês só transavam


- e era só isso, quer dizer, ela sente algo por mim, mas eu não, acho


- Então, faz o que seu coração achar melhor, não importa se seja ao lado da Liv ou do Brandon


Eu levantei rápido, assustando ele, eu riria se não fosse sério


- Esse é o problema, Eu não quero sentir nada por outra garota, Eu sou hetero! - Ele riu da minha cara - Não ri, essa merda é séria, finneas!


- É, claro que é - ele levantou ainda rindo - vem cá


Me puxou pelo braço e me abraçou, era bom abraçar ele


- Eu não ligo se você gosta de garotas ou garotos e tenho certeza que nem papai e mamãe, espera um pouco antes de fazer qualquer coisa, tenha certeza do que você sente, arruma seus sentimentos - ele beijou minha cabeça - Só tenta não machucar ninguém no caminho, Liv é uma garota incrível e por mais que eu não seja fã do Brandon, ele não merece sofrer por um coração quebrado, ele gosta realmente de você, faça a coisa que você acha que é certa


- Ok


- Ok? - ele me soltou e me olhou nos olhos, afirmei com a cabeça


- Ok


Flashback off


Bufei alto e passei as mãos no rosto. Ouvi meu celular tocando e o peguei, atendi sem nem ver quem era


Ligação ON


- Que é?


- Eae Billie!


Era um dos gêmeos bell, não me pergunte qual


- o que você quer?


- Ouch, acordou com o cu virado hoje é? - revirei os olhos ouvindo ele rir - Partiu ir no rolê com a galera mais tarde?


- Nem dá, tenho compromisso hoje - falei analisando minhas unhas. No caso, o compromisso tinha até nome e local, Liv e cama


- Então leva o compromisso com você, qual é, billie? Faz um tempão que a galera não sai junto, tu também não para de viajar


- o nome disso é trabalho


- Tanto faz, vou levar umas bebidas, vamo zuar igual a gente fazia antes - ponderei se eu iria, ele tinha razão, faz tempo que não me junto com eles pra zoar por ai - aproveita e vê se consegue trazer aquela gata da Liv, ela não me responde e eu sei que você é amiga dela e tals


Ele tá de olho nela? Ok, tô com ciúmes. Um bico se formou na minha boca mesmo sem eu querer


- beleza, vou ver o que eu faço e te aviso, tchau


Ligação OFF


Tá, confesso que tenho um pequeno problema com ciúmes, Mas não é porque eu quero, juro.


Levantei e fui até o quarto da Liv, notando algumas fotos nas paredes do corredor, Liv com Louis, com os amigos, gente que eu não conheço.  Quando entrei no quarto, sorri ao ouvir Liv cantando no banheiro. Olhei melhor o quarto dela, era todo branco, com a decoração bem feita, o mais engraçado era as estrelinhas coladas no teto.

Fui até a estante e fiquei observando os livros e CDs, quemainda tem CDs?

- tá fazendo o que? - me assustei e virei pra trás rápido, com a mão no peito

- Credo, você não pode me assustar assim - encarei a garota só de toalha, com gotículas de águas em seus braços e ombros. Nossa, derrepente bateu um calor - Eu nem ouvi você sair

Ela se aproximou de mim, não sei se sou eu que tô com muito fogo hoje ou ela tá mesmo me provocando

- sei ser silenciosa quando quero - ela deu um rápido selinho nos meus lábios e praticamente correu para o closet, fiquei parada ali, sem reação alguma

Ouvi algum celular tocando e constatei que não era o meu

- Liv, seu celular ta tocando! - falei pra ela ouvir

- Pega pra mim por favor?

- folgada - resmunguei antes de ir até a sala e pegar o aparelho, li no visor "Zoe 👽" e atendi

Ligação ON


- Liv, ta fazendo o que? Ta ocupada?


- hum, não é a Liv não


- Então que- MEU DEUS! billie?


Eu ri da animação dela


- Oi zoe, você tá bem?


- eu bem, e você?


- eu tô ótima - me joguei no sofá e vi a Liv vindo em direção a sala, já trocada


- Liv está com você?


Olhei para a garota que agora estava sentada do meu lado


- Billie, dá meu celular - ela puxou o celular da minha mão - Oi Zoe


Puxei Liv pela cintura para mais perto de mim, fui distribuindo beijos pelo pescoço dela enquanto ela falava no celular, ouvi ela suspirar e senti sua pele arrepiar, um sorriso malicioso brotou nos meu lábios


- para - ela falou baixo, colocando o celular de volta na orelha - hum, então vocês podem vim aqui em casa mais tarde - subi os beijos até sua orelha onde mordi devagar, ela cravou as unhas no meu braço e eu só ri - que horas?... Ok, Até mais tarde


Ligação OFF


Ela olhou pra mim fingindo estar brava

- você não pode fazer isso

- ah é? E quem vai me impedir? - peguei em sua cintura e puxei para o meu colo - você?

Ela segurou nos meus ombros e se aproximou

- exato - ela sussurrou antes de levantar - vem, vamos ver os discos de música 

Bufei e levantei, a seguindo pelo Corredor, no final dele, tinha aquelas escadas embutidas com o teto e foi bem engraçado ver ela, com aqueles 20 centímetros de altura pular pra tentar alcançar a cordinha

- Dá pra parar de rir e vim me ajudar? - ela disse olhando pra mim, cruzei os braços e me encostei na parede

- Nah, tô bem aqui, pode continuar - ela estreitou os olhos e eu levantei as mãos - tô indo, pigmeu

- Nossa, falou a pessoa mais alta do mundo né? - ela me deu espaço pra mim pegar a maldita cordinha - Quanto você tem? 1,60?

Puxei o bagulho pra baixo e a escada desceu

- 1,65 - olhei para cima, estava escuro, igual aqueles filmes de terror ruim - você primeiro

- medrosa - ela passou por mim e subiu as escadas, fui atrás com o cu na mão de medo, mas mesmo assim dei um tapa na bunda dela. Quando subimos, me deu uma vontade de voltar. O lugarera sinistro, todo escuro - você tá com medo mesmo?

- Esse lugar é assustador!

Ela riu


Notas Finais


Ok, Eu sei que tá uma bosta mas o próximo vai ser melhor, Eu juro

ENTREM NO GRUPO DA FANFIC
https://chat.whatsapp.com/FlcCOVY5CaC9plv79t9IrJ


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...