1. Spirit Fanfics >
  2. So Lost >
  3. 2011 - Primeiro

História So Lost - Capítulo 1


Escrita por:


Capítulo 1 - 2011 - Primeiro


Acordei rápido, minha mãe sorriu para mim e chorava. Tentei falar, mas minha garganta ardeu sedenta. Eu preciso de água. Meu pai entrou e não consegui ouvir nada. Revirei os olhos quando ele me olhou com cautela.

- ...me ouvir? - "Pode me ouvir" essa é a pergunta. Surdo eu não fiquei.

- Agora posso - sussurro e ele me entrega o copo cheio de água e um canudo dentro. Bebo em pequenos goles.

- Sabe o motivo de estar aqui? - Boa pergunta, eu não faço ideia. Sabia que estava no hospital, sabia que não mais sentia minhas pernas e, talvez, eu tenha ficado paraplégico.

- Eu não sei pai.

- Hum, você sofreu um grave acidente. Há três semanas.

- O que quebrei?

- Temos que examinar, mas primeiro, pergunta, lembra-se de quem estava ao seu lado? - ele estava mentindo e mudou o rumo da conversa, percebi.

- Hum... - não consegui pensar em ninguém.

- Sua noiva.

- Eu pedi Victória em casamento? - Meu Deus, não permita que eu tenha endoidado a esse ponto!

- Não, não... - Ele pareceu pensar um pouco.

Graças a Deus.

- Pai, eu realmente não me lembro.

- Swan, Isabella Swan, sua noiva. Filha do geriatra do hospital... - sua voz estava estranha, não escutei o resto do que ele falava pois um... Boom. Algo aconteceu. Uma música tocou na minha cabeça.

Homens sábios dizem que só os tolos se entregam

Mas eu não consigo evitar de me apaixonar por você

Devo ficar? Seria um pecado

Se eu não consigo evitar de me apaixonar por você

Como um rio que corre certamente para o mar

Querida, assim algumas coisas estão destinadas a acontecer

Pegue minha mão, pegue minha vida inteira também

Pois eu não consigo evitar de me apaixonar por você

A doce voz canta para mim e pisco tentando capturar a imagem de quem canta. Só vejo os cabelos loiros e curtos de uma mulher no palco. Ela usa um vestido muito bonito, que realça sua pele. Mas seu rosto é um borrão.

Pois eu não consigo evitar de me apaixonar por você

- Eu não consigo lembrar dela. -Minha cabeça dói.

- Se acalme querido! - Minha mãe fala pela primeira vez em muito tempo. Ela troca um olhar preocupado com meu pai.

- Você vai dormir e descansar muito. Vamos te levar para alguns exames antes, ok? Não posso fazê-los sem que esteja acordado para termos os resultados.

- Estamos em 2005 ainda?

- Estamos em 2011. -Minha mãe responde.

- Sem faculdade, eu terminei a faculdade?

- Sim querido, você está gerenciando, de certa forma, a empresa onde seu avô trabalha.

- Eu entrei na empresa por ser seu filho?

- Claro, e eu sou o papai Noel. Seu avô sabe do que você é capaz. - Estávamos saindo do meu quarto para fazer os exames

- Mas...

- Você é competente, ele nem sabia que você era formado até receber o seu currículo.

- Mamãe e você ainda estão separados?

- Não filho, nós reatamos. - Fiquei feliz por meus pais. Muito mesmo. Mamãe vivia triste pelos cantos e meu pai estava bem emburrado.

- Quando?

- Em 2006, nos casamos de novo. - Minha mãe respondeu sorridente. Mas seu sorriso murchou. - Não se lembra dela, da sua noiva?

- Diga o nome dela de novo. Acho que tive algo parecido com uma lembrança mais cedo.

- Isabella, mas todos nós chamamos ela de Bella. -Dessa vez não vi nada. Mamãe continuou. - Vocês estavam viajando de volta para casa, Bella disse por telefone que alguém seguia vocês, e depois escutamos chiados, freadas e algo batendo no carro. Depois ficou tudo mudo. - Ela tinha parado de andar e parecia imaginar o que nos aconteceu.

- Vamos fazer o exame e tentar ver o que faremos pois preciso da sua ajuda meu filho. Parece que você é o único que sabe onde...

- Onde o que pai?

- Não acho que precise de todo esse estresse.

-Pai!

- Bella não estava nos destroços. Você estava longe do carro e.… ela está sumida, há três semanas. E precisamos saber quem estava seguindo vocês.

- Carlisle! - Um homem barbudo se aproxima, ele parece cansado. - Edward, você acordou!

- Charlie... - Meu pai começou.

- Você...você pode me dizer onde minha filha está? Ela... Oh Deus. - Charlie, como meu pai chamou, falava rápido e parecia que iria ao chão a qualquer minuto.

-Respire Charles - Meu pai pediu. Swan me olhava com expectativa. - Ao que parece, Edward está com um caso de amnésia.

- Eu não consigo lembrar da minha noiva. - Entramos na sala de exames. - E a polícia? Não estão na busca dela?

- Isso é mais complicado do que parece filho - Charlie sentou. O encarei. - Bella não deveria "existir". Ela foi dada como morta em 2007. Depois explico os motivos. Mas, vocês estavam namorando e você disse que ela podia morar numa casa distante que você comprou naquele ano.

- Mas bem, Bella está envolvida em um esquema muito pior.

- O quê? Qual? - Eu não estava preparado para o que meu "sogro" diria a seguir.

- Ela matou o chefe de uma máfia italiana.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...