1. Spirit Fanfics >
  2. So mais um conto. >
  3. Aquele com recompensa de 2 milhoes.

História So mais um conto. - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


espero que gostem.

Capítulo 3 - Aquele com recompensa de 2 milhoes.


Ei Jeck, por que acha que esse transporte caiu? - Reny me pergunta como se não quisesse nada.

Nao sei, e nao me importo. - respondi seco, pois quando se trata de trabalho não podemos ficar de conversinha.

O que é nossa encomenda, o que precisamos achar? - uma pergunta válida e que merecia ser respondida.

Vamos pegar três caixas aparentemente, acho que deve ser comida ou dinheiro do novo mundo. - respondi com sinceridade, não temos segredos aqui.

Bom, já já vamos descobrir. - e essas são as últimas palavras de nossa rápida conversa.

Assim que paramos nosso papo chegamos ao local da queda do transporte.

Os transportes eram como se fossem navios flutuantes que iam de ilha em ilha no novo mundo, vez ou outra caem no velho mundo por conta de problemas ou acasos, já ouvi relatos de piratas que explodiram esses transportes para descer e roubar a carga. Ao nos aproximarmos vemos movimentação na área e assim procuramos um lugar para nos escondermos.

Quem é esse pessoal? - a pergunta dela era a mesma que a minha.

Vamos dar uma olhada. - pego um pequeno binóculo que carrego comigo e faço um reconhecimento do local.

Mas que droga. - resmungo com minha indignação.

E o exército de Sefera e a marinha do novo mundo. - cada cidade possuía um “exército” e Sefera era a cidade mais próxima quando se seguia pela rota 15. Eles geralmente recebem ordens do governo do novo mundo e assim fazem parte da marinha ganhando muito bem por isso, pelo menos é o que eu soube.

E agora, como vamos pegar a mercadoria? - Reny me pergunta já sabendo a resposta e por isso ela sorria.

Vamos roubar, por que não. - não nego a esconder meu sorriso, o exército é considerado traidor do velho mundo entao nao temos porque ter remorso de matá-los.

Acendo um cigarro enquanto olho pelo binóculo, percebo que não passam de vinte pessoas, apesar de estarem com metralhadoras e escopetas nao vai ser difícil abater, percebo que Reny prepara suas duas pistolas, pistolas calibre 45 modificadas por ela que faziam um bom estrago ela deu o nome para as armas de gêmeas de prata, sorrio e também pego minha 45 prata nomeada pela Reny de presa de prata a qual ela modificou para mim e uma pistola preta completamente preta, pelas modificações era a arma mais destrutiva que eu tinha capaz de perfurar lataria anti-tanque.

Tem vinte, são dez pra cada. - falei para ela que sorriu enquanto me olhava com um olhar morteiro.

Vou matar mais que você. - ela fala isso e já sai correndo do esconderijo em velocidade máxima, e ela é pelo menos três vezes mais rápida que um humano comum.

Que garota arrogante. - penso isso mas não posso evitar de sorrir, assim também saio para o abate.

Em questão de segundos os soldados perceberam nossa investida, eles se preparam e atiram, o que não é nem um pouco eficazes contra nós pelo fato de usarmos a primeira ignição.

Esperem seus animais não atirem as cegas. - gritou o comandante.

Em formação. - gritou um soldado e eles se posicionaram.

Eles estão vindo pelas lá… - ele não teve tempo de terminar, pelo simples motivo da bala que explodiu sua cabeça vinda das pistolas de Reny. Eles perdem a compostura após aquele que dava as ordem ser morto e começaram a atirar.

Deixe esses idiotas, para dentro do transporte caído. - disse um homem que parecia ser da marinha do novo mundo e assim aqueles que pareciam ter mais autoridade se retiraram.

Covardes. - e esse foi meu pensamento enquanto atirava e tirava a vida de três soldados.

Os soldados se distraíram com as mortes o que deu a Reny a chance de abater mais quatro deles enquanto se aproximava, e assim balas voavam em sua direção forçando ela a parar e pegar um abrigo. Parei minha investida e mirei com cuidado, assim a 45 prata dispara tirando a vida de mais dois soldados, nesse pequeno instante Reny libera sua segunda ignição e com seus sentidos melhorados suas balas voavam e mais um soldado morreu. O pânico tomou os militares que pensaram em correr o que não foi inteligente já que eu estava perto o suficiente para matá los deixando apenas um vivo, acho que ele abriu a primeira ignição por medo ou desespero.

Que droga. - vou para a entrada do transporte caído, Reny está me esperando.

Matou todos? - ela me pergunta mesmo sabendo a resposta.

sobrou um, mais sabe qual é minha opinião né. - sorri para ela e ela entendeu na hora.

Deixar um vivo porque, os mortos não contam histórias. - ela faz uma imitação bizarra de mim e riu muito, eu nao achei a menor graça. Essa frase saiu depois de eu deixar um homem fugir em um dos trabalhos.

Em algum lugar escondido.

Senhor, estou abandonando o exército. - fala o soldado que fugiu do nosso ataque.

Seu covarde, venha já para ca. - o comandante berra no rádio.

Recomendo que fujam sem lutar. - fala o soldado em pânico.

Como assim seu inútil? - a pergunta muito importante.

Quem veio e matou todos os soldados, é o homem com a recompensa de dois milhões de créditos, Jeck “fucking” Boy e sua cachorra de estimação, Reny “duas mãos”. - o medo do homem era óbvio perante os nomes que eram considerados dois do dez nomes mais procurados do velho mundo.

 


Notas Finais


obrigado por ler.
ate a proxima.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...