1. Spirit Fanfics >
  2. So provocative. - markhyuck >
  3. Four of six.

História So provocative. - markhyuck - Capítulo 4


Escrita por:


Capítulo 4 - Four of six.


Haechan estava chateado, não importava oque fizesse, Mark nunca colaborava nenhum pouquinho. Em tantas semanas de tentativa, não tinha conseguido nenhum beijinho na boca que fosse e isso o angustiava.

O Lee mais velho tinha chamado sua atenção desde quando o vira pela primeira vez na classe, ficando bastante feliz e animado ao saber que morariam juntos, nunca que ele tinha agarrado uma oportunidade tão forte quanto aquela vez.

Acontece que, o Canadense parecia não dar tanta bola para as coisas que ele tentava fazer mesmo que fosse pra o agradar, já que apenas reclamava de tudo e nem um elogiozinho saía de sua boca; Aquela boca tão bonita e tentadora.





Era sábado e felizmente naquele dia não iriam ter aula extra, oque significava finalmente algum descanso.

Mark entrava na cozinha já esperando mais uma cena típica de provocação do Lee mais novo pra coleção, mas ao adentrando o cômodo se surpreendeu. Ali apenas estava o menor tomando uma xícara de achocolatado, apoiando o rosto com uma das mãos, oque esmagava sua bochecha o deixando fofo até demais.

— Que? - Questionou o mais velho pra si mesmo, atraindo a atenção do outro Lee que nem sorriu igual todos os outros dias. — Digo, bom dia?

— Bom dia.

O estrangeiro engoliu em seco com aquela situação, nunca tinha o visto tão desanimado assim. Foi até a cadeira ao lado da dele e o encarou, estranhamente vestido até demais.

— Hm... tá tudo bem?

Haechan somente concordou com a cabeça, tomando um gole do chocolate.

Uns minutos de silêncio ficaram no ar, enquanto o mais velho preparava o próprio café da manhã, fazendo uma vitamina e torradas.

No fim, sentou-se no lado do amigo, empurrando o prato de torradas até ele pois não havia comido nada.  — Come um pouco...

Donghyuck assentiu de forma desanimada, comendo uma torrada e depois levantando em direção ao quarto, deixando um Mark confuso e preocupado pra trás.




Após o mais velho arrumar tudinho na cozinha, criou coragem e seguiu caminho até o quarto em que Haechan estava, dando umas batidinhas leves na porta as quais não foram respondidas. Então acabou entrando sem autorização, até porque o outro sempre fazia o mesmo.

O encontrou sentado na beira na cama, encarando os próprios pés e aparentando estar fora daquela realidade. — Ei, Hyuck.

O citado despertou, encarando o rosto do garoto meio atortoado. — O-oque? Oi...

Mark ficou encostado na parede do cômodo, um tanto tímido por estar fazendo aquilo. — Por que você tá assim? - Foi direto, ficando com medo de assustar o menor.

— Assim, como?

— Ah, eu fiz alguma coisa?

O Canadense não era tão burro e poderia imaginar do que se tratava, porém não tinha a certeza absoluta daquilo.

— Não, tá tudo bem.

— Tu não consegue me enganar, viu?

— Consigo, e consigo bem.

— Donghyuck. - Se aproximou do menor, abaixando um pouco e segurando ambas as pernas alheias, alisando as mesmas com as pontas dos dedos e as colocando sob seus ombros, apoiando as mãos no colchão macio e assim deixando os rostos numa distância perigosa. — Não vai mesmo me dizer, poxa?

Haechan pôde sentir as respirações quentes cruzarem e o corpo arrepiar com o contato mínimo, mas não o afastou. — M-mark...

Uma das mãos subiu até a coxa do garoto, dedilhando a derme dourada até chegar na costura da bermuda que vestia, aproveitando as reações do menor, fazendo com que provasse do próprio veneno mas ainda sim, fazia porque queria e não por pura provocação. — Me diz.

— Tá fazendo isso p-por que? Tu nem gosta de mim... - Choramingou, tentando sair daquela posição que bagunçava ainda mais seus sentidos, que foi rapidamente impedido por Mark que agarrou suas pernas.

— E daonde que tu tirou essa ideia?

— Ah qual é, Mark! Eu tô tentando desde o primeiro dia que tu pisou aqui, seu idiota!

O maior fez um bico, pensando um pouquinho. — Imaginei que fosse demais pra mim.

— Hã?

— Olha pra você, todo mundo te quer, porra.

— E dai? Eu mostrei meu corpinho nu pra quem?

O Canadense riu baixo, se sentindo um grande idiota.

— Pra mim, e quem garante pra quantos mais? - Brincou, recebendo uma cara de desaprovação de Haechan.

— Idiota.

O puxou pelo pescoço com os tornozelos, tombando os lábios um contra o outro sem nem ao menos deixar o maior raciocinar sobre o acontecido, assim dando início em um beijo já intenso e necessitado pra ambos que não perderam tempo em entrar com as línguas no jogo, fazendo o som de estalos eróticos ecoarem pelo cômodo inteiro.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...