1. Spirit Fanfics >
  2. So provocative. - markhyuck >
  3. Five of six.

História So provocative. - markhyuck - Capítulo 5


Escrita por:


Capítulo 5 - Five of six.



Sem os dois nem perceberem, o beijo tomou proporções ainda mais intensas. Os garotos se encontravam deitados na cama, Mark apertava o corpo de Hyuck contra o colchão e as pernas do mais novo entrelaçavam a cintura do outro, roçando as semi-ereções.

O ósculo foi cessado, os conectando apenas por um fio de saliva que sumiu com o selar que deram. Haechan inverteu as posições, jogando o Canadense na cama e sentando em seu colo, esmagando de forma proposital o volume na calça dele. — Caralho, Hyuck.

— Você não muda mesmo, hm? - Debochou, rebolando devagarinho ali, sem piedade alguma.

O mais velho mordeu o lábio, tendo um momento de fraqueza, mas pegando firmemente a cintura do outro por de baixo da blusa que foi de imediato jogada em algum canto do quarto, ajudando com os movimentos que fazia em si, acelerando o processo.

Haechan fez questão de sentar bem em cima do falo endurecido, quicando algumas vezes em provocação; Era bom o ter de volta.

Mark entrara em êxtase, era reservado demais por conta de seus pais e por isso nunca havia passado daquela parte, deixando-o um tanto apreensivo mas não impedindo que continuasse, abrindo barreiras pra novas sensações.

O mais novo sorriu ladino encarando a expressão fofa de prazer que o outro fazia, se aproximando da derme de seu pescoço e lambendo toda a extensão que num instante deixou de ser branquinha, colorindo com tons fortes de vermelho e roxo. O Canadense gemeu arrastado.

— Então é facinho assim te fazer gemer. - Tinha gostado do que ouvira e com certeza faria tudo por mais daquilo.

Suspirou contra a pele marcada do menino e selou cada marquinha bonita que tinha deixado ali, como um símbolo de conquista.

— Por que você tem que estar tão vestido justamente hoje? - Haechan riu com o comentário alheio, trazendo as mãos não tão grandes do outro até seu peitoral, o fazendo dedilhar e criar uma trilha de carícias até o abdômen, que não era formado; Mas sinceramente, o maior preferia assim.

— Aproveita oque tu tem.

E Mark o fez, deitou o mais novo na cama e começou um caminho de beijos molhados pelo pescoço, descendo até a cintura ainda coberta pela bermuda. Voltou pro início e deixou chupões visíveis em seu pescoço e peitoral, o menor se manteve caladinho até sentir a língua do garoto rodear lentamente um de seus mamilos, não conseguindo prender um gemido manhoso na garganta.

O estrangeiro sorriu todo cheio de segundas intenções; Aquele tinha sido o gemido mais melodioso que ouvira em seus dezessete anos, isso era bom sinal?

— Acho que encontrei teu pontinho sensível. - Ditou convencido, agora alisando o mamilo vermelhinho do mais novo com dois dedos, observando ficar durinho.

Maldito, tinha mesmo. Pensou Haechan.

— M-mark, porra. - Tentou transmitir raiva, falhando da pior forma.

O mais velho riu, terminando de brincar ali e descendo até o cós da única peça que o outro ainda usava, puxando pra baixo sem delicadeza alguma e jogando no chão. Até mesmo parecia saber oque fazia.

Haechan corou fortemente com o ato, sentindo a mão alheia massagear o membro tão esquecido e sensível por cima da box. — Por favor... - Implorou o coreano.

Mark retirou com cuidado a peça, arregalando os olhos quando o pau pulou pra fora da box, batendo na bochecha agora avermelhada do branquinho. O outro não aguentou e riu baixo com a cena, guardaria num lugar especial da mente.

Então, encaixou o íntimo entre os dedos começando uma masturbação de velocidade crescente. Observar os olhinhos atentos do garoto enquanto descia e subia a mão em seu pau de forma tão descarada, enquanto estalos sujos tomavam conta do quarto com certeza estava sendo perfeito pra Haechan. — H-hm... chupa. - Falou depois de um minuto naquilo.

Foi aí que o estrangeiro congelou, apesar de estar imerso no tesão, nunca tinha feito aquilo antes; E o mais novo percebeu.

— Vai dizer que tu nunca pagou um boquete?

— B-bem, eu...

— Não brinca! Mark Lee o garoto mais gostoso da escola é virgem?

O citado cobriu o rosto com a mão livre, visto que agora aparentava um tomatinho.

— Faz do teu jeitinho, se não quiser, a gente...

Foi cortado pela língua quente lambendo a glande do menor com voracidade, assim envolvendo o pau inteiro em sua boca, chupando desde a base até a pontinha. Ok, ele tinha garganta profunda, descoberta boa.

Hyuck gemeu fino, apertando os olhinhos e ainda sim conseguindo apreciar aquela cena tão gostosa. Levou a mão até os fios negros do maior, o guiando nos movimentos agora intensos, fazendo escorrer saliva e pré-gozo pelo canto da boca. Mark gemia a cada vez que o pau socava sua garganta, retribuindo os sons tão tentadores que causava no menor.

Ele devia admitir que aquele garoto pagava um boquete delicioso pra caralho, imagine quando tiver experiência; Já que Haechan o faria ter em poucas semanas.

Levantava a cintura pra fazer o garoto engolir todo seu pau rapidinho, e assim ficaram por longos e bons minutos. Parando só quando o Coreano gozou em jatos na boca do Canadense, o qual fez careta pelo gosto. — V-vai se acostumando.

— Já fiz, até.

Haechan riu, puxando Mark pra um beijo que estranhamente tinha seu próprio gosto. Nisso, todas as peças que o mais velho usava estavam perdidas na bagunça do cômodo, as mãozinhas curiosas do menor passeavam pelo corpo do outro, acariciando tudo oque conseguia.


Mark sentou na cama, apoiando as costas na cabeceira enquanto tinha Haechan em seu colo, apertando o pau entre as bandas da bunda descaradamente. As unhas curtas mas afiadas arranharam os ombros até o abdômen marcadinho do amigo, que gemia aflito a todas aquelas provocações.

Mas o estrangeiro retribuia, simulando estocadas vez ou outra em meio ao beijo quente. — Gostoso pra cacete.

— Hm?

— Tu ouviu, Hyuckie.

As mãos do mais velho apertaram fortemente a bunda do menor, ainda branquinha e lisa até demais, que arfou de prazer em resposta.

O garoto buscou num instante um pote de lubrificante pela metade em baixo do travesseiro, recebendo um olhar curioso do menino abaixo de si. — O que é? Tu não bate uma não?

— Cala a boca, vai. - Disse e mordiscou o lábio cheinho do menor, retomando o beijo mais selvagem possível.

Nisso, Mark despejou uma boa quantidade de lubrificante nos dedos, penetrando primeiramente o indicador e depois o do meio. Haechan gemeu alto contra o beijo e descontou tudo na boquinha já ferida do maior, assim rebolando nos dígitos.

O Canadense entendeu o recado e começou a estocar rapidamente o interior apertado, até sentir alargar um pouco.

Após tempinho nisso, o Coreano resmungou impaciente. — Me fode logo.

— H-hm?

— Me fode, me come, me bota de quatro e mete em mim até tirar todo os genes virgens ainda presentes no meu ser. Anda!

Mark riu alto, só Donghyuck pra ter a proeza de dizer coisas do tipo no meio de uma transa.

— Caralho, já entendi.

Haechan sorriu, saindo daquela posição e ficando de quatro sob a cama, deitando todo o corpo e deixando apenas a cinturinha e bunda empinadas. O maior lambeu os lábios ao ver a entradinha piscante totalmente exposta pra si, basicamente o convidando.

E não resistiu, se estimulando um pouco apenas pra lubrificar o pau mais um pouquinho, logo pincelando ali e enfiando de vez, ouvindo Haechan gritar de dor e prazer ao mesmo tempo. — T-tá tudo bem?

Era mais fácil perguntar se Mark estava bem, o garoto se encontrava com a sanidade inexistente e imerso no maior prazer que já tinha sentido, encurtando os olhinhos e se segurando pra não o foder forte e fundo ali mesmo.

— Pelo amor, Mark Lee! Só me fode, porra.

Foi um alívio ouvir aquilo, iniciando a sequência insana de estocadas fortes no interior do mais novo, desferindo tapas fortes na pele já vermelha da bunda, exalando as marcas de seus dedos.

A outra mão segurava de forma firme a cintura alheia para ter um apoio maior, já que as perninhas tremiam em prazer. — Puta merda.

Naquela hora os dois se descobriram extremamente bocas sujas, xingando a cada investida. Mais um grito fino e manhoso pôde ser escutado de Haechan, que tinha tido a próstata atingida. — Aí, Mark! Por favor, continua!

Mark focou em socar aquele pontinho, percebendo a conquista depois de vários gritos e xingamentos que imploravam do menor, rebolando contra o pau que o fodia. — Então tu gosta assim, hm?

— U-uhum... v-vai...

E não parou por nada, metendo e tirando até o final só pra penetrar fundo mais uma vez e se deliciar com os gemidos. O quarto cheirava a puro sexo, a cama batia na parede e os dois estavam muito mergulhados no tesão pra se preocupar com os vizinhos do lado, de cima, de baixo e provavelmente do andar inteiro.

Os corpos estavam em choque profundo, Mark observava a pele dourada de Hyuck tremer a cada vez que batia na bunda marcadinha do garoto.

Ambos entraram em êxtase profundo que nem deram conta dos minutos passando, formando horas. Até a voz fraquejar e o corpo tremer de cansaço.

Assim, Mark gozando dentro de Haechan e o mesmo se desfazendo na mão do maior que o masturbava, sendo denunciados por gemidos baixos.

Haechan revirou os olhos, sentindo o gozo escorrer entre suas coxas, o qual Mark fez questão de lamber. Realizando beijo grego por um tempinho. Donghyuck definitivamente tinha adorado aquilo.

Depois, deitaram um ao lado do outro no colchão macio, relaxando os corpos; Totalmente acabados.








— Talvez eu deva te ignorar mais vezes.

— Vai à merda, Mark.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...