1. Spirit Fanfics >
  2. Só Tem Cara Mau Aqui >
  3. Início.

História Só Tem Cara Mau Aqui - Capítulo 1


Escrita por:


Capítulo 1 - Início.


Todos os olhares presentes naquela área aberta e rodeada por árvores, fitavam o homem de cabelos ruivos que tinha metade do rosto coberto pelo  manto negro. Em seus dedos haviam 8 anéis e sete kunais. A maioria dos presentes ali já o conheciam, ou pelo menos já tinham ouvido falar daquele olhar, aquele rinnegann era ainda mais intimidador quando visto de perto. Mas nem isso colocava medo nos oito ninjas presentes, todos já tinham encarado coisas muito piores do que aquilo para voltarem a sentir qualquer coisa que se relacionava ao medo.

— Eu gostaria de dizer que é um imenso prazer finalmente poder conhecê-los, mas não é — o seu tom ríspido fez com que as expressões se fechassem ainda mais. — Eu não tenho a mínima vontade de fazer com que simpatizem comigo, mas a partir de hoje, trabalharemos juntos por um bem maior. O mundo ainda não sabe, mas aqui será criada a maior organização do mundo ninja. A Akatsuki. A partir de hoje, vocês trabalham pra mim, se houver alguma objeção quanto a isso, podem se retirar, caso contrário, não poderão mais sair.

— O que a gente ganha com isso? — O homem de cabelos esbranquiçados quem perguntou, parecendo impaciente. — Eu não deixei minha vila pra ser capacho de outra pessoa.

— Poder — respondeu, em tom cortante. — Suas vilas procuram vocês pelos seus crimes, a única chance de saírem dessa história, são mortos, então por que perder seu tempo sendo uma pessoa boa agora?

Sua sobrancelha fora arqueada, e depois disso, o ruivo não foi mais interrompido. Em um movimento rápido, as sete kunais em seus dedos foram lançadas em direção aos ninjas, que não precisaram fazer o mínimo esforço para desviarem ou pararem as mesmas no ar.

— Qualquer ligação emocional ou não com suas vilas de origem, devem ser deixadas de lado. Joguem suas bandanas fora ou risquem o símbolo, como uma forma de desapego.

— Você ainda não contou qual o nosso propósito... — O loiro de cabelos alongados quem disse, não tendo problemas em riscar o símbolo da Pedra em sua bandana, só assim colocando-a de volta na testa. 

Houve alguns minutos de silêncio, em que se era possível ouvir somente o som das kunai sendo raspada no metal das bandanas, o único que não possuía uma era o shinobi de máscara alaranjada em forma espiral, parecia ter se desfeito da mesma antes daquele encontro.

Dominação mundial.

As palavras do homem atraiu novamente os olhares para si, juntamente com alguns sorrisos satisfeitos. Para a maioria, aquilo era um grande propósito.

— Trabalharemos em duplas, mas como conseguiram notar, estamos em nove, então vai haver um trio — pigarreou, desviando seu olhar para a mulher ao seu lado durante alguns segundos, essa que se manteve calada o tempo todo. — Eu sou Pain, da Chuva, e ficarei com a Konan — apontou para a mesma, que continuou a agir com indiferença. — Vocês não se conhecem, então tomei partido para escolher as duplas, levando em consideração suas habilidades.

Mais silêncio, esse que Pain retirou dois  dos vários anéis em seus dedos. Um vermelho e outro amarelo.

— Primeira dupla. Kisame, da Névoa, e Itachi, da Folha. Peço que fiquem com os anéis, além do manto, é claro, mais tarde entenderão o que ele significa — e com isso lançou-os em direção aos dois shinobis, que os agarraram no ar sem problemas. — Hidan, das Fontes Termais e Kakuzu, da Cachoeira — lançou mais dois anéis. — E por último... — desviou seu olhar aos últimos três ninjas que haviam sobrado. — Deidara, da Pedra. Sasori, da Areia, e Tobi, da...?

Sua hesitação dava a entender que desconhecia o lugar de origem do novo membro. Esse recebeu todos os olhares para si, qualquer pessoa com senso conseguiria notar o quão intimidadora aquela máscara o deixava

— É... — Aquela voz... Tão aguda...Tobi prefere não falar sobre isso.

As caretas no rosto de Sasori e Deidara deixava clara toda a decepção e desgosto que haviam sentido pela forma de agir do terceiro parceiro, ainda mais por ouvirem os outros soltarem algumas risadinhas. 

— Certo... — Pain agiu indiferente. — E Tobi — lançou o último anel, na cor lilás, em direção ao ninja mascarado.

 — Por que esse idiota está aqui? Achei que isso era uma organização pra ser levada a sério — o tom irritado de Deidara fez com que o tal Tobi se mantivesse em silêncio.

— Somos um trio, enquanto eu estiver aqui, não está tudo perdido — a voz de Sasori era assustadora, mas não mais do que aquele olhar e aquela aparência bizarra. 

— Pode parar de ficar se exibindo!

— Sasori e Deidara... — O mascarado assustou-os quando se jogou entre os dois, colocando os braços por cima de seus ombros. — Vamos ser o melhor trio do mundo! Ninguém vai ser páreo para o TobiSasoDei!

— Me solta, Tobi! — o loiro tentou se afastar, de maneira inútil, do aperto do outro, assim como Sasori. Só então puderam notar a força que este possuía nos braços.

— Me larga, seu anormal!

— Chega! — O tom extremamente ácido de Pain fez com que Tobi os largasse e voltasse ao seu lugar, recebendo olhares irritados da dupla e irônicos dos outros. —  Não peço que sejam amigos ou que gostem uns dos outros, um bom trabalho em equipe é o bastante, e se não se apagarem ao sentimento de amizade, será ainda mais gratificante — suspirou.

— Isso vai ser complicado — Hidan retrucou. — Esse cara aqui é fraco demais pra acompanhar o meu poder — a troca de olhares entre ele e Kakuzu poderia matá-los a qualquer instante.

— Eu vou fazer o possível — o de olhos verdes deu de ombros. — Mas não me culpem se eu matar essa aberração durante as missões.

— Você pode tentar... — Alfinetou, com um sorriso desafiador. — O meu Deus Jashin jamais vai me deixar morrer.

— E ainda vou ter que te ouvir pregando... — Kakuzu respirou fundo, parecendo frustrado. — Vai ser muito difícil não te matar.

— Sou eu quem vai matar você, pagão ignorante! 

E isso foi o suficiente para que o de cabelos brancos partisse pra cima do seu próprio companheiro, trazendo consigo uma foice de três lâminas. Kakuzu reagiu de imediato, conseguindo parar a foice quando ela estava a centímetros do seu rosto, deixando o cabo suspenso pelos fios que saíram de suas roupas.

— O Deus que eu clamo é superior ao seu, e ele se chama riqueza, ele sustenta esse mundo.

— Seu... — Grunhiu entridentes, colocando toda sua força para tentar rasgar aqueles fios com a foice, mas parecia inútil, eles se mantinham firmes.

Contudo, não desistiria tão fácil, e depois de colocar toda sua força física em empunhar a foice, estava prestes a arrebentar as linhas de Kakuzu. Seu ódio estava tão concentrado no homem mascarado a sua frente, que sequer conseguiu notar o motivo pelo qual o mesmo recuou, mas viu isso como uma chance para acertá-lo. Conseguiu rasgar os fios e mirava a cabeça do homem, mas quando pode perceber, ele já se encontrava longe, e tudo que surgiu diante da sua visão foi algo minúsculo e branco.

Katsu! 

Essas foram as últimas palavras que Hidan ouviu antes do seu corpo arremessado para longe com uma pequena explosão. Pequena, mas forte o suficiente para lhe empurrar até que batesse seu corpo contra o tronco de uma árvore. Qualquer outra pessoa poderia ter morrido com uma explosão a centímetros do rosto, mas não ele.

Conseguiu erguer sua cabeça para encarar o acontecido, encontrando um Kakuzu  imóvel mais a frente, como se estivesse impossibiltado de fazer algum movimento, enquanto Deidara o encarava com um meio sorriso.

— Uaaaau — a voz irritante de Tobi se fez presente mais uma vez. — Isso foi incrível, Mestre Sasori e Deidara-Senpai!

— Não consigo... Me mexer... — Grunhiu Kakuzu, recebendo um olhar indiferente de Sasori, que lhe controlava através de fios de chakra. — Me solta...

— Vocês são dois idiotas — Deidara revirou seus olhos. — Fico surpreso por ainda estar... Vivo, você é- — dirigiu um último olhar a Hidan.

— Eu sou imortal, imbecil!

As palavras do mesmo geraram alguns olhares surpresos, até mesmo de Kakuzu, que agora estava sendo liberto das linhas de Sasori.

— Então é isso... — Concluiu o de olhos verdes, com um olhar sarcástico. — Vai ser satisfatório trabalhar com você, afinal.

Mais afastados, Kisame e Itachi observavam, em silêncio. A cena toda gerou algumas risadas debochadas do ex-expadachin, mas recebeu toda a indiferença de Itachi.

— Idiotas... — proferiu, em tom baixo. — Caso precisem de mim, vou estar na casa.

Essas foram suas únicas palavras antes de se retirar, sendo seguido por Kisame alguns minutos mais tarde. 

— Vai ser difícil trabalhar com esses caras — comentou Konan, enquanto seu olhar se mantinha fixo na discussão entre o trio e a ultima dupla. 

— Eles são muito mais fortes do que imagina — proferiu Pain, em tom misterioso. — Não entrem naquela casa enquanto não se resolverem!

E com isso, a a dupla se retirou, com Hidan e Kakuzu sendo os próximos, mesmo que nada indicasse que haviam se resolvido, pelo contrário.

— Eu também vou indo — Sasori suspirou, sequer olhando para os companheiros enquanto começava a se afastar.

— Espera, Mestre Sasori! — Até mesmo os tratamentos de Tobi causavam náuseas em Sasori. — Vamos comer juntos! Tobi está ansioso pra conhecer vocês!

— Sem chance.

— Vaaamos! — Se colocou a frente do homem, que o encarou com aquele olhar mortal de sempre. Ele realmente tinha uma aparência assustadora. — Por favor, Mestre... 

— Eu topo — a voz de Deidara era tediosa. Enfim aceitou que precisaria conviver com aqueles dois. 

— DEIDARA-SENPAI!

Nem vem, Tobi!

Fechou a cara, tentando correr para longe dos braços do mascarado enquanto ia em direção a casa. Sob o olhar de desprezo de Sasori, que somente revirou os olhos e seguiu na mesma direção. A convivência entre eles não seria algo fácil de se acostumar, afinal.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...