1. Spirit Fanfics >
  2. Só um Beijinho, Hyung >
  3. Capítulo Único

História Só um Beijinho, Hyung - Capítulo 1


Escrita por: e CityLightx


Notas do Autor


Olá, espero que estejam bem <3
Primeira de muitas vezes que irão me ver nesse projetinho lindo. Espero que gostem da one <3

Capítulo 1 - Capítulo Único


Era bem nítida a felicidade do Kim aquela manhã. 

— Se controla — disse Jungkook, após sua bola de chiclete estourar. — Ela aceitou? 

Taehyung concordou mais animado ainda, começando a cantarolar uma música. 

— Não acredito que uma garota tão legal aceitou sair com um idiota. — O mais novo teve que se esquivar para não receber um tapa no ombro. 

— Ela é muito sortuda. Vai sair com o cara mais popular do colégio! 

Jeon quase engoliu seu chiclete, já sem gosto, no ato de puxar o ar antes de começar a rir, como se tivesse ouvido uma boa piada. 

— Babaca... 

Taehyung bateu forte a porta do armário e andou até a sala de aula, deixando seu amigo para trás; mas Jungkook fez questão de segui-lo com sua risada, que parecia bastante forçada, mas que, infelizmente, para o Kim, era bem verdadeira. 

Ainda naquela manhã, Jungkook continuava rindo e fazendo questão de que o amigo não visse a garota com quem ele lutou tanto para conseguir um encontro, com a desculpa de que ele precisaria fingir que era popular o suficiente para sumir e só aparecer na hora marcada.

Taehyung não era nem um pouco popular na verdade, e muito menos atraente, o que causava uma certa dificuldade na hora de chamar garotas para sair — o óculos fundo de garrafa e as espinhas na testa não ajudavam muito. 

Nunca havia tido um encontro antes, e não fazia a menor ideia de como agir em um. Geralmente a alma do negócio era apenas chamá-las para sair, elas sempre negavam então não precisava se preocupar com a outra parte. 

— Acha que eu devo mandar mensagem? 

Já na volta para casa, Taehyung havia deixado a felicidade de lado dando lugar a ansiedade enquanto Jungkook mascava outro chiclete. 

— Óbvio que não. Garotas não gostam de ser incomodadas. 

— Como você sabe? Ela pode ter... — engoliu seco com a possibilidade que veio a mente.

— Esquecido? — Taehyung confirmou — Acho que não. Que tipo de pessoa esquece um encontro? 

— O tipo que vai sair com Kim Taehyung... Ah droga, eu vou mandar mensagem e dar uma desculpa para cancelar, é mais fácil. 

O mais novo puxou o celular da mão do Kim. 

— Nem pensar! É o seu primeiro encontro, não vai estragar ele. 

Taehyung respirou fundo e apressou os passos para chegar em casa. Precisava escolher uma roupa, um sapato, um perfume, uma cara que não parecesse a de um nerd fracassado e um jeito de tentar não entrar em pânico. 

A parte ruim era que Jungkook não ajudava em absolutamente nada. Seus conselhos sobre moda eram péssimos. Ninguém jamais usaria um All Star com um short havaiano. 

Depois de muitas discussões para saber qual penteado combinava mais com o estilo "Sou bem descolado", Jungkook repensou sobre a ideia da tal mensagem. 

— Por que não pede ajuda pro seu irmão? Ele deve sair mais que você. 

— Ele tem 15 anos, Jungkook... Você não cansa de tirar sarro de mim não é? 

Jungkook riu baixinho e depois foi a vez do mais velho, que começou a pensar mais sobre a ideia.

Enquanto o Kim escolhia uma blusa que combinasse com o tênis, Jungkook quase dormia em sua cama, totalmente entediado, quando lhe surgiu uma certa dúvida. 

— Onde vão? 

— Ahn? — Jungkook revirou os olhos e se sentou. 

— Onde vocês vão?

Demorou alguns segundos para Taehyung lembrar do fato de que não fazia a mínima ideia de que precisava pensar naquilo também. 

O desespero voltou a tona e, agora, havia um garoto seminu totalmente nervoso na frente de Jungkook.

— Vocês podem ir naquela lanchonete que abriu a algumas quadras do colégio — disse Jeon. — Jimin me levou lá, só pra dizer no final que queria ser apenas meu amigo.

— Eu acho que ela não é do tipo que gosta de lanchonetes, onde ocorrem friendzones. 

— Obrigado pela força...

— Que tal o cinema? Todo primeiro encontro é em cinemas, não é? — Jungkook sentiu vontade de rir da expressão de otimismo do mais velho.

— O meu primeiro foi em um beco escuro com uma garota punk, e ela tentou me beijar.

Novamente Taehyung parou no tempo olhando para um ponto fixo no chão. 

— Beijar? Acha que... pode rolar isso? 

— Não. Você provavelmente entraria em pânico, ou já está em pânico…

Taehyung se sentou na cama pensando aflito naquela possibilidade.

— Eu nunca beijei alguém, Jungkook. 

Não era necessário que Taehyung dissesse aquele fato curioso sobre si mesmo, afinal, Jungkook já sabia. 

Ficaram alguns segundos em silêncio, até que o mais novo e sua mente talvez não tão brilhante assim sugerisse uma ideia absurda.

— O quê?! — Taehyung o olhou de cima abaixo e arrumou seu óculos — Não vamos nos beijar.

Jungkook revirou os olhos. 

— Eu estou tentando te ajudar.

— ... Isso não me parece uma ajuda. 

— Olha — Jungkook se arrumou na cama virando para o amigo —, como imagina que deva ser um beijo? 

Novamente arrumando seu óculos, Taehyung pensou em todas as cenas dos filmes e até mesmo as que ele havia criado em sua mente de garoto solitário durante anos. 

— As bocas se juntam e... sabe. — Os gestos com a mão não ajudaram nada a fazer Jungkook entender melhor. 

— Santo Deus, é pior do que pensei. Parece que você vai pagar um grande mico hoje à noite, boa sorte. — O mais novo deu um tapa nas costas quase fazendo o amigo cair da cama. 

Novamente Taehyung arrumou seu óculos no rosto e olhou no fundo dos olhos de Jungkook, que continuava mastigando aquele maldito chiclete que deixava seu hálito com frescor de menta. 

— E vai mudar algo se você me beijar? — Nem ele mesmo acreditava que estava cogitando aquela ideia. 

Jungkook abriu um sorriso sacana. 

— Acho que você esqueceu que o seu melhor amigo já beijou praticamente o colégio inteiro.

— Isso não alivia minha tensão. Se você fosse uma garota talvez...

— Primeiro passo: Não encoste seu nariz muito forte no nariz da outra pessoa. — Jungkook colou seu corpo ao do mais velho, que por pouco quase conseguiu escapar.

— Mas o quê…?

— Segundo passo: Apenas toque a boca da pessoa, mas não coloque a língua logo de cara, pode ser meio, sabe, invasivo demais. 

A mão do mais novo correu pelo pescoço de Taehyung e parou em sua nuca, fazendo seu corpo ficar tenso e um tanto quente. 

— Terceiro: Se o selinho demorar demais, aí você pode colocar a língua, mas tem que ser devagar para se certificar de que a pessoa vai querer. 

— Isso é bem mais complexo do que pensei. — Com a mão quase trêmula, Taehyung arrumou seu óculos novamente enquanto olhava para a boca do amigo e sentia seu hálito de menta. 

— Quarto e último passo: Imagine que está tentando pegar um cubo de gelo em um copo de água e mexa a língua. 

— Isso não faz o menor sentido, sabe disso não é? 

— Mexa a língua...

As bocas se colaram e Taehyung achou que teria um ataque cardíaco ali mesmo. Suas mãos começaram a suar e o corpo ficou mais tenso, praticamente imóvel na cama. Os olhos continuaram abertos, até Jungkook novamente passar a mão por sua nuca, causando arrepios em seus braços. 

Sem ter a menor ideia do que fazer, abriu um pouco a boca e Jungkook fez o mesmo. Sentiu, além da língua do melhor amigo invadir aos poucos sua boca, um calor em uma certa parte que não parecia nada certo. 

Empurrou o mais novo e se levantou da cama quase tropeçando nos próprios pés e se dando conta de que estava apenas de cueca. 

— Você não fez nada do que eu falei, e seu nariz furou meu olho. — Jungkook claramente fingiu que não havia visto a pequena ereção do melhor amigo antes que ele colocasse suas calças de volta. 

Ainda naquela tarde, Taehyung tentava incansavelmente fingir que não havia acontecido nada, o que quase sempre não dava certo. 

Quase no fim da noite, depois de um encontro bastante estranho na mesma lanchonete da friendzone, o mais velho resolveu cortar o caminho para casa. 

Arrumou o óculos e respirou fundo antes de tocar a campainha da casa de Jungkook, que abriu a porta depois de um minuto enquanto chupava um pirulito. 

— Ainda são nove e meia, já acabou? Como foi? 

Taehyung respirou fundo e deu um pequeno sorriso. 

— Estranho, mas... pode me ensinar aquilo de novo? Acho que ainda não aprendi direito.

 


Notas Finais


Deu até vontade de escrever uma continuaçãoKKK
Peço muito obrigada ao lindo, esbelto, sagaz, inteligente e taurino @CDANAPO pela betagem, amo-te demais
E também a quem deu o visual para a one, que sinceramente ficou sensacional, muito obrigada @Escarlity
Até a próxima anjinhos <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...