1. Spirit Fanfics >
  2. Sob a luz da lua 🌙 >
  3. A new night🌙

Hist√≥ria Sob a luz da lua ūüĆô - Cap√≠tulo 5


Escrita por:


Cap√≠tulo 5 - A new nightūüĆô


Fanfic / Fanfiction Sob a luz da lua 🌙 - Cap√≠tulo 5 - A new night🌙

3 YEARS LATER

Os saltos de meu sapato ecoavam por todo corredor do estabelecimento. No corredor perto da ala de espera, havia uma multidão de pessoas nervosas com papeladas em mãos, se posicionado para entrar na entrevista para ser aceito na empresa.

-Número 75! Número 75?!(Uma baixinha bem arrumada com pastas em mãos falou lendo um papel com o número)

-Aqui! (Falei entrando na sala recebendo olhares perturbantes de muitas pessoas ali sentados esperando seus números serem chamados.)

-Me siga, por favor! (Pediu e a segui até uma porta de madeira)

-Pode entrar. O chefe está à sua espera. (Sorriu largamente) - Boa sorte, tenho certeza de que irá passar Senhorita Anelise! (Sorri para ela e logo abri a porta da sala)

-Olá! Seja bem vind.....Advogada Anelise? Você veio á entrevista de emprego aqui na nossa empresa? (Um homem falou se virando para frente em sua cadeira que fica concentrada no meio da sala)

-Olá! Vim aqui pois é a melhor empresa da cidade, ou eu posso estar enganada? (Rimos juntos e logo me sentei na cadeira a sua frente)

-Você nunca está enganada Advogada Anelise. (Falou rindo simpaticamente)

-Prazer, sou Jeon Jungkook. Seu novo chefe! (Sorriu me deixando confusa e logo estendeu sua mão me fazendo aperta-la)

-Novo Chefe? (O olhei aturdida com sua frase)

-Você acha que irei perder a melhor advogada da Coreia? Se acha está equivocada. Anelise você é muito conhecida, sempre vence seus casos, impressionando a todos, jogando limpo e trabalhando muito bem. Você é realmente muito disputada entre as empresas, me surpreendi ao tê-la aqui na minha. (Fiquei muito feliz ao saber que tanto trabalho duro rendeu a isso, então apenas sorri largamente para ele)

-Bem então já estou contratada? Uau, foi rápido! (Suspirei amenizada recebendo um sorriso vindo do mesmo)

-Quer começar amanhã? Estamos tendo que entrar em um caso muito importante. (Suspirei levando minha destra ao meu queixo pensando)

-Posso sim. Será que o senhor poderia prosseguir com o relato do caso? Só queria me informar o quanto antes sobre, assim posso trabalhar melhor.

-Um homem de 30 anos foi acusado injustamente. Não temos provas, mas ele alega com toda sua sinceridade que não o cometeu. Ele foi acusado por matar Hitsvurk Knut. (M-Meu pai? Eu terei que conversar com o suposto cara que assassinou meu pai? Não acredito que o mundo dá voltas…)

-Oh, claro. Eu aceito o caso. Poderia me dizer mais sobre? Acho que preciso de mais... (Logo Jungkook assentiu, e pronunciou-se)

-Ele está desesperado para que descubram a verdade. Ele alega ter sido seu irmão, Kim Namjoon. Porém como havia mencionado, não temos nenhuma prova. E precisamos justo disso, provas. Eu vou te passar tudo por mensagem. Poderia me dar seu numero? (Jungkook perguntou feliz quase me fazendo sorrir por sua dualidade. Quando entrei na sala vi um homem sexy sentado em sua cadeira, mas depois de dois minutos uma criancinha apareceu no seu lugar.)

-Claro. Só um minuto... (Peguei meu celular e o amostrei meu número que logo o superior adicionou)

-Bem, se me der licença estou indo agora. Até amanhã Chefe! (Pisquei para ele que me retribui com um sorriso encantador enquanto seus olhinhos brilhavam)

-Anelise? (Olhei para trás antes de pegar na maçaneta da aporta e abri-la.) –Me chame de Jungkook, não precisa me chamar de Chefe! Seremos amigos e companheiros de trabalho! (Sorriu e o retribui assentindo. Sai da sala, passando novamente por todos os olhares surpresos. Entrei em meu quarto e dirigi até meu apartamento)

Guardei meu carro na garagem disponibilizada para apenas moradores. Entrei na recepção e subi para o elevador digitando o 6° andar. Abri a porta e retirei os sapatos logo após entrar. Coloquei minha bolsa no balcão da cozinha e fui preparar algo. Fiz um macarrão leve. Enquanto fervia sentei nos banquinhos da bancada na cozinha e olhei meu celular.

Uma mensagem de Hiuhji me fez lembrar de todo o ocorrido de três anos atrás me deixando triste.

Minha mãe foi hospitalizada por uma doença sexualmente transmissível germinada por meu pai que além de agredi-la sexualmente também agredia fisicamente quando estressado. Minha mãe acabou se rendendo à doença que a levou embora tão cedo enquanto meu pai ficava feliz liberto das grades que passou sete semanas sendo penalizado por seu ato. Depois de muitos dias meu pai ia em casa bêbado e brigava comigo sem motivo. O mesmo já tentou me estuprar cinco vezes em 1 semana o que me despertou uma desconfiança excessiva de homens. Há alguns dias Knut não voltava para casa, não estava preocupada, pelo contrário, agradecia seu desaparecimento. Uma notícia na Tv deixou Senhora Kim e a mim assustada. Meu pai havia sido assassinado por um homem alto, magro e com as bochechas que marcavam seu rosto arredondado. Tive que depor em seu caso que deu tudo certo. Segui minha vida até conseguir ficar bem. Sem meus pais a minha ajuda, estava deslocada no mundo. Após a demissão de senhora Kim, ela me manda mensagem até hoje me perguntando como estou, se já comi, se já abasteci minha casa, se está tudo bem com minha vida, se estou triste, ou outras típicas perguntas de preocupação. Ela vem sendo um amorzinho comigo. Todo o mês eu deposito em sua conta bancária uma quantia considerada alta para seu sustento, já que Senhora Kim cuidou de mim desde meu nascimento e agora que já idosa, desempregada e sem filhos para ajudá-la eu me ofereci depois de ser muito rejeitada por ela, que negava em ter minha ajuda. Agora o Jin. Não nos vemos desde a formatura. Sinto tantas saudades de seu calor, seu corpo, sua boca. Só de pensar as sensações voltam como se fosse o dia de nosso primeiro beijo e sexo juntos.

Bem, focando na Hiuji, nos tonarmos melhores amigas depois da mesma me encontrar chorando no corredor hospitalar. Ela me acolheu quando estava sozinha, desesperada, e lutando contra o mundo. Ela me apoiou em tudo, me ajudou a crescer tanto como pessoa tanto quanto na vida. Sua ajuda foi muito essencial na minha vida, então quase todos os dias ela vem aqui com seu irmão que graças a deus se encontra bem. Já que no dia em que ela me ajudou ela não estava no hospital por querer ou por apenas trabalhar lá. Mas porque seu irmão Yoongi se acidentou gravemente. Ele levava sua ficante para casa, mas um carro colidiu com o dele o que fez os dois embarcarem no mar. Felizmente os dois sobreviveram, mas ela acabou tendo sequelas, e teve que amputar a perna esquerda devido à perda de movimentos no musculo, enquanto ele quebrou o ombro, mas nos dias de hoje só algumas dores o fazem ter que tomar remédios, mas nada tão desesperador. Yoongi virou meu melhor amigo quando passou a levar Hiuhji todos os dias para minha casa. Tinha dias que ele estava cansado e oferecia minha casa para o maior descansar, então ele dormia lá junto da gente. Fazíamos festa do pijama, assistíamos juntos, passamos a nos divertir juntos. Então nossa amizade cresceu, e não temos mais vergonha de nada, somos quase irmãos.

MENSAGEM

Ogra: Menina, você não sabe Anelise!

Ogra: Se lembra da formatura da nossa faculdade? Achei essa foto ridícula! KEKEKEK. Eu estava bêbada, o Yoongi com sua ex namorada, e o Jin ao seu lado. Que foto icônica! KEKEK

Ogra: (FOTO)

Eu: Meu deus Ogra KEKEKEKEKKEE

Ogra: Para de me chamar de Ogra KEKEKEK. Só porque comi sua lasanha não significa que sou ogra Anelise KEKEK

Eu: OGRAAAAAAA!

Ogra: A “Ogra” Está indo a caminho de sua cassa com o irmão Ogro.

Eu: Porquê com ele você não colocou aspas? KEKEK

Ogra: Porque ele realmente é um. Beijos que já estou indo.

EU: Menina KAKAKKA

Fui tomar um banho frio para me despertar. Coloquei um short de moletom curto e uma blusa azul com manguinhas. Sequei com a toalha meus cabelos antes que as gotículas de água molhem minha blusa deixando-a transparecer meu sutiã. Penteei meus cabelos e fui abrir a porta ao escutar duas batidas.

-Oi Ogra! Oi Suga!! (Falei encarando cada um rindo depois de levar um tapa de Hiuji e um abraço caloroso de suga.)

-Meu coração se enche quando você me chama assim bebê. (Falou me fazendo rir e levemente corar. Ainda não me acostumei com Yoongi me chamando de bebê, pois segundo ele eu preciso ser cuidada toda hora.)

-Tchau Suga! (Sorri para os dois e Hiuhji entrou na minha casa. Fui fechar a porta, mas Yoongi colocou o pé impedindo-a que se feche. O olhei e logo fez sua cara de gato abandonado. Cedi aos seus devaneios deixando ele entrar)

-Só deixei porquê não consigo aguentar sua cara, seu nojento. (Falei o olhando com desdém, mas não funcionou pois logo gargalhei da cara de Hiuhji)

-Amiga, eu te ensino a rejeitar o Yoongi. Tenho anos de experiência. (Concordei balançando a cabeça rapidamente assentindo. Logo suga agarrou minha cintura e recostou seu queixo em minha cabeça)

-Anelise, você é a única pessoa que eu consigo colocar meu queixo na cabeça. O resto das garotas são baixinhas. (Dei um tapa em sua cabeça, que logo levou sua mão para alisar o local afetado)

-Ei! Eu não sou baixinha! Só não cresci igual a essa cavala ai! (Apontou para mim que gargalhei com seu modo de falar)

-Eu não sou cavala. Não tenho culpa se as garotas do continente asiático são pequenas, pelo menos a maioria é! (Ela fechou logo a cara se jogando em meu sofá. Fui até ela para fazer o mesmo só que com suga ainda agarrado a mim)

-Para quem não gosta de apego, você está bem grudado nela! (Hiuhji falou rindo enquanto ligava a tv)

-Ela não é chata igual a você Hiuhji! Pelo menos Anelise é suportável. (Chutei sua canela vendo-o grunhir de dor)

-Eu quero assistir e me sentar. (Murmurei para ele que sorriu descaradamente)

-Sente no meu colo. (Suga ofereceu e o olhei pasma, mas somos melhores amigos, quase irmãos. Já tivemos tanta coisa juntos. Nos três.) Yoongi se sentou no sofá automaticamente me sentando também, já que suas mãos não desgrudaram de minha cintura. Recostei minha cabeça em seu ombro ossudo, um pouco desconfortável, mas era o que tínhamos ali. Hiuhji se sentou mais perto de mim colocando sua cabeça também no ombro de seu irmão. E assim passamos 2 horas do filme....

-Gente, amanhã eu vou começar a trabalhar. Preciso dormir cedo. (Eles se entreolharam assustados e me fitaram logo em seguida.) –Aish! Eu fui aceita na empresa de Jeon Jungkook. Eu descobri que sou famosa como advogada por aqui. Então quando me viu aceitou sem hesitar. E já tenho um caso amanhã, então preciso DORMIR! (Falei pausadamente para os dois que riram de mim)

-Que ótimo amiga, estou feliz por ti. Também estou querendo um emprego. No momento estou sem! Yoongi não quer me colocar na empresa dele.

-Querida Anelise, seus dias de gloria começaram!  (Yoongi falou me fazendo virar bruscamente de lado ainda em seu colo) –Credo menina, que brutalidade. Bem que Hiuji disse que tu eras uma cavala. (Riu e logo o estapeei)

-Porquê? Vai fazer meus salários aumentar? (Perguntei me referindo a ual frase anterior antes de ser insultada)

-Não, mas eu também trabalho lá, e Jungkook é meu melhor amigo. (Eu não conseguia me mexer te tamanha felicidade)

-Ai que bom! Assim eu não ficarei perdida por lá! (Percebi que Hiuhji nos olhava cabisbaixa então passei minha destra por seus cabelos sedosos) O que foi minha Ogra preferida?

-É que vocês estão empregados, e ainda vão trabalhar juntos. E eu estou aqui, com quase 32 anos desempregada. (Seus olhos brilhavam, senti sua garganta engolir em seco e uma lagrima se aproximar ameaçando descer)

-Calma irmã. Eu prometo que vou consegui um trabalho lá para você, só porque Anelise conseguiu. E como essa coisa aqui é inteligente... (apontou para mim recebendo um olhar furioso vindo de Hiuhji), talvez você fique igual. (Hiuhji começou uma guerra de espancamento com Yoongi que aceitou comigo ainda em seu colo. Me levantei deixando os dois se estrangularem e fui para a cozinha pegar um leite quente. Pensei nos dois e fiz 3 xicaras de leite quente. Coloquei os dois em cima da bancada e bebi o meu apoiada de bruços na bancada.

-Tem leite no copo para os gatinhos. (Fale alto e logo Yoongi e Hiuhji pararam a briga e vieram até mim com olhinhos brilhantes e um sorriso na boca) –Podem beber. (Ditei vendo o sorriso transparecer nos dois)

-Por isso que te amo amiga.

-Também minha Ogra!

-Eu também amo vocês, mas, não deixam de ser insuportáveis.

-Sim suga, eu também te amo.

-Porquê você o chama de Suga? E quando eu vou chamar ele não deixa? Em sunguinha? (Fez uma voz fina perturbando o maior ao seu lado)

-Porquê ele tem um sorriso doce, e é branco como açúcar. Porém eu queria que fosse doce também. (Ele me olhou com os olhos semicerrados prestes a me atacar)

-Eu sou doce sim! (Falou cruzando os braços)

-Aonde? Desde quando? (Hiuhji provocou)

-Desde sempre sua nojenta! (Hiuhji levantou a mão prestes a bate-lo, mas segurei seus pulsos antes)

-Vamos dormir? Estou morrendo de cansaço. (Sugeri e logo os dois se acalmaram. Fomos para meu quarto que tinha uma cama King de casal. Dava umas 4 pessoas, já que somos extremamente magros)

- Hiuhji, por que você não se arruma também e saiu com a gente? Assim eu te apresento para meus amigos e você faz a entrevista por lá.

-Pode ser, mas não sei se aqui tem roupa formal. Acho que nunca trouxe para aqui.

-Não tem problema, eu te empresto alguma minha.

-Que bom que eu tenho. Mas não posso te dar algo meu, né... (Rimos mais e nos deitamos na cama.)

-Quem vai ficar no meio? (Perguntei esperado já a resposta de Yoongi)

-Eu, obviamente. Quero ficar no meio de uma gata e Hiuhji. (Rimos, mas Hiuhji mantinha uma cara seria se controlando para não gargalhar) –Mentira irmãzinha. (Falou a abraçando e assim dormimos. Estava de frente para as costas de suga agarrada a sua cintura, enquanto Yoongi abraçava sua irmã de frente.)

Meu celular me desperta no horário ideal. Os dois continuam dormindo. Então me levantei cautelosamente e adentrei no banheiro. Peguei minha roupa após o banho, escolhendo uma calça jeans apertada, uma blusa branca e um blazer azul. Escolhi uma roupa para Hiuhji, e a coloquei sob a poltrona que ficava abaixo da janela. Fiz o mesmo com a roupa de suga já separada desde a semana passada que esteve aqui com ela. Sai do quarto deixando o despertador para 6:20. Fui fazer algumas panquecas e café para nos. Sentei no sofá com as pernas de índio e liguei no noticiário. Apareceu algumas informações sobre meu caso, ou melhor, o caso do Seokjin. Comi as panquecas e bebi o café entretida, nem havia visto que Yoongi e Hiuhji estavam ao meu lado no sofá fazendo o mesmo.

-Oi gente. Bom dia. Não vi vocês aí. (Falei os olhando)

-Percebemos! (Falaram em uníssono) –Mas sabemos que quando se trata de um caso você enlouquece. (Hiuhji falou, e acabei tendo que concordar)

-Mas é necessário. Esse caso é importante.

-É sobre o que? (Yoongi perguntou entusiasmado. )

-Sobre o assassinato de meu pai, que possivelmente o amor da minha vida tenha o matado! (Eles me olharam surpresos e de boca aberta me fazendo rir anasalado de cabeça baixa)

-Seokjin? (Falaram em uníssono e depois riram por falar duas vezes ao mesmo tempo)

-Sim! (Dei o ultimo gole em meu café)

-Eu já sabia um pouco sobre isso. Eu sei que ele está solto, mas está em sal casa saindo normalmente. Ele havia me falado ontem que não está com medo pois sabe de sua inocência. Isso me comoveu, eu conheço meu amigo, e sei que ele não seria capaz disso. Fora que ele te amava. Amava demais para cometer algo tão grave assim.

-Pode ser...., mas mesmo assim, eu tenho que ser profissional e não levar na emoção. Pode acabar dando tudo errado.

-Quem te escalou para esse caso, amiga? (Hiuhji me perguntou)

-Jungkook, assim que fui contratada o mesmo me passou esse caso. Confiando estritamente em mim. (Falei orgulhosa)

-Isso é bom. Mas, tem certeza de que está bem? (Yoongi insistiu)

-Estou bem sim! Aliás eu já disse que tenho que ser extremamente profissional. (Falei indo em direção a cozinha com os dois me seguindo logo atrás.)

-Deixa que eu lavo. (Yoongi falou e entreguei meu prato e copo para o mesmo que colocou na pia sendo feito a mesma coisa com o de Hiuhji)

-Mas amiga, isso é importante demais. É sobre a pessoa em que você ama. E sobre seu pai. Deve ser muito difícil. (Falou preocupada)

-Calma pessoal. Eu nem sei se eu amo o Jin. Faz tanto tempo que não nos encontramos. Ele pode ter mudado dentre esses anos. Ele pode não ser o Jin que me apaixonei aos 27 anos. (Falei simplista observando Yoongi lavar a louça)
 

-Pode ser, mas você ficava pensando e falando nele até a semana retrasada. (Suga mencionou e eu ri comigo mesma)

-Gente, eu estou bem! Eu juro. (Falei colocando ponto final no assunto)

-Se você insiste! (Hiuhji falou logo penteando seus cabelos)

-Vamos que eu preciso chegar cedo. (Yoongi falou e eu peguei minha bolsa á espera de Hiuhji que lutava com seu cabelo embaraçado na escova)

-Estou indo! (Finalmente ela desembaraçou e saiu ás pressas para a porta onde eu e Yoongi esperávamos impacientemente)

-Finalmente! (Yoongi reclamou sendo o rabugento que era)



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usu√°rios deixam de postar por falta de coment√°rios, estimule o trabalho deles, deixando um coment√°rio.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...