1. Spirit Fanfics >
  2. Sob as estrelas >
  3. Capítulo Um

História Sob as estrelas - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Minna-san konnichiwa! Desculpem a demora e o capítulo bem mixuruca, foi o máximo que consegui em todo esse tempo, espero que gostem! 💜

Capítulo 2 - Capítulo Um


Fanfic / Fanfiction Sob as estrelas - Capítulo 2 - Capítulo Um

"Para nós Ele é

Da vida, O melhor

Nosso mover e existir 

Paraíso aqui

Só a Ele entregar

O princípio e o fim 

Do universo rei,

Do mundo a luz"


- Projeto Sola



POV's. Samuel



     - Você está bem? Se machucou?


     - Estou bem, obrigada.


     Ao ver aquela moça na minha frente, eu senti algo inexplicável, como se a conhecesse à anos. Nossos olhos se cruzaram por poucos segundos, até ouvir o grito de uma garota, que eu reconhecia a voz, era Rebeca. Uma das únicas garotas que eu conhecia ali.


     - ANDA HANNAH E SAMUEL, VÃO PERDER O ÔNIBUS!


     Ela sorriu, suas bochechas eram bem avermelhadas, e automaticamente sorri de volta. Ela foi andando na minha frente, e fiquei parado por uns segundos, ainda estava sem entender o que foi aquilo que senti.


     Entrei no ônibus e guardei as malas e a bolsa com violão perto de mim. Me sentando ao lado de uma pessoa desconhecida por mim. Passei o tempo todo no ônibus ouvindo música nos fones, olhava pra trás as vezes e via meu irmão e Gabriel junto com outras pessoas no fundo do ônibus cantando alguns corinhos antigos. Dormi por bastante tempo, e acordei com meu irmão tirando os fones do meu ouvido.


     - Tu vai ficar aí? Todo mundo já desceu! - Jack disse apressado.


     - Já estou indo!


     Jack desceu primeiro, coloquei a bolsa do violão nas costas e arrastei a mala pra fora. Assim que saí, fiquei quase de queixo caído com a beleza daquele lugar. Mesmo estando noite, a paisagem do lugar era incrível! O açude cheio, uma ponte branca iluminada linda, tudo estava bem iluminado.


POV's. Hannah



     - Você está bem? - O seu tom de voz parecia meio preocupado. - Se machucou?


     - Estou bem, Obrigada.


     A voz dele me soava muito doce. Nossos olhares se cruzaram por poucos segundos. Eu não conseguia mover um dedo, estava paralisada, perdida em seus olhos. Mas ao ouvir Rebeca gritar, saí do meu transe e senti minhas bochechas queimarem. Um sorriso brotou em meus lábios por impulso, então peguei a mala e andei na frente, e ele logo veio atrás. Guardei minhas malas debaixo do banco no fundo, onde ia sentar junto de Lia, Rebeca, Jack e Gabriel.


     - O que foi aquilo Hannah? - disse Rebeca, com um tom de preocupação.


     - Meu irmão é um abestado mesmo, me desculpe por ele. - Jack se pronunciou, tirando altas risadas de Lia que ria de tudo que ele dizia.


     - Eu estou bem beca. Ele é seu irmão Jack? - Sorri para Rebeca, formando duas linhas nos olhos ao sorrir.


     - É sim, ele é meu irmão mais novo. Se mudou ontem, e está morando comigo e com Gabriel.


     Quando ele falou que ele estava morando com ele, por impulso eu sorri, e não sabia o por quê. Abaixei a cabeça para que ninguém visse que estava vermelha. O Pastor orou ao nosso Senhor, pedindo proteção e agradecendo por aquele dia, logo após já estávamos a caminho, o que me tirou um longo sorriso, pois essa data era esperada por todos, além do mais, no terceiro dia seria meu aniversário, o que me deixava muito ansiosa.


     Tirei meu celular da bolsa e olhei o horário, eram 18h15 e já estávamos à 10 minutos no ônibus, provavelmente chegaríamos às 20h. Começaram a cantar alguns louvores, eu acompanhava em todos, pois eram conhecidos. De vez enquanto eu me pego olhando pro Samuel que estava sentado lá na frente, confesso que estou um pouco curiosa sobre ele.


     - Hannah, escolhe uma música! - pronunciou Gabriel.


     - Hannah? Você está bem? - Lia passou a mão na frente do meu rosto.


     - Oi? O quê? - Começaram a rir pelo meu espanto e eu ainda fiquei sem entender. - Já chegamos?


     - Escolhe um louvor pra gente cantar.


     - Da vida, o melhor!


     Pronunciei quase em um grito, e todos cantamos bem animados, e nesse meio tempo já estávamos quase perto do acampamento. O pai de Rebeca, Pastor de nossa igreja, conversava com um dos diáconos que estava indo à viagem para ficar de olho em todos os jovens, já que o Pastor não poderia ficar todos os dias. Essa viagem, acontecia todos os anos, e eram somente os membros de nossa igreja e alguns convidados de outras igrejas da região.


[...]



     Já estávamos na estrada que entrava diretamente para o acampamento, já era umas 20h. Lia, Jack e Gabriel já estavam dormindo à um tempo. Já eu e Rebeca ficamos ouvindo música nos fones, até que ela cutucou meu ombro direito, o que fez eu sair do transe que a música me causava.


     - Aconteceu algo beca? - Falei ao retirar os fones e a olhei.


     - Eu percebi a troca de olhares entre vocês dois, o que aconteceu?


     Antes que eu pudesse responder a Rebeca, o Pastor fala que chegamos, e eu suspirei aliviada, não queria falar sobre isso naquele momento, e não estava nem um pouco preocupada.
Fomos descendo aos poucos, carregando todas as malas pra fora. Assim que pisei o pé fora do ônibus suspirei sentindo o aroma cheio de sentimentos bons que aquele lugar trazia. Já era noite, mas dava para ver o quanto o açude estava cheio batendo na ponte, acho que se passar ali em cima molharia os pés.


      Saí de meus pensamentos ao ouvir Lia perguntar se eu não subiria para as barracas, e dessa vez ficaríamos em uma das barracas fechadas. Subimos e arrumamos tudo, principalmente as redes, deixando tudo pronto para a dormida.

      Estava frio, então decidiram acender a fogueira. Colocamos cadeiras em volta e sentamos lá, o diácono que estava conosco, apresentou Samuel, que parecia estar envergonhado. Ele olhou pra mim umas duas vezes, ou era apenas coisa da minha cabeça.
Fizeram chocolate quente por conta do frio, e comprei misto quente na cantina. Aquele lugar me fascinava, trazia bons sentimentos e novas experiências.


     Estavamos louvamos ao nosso Deus ali na roda, mas começou a chover e todos subiram para as barracas, aliás já estava no horário. E Logo a fogueira estava completamente apagada.


     - Hannah, cuida em falar agora. A gente viu tudo! - Rebeca se pronunciou, o que me fez dar um pulinho de susto.


     - Viram o que meninas? Estou sem entender. - Indaguei meio preocupada, pois já conhecia o olhar daquelas duas.


     - Os seus olhares para Samuel!
- Arregalei os olhos e senti minhas bochechas queimarem.


     - Ei fala baixo, alguém pode ouvir! - Lia e Rebeca gargalharam, e eu continuei sentindo minhas bochechas queimarem, a maioria do tempo era assim.


     - Eu percebi que ele fica olhando pra você Hannah, eu já o conheço, ele é um cara ótimo! - Lia fez uma cara engraçada e mandou um coração no ar - O amor estar no ar.


     - Vocês estão ficando louca, só pode. - Pronunciei me sentando na rede. - Vão dormir que vocês estão é delirando.


     Amanhã seria um longo dia para nós, trilha, brincadeiras e jogos. Tudo após o almoço. De manhã teríamos o devocional diário as 9h, todos os dias daquela semana. Eu já estava cansada, e as meninas também, mas elas queriam por que queriam saber coisas que nem eu mesmo estava sabendo sobre meu coração, coisas novas.


     - Boa noite princesas. - Pronunciou Lia meio abafado de dentro de sua rede.


     - Parece que beca já dormiu. Boa noite. - Olhei de relance Rebeca dormindo e sorri.





     - Isso é... UMA COBRA!


Notas Finais


E esse final KKKKKKKKKKKKKKKKK vocês entenderão no próximo capítulo, então não desistam de mim. Espero que tenham gostado. 💜💜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...