1. Spirit Fanfics >
  2. Sob o mesmo Céu (Saga Além da Morte) >
  3. Capítulo 13

História Sob o mesmo Céu (Saga Além da Morte) - Capítulo 15


Escrita por:


Notas do Autor


Boa noite corações!
Chegando com mais uma atualização!
Vamos ler fanfic, vamos cuidar da nossa saúde e também do próximo. #FiqueEmCasaLendoFanfic!!

Espero que gostem do capítulo!


Tenham uma ótima leitura!

Capítulo 15 - Capítulo 13


Fanfic / Fanfiction Sob o mesmo Céu (Saga Além da Morte) - Capítulo 15 - Capítulo 13


Sakura acordou pela manhã bem cedo como tinha o costume de fazer, levantou da cama espreguiçando-se e a passos suaves chegou até a janela abrindo as cortinas para sentir em sua pele o brando calor dos raios de sol, isso a deixava revigorada e bem disposta todos os dias de sol, era como seu ritual matutino, logo depois caminhou devagar até o banheiro para fazer sua higiene, Sasori ainda roncava na cama e a mesma realmente não se importou em ter que acorda-lo, já estava farta de como ele preferia levar a vida bebendo até altas horas e depois desmaiar de tão bêbado muitas das vezes a forçando a algo indesejado, queria sair realmente dessa vida que erroneamente escolheu ter, a casa era adaptada para as suas necessidades e isso facilitava o seu deslocamento por toda ela. Sakura foi até a cozinha cumprimentando a empregada que terminava de preparar o café da manhã.

— Bom dia senhora!

— Bom dia Judy.

— Fiz o que a senhora sempre gosta de comer, torradas e bolo de chocolate e seu chá de morango.

— Obrigada

— O que faço para o patrão? Todos os dias ele pede coisas diferentes, fico confusa no que ele vai querer.

— Isso são péssimos costumes, ai eu não sei Judy, melhor esperar ele acordar. Mas faça do que já tem aqui, não há necessidade de ir pra rua comprar algo sempre que ele inventa de comer coisas diferentes.

— É tão estranho não é? Nos primeiros meses ele era bem gentil, me parecia forçado, agora age como se fosse o rei do mundo, desculpe.

— Não tem nada pra desculpar, a senhora falou a verdade, estou farta disso tudo.

— Se um dia a senhora for embora daqui, me leve junto por favor!

— Pode deixar. — ambas riram e Sakura continuou a se alimentar.

Depois que terminou Sakura seguiu para a sala e pegou seu telefone, apertando o botão para a pronúncia de voz, ela abriu o correio de voz e haviam várias mensagens, quase todas de eventos para serem confirmados e seus patrocinadores pediam por uma resposta de confirmação, mas como todos já sabiam como Sakura resolvia esses assuntos seriam umas boas horas que ela ligaria para conversarem, duas horas se passaram e ela fazia intervalos de alguns minutos para pensar e depois dar um resposta dentro dessas duas horas de várias ligações, logo depois de ter terminado essa parte, ela ouviu o resto das mensagens que eram de seus pais, com tanta correria ela mal tinha tempo para visitá-los más conciliou que já estava na hora de ir visitar e matar a saudade.

Sasori já havia acordado e do mesmo jeito do dia anterior permanecia com a cara emburrada, reclamou do café servido a ele mas no final acabou o aceitando, logo depois se arrumou e estava de saída quando percebeu Sakura na sala.

— Então, já tirou a ideia maluca da cabeça?

— Não, esse assunto não está na lista de discussão.

— Qual é o seu problema ultimamente? Está agindo estranho, agora dá uma de dona de si e diz que não precisa de ninguém.

— O problema em si não está em mim e sim nas escolhas que fiz, e eu não disse em momento algum que não preciso de ninguém, eu disse que não conto com você desde o início e isso não é mentira, já que você só se importa com algo se está interligado aos seus interesses.

— Vai começar a falar asneiras, vou sair logo pra não me aborrecer. — dito isso o mesmo pegou um pasta e saiu pela porta rapidamente.

O almoço foi servido apenas para Sakura, suas refeições solitárias eram frustrantes e tristonhas, estava cansada de ter uma casa e se sentir sozinha sempre, a unica que fazia companhia as vezes era Judy e Sakura agradecia por ter ela, se não já teria enlouquecido naquela casa, mas Sakura sentia falta de um companheiro, alguém pra compartilhar suas idéias, conversar, se divertir, passear, alguém para amar, e somente Sasuke vinha em sua mente, para ela, ele era o único que se encaixava perfeitamente. Ficou por um tempo refletindo nesses pensamentos que se tornaram cada vez mais constantes, rapidamente lembrou-se de que Ino viria lhe buscar dentro de meia hora, levantou da mesa indo para o quarto, escolheu uma calça jeans e um blusa de alças finas, uma blusa de manga que ela levaria caso precisasse e logo foi tomar seu banho.

Quando terminou de se arrumar já estava na hora e sua campainha tocou, foi de encontro a Ino que a esperava do lado de fora, antes de fechar a porta avisou a sua empregada que estava de saída e que ela deixasse apenas a janta pronta e poderia ir para casa mais cedo, logo depois saiu.

Ino lhe deu um abraço e ambas saíram juntas para sua casa, no caminho Ino não se aguentou e acabou perguntando o que Sakura estava aprontando, Sakura sem muitas alternativas e rindo da forma nervosa de Ino, resolveu responder logo.

— Eu e Sasuke marcamos de nos encontrar hoje, ele quer me levar a um lugar.

— Meu deus Sakura, sabe o quanto isso é perigoso? Se algum conhecido do Sasori ver vocês vai dar um problema enorme.

— Eu sei Ino, estou torcendo para isso não ocorrer agora, mas já estou farta dessa situação, vou pedir o divórcio logo depois da operação.

— Então, você já decidiu que vai operar se as respostas forem positivas?

— Sim.

— Mas você deve considerar os riscos também.

— Eu sei disso, por isso estou ansiosa para essa consulta.

— E você vai falar com o Sasuke sobre isso?

— Ainda não, se tudo der certo quero fazer uma surpresa.

— Ai ai, só você mesmo. Aonde vai se encontrar?

— Na praça ao lado da sua casa.

— Hum. Toma cuidado tá.

— Pode deixar.

Assim que elas desceram do carro Sakura se encaminhou para a pequena praça, Ino ficou lhe fazendo companhia até que Sasuke chegasse. Logo o som da moto se aproximou parando próximo a elas.

— Oi loira.

— Oi Sasuke, já vou dizendo logo que isso é uma loucura de vocês dois.

— Ino.

— Eu sei, mas não vou ficar fugindo, eu sei o que quero e não vou desistir, não se preocupe, nada de ruim vai acontecer com a Sakura.

— Tente não trazer ela muito tarde se não vou ter visitas indesejadas.

— Tá bom.

Assim que os dois se entenderam Sakura deu um abraço em Ino e segurou na mão de Sasuke, quando ela percebeu um capacete ser posto em sua cabeça seu sangue gelou, depois de muito tempo ele a levaria para andar de moto sabe-se lá pra onde, ele a ajudou a subir e levemente juntou suas mãos ao redor de sua cintura, ela o apertou mais se sentindo completamente envolvida.

Já na estrada a moto começava a pegar mais velocidade e os cabelos de Sakura esvoaçavam pra fora do capacete, a sensação de libertação começava a tomar todo o seu interior, uma explosão de sentimentos, adrenalina e felicidade se misturavam  e se sentindo completamente livre a mesma soltou os braços da cintura de Sasuke e os levantou, abrindo-os como se quisesse abraçar o mundo. Seu sorriso era vibrante na qual suas emoções atingiram profundamente Sasuke que mesmo contido e atento sentia-se extremamente feliz por estar proporcionando algo tão bom a ela, a reciprocidade entre eles era quase palpável, logo depois ela voltou a abraçá-lo forte como se fosse um agradecimento.

Eles seguiram pela estrada por cerca de uma hora até que Sasuke parou a moto, Sakura notou ser um lugar silencioso de pessoas, dava pra ouvir o cantar dos pássaros e um pouco ao fundo um barulho de água corrente. Sasuke a ajudou a descer e retirou seu capacete e o dele, os dois caminharam juntos até a sombra de uma grande árvore, que exalava um cheiro bom devido as suas flores.

— Onde estamos Sasuke?

— Eu não sei o nome, encontrei esse lugar dando voltas pela cidade e me lembrei de você, queria te trazer aqui a qualquer custo. — ele falou sorrindo e segurou a mão dela.

— Creio que seja um lugar muito lindo, o cheiro das flores é maravilhoso e tem paz e tranquilidade. Eu amei.

— Sempre que fico com saudades de você por estar longe eu venho aqui, tudo me lembra você e é como se estivesse um pouco mais perto, esse lugar representa muito pra mim. Essa é uma árvore de flores de cerejeira, a cor das flores são idênticas a cor do seu cabelo.

— Eu não sei o que dizer, tenho pensado tanto em nós dois, queria que as coisas fossem mais fáceis.

— Eu entendo, não tenho intenção de te pressionar a nada. A escolha que você fizer eu vou aceitar.

— Eu escolhi me separar do Sasori, não sou feliz com ele e nunca serei. Eu acredito que se você voltou pra minha vida é nela que você deve ficar, não quero me privar de viver esse amor intensamente.

— Eu não quero mais te decepcionar, em nada, por um bom tempo eu achei que era pouco demais pra você, que eu não te merecia e não prestava como pessoa, talvez aquele Sasuke realmente não prestasse, mas esse aqui é diferente. — Sasuke se sentou no gramado puxando Sakura consigo, ela ficou sentada entre suas pernas e ele a abraçou por trás colocando seu rosto entre os cabelos e exalando profundamente o seu cheiro, com uma das mãos ele afastou as mechas expondo o pescoço e depositou um beijo molhado fazendo a mesma se arrepiar.

Era impossível não se entregar ao momento, os dois anseiavam por isso faz tempo e tudo era mostrado nos gestos e na profundidade das palavras. Sasuke deslizava suas mãos pelo contorno dos braços dela indo em direção ao seus pescoço e logo depois acariciando o seu rosto enquanto distribuía vários beijos de forma devagar e demorada pela sua nuca gostando do efeito que estava causando, ele a puxou para que mudasse de posição e ficassem de frente um para o outro, e então selaram seus lábios em um beijo sófrego e longo, sentindo seus gostos e se aproximando cada vez mais, o despertar dos desejos em seus corpos foi incontrolável e as carícias foram se tornando mais intensas.


— O que você quer Sakura? — Ele soprou em seu ouvido de forma baixa porém muito provocante.


— Você, é tudo o que eu quero, pra sempre.

— Vem comigo? — ele falou se pondo de pé e a ajudando a se levantar, notou que suas pernas estavam um pouco bambas e acabou sorrindo rapidamente.

— Pra onde? Sabe que é loucura né?


— Eu sei, mas sempre fui um pouco louco, e agora somos dois loucos apaixonados sob o mesmo céu, entende isso? Podemos fazer o que quisermos. — Sakura sorriu ao pegar firmemente na mão de Sasuke para ser guiada até a moto, os dois saíram de lá rumo a um outro destino.

Mais um tempo se passou e Sasuke estacionou sua moto na garagem de sua casa, Sakura desceu junto a ele e os dois entraram no prédio, perderam mais alguns minutos até que chegassem em seu apartamento e por fim entraram.

— Estamos aonde?

— Na minha casa. Onde eu queria que você ficasse.

— Sasuke, você sabe que eu... — antes que ela terminasse a frase ele pois o dedo indicador em seus lábios a calando, logo em seguida segurou seu rosto com as duas mãos e colou suas testas.

— Esquece todos os seus problemas por hoje, esquece o mundo lá fora e fica aqui comigo.

Sakura balançou sua cabeça em afirmativa e sentiu seus lábios serem tomados pelos lábios quentes dele, ela conseguia sentir toda a eufória que o corpo masculino a sua frente transpassava, o beijo tinha certo desespero como se ela fosse sumir a qualquer instante.

Sakura pensamentos on

Nesse momento que com todo o meu amor recebia os beijos e carinhos do Sasuke eu pude perceber que ele estava com medo, senti que ele queria demonstrar toda a sua entrega como se a qualquer momento eu pudesse desaparecer e me torna alguém inalcançável, e eu não podia permitir que ele mergulhasse em um aglomerado de incertezas e dúvidas, eu não podia ter incertezas e nem dúvidas do que quero. Eu o correspondi como queria desde o início, uma entrega total que quando acontecesse já não teria mais volta independente das consequências que viriam, tenho certeza que nesse amor eu poderia reestabelecer as minhas forças, forças pra lutar e não deixar que ninguém me menospreze. Porque eu escolhi amar!

Sakura pensamentos off

Sasuke sentiu as pequenas mãos circularem seu pescoço com firmeza e apronfudar o beijo, era uma entrega como da primeira vez ou talvez até mais intensa, não podia mentir, ele estava com medo, mas a Sakura diante de si queria o mesmo que ele e demonstrava isso em cada gesto, seu coração apertado foi se apaziguando aos poucos ao sentir aquele amor, algo que ele sabia que era somente dele.


O beijo se tornava mais profundo e seus corpos estavam quentes pedindo um pelo outro. Guiaram-se pela casa até o quarto com um pouco de dificuldade, pois não se separavam, por fim chegando próximo a cama as roupas foram sendo tiradas as pressas pois a vontade e desejo por contato se tornava insanamente incontrolável.

Agora completamente nus sobre a cama Sasuke contemplava a beleza que ofuscava todos os seus sentidos, distribuía beijos por todo o corpo pequeno deixando seu rastro quente causar arrepios abrazadores na pele dela. Segurando suas mãos acima da cabeça ele praticava uma tortura prazerosa a levando ao delírio, aos poucos emitindo gemidos baixos e leves contrações pelo corpo. A umidade de sua intimidade o estava enlouquecendo mas não queria apressar nada. Ele foi beijando o maxilar e descendo pelo pescoço e colo até chegar na região dos seios e ali depositar uma pequena mordida que a fez se reclinar soltando um gemido mais alto, foi quando ele se focou em dar atenção ali envolvendo o mamilo com seus lábios e sugando fazendo uma leve pressão enquanto massageava o outro, ficou a torturando por alguns minutos nesses pontos que ele sabia que ela era mais sensível, mas já não estava aguentando mais de tanto tesão por ela, então apertando com firmeza o seu quadril com as mãos, ele se posicionou entre as pernas dela e devagar foi a penetrando sem perder as expressões do rosto rosado que o deixava ainda mais insandecido.

Ele queria sentir cada parte, cada centímetro dela, matar toda a saudade reprimida e guardada então resolveu ir com calma apenas se inebriando nos sons que ela fazia, no cheiro que exalava de sua pele macia e quente, dando leves porém profundas estocadas, logo algumas gotas de suor começaram a surgir porém isso não era um incômodo, apenas facilitava o escorregar de seus corpos que nem notaram estarem se tornando mais intensos, conforme o prazer se tornava mais forte e potente seus corpos respondiam em completa sintonia se intensificando. As estocadas passaram a ser mais fortes e fundas, as pernas circularam o quadril dele que se movimentava rapidamente agora fazendo a cama bater contra a parede, os primeiros arranhões começaram deixando sua pele branca um pouco avermelhada mais ele queria mais, era apenas um incentivo a mais para a forma alucinada que estava chegando ao seu auge, e nesse ritmo louco Sakura inverteu as posições ficando por cima dele, e só em vê-la tomar o controle como uma felina acima de si, remexendo os quadris de encontro ao seu o fez conhecer um novo nível de delírio, no qual ficou impossível controlar ou mesmo segurar os seus gemidos que saiam fortes por sua garganta. E entre os muitos gemidos e investidas durante várias trocas de posições que alcançaram seus limites atingindo o êxtase de pura satisfação.

Alguns minutos em silêncio e Sasuke a puxou para junto de si, queria senti- la o mais perto possível enquanto o seu perfume tomava todo o quarto.

— Tenho que ir.

— Não quero deixar.

— Mas precisa, eu também não queria ir.


— Eu sei.

A contra gosto Sakura se desvencilhou dele e o mesmo se levantou a levando até o banheiro, lhe entregou suas roupas e uma toalha para que tomasse banho, depois de Sakura já estar pronta ele tomou seu banho e se arrumou rapidamente, Sakura sequer tinha noção de horário e perguntando pra ele, ela se assustou pois já era muito tarde da noite. A mesma pensou que se fosse pra casa de Ino agora poderia trazer problemas para ela, então iria direto para casa.

— Sasuke me deixa no ponto de táxi, de lá vou direto pra casa.


— Tem certeza?


— Sim, é melhor.


— Sakura tente resolver logo sua situação com ele, se eu souber que ele te fez algo as coisas vão ficar sérias além do limite.


— Tudo bem, ele não é maluco o suficiente pra me fazer mal, ele sabe que só tem a perder.

— Estou confiando nisso. — e os dois saíram do apartamento indo até o ponto de táxi mais próximo.





Um pouco antes


Ino andava de um lado para o outro dentro de sua casa chamando a atenção de Sai, ela estava nervosa e seu coração apertava cada vez que os minutos passavam e ficava mais tarde.

— Onze horas da noite e nada da Sakura voltar, o que eu faço? — Ino estagnou no lugar ao ouvir sua campainha tocar incessantemente, no caminho até a porta foi pensando no que poderia fazer caso fosse Sasori e não estava errada, ao abrir a porta seus olhos crescerem porém ela logo tentou transparecer calma.


— Cadê a Sakura?


— Ué ela não está em casa?


— Não, faz duas horas que cheguei e esperei e ela não apareceu, ela não disse que ia sair hoje. Imaginei que ela pudesse estar aqui.

— Sim, ela veio mas disse que queria ir pra casa, se não foi então não sei onde pode estar. Já tentou ligar?

— Sim, está desligado.


— Talvez ela tenha ido visitar a Hinata, elas estavam marcando um dia desses.


— Hum, vou tentar entrar em contato com essa Hinata então. — dito isso ele saiu sem nem se despedir. Assim que Ino fechou a porta correu para pegar o celular e começou a ligar, nas três primeiras tentativas o celular estava desligado, na quarto finalmente Sakura atendeu.

— Sakura sua louca, o Sasori esta atrás de você pela rua.


— Não se preocupa Ino, eu estou bem, já estou perto de casa e vou ligar pra ele.

— Fico feliz que esteja bem, mas tome cuidado, por favor.


— Certo, desculpe por causar algum problema.


— Eu fiquei preocupada, mas agora que sei que está bem fico um pouco tranquila.

— Obrigada, vou desligar, até logo.


— Até.

Sakura chegou em casa e estava tudo silencioso, significava que Sasori ainda não tinha voltado, aproveitaria o tempo para pensar no que iria falar e resolver logo tudo de uma vez só, uma hora depois ouviu a porta bater e se preparou.

— Aonde esteve? Fale sem rodeios.


— Estava andando pela cidade.


— É sério? Com as condições que você tem, não é recomendado andar por aí, ainda mais essa hora.


— Eu aprendi a andar pela cidade, posso não ver mais meus outros sentidos não são falhos.

— Se tá dizendo.


— Precisamos conversar.


— O que é agora?

— Eu quero me divorciar de você, cansei dessa vida. Eu quero viver de verdade.


— O quê?!!






Notas Finais


O que acharam? Espero muito que tenham gostado, o próximo só semana que vem agora, mas vou atualizar Destino Envolvente ainda essa semana então se vocês acompanham fiquem de olho nas notificações!


Bjinhos para todos!😘😘😘🥰


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...