História Sob o teu controle II Long Imagine-Jeon Jungkook-II - Capítulo 8


Escrita por: e sicx

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Sob O Teu Controle
Visualizações 298
Palavras 1.319
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Mistério, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


EAE SER HUMANOS MARAVILHOSOS
COMO ESTÃO?
SICX CHAVOSA FALANDO q

Samin está cheia de projetos, então chegou a minha hora de postar um cap hihi

Vai vir uma caralhada de fic dela, então fiquem ligados! Se não for pra lacrar, Samin nem faz.

Até as notas finais, e boa leitura AAAAA ❤

Capítulo 8 - Fique longe dela


Fanfic / Fanfiction Sob o teu controle II Long Imagine-Jeon Jungkook-II - Capítulo 8 - Fique longe dela



Fechei a cara. Essa moleca teve a coragem de arranjar um namorado? É brincadeira né? Esse rapaz não vai durar muito, eu não vou permitir que essa palhaçada dure mais de um dia.


– Chega de brincadeira por hoje, não faço a mínima idéia de quem é você  e nem me interesso – O dia foi cheio para a minha cabeça, não quero criar mais estresse, assim vou acabar explodindo – Quero ver S/N, agora.


Esse tal de Seokjin não pareceu se intimidar nem um pouco, deu até um sorrisinho irônico demonstrando seu deboche, filho da puta!


Senhor Jeon...Continua com o tom irônico. – Com todo o vosso respeito, ela não quer lhe ver agora. Também quero saber o motivo dela não desejar estar diante da sua presença nesse momento, mas S/N é teimosa, não me fala de jeito nenhum.


Muito bem, se ela não quer me ver nesse momento, não verá. Ou pelo menos isso é o que pensa.


Suspirei pesado, fingindo falsa tristeza.


– Se ela  está evitando  conversar comigo, o que faço pra resolver meu problema com minha pequena? – Pensei expressando uma cara decepcionada, Seokjin demonstrou se sensibilizar com essa briga de "pai e filha", a primeira parte do plano recém pensado  em minha mente já está se cumprindo. – Eu preciso conversar com ela para esclarecer tudo, se não vou me irritar ainda mais e cometer algum ato que me arrependa, consequentemente.


– Vou dar uma palavrinha com minha  pequena , não garanto que vá ter algum resultado. – Esse cara não vai ter mais diálogo nenhum com a minha S/N, se ele ficar no mesmo espaço que a mesma novamente, irá presenciar meus extintos demoníacos.


– Eu preciso que seja agora, aliás, termine isso que você chama de relacionamento, não dei permissão alguma para namorar a minha filha. – Sentindo a minha cabeça ferver, aperto  as mãos em forma de ataque, na tentativa de controlar a vontade de socar Seokjin.


– Senhor Jeon, sua filha já tem 18 anos, sabe muito bem o que quer. Ela não precisa de um pai superprotetor para cuidá-la 24 horas por dia, não é como se ela fosse uma criança de apenas 5 anos que não conhece ninguém e precisa de ajuda para viver. Sinto muito em lhe dizer  se acha que ela precisará de você para sempre, está bem enganado. – Em meio as suas palavras deixei de lado meu alto controle e planos, é agora que eu vou bater nele até esquecer que nasceu de uma mãe, e não de uma vaca.


Quando iria levantar  meu punho em direção ao seu rosto, S/N apareceu do nada ao lado do mais velho, se vangloriando pela sua coragem.


– Lindíssimo Jin, falou tudo.


S/N ON 


Estava ouvindo tudo da cozinha, e confesso que até  deu uma pena do Koo... Não, Kookie não, Jungkook. Mas a sensação  cessou enquanto percebi na conversa que se passava, a impaciência em seu tom de voz. Não vai ser dessa vez que simplesmente irei ceder ás suas vontades, hoje não.


A discussão já estava tomando um rumo mais sério, também tive que aguentar escutar papai dando uma de cachorro abandonado, não contive as várias reviradas de olho por saber que esse falso é entedioso, só que esse tédio estava indo há um nível   extremamente chato, seguindo para um rumo em um bate boca tenso, qualquer minuto que se passava podia acontecer de alguém sair apanhando. 


Provavelmente seria o Jin, conheço Jungkook perfeitamente, sua paciência não é algo infinita, muito menos em grande proporção. Do jeito que falava lá fora, parecia que queria arrancar os olhos do meu namorado vivo.


Sabe o que me enche de ódio? Papai bancando  o certinho, quando na real está mais do que errado. Meu Deus que ódio! O estopim para que fosse até lá foi a sua última frase, antes de Seokjin o responder.


"Eu preciso que seja agora, aliás, termine isso que você chama de relacionamento, não dei permissão nenhuma para namorar a minha filha"


Apertei  meu passo, indo em direção à porta, onde estavam localizados os dois, até que o meu então namorado rebateu o desaforado enraivecido na sua frente. Sorri abobada com aquilo, não tem pessoa mais fofa que essa.


Abri a porta no mesmo instante, revelando Jungkook quase socando a cara do Jin, os dois arregalaram os olhos, parando totalmente o que estavam fazendo. Agradeci aos céus que eu havia impedido de alguém sair ferido, em forma de agradecer o meu defensor por calar a boca de Jungkook, e o deixar sem argumento, me pronunciei.


– Lindíssimo Jin, falou tudo. – Sorri ao meu namorado, a única coisa que não me arrependi na minha vida toda é de ter aceitado  seu pedido de namoro simples no meio da cozinha, quando nos sujamos de farinha na tentativa de fazer um bolo, que acabou sendo uma lambança de massa e pó para todo lado.


– S/N! – Responderam em conjunto, Jin deslizou suas mãos em minha cintura apertando levemente o local , uma forma protetora para que eu não saísse de seu lado   por nada.


– Querida, vamos para casa de sua avó. Prometo que iremos nos entender, aquilo que cometi não foi minha intenção. Agi por impulso. – Nossa, que teatrinho maravilhoso esse, papai todo preocupado comigo só faltando me beijar ali mesmo.


Que ele não faça isso, pelo amor de Deus!


– Por enquanto, não quero ver a sua cara nem pintada de ouro, vaza daqui, ou eu chamo a polícia.


Jungkook riu alto, eu e Jin nos entre olhamos confusos, não entendendo a graça de nada daquilo, ele parecia um retardado rindo de uma piada sem graça que o tiozão conta no  almoço em família.


– Você realmente acha mesmo que eu tenho medo de polícia? – Esbravejou, limpando as lágrimas que foram causadas pela sua gargalhada, que mais estava  sarcástica. – Não fiz nada de errado até agora, quem fez foi você por sair de casa sem avisar ninguém e passar a tarde  na de um desconhecido intitulado agora como seu namorado. – Não estou pedindo, isso é uma ordem. Venha para casa agora, ou o seu namoradinho  apanhar feio como nunca antes apanhou.


– Não tem medo de polícia, e eu muito menos em relação há você. – Jin se alterou, iniciando uma briga descontrolada, Jeon se defendeu, o jogando no chão, virando o jogo, subindo em cima dele e desferindo socos e mais socos, o Kim que estava em baixo segurou as mãos do mais velho, impedindo de realizar alguma outra ação, mas Jungkook fôra mais rápido e deu uma cotovelada bem nas costelas dele, fazendo se contorcer de dor em seguida largando-o.


– Jin! – Gritei inundada de preocupação e sem ação diante daquilo tudo, o único celular que tinha em mãos estava no bolso da calça do que está apanhando, pois o meu celular encontra-se descarregado.


– Venha, agora partiremos para a  casa de minha mãe. – Papai pegou em meu pulso com força, me arrastando para dentro do carro, e mesmo me debatendo, sua força é o triplo da minha, não consigo me soltar de maneira nenhuma.


– Não irei, me solta porra! Eu me nego a voltar  com você. Vou ficar aqui e cuidar do Jin! – Lágrimas se formavam no canto dos meus olhos, mas não vou permitir que elas caiam.


– Você vai, nem que seja á força – Disse analisando  meus olhos, de forma penetrante, fixando o olhar ameaçador sob mim. 


Me aproximei do seu corpo, chegando bem perto de seu rosto, ele soltou os meus pulsos que estão avermelhados pelo tamanho movimento agressivo, me liberando para dizer o que pretendia.


– Quero que você vá  se foder Jungkook. – Desafiei-o  friamente, olhando  em suas orbis negras e intimidadoras. 


Jungkook mudou sua expressão séria, para alguém perverso, deu um sorriso malicioso, pegando em minha cintura, colando nossos corpos, aproveitando que Seokjin ainda estava se recompondo, de costas para nós.



– Foder é o que eu mais quero fazer, e desejo que seja com você.




" O lobo mal se escondi

Em quem menos se espera

Cuida, ama 

Chega e nos engana 

Dá e tira, moldando mentiras

Aprofunda e muda 

Uma sanidade pura.''



Notas Finais


E foi isso! Tomara que tenham gostado, hihi.
Até o próximo ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...